Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Candidatos opinam sobre opções de lazer para a juventude

Sexta, 23/9/2016 8:14.

Diversos episódios mostram que os jovens, especialmente os de menor poder aquisitivo, têm dificuldade para encontrar locais de diversão e reunião. Um exemplo bem conhecido e que a polícia vem reprimindo são os grupos que se reúnem nos mirantes da Interpraias.

Na semana passada, o Página 3 noticiou outro fato, jovens se reúnem à noite no Mercado do Pescador, na Barra Sul, colocam o som dos automóveis “no talo” e infernizam a vida dos moradores dos dois lados do rio, na Barra Sul e na Barra.

A especulação imobiliária acabou com o espaço público de convivência dos jovens na Barra Sul. O que durante anos foi uma das principais características da cidade acabou. Nas discussões do Plano Diretor de 2008 foi cogitado reservar um grande terreno na várzea do seu espaço.

Se a Sra. ou dos Srs. for eleita (o) como pretende conduzir esta questão?

Jade Martins

Como Presidente da Mesa de Revisão do Plano Diretor discutimos essa questão e apontamos como caminho a utilização desse espaço próximo às margens do Rio Camboriú e tenho como compromisso resgatar esse projeto e fomentar a instalação das casas noturnas e áreas de lazer e entretimento para a juventude, como forma também de incremento econômico dessa atividade que de fato diminuiu com o avanço dos empreendimentos imobiliários na Barra Sul.

Leonel Pavan

Vamos encarar este desafio de frente. Precisamos inicialmente ampliar os projetos sociais, construir mais escolas de ensino integral e propiciar maiores opções de atividades no contraturno escolar, para melhorar a formação de nossos jovens. Em paralelo, construiremos o Instituto Municipal de Ensino Técnico, para oportunizar encaminhamento profissional vocacionado a juventude da Cidade. Inegável também que se faz necessária a recuperação dos espaços de integração comunitária nos Bairros, como praças, centros comunitários e campos de Futebol, totalmente abandonados pela atual administração. Precisamos destes locais de diversão e reunião para nossos jovens, que passarão a oferecer estrutura integrada para a prática de esportes, cultura e que ofereceram acesso gratuito a internet gratuita. Já com relação a discussão acerca da escolha de um novo espaço específico para a vida noturna, informamos que esta decisão será coletiva. A prefeitura liderará a iniciativa em parceria com entidades e conselhos (sobretudo, o Conselho da Cidade) para que juntos possamos construir uma alternativa viável de fortalecimento de nossa vida noturna, que acaba por ser também um diferencial turístico do Município.

Fabrício Oliveira

Os jovens precisam ter seus espaços, seja para o lazer ou esporte. E neste sentido, nosso Plano de Cidade traz como propostas: um novo e moderno Complexo Esportivo para todos esportes; um Estádio de futebol com grama sintética e pista de atletismo; 5 novos Skate Parks; Programa Academia para Saúde e Praças esportivas em todos os bairros. Assim como, é preciso dar oportunidades aos jovens, e iremos colocar em prática o Plano Municipal para Juventude, efetivando as metas do Pacto pela Juventude, com incentivo ao empreendedorismo. Estimulando as start ups, vamos desenvolver o Distrito Tecnológico apostando na área de TI como vetor para o desenvolvimento. Vamos investir em competições que potencializem as trilhas não só com bikes, mas com corrida de aventura e orientação. E sobre os espaços para vida noturna, precisam estar dentro da legalidade e garantir acima de tudo, a segurança dos jovens, e isso iremos fazer.

Professor Ozawa

Esse modelo de gestão municipal das últimas duas décadas, ao menos, privilegiou um setor da economia, que é a construção civil. Paralelamente, as pessoas foram sendo excluídas dos espaços de convivência social. A falta de alternativas de sociabilidade, especialmente públicas, acabam jogando essa população excluída nas ruas como o único espaço “público” disponível para o seu entretenimento. Exemplo dessa exclusão são as praças da cidade, recheadas de concreto e sem árvores e bancos. Há uma clara demanda desses elísios públicos na cidade. Os poucos espaços disponíveis, já estão sobrelotados com idosos, jovens, e feiras de artesanato. É preciso revitalizar as praças públicas dos bairros, criar maiores espaços de convivência, se necessário até, desapropriar terrenos de mera especulação imobiliária para dar uma verdadeira função social à propriedade. Mais praças e espaços públicos é uma meta de nosso governo e com a devida urgência!

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Abastecimento continua ameaçado economize água


Justiça

Ele considera ilegal a lei municipal que permitiu o empreendimento 


Variedades

Escolha por voto popular contou com participação de sete mil pessoas


Rapidinhas


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Candidatos opinam sobre opções de lazer para a juventude

Sexta, 23/9/2016 8:14.

Diversos episódios mostram que os jovens, especialmente os de menor poder aquisitivo, têm dificuldade para encontrar locais de diversão e reunião. Um exemplo bem conhecido e que a polícia vem reprimindo são os grupos que se reúnem nos mirantes da Interpraias.

Na semana passada, o Página 3 noticiou outro fato, jovens se reúnem à noite no Mercado do Pescador, na Barra Sul, colocam o som dos automóveis “no talo” e infernizam a vida dos moradores dos dois lados do rio, na Barra Sul e na Barra.

A especulação imobiliária acabou com o espaço público de convivência dos jovens na Barra Sul. O que durante anos foi uma das principais características da cidade acabou. Nas discussões do Plano Diretor de 2008 foi cogitado reservar um grande terreno na várzea do seu espaço.

Se a Sra. ou dos Srs. for eleita (o) como pretende conduzir esta questão?

Jade Martins

Como Presidente da Mesa de Revisão do Plano Diretor discutimos essa questão e apontamos como caminho a utilização desse espaço próximo às margens do Rio Camboriú e tenho como compromisso resgatar esse projeto e fomentar a instalação das casas noturnas e áreas de lazer e entretimento para a juventude, como forma também de incremento econômico dessa atividade que de fato diminuiu com o avanço dos empreendimentos imobiliários na Barra Sul.

Leonel Pavan

Vamos encarar este desafio de frente. Precisamos inicialmente ampliar os projetos sociais, construir mais escolas de ensino integral e propiciar maiores opções de atividades no contraturno escolar, para melhorar a formação de nossos jovens. Em paralelo, construiremos o Instituto Municipal de Ensino Técnico, para oportunizar encaminhamento profissional vocacionado a juventude da Cidade. Inegável também que se faz necessária a recuperação dos espaços de integração comunitária nos Bairros, como praças, centros comunitários e campos de Futebol, totalmente abandonados pela atual administração. Precisamos destes locais de diversão e reunião para nossos jovens, que passarão a oferecer estrutura integrada para a prática de esportes, cultura e que ofereceram acesso gratuito a internet gratuita. Já com relação a discussão acerca da escolha de um novo espaço específico para a vida noturna, informamos que esta decisão será coletiva. A prefeitura liderará a iniciativa em parceria com entidades e conselhos (sobretudo, o Conselho da Cidade) para que juntos possamos construir uma alternativa viável de fortalecimento de nossa vida noturna, que acaba por ser também um diferencial turístico do Município.

Fabrício Oliveira

Os jovens precisam ter seus espaços, seja para o lazer ou esporte. E neste sentido, nosso Plano de Cidade traz como propostas: um novo e moderno Complexo Esportivo para todos esportes; um Estádio de futebol com grama sintética e pista de atletismo; 5 novos Skate Parks; Programa Academia para Saúde e Praças esportivas em todos os bairros. Assim como, é preciso dar oportunidades aos jovens, e iremos colocar em prática o Plano Municipal para Juventude, efetivando as metas do Pacto pela Juventude, com incentivo ao empreendedorismo. Estimulando as start ups, vamos desenvolver o Distrito Tecnológico apostando na área de TI como vetor para o desenvolvimento. Vamos investir em competições que potencializem as trilhas não só com bikes, mas com corrida de aventura e orientação. E sobre os espaços para vida noturna, precisam estar dentro da legalidade e garantir acima de tudo, a segurança dos jovens, e isso iremos fazer.

Professor Ozawa

Esse modelo de gestão municipal das últimas duas décadas, ao menos, privilegiou um setor da economia, que é a construção civil. Paralelamente, as pessoas foram sendo excluídas dos espaços de convivência social. A falta de alternativas de sociabilidade, especialmente públicas, acabam jogando essa população excluída nas ruas como o único espaço “público” disponível para o seu entretenimento. Exemplo dessa exclusão são as praças da cidade, recheadas de concreto e sem árvores e bancos. Há uma clara demanda desses elísios públicos na cidade. Os poucos espaços disponíveis, já estão sobrelotados com idosos, jovens, e feiras de artesanato. É preciso revitalizar as praças públicas dos bairros, criar maiores espaços de convivência, se necessário até, desapropriar terrenos de mera especulação imobiliária para dar uma verdadeira função social à propriedade. Mais praças e espaços públicos é uma meta de nosso governo e com a devida urgência!

Publicidade

Publicidade