Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Paixão diz que Piriquito está entregando o PMDB ao PP

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Marlise S.Cezar
Paixão diz que Piriquito nunca foi PMDB de verdade.

Segunda, 27/6/2016 8:40.

O corretor de imóveis Milton Danton Mendes, o Paixão, morador de Balneário desde 1976, filiado ao PMDB “desde que nasceu” está insatisfeito com os rumos do partido na cidade, critica a intenção de “entregar” o governo municipal ao PP de Fábio Flôr e diz que o prefeito Edson Piriquito e outros que o cercam não são autênticos peemedebistas.

Paixão é da época do velho MDB que fez a resistência democrática durante a ditadura contra líderes do PP como Esperidião Amin e não se conforma, por isto veio ao Página 3 reclamar, confira:

JP3 – O Sr. diz que o prefeito e outros que hoje comandam o partido na cidade nunca foram peedebistas.

Paixão – Eles estão ali e nunca foram PMDB de carteirinha como a gente que durante 30 anos carregou o partido nas costas.

JP3 – Nem o Piriquito, nem o tio dele, o Plínio?
Paixão - Nem o Piriquito, ninguém. Peemedebista é aquele que se reunia quando o partido cabia numa Kombi e carregava a Kombi nas costas.

JP3 – O PMDB nunca havia governado a cidade...

Paixão - ... nunca, então veio um interesseiro para o PMDB que foi o próprio Piriquito...

JP3 - ... O Sr. acha que o governo do PMDB aqui em Balneário foi bom?

Paixão – Nos primeiros quatro anos sim, fizeram alguma coisa, acompanharam a conclusão das obras que já vinham sendo feitas no governo anterior. Nesses últimos quatro anos se acabou e a minha mágoa é que um prefeito que não era peemedebista, que veio fazendo uma onda do cão de ser peemebista, fez um busto do Ulysses Guimarães e botou no gabinete dele, com oito anos de mandato não preparou um sucessor, isso é PMDB? (...) O prefeito tem o diretório na mão, manda no diretório, faz o sucessor e quer fazer um sucessor do PP, voltando à origem política dele que foi o PP...

JP3 – Vereador...

Paixão – ...sim ele se elegeu vereador pelo PP e se aproveitou do PMDB que tinha uma posição melhor na cidade...

JP3 – O pessoal comenta que ele voltará para o PP.

Paixão – Essa é a conta, não tem outra, por que apoiar um candidato do PP? O PP nunca foi aliado do PMDB, sempre foi oposição ao PMDB, nós brigávamos com o PP, era Amin pelo PP contra o PMBD. Depois criaram outros partidos, descaracterizou, mas eu carrego a bandeira do PMDB no coração.

JP 3- O PMDB ainda tem um pouco disso, o pessoal que veio do MDB, que lutou contra a ditadura...

Paixão – ...no Brasil inteiro e aqui no Balneário temos gente que não vota nunca no PP. PMDB do coração nunca vota no PP.

JP3 – Então vocês não farão campanha para o candidato?

Paixão - Sempre tivemos candidato à prefeitura. Mesmo lá em 1992 que não tínhamos candidato e fomos importar o Andrônico (Pereira) de Camboriú para cá. Ficamos 20 anos como oposição ferrenha ao Pavan, fizemos o prefeito e agora ele entrega o partido de graça.

JP3 – Grande parte dos colaboradores do prefeito foram colaboradores dos tucanos, do Luis Castro, do Pavan...

Paixão – Por isso que digo que este prefeito que está aí não é PMDB. Eu vou no partido e não vejo ninguém da nossa época tirando o Osni Teixeira, Zeno Salt, Arnaldo Sombrero... e o Sandro Bernardoni, não por ele, mas pelo pai dele.
 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Aeradores do Marambaia não têm prazo definido


Geral

Presidente do sindicaro recebe como Procurador, mas não atua na função   


Saúde

Objetivo é investir em prevenção e desafogar o Posto Central


Cidade

Jornal Página 3 prepara material especial para a data


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade