Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Educação
Mais de 300 famílias se reuniram no Pontal Norte pedindo pelo retorno das aulas presenciais

Segunda, 19/10/2020 10:16.
Fotos @voltaasaulasbc

Publicidade

Com cartazes, fumaça colorida e balões, mais de 300 famílias, entre pais, seus filhos e profissionais ligados à Educação de Balneário Camboriú – principalmente de escolas particulares, pediram pela retomada das aulas presenciais, em manifestação realizada domingo (18), no Pontal Norte.

Os participantes alertam que ‘lugar de criança é na escola’ e que ‘ausência escolar deve ser comunicada’. Em Itajaí também houve uma ação, ainda na tarde de domingo.

O governo do Estado liberou a retomada, porém para que isso aconteça a região precisa estar em risco Alto (faixa amarela) ou Moderado (azul) para a contaminação de Covid-19, o que não é o caso de Balneário Camboriú, que há duas semanas retornou para o risco potencial Grave (laranja).

Retorno optativo

O público se reuniu pela retomada das aulas presenciais, que pode ser ‘optativa’, ou seja, somente para os pais que quiserem levar seus filhos, que continuarão com as aulas online. Inclusive, o ensino híbrido (misto de presencial com online) vem sendo discutido como o ensino do futuro.

As crianças também seguravam cartazes, dizendo que sentem falta da convivência com seus colegas e professores.

Citações sobre a praia lotada [que já vem acontecendo há algumas semanas] também surgiram, questionando o motivo para isso acontecer e as escolas seguirem fechadas. Uma mãe levou um cartaz citando que ‘30% das crianças em casa desenvolveram depressão infantil’ (o Página 3 pesquisou e os dados são de maio, da ONG Save the Children).

Movimento pacífico

Uma das organizadoras do movimento Volta Às Aulas BC, a médica Juliana, conta que foi feito um ‘círculo’ para cumprirem o distanciamento social que é norma de prevenção ao Covid-19 e fizeram uma ‘caminhada simbólica’ e curta até o posto de guarda-vidas que há nas proximidades.

“Todos com máscara, muitas crianças. O astral estava muito bom. Não houve nenhuma confusão, a polícia liberou a nossa ação. Em Itajaí houve ameaça aos organizadores, mas em Balneário foi muito tranquilo”, diz.

“Queremos uma explicação do governo”

Ela antecipa que já estão organizando uma próxima manifestação e que estão se comunicando com outras cidades da região que estão se movimentando, como Itajaí e Blumenau.

“Pedimos pela volta opcional, não queremos obrigar ninguém a nada, mas vemos que há mães com um medo infundado, pais que estão mantendo seus filhos sem sair de casa desde março”, destaca, citando que também pretendem lançar ainda nesta semana um abaixo-assinado online unindo pelo menos Balneário e Itajaí, para assim terem mais força.

“Achamos bizarro o governo do Estado cobrar que a cidade precisa estar em faixa x para as escolas reabrir, fora a faixa etária que estão liberando, os adolescentes do Ensino Médio que podem pegar Covid igual aos adultos, enquanto os pequenos (menores de 12 anos), que são os que mais precisam da escola e que não está havendo aumento dos casos, não podem ir. É equivocado isso, e queremos uma explicação do governo”, completa.

Abaixo-assinado está sendo discutido

O objetivo foi principalmente chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelas famílias, pais e alunos, além da questão financeira envolvendo as escolas e creches. Os manifestantes seguirão unidos pela volta às aulas, e estão planejando fazer um abaixo-assinado.

O Comitê Municipal de Gerenciamento da Pandemia de Covid-19 de Balneário Camboriú está finalizando o Plano de Contingência Municipal para a Educação (Plancon), uma das regras para o retorno das aulas presenciais nas redes particular e estadual. Cada escola interessada em retornar também deverá elaborar o seu próprio Plano, que será avaliado pelo Comitê Municipal.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Fotos @voltaasaulasbc

Mais de 300 famílias se reuniram no Pontal Norte pedindo pelo retorno das aulas presenciais

Publicidade

Segunda, 19/10/2020 10:16.

Com cartazes, fumaça colorida e balões, mais de 300 famílias, entre pais, seus filhos e profissionais ligados à Educação de Balneário Camboriú – principalmente de escolas particulares, pediram pela retomada das aulas presenciais, em manifestação realizada domingo (18), no Pontal Norte.

Os participantes alertam que ‘lugar de criança é na escola’ e que ‘ausência escolar deve ser comunicada’. Em Itajaí também houve uma ação, ainda na tarde de domingo.

O governo do Estado liberou a retomada, porém para que isso aconteça a região precisa estar em risco Alto (faixa amarela) ou Moderado (azul) para a contaminação de Covid-19, o que não é o caso de Balneário Camboriú, que há duas semanas retornou para o risco potencial Grave (laranja).

Retorno optativo

O público se reuniu pela retomada das aulas presenciais, que pode ser ‘optativa’, ou seja, somente para os pais que quiserem levar seus filhos, que continuarão com as aulas online. Inclusive, o ensino híbrido (misto de presencial com online) vem sendo discutido como o ensino do futuro.

As crianças também seguravam cartazes, dizendo que sentem falta da convivência com seus colegas e professores.

Citações sobre a praia lotada [que já vem acontecendo há algumas semanas] também surgiram, questionando o motivo para isso acontecer e as escolas seguirem fechadas. Uma mãe levou um cartaz citando que ‘30% das crianças em casa desenvolveram depressão infantil’ (o Página 3 pesquisou e os dados são de maio, da ONG Save the Children).

Movimento pacífico

Uma das organizadoras do movimento Volta Às Aulas BC, a médica Juliana, conta que foi feito um ‘círculo’ para cumprirem o distanciamento social que é norma de prevenção ao Covid-19 e fizeram uma ‘caminhada simbólica’ e curta até o posto de guarda-vidas que há nas proximidades.

“Todos com máscara, muitas crianças. O astral estava muito bom. Não houve nenhuma confusão, a polícia liberou a nossa ação. Em Itajaí houve ameaça aos organizadores, mas em Balneário foi muito tranquilo”, diz.

“Queremos uma explicação do governo”

Ela antecipa que já estão organizando uma próxima manifestação e que estão se comunicando com outras cidades da região que estão se movimentando, como Itajaí e Blumenau.

“Pedimos pela volta opcional, não queremos obrigar ninguém a nada, mas vemos que há mães com um medo infundado, pais que estão mantendo seus filhos sem sair de casa desde março”, destaca, citando que também pretendem lançar ainda nesta semana um abaixo-assinado online unindo pelo menos Balneário e Itajaí, para assim terem mais força.

“Achamos bizarro o governo do Estado cobrar que a cidade precisa estar em faixa x para as escolas reabrir, fora a faixa etária que estão liberando, os adolescentes do Ensino Médio que podem pegar Covid igual aos adultos, enquanto os pequenos (menores de 12 anos), que são os que mais precisam da escola e que não está havendo aumento dos casos, não podem ir. É equivocado isso, e queremos uma explicação do governo”, completa.

Abaixo-assinado está sendo discutido

O objetivo foi principalmente chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelas famílias, pais e alunos, além da questão financeira envolvendo as escolas e creches. Os manifestantes seguirão unidos pela volta às aulas, e estão planejando fazer um abaixo-assinado.

O Comitê Municipal de Gerenciamento da Pandemia de Covid-19 de Balneário Camboriú está finalizando o Plano de Contingência Municipal para a Educação (Plancon), uma das regras para o retorno das aulas presenciais nas redes particular e estadual. Cada escola interessada em retornar também deverá elaborar o seu próprio Plano, que será avaliado pelo Comitê Municipal.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade