Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Educação
Rede municipal de Balneário Camboriú e estadual com aulas à distância

Sábado, 11/4/2020 10:48.
Divulgação/PMBC

Publicidade

Todos os estudantes matriculados na rede estadual de educação de Santa Catarina e na rede municipal de Balneário Camboriú estão tendo atividades não presenciais, passadas pelos professores. Elas acontecem através da plataforma Google Sala de Aula, por onde os alunos recebem o conteúdo e conseguem interagir com os colegas e professores. Para os estudantes que não têm acesso ao computador ou internet está sendo disponibilizado pelas escolas apostilas com as atividades semanais. O objetivo é cumprir o calendário letivo de 2020, sem prejuízos. Ainda não há data definida para o retorno das atividades presenciais.

Rede municipal

Ensino Fundamental

Os alunos da rede municipal de ensino estão tendo aulas online desde o último dia 30. As salas virtuais são acessadas por meio do Google Sala de Aula, que diariamente recebem conteúdo produzidos pelos professores. A secretária de Educação, Rosângela Percegona, explica que o objetivo é manter o aluno em contato com as questões educacionais. Nestas duas primeiras semanas o foco está sendo na revisão de conteúdos já passados presencialmente, com exercícios e jogos.

“Já sabemos que a quarentena vai se estender, então teremos que apresentar conteúdos novos, provavelmente a partir do dia 20. Estamos estudando como fazer isso, porque sabemos que há conteúdos que exigem o acompanhamento presencial dos professores. Diferente dos alunos do Ensino Médio, por exemplo, os do Fundamental não conseguem aprender à distância certos temas. Por isso, estamos invertendo o calendário, tentando deixar as matérias mais difíceis para agosto ou setembro. As mais ‘suaves’ serão dadas agora, mas ainda assim retomadas quando as aulas presenciais voltarem”, salienta.

A secretária acrescenta que a maioria dos alunos está conseguindo acessar o Google Sala de Aula, e para aqueles que não possuem computador ou internet estão entregando exercícios semanais impressos, que devem ser retirados nas escolas toda segunda-feira.

“Mas não podemos afirmar que 100% dos alunos estão fazendo as atividades, por isso na volta vamos retomar as matérias que foram dadas online também. Ainda não estão havendo avaliações, só revisões de conteúdo. Estamos discutindo como será o processo avaliativo, tudo está sendo discutido porque é uma situação que nunca vivenciamos”, acrescenta.

A Secretaria de Educação já está pensando também em possibilidades para cumprir o calendário letivo, já que ainda não se sabe se as aulas voltam no início de maio, junho ou talvez somente em agosto.

“É precoce falar sobre, mas discutimos sobre ampliar a carga horária das aulas (por exemplo, ao invés de acabar às 17h30, as aulas encerrariam às 18h30), além de reposições aos sábados, suspensão das paradas pedagógicas e até das férias de verão. Estamos discutindo com o Colegiado de Educação”, explica.

Rosângela aproveita para lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) destaca que os estudantes podem ser portadores assintomáticos do Coronavírus, mas ainda assim transmitem a doença, por isso a retomada das aulas presenciais não será imediata.

Para dúvidas de como utilizar o Google Sala de Aula ou sobre como acessá-lo por meio do e-mail, a Secretaria de Educação disponibilizou dois números de WhatsApp: (47) 9982-2258 para dúvidas sobre contas e e-mails, e (47) 9982-2317 para dúvidas de utilização do Google Sala de Aula.

Para as crianças e adolescentes que não possuem acesso à internet em casa, a Secretaria de Educação entregará na forma física as atividades nas escolas em que o aluno está matriculado. Para isso o responsável deve entrar em contato com a Secretaria de Educação no número (47) 3363-7144, realizar a solicitação e, em seguida, os diretores agendarão um horário para que o responsável busque na escola essas atividades, tomando todos os cuidados de higienização e distanciamento devido ao Coronavírus.

Educação Infantil

A Educação Infantil também está com programação para os pequenos na plataforma Google Sala de Aula, onde os pais das crianças de até cinco anos pode encontrar brincadeiras e atividades de interação com aprendizado.

“Foi elaborada uma sala única que reúne todas as atividades, como contação de histórias, músicas, atividades que envolvem pinturas, recortes e colagem”, conta. Rosângela acrescenta que não há material físico para a Educação Infantil, já que as atividades são mais lúdicas.

Rede estadual

Segundo a Secretaria de Estado da Educação (SED), os professores passaram por capacitação para adaptarem os planos de ensino ao modelo online – que iniciou na segunda-feira (6). As atividades ficam a critério de cada professor e podem ser vídeos, videoconferências, formulários de questões, textos, etc.

Os alunos que não tiverem acesso a computador ou internet poderão ir até a escola (em horário marcado) para fazerem as atividades pelo laboratório de informática ou também poderão pegar o conteúdo impresso. Para as famílias que não têm condições de ir até a unidade escolar, o material será enviado para a casa do estudante.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/PMBC

Rede municipal de Balneário Camboriú e estadual com aulas à distância

Publicidade

Sábado, 11/4/2020 10:48.

Todos os estudantes matriculados na rede estadual de educação de Santa Catarina e na rede municipal de Balneário Camboriú estão tendo atividades não presenciais, passadas pelos professores. Elas acontecem através da plataforma Google Sala de Aula, por onde os alunos recebem o conteúdo e conseguem interagir com os colegas e professores. Para os estudantes que não têm acesso ao computador ou internet está sendo disponibilizado pelas escolas apostilas com as atividades semanais. O objetivo é cumprir o calendário letivo de 2020, sem prejuízos. Ainda não há data definida para o retorno das atividades presenciais.

Rede municipal

Ensino Fundamental

Os alunos da rede municipal de ensino estão tendo aulas online desde o último dia 30. As salas virtuais são acessadas por meio do Google Sala de Aula, que diariamente recebem conteúdo produzidos pelos professores. A secretária de Educação, Rosângela Percegona, explica que o objetivo é manter o aluno em contato com as questões educacionais. Nestas duas primeiras semanas o foco está sendo na revisão de conteúdos já passados presencialmente, com exercícios e jogos.

“Já sabemos que a quarentena vai se estender, então teremos que apresentar conteúdos novos, provavelmente a partir do dia 20. Estamos estudando como fazer isso, porque sabemos que há conteúdos que exigem o acompanhamento presencial dos professores. Diferente dos alunos do Ensino Médio, por exemplo, os do Fundamental não conseguem aprender à distância certos temas. Por isso, estamos invertendo o calendário, tentando deixar as matérias mais difíceis para agosto ou setembro. As mais ‘suaves’ serão dadas agora, mas ainda assim retomadas quando as aulas presenciais voltarem”, salienta.

A secretária acrescenta que a maioria dos alunos está conseguindo acessar o Google Sala de Aula, e para aqueles que não possuem computador ou internet estão entregando exercícios semanais impressos, que devem ser retirados nas escolas toda segunda-feira.

“Mas não podemos afirmar que 100% dos alunos estão fazendo as atividades, por isso na volta vamos retomar as matérias que foram dadas online também. Ainda não estão havendo avaliações, só revisões de conteúdo. Estamos discutindo como será o processo avaliativo, tudo está sendo discutido porque é uma situação que nunca vivenciamos”, acrescenta.

A Secretaria de Educação já está pensando também em possibilidades para cumprir o calendário letivo, já que ainda não se sabe se as aulas voltam no início de maio, junho ou talvez somente em agosto.

“É precoce falar sobre, mas discutimos sobre ampliar a carga horária das aulas (por exemplo, ao invés de acabar às 17h30, as aulas encerrariam às 18h30), além de reposições aos sábados, suspensão das paradas pedagógicas e até das férias de verão. Estamos discutindo com o Colegiado de Educação”, explica.

Rosângela aproveita para lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) destaca que os estudantes podem ser portadores assintomáticos do Coronavírus, mas ainda assim transmitem a doença, por isso a retomada das aulas presenciais não será imediata.

Para dúvidas de como utilizar o Google Sala de Aula ou sobre como acessá-lo por meio do e-mail, a Secretaria de Educação disponibilizou dois números de WhatsApp: (47) 9982-2258 para dúvidas sobre contas e e-mails, e (47) 9982-2317 para dúvidas de utilização do Google Sala de Aula.

Para as crianças e adolescentes que não possuem acesso à internet em casa, a Secretaria de Educação entregará na forma física as atividades nas escolas em que o aluno está matriculado. Para isso o responsável deve entrar em contato com a Secretaria de Educação no número (47) 3363-7144, realizar a solicitação e, em seguida, os diretores agendarão um horário para que o responsável busque na escola essas atividades, tomando todos os cuidados de higienização e distanciamento devido ao Coronavírus.

Educação Infantil

A Educação Infantil também está com programação para os pequenos na plataforma Google Sala de Aula, onde os pais das crianças de até cinco anos pode encontrar brincadeiras e atividades de interação com aprendizado.

“Foi elaborada uma sala única que reúne todas as atividades, como contação de histórias, músicas, atividades que envolvem pinturas, recortes e colagem”, conta. Rosângela acrescenta que não há material físico para a Educação Infantil, já que as atividades são mais lúdicas.

Rede estadual

Segundo a Secretaria de Estado da Educação (SED), os professores passaram por capacitação para adaptarem os planos de ensino ao modelo online – que iniciou na segunda-feira (6). As atividades ficam a critério de cada professor e podem ser vídeos, videoconferências, formulários de questões, textos, etc.

Os alunos que não tiverem acesso a computador ou internet poderão ir até a escola (em horário marcado) para fazerem as atividades pelo laboratório de informática ou também poderão pegar o conteúdo impresso. Para as famílias que não têm condições de ir até a unidade escolar, o material será enviado para a casa do estudante.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade