Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Após falha de segurança, MEC garante prova para jovens e adultos em agosto
Agência Brasil - EBC

Terça, 4/6/2019 12:21.

(FOLHAPRESS) - Após uma falha de segurança ter colocado em dúvida a realização da prova de certificação de educação de jovens e adultos, o MEC (Ministério da Educação) informou nesta terça-feira (4) que conseguiu trocar as questões do exame e garantiu sua aplicação neste ano. A prova está marcada para o dia 25 de agosto de 2019.

O Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos) dá a oportunidade a jovens e adultos que não concluíram o ensino fundamental e médio conseguirem certificado escolar.

Em maio, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) havia informado sobre uma falha de segurança no envio das questões para a gráfica e colocara em suspensão a realização deste exame neste ano.

Segundo o presidente do Inep, Alexandre Lopes, houve tempo de produzir uma nova prova, com itens inéditos.

"O problema foi superado. Enviamos uma nova prova dentro dos padrões estabelecidos pelo Inep", disse nesta terça-feira.

O número de inscritos alcançou 2,9 milhões, marca 75% maior que em 2018. A maior parte das inscrições é para certificação do ensino médio (78% do total). O exame será aplicado em 611 municípios do país.

De acordo com o Inep, a falha de segurança ocorreu em maio quando o arquivo digital da prova chegava até a gráfica. Pelo protocolo, o arquivo sai de uma sala segura dentro do instituto e é levado pessoalmente por um servidor até a gráfica, que fica em São Paulo.

Um outro servidor segue em voo separado com a senha memorizada. Este servidor teria esquecido a senha.

Ao invés de iniciar novamente o processo, esse servidor ligou para o Inep para que a senha fosse informada por telefone -o que feriu o protocolo de segurança.

Dois servidores foram exonerados por causa do episódio. O MEC não informou o nome deles, mas um dos desligados foi o chefe da Diretoria de Avaliação da Educação Básica, Francisco Garonce (cuja exoneração ainda não foi publicada).

Alexandre Lopes já é o terceiro a assumir o Inep sob o governo Jair Bolsonaro (PSL). As trocas de comando têm trazido preocupação sobre a capacidade do instituto para a realização de todos os exames sob a responsabilidade do Inep.

O presidente do instituto garante que a aplicação do Enem não corre risco e que o cronograma tem sido seguido.

A gráfica que vai imprimir o Encceja é a Valid, que fará o mesmo serviço referente ao Enem após falência da empresa responsável pelo trabalho desde 2009. O contrato para a impressão do Encceja (e outros exames, como Saeb e Enade) foi assinado dia 30 de abril por R$ 143 milhões.

Já o contrato para o Enem foi assinado em maio por R$ 151,7 milhões. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Após falha de segurança, MEC garante prova para jovens e adultos em agosto

Agência Brasil - EBC

Publicidade

Terça, 4/6/2019 12:21.

(FOLHAPRESS) - Após uma falha de segurança ter colocado em dúvida a realização da prova de certificação de educação de jovens e adultos, o MEC (Ministério da Educação) informou nesta terça-feira (4) que conseguiu trocar as questões do exame e garantiu sua aplicação neste ano. A prova está marcada para o dia 25 de agosto de 2019.

O Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos) dá a oportunidade a jovens e adultos que não concluíram o ensino fundamental e médio conseguirem certificado escolar.

Em maio, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) havia informado sobre uma falha de segurança no envio das questões para a gráfica e colocara em suspensão a realização deste exame neste ano.

Segundo o presidente do Inep, Alexandre Lopes, houve tempo de produzir uma nova prova, com itens inéditos.

"O problema foi superado. Enviamos uma nova prova dentro dos padrões estabelecidos pelo Inep", disse nesta terça-feira.

O número de inscritos alcançou 2,9 milhões, marca 75% maior que em 2018. A maior parte das inscrições é para certificação do ensino médio (78% do total). O exame será aplicado em 611 municípios do país.

De acordo com o Inep, a falha de segurança ocorreu em maio quando o arquivo digital da prova chegava até a gráfica. Pelo protocolo, o arquivo sai de uma sala segura dentro do instituto e é levado pessoalmente por um servidor até a gráfica, que fica em São Paulo.

Um outro servidor segue em voo separado com a senha memorizada. Este servidor teria esquecido a senha.

Ao invés de iniciar novamente o processo, esse servidor ligou para o Inep para que a senha fosse informada por telefone -o que feriu o protocolo de segurança.

Dois servidores foram exonerados por causa do episódio. O MEC não informou o nome deles, mas um dos desligados foi o chefe da Diretoria de Avaliação da Educação Básica, Francisco Garonce (cuja exoneração ainda não foi publicada).

Alexandre Lopes já é o terceiro a assumir o Inep sob o governo Jair Bolsonaro (PSL). As trocas de comando têm trazido preocupação sobre a capacidade do instituto para a realização de todos os exames sob a responsabilidade do Inep.

O presidente do instituto garante que a aplicação do Enem não corre risco e que o cronograma tem sido seguido.

A gráfica que vai imprimir o Encceja é a Valid, que fará o mesmo serviço referente ao Enem após falência da empresa responsável pelo trabalho desde 2009. O contrato para a impressão do Encceja (e outros exames, como Saeb e Enade) foi assinado dia 30 de abril por R$ 143 milhões.

Já o contrato para o Enem foi assinado em maio por R$ 151,7 milhões. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade