Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Economia
Balneário ganhou mais de 3000 empresas esse ano: “A meta do prefeito era desburocratizar”, diz André Kunz

Sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019

Terça, 17/9/2019 14:22.
Fotos Renata Rutes
André Kunz, diretor de divisão de fiscalização e procedimentos fiscais da Secretaria da Fazenda

Publicidade

Só neste ano foram abertas 3.359 empresas na cidade

Balneário Camboriú ocupa o sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019 e com mais empresas ativas, segundo o governo do Estado. O número surpreende: segundo os dados divulgados Balneário Camboriú desponta com 3.359 empresas abertas, atrás de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Itajaí e São José. No segundo ranking, a cidade surge com 26.906 empresas ativas, atrás dos mesmos municípios.

A prefeitura credita o sucesso ao programa de desburocratização e também às facilidades da Sala do Empreendedor, focada no MEI (Micro Empreendedor Individual).

Segundo a assessoria de comunicação do Governo do Estado, Santa Catarina alcançou neste mês de setembro a marca de 103.865 novos negócios, o que já supera o total de 2018, quando foram constituídas 86.043. São cerca de 12 mil empresas abertas por mês. O número representa o maior saldo de negócios em atividade desde 2013.

O diretor de divisão de fiscalização e procedimentos fiscais da Secretaria da Fazenda, André Kunz, salienta que quando o prefeito Fabrício Oliveira assumiu o governo municipal tinha como meta a desburocratização da abertura de empresas. Muitas vezes o processo para conseguir o alvará levava meses, e hoje leva entre cinco e 20 dias.

Alvará hoje leva menos de 20 dias

“Com o sistema integrado que temos hoje todos os órgãos (como a prefeitura, bombeiros, Vigilância Sanitária, etc.) conseguem analisar juntos o grau de risco da empresa e a resposta para o alvará é divulgada de forma mais rápida”, explica.

André acredita que a desburocratização incentiva o público a empreender em Balneário, assim também como a questão da necessidade da abertura do MEI para motoristas de aplicativos, por exemplo, além ainda de outros servidores como pedreiros e marceneiros.

“Hoje todo mundo precisa emitir nota fiscal, e com as facilidade que Balneário dá muitos trabalhadores têm sido incentivados a se legalizarem. Temos também em parceria com o Sebrae a Sala do Empreendedor, focada no MEI, onde quem quer abrir a sua empresa faz tudo lá de forma totalmente gratuita. Temos também convênio com a AMPE (Associação de Micro, Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais de Balneário Camboriú), que ministra cursos para os empresários”, diz.

A expectativa é de ainda mais crescimento nessa área em Balneário Camboriú. O prefeito Fabrício Oliveira anunciou hoje (17) que na próxima semana será divulgada uma novidade para o setor tecnológico, com o objetivo de atrair empresas do ramo da tecnologia e informação para a cidade, a exemplo do que vem acontecendo em Florianópolis, onde o segmento já ultrapassou a arrecadação do turismo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Fotos Renata Rutes
André Kunz, diretor de divisão de fiscalização e procedimentos fiscais da Secretaria da Fazenda
André Kunz, diretor de divisão de fiscalização e procedimentos fiscais da Secretaria da Fazenda

Balneário ganhou mais de 3000 empresas esse ano: “A meta do prefeito era desburocratizar”, diz André Kunz

Sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019

Publicidade

Terça, 17/9/2019 14:22.

Só neste ano foram abertas 3.359 empresas na cidade

Balneário Camboriú ocupa o sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019 e com mais empresas ativas, segundo o governo do Estado. O número surpreende: segundo os dados divulgados Balneário Camboriú desponta com 3.359 empresas abertas, atrás de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Itajaí e São José. No segundo ranking, a cidade surge com 26.906 empresas ativas, atrás dos mesmos municípios.

A prefeitura credita o sucesso ao programa de desburocratização e também às facilidades da Sala do Empreendedor, focada no MEI (Micro Empreendedor Individual).

Segundo a assessoria de comunicação do Governo do Estado, Santa Catarina alcançou neste mês de setembro a marca de 103.865 novos negócios, o que já supera o total de 2018, quando foram constituídas 86.043. São cerca de 12 mil empresas abertas por mês. O número representa o maior saldo de negócios em atividade desde 2013.

O diretor de divisão de fiscalização e procedimentos fiscais da Secretaria da Fazenda, André Kunz, salienta que quando o prefeito Fabrício Oliveira assumiu o governo municipal tinha como meta a desburocratização da abertura de empresas. Muitas vezes o processo para conseguir o alvará levava meses, e hoje leva entre cinco e 20 dias.

Alvará hoje leva menos de 20 dias

“Com o sistema integrado que temos hoje todos os órgãos (como a prefeitura, bombeiros, Vigilância Sanitária, etc.) conseguem analisar juntos o grau de risco da empresa e a resposta para o alvará é divulgada de forma mais rápida”, explica.

André acredita que a desburocratização incentiva o público a empreender em Balneário, assim também como a questão da necessidade da abertura do MEI para motoristas de aplicativos, por exemplo, além ainda de outros servidores como pedreiros e marceneiros.

“Hoje todo mundo precisa emitir nota fiscal, e com as facilidade que Balneário dá muitos trabalhadores têm sido incentivados a se legalizarem. Temos também em parceria com o Sebrae a Sala do Empreendedor, focada no MEI, onde quem quer abrir a sua empresa faz tudo lá de forma totalmente gratuita. Temos também convênio com a AMPE (Associação de Micro, Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais de Balneário Camboriú), que ministra cursos para os empresários”, diz.

A expectativa é de ainda mais crescimento nessa área em Balneário Camboriú. O prefeito Fabrício Oliveira anunciou hoje (17) que na próxima semana será divulgada uma novidade para o setor tecnológico, com o objetivo de atrair empresas do ramo da tecnologia e informação para a cidade, a exemplo do que vem acontecendo em Florianópolis, onde o segmento já ultrapassou a arrecadação do turismo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade