Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Economia
Alimentos perecíveis estão parados nas estradas e vão ser descartados

Quinta, 24/5/2018 12:05.
Fernando Frazão/Agência Brasil
Caminhoneiros protestam contra elevação no preço do diesel na rodovia BR-040, em Duque de Caxias

Publicidade

(FOLHAPRESS)

A paralisação dos caminhoneiros nas estradas tem levado ao perecimento de alimentos e a interrupção da produção, segundo a Abia (associação da indústria do setor).

Apenas 2 das 106 associadas estão com 315 caminhões com alimentos perecíveis parados em estradas de Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Tocantins, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Uma empresa relatou à associação ter 1.100 toneladas de produtos não entregues a clientes, gerando perdas de R$ 3 milhões. Há dificuldades para captar leites em fazendas e, por isso, também haverá descarte.

A outra empresa apontou perdas de toneladas de pão fresco, paralisação de fábricas por falta de espaço para estocar produtos e desabastecimento de matérias-primas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Fernando Frazão/Agência Brasil
Caminhoneiros protestam contra elevação no preço do diesel na rodovia BR-040, em Duque de Caxias
Caminhoneiros protestam contra elevação no preço do diesel na rodovia BR-040, em Duque de Caxias

Alimentos perecíveis estão parados nas estradas e vão ser descartados

Publicidade

Quinta, 24/5/2018 12:05.

(FOLHAPRESS)

A paralisação dos caminhoneiros nas estradas tem levado ao perecimento de alimentos e a interrupção da produção, segundo a Abia (associação da indústria do setor).

Apenas 2 das 106 associadas estão com 315 caminhões com alimentos perecíveis parados em estradas de Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Tocantins, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Uma empresa relatou à associação ter 1.100 toneladas de produtos não entregues a clientes, gerando perdas de R$ 3 milhões. Há dificuldades para captar leites em fazendas e, por isso, também haverá descarte.

A outra empresa apontou perdas de toneladas de pão fresco, paralisação de fábricas por falta de espaço para estocar produtos e desabastecimento de matérias-primas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade