Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Economia
Com caminhoneiros, transações do Brasil com exterior tem superávit 73% menor

Segunda, 25/6/2018 11:40.
Tomaz Silva/AB.

Publicidade

MAELI PRADO
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A paralisação dos caminhoneiros reduziu o superávit das transações do Brasil com o exterior a US$ 729 milhões no mês passado, uma queda de 73,5% na comparação com maio de 2017, divulgou o Banco Central nesta segunda-feira (25).

O resultado foi impactado principalmente pelo superávit comercial, que veio US$ 1,8 bilhão menor do que o registrado no mesmo mês do ano passado.

As exportações, afetadas pela paralisação, somaram US$ 19,2 bilhões, uma pequena queda em relação ao mesmo mês do ano passado (US$ 19,7 bilhões). Foi a primeira queda nessa comparação desde dezembro de 2016.

Enquanto isso, as importações mantiveram sua tendência de alta, crescendo de US$ 12,3 bilhões, em maio de 2017, para US$ 13,6 bilhões, no mês passado.

Os investimentos estrangeiros produtivos no Brasil, que neste ano vem caindo em relação ao ano passado por causa das mudanças na tributação nos Estados Unidos e a incerteza das eleições no Brasil, somaram US$ 3 bilhões no mês passado.

Com isso, no acumulado do ano o investimento direto no país soma US$ 23,3 bilhões, uma redução expressiva em relação ao registrado entre janeiro e abril de 2017 (US$ 32,2 bilhões).

IMPACTO SOBRE VIAGENS

Apesar da alta do dólar, os gastos de brasileiros com viagens no exterior somaram US$ 1,6 bilhão no mês passado, pouco acima dos US$ 1,4 bilhão registrados em maio de 2017.

No acumulado do ano, essas despesas com viagens totalizam US$ 8 bilhões, acima dos US$ 7,2 bilhões registrados no ano passado.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Tomaz Silva/AB.

Com caminhoneiros, transações do Brasil com exterior tem superávit 73% menor

Publicidade

Segunda, 25/6/2018 11:40.

MAELI PRADO
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A paralisação dos caminhoneiros reduziu o superávit das transações do Brasil com o exterior a US$ 729 milhões no mês passado, uma queda de 73,5% na comparação com maio de 2017, divulgou o Banco Central nesta segunda-feira (25).

O resultado foi impactado principalmente pelo superávit comercial, que veio US$ 1,8 bilhão menor do que o registrado no mesmo mês do ano passado.

As exportações, afetadas pela paralisação, somaram US$ 19,2 bilhões, uma pequena queda em relação ao mesmo mês do ano passado (US$ 19,7 bilhões). Foi a primeira queda nessa comparação desde dezembro de 2016.

Enquanto isso, as importações mantiveram sua tendência de alta, crescendo de US$ 12,3 bilhões, em maio de 2017, para US$ 13,6 bilhões, no mês passado.

Os investimentos estrangeiros produtivos no Brasil, que neste ano vem caindo em relação ao ano passado por causa das mudanças na tributação nos Estados Unidos e a incerteza das eleições no Brasil, somaram US$ 3 bilhões no mês passado.

Com isso, no acumulado do ano o investimento direto no país soma US$ 23,3 bilhões, uma redução expressiva em relação ao registrado entre janeiro e abril de 2017 (US$ 32,2 bilhões).

IMPACTO SOBRE VIAGENS

Apesar da alta do dólar, os gastos de brasileiros com viagens no exterior somaram US$ 1,6 bilhão no mês passado, pouco acima dos US$ 1,4 bilhão registrados em maio de 2017.

No acumulado do ano, essas despesas com viagens totalizam US$ 8 bilhões, acima dos US$ 7,2 bilhões registrados no ano passado.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade