Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Na véspera da posse de Trump, dólar cai com ação do BC; Bolsa recua

Sexta, 20/1/2017 6:49.

EULINA OLIVEIRA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dia antes da posse de Donald Trump na presidência dos Estados Unidos, o real destoou das principais moedas e teve a maior valorização ante o dólar nesta quinta-feira (19).

A moeda americana à vista, referência no mercado financeiro, fechou em queda de 0,85%, a R$ 3,1950. O dólar comercial, usado em contratos de comércio exterior, recuou 0,46%, a R$ 3,2040.

O câmbio doméstico reagiu à ampliação da atuação do Banco Central. A autoridade monetária elevou nesta sessão a rolagem diária de contratos de swap cambial tradicional com vencimento em fevereiro de 12 mil (US$ 600 milhões) para 15 mil lotes (US$ 750 milhões).
A operação equivale à venda futura de dólares ao mercado, e a renovação de contratos que vencem no início de fevereiro começou na última terça-feira (17).

De acordo com analistas da Guide Investimentos, caso mantenha esse novo ritmo, o BC conseguirá fazer a rolagem integral desses contratos até a próxima quarta-feira (25).

"O BC está provendo liquidez para o mercado, mas pode estar se preparando para um movimento mais forte de valorização do dólar, com possíveis reações ao discurso da posse de Trump", diz a Guide, em relatório.

O dólar subiu mundialmente também por causa de indicadores que confirmam a força da economia americana. A leitura do mercado é que, sob Trump, o ritmo de aumento dos juros americanos se intensificará por causa de um possível aumento da inflação com o aquecimento da economia.
No fim da tarde desta quarta-feira (18), a presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA), Janet Yellen, afirmou durante um evento que a demora para elevar as taxas de juros pode gerar riscos para a inflação.

"Mas mesmo que os juros subam nos Estados Unidos e caiam no Brasil, o nosso juro real continuará alto, garantindo o interesse de investidores", diz Paulo Henrique Correa, operador de câmbio da corretora MultiMoney.

JUROS

No mercado de juros futuros negociados na BM&FBovespa, o contrato de DI (Depósito Interfinanceiro) para janeiro de 2018 caiu de 11,035% para 10,975% ao ano; o contrato de DI para janeiro de 2021 recuou de 10,800% para 10,700%; e o contrato para janeiro de 2026 cedeu de 11,210% para 11,135%.

Neste mercado, investidores buscam proteção contra flutuações dos juros negociando contratos para diferentes vencimentos.

A queda dos juros futuros refletiu o resultado do IPCA-15 de janeiro, que veio abaixo do esperado por analistas e reforçou as expectativas de corte da taxa básica de juros em 0,75 ponto percentual na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), em fevereiro.

A prévia da inflação oficial subiu 0,31% em janeiro, informou o IBGE, acima da alta de 0,19% de dezembro, mas no menor patamar para janeiro desde 1994, ano em que foi criado o Plano Real.

BOLSA

O Ibovespa fechou em baixa de 0,31%, aos 63.950,86 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,9 bilhões.

As ações da Vale caíram 2,54%, a R$ 28,69 (PNA), e 1,99%, a R$ 31,47 (ON), devolvendo parte da forte alta da véspera.

Nesta quarta-feira, os papéis da mineradora subiram com a notícia de poderia haver uma única classe de ações, apenas ordinárias, no novo acordo de acionistas da companhia.

Em resposta a questionamento da BM&FBovespa, a mineradora informou nesta quinta-feira que "não há qualquer discussão ou deliberação no âmbito da Vale sobre eventual unificação das ações de sua emissão".

O minério de ferro na China recuou mais de 1% nesta sessão, contribuindo para a queda das ações da companhia.

As ações PN da Bradespar, acionista da Vale, cederam 3,55%, a R$ 19,81.

A lista das maiores quedas do índice foi liderada por Metalúrgica Gerdau PN, com -4,52%, seguida por Gerdau PN (-4,04%).

Os papéis PNA da Suzano tiveram a maior alta do Ibovespa, com +5,39%, após a companhia anunciar o reajuste do preço da celulose. As ações ON das concorrentes Fibria e Klabin seguiram o movimento, com +4,36% e 2,31%, respectivamente.

Já as ações da Petrobras terminaram em leve baixa; os papéis de bancos fecharam com sinais mistos.


Números do mercado financeiro

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC - R$ 3,2107 / R$ 3,2113 **
Câmbio livre mercado - R$ 3,1987 / R$ 3,2040 *
Turismo - R$ 3,0400 / R$ 3,3600

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: -0,46%

OURO BM&F
R$ 123,5

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: -0,31%
Pontos: 63.950
Volume financeiro: R$ 6,953 bilhões
Maiores altas: Suzano Papel PNA (5,39%), Fibria ON (4,37%), Klabin UNT (2,31%)
Maiores baixas: Gerdau Metalúrgica PN (-4,52%), Gerdau PN (-4,04%), Bradespar PN (-3,55%)

Dow Jones (Nova York): -0,37%
Nasdaq (Nova York): -0,28%
CAC 40 (Paris): -0,25%
Dax 30 (Frankfurt): -0,02%
Financial 100 (Londres): -0,54%
Nikkei 225 (Tóquio): 0,94%
Hang Seng (Hong Kong): -0,21%
Shanghai Composite (Xangai): -0,38%
Merval (Buenos Aires): -1,25%
IPC (México): -0,23%

POUPANÇA
Depósitos feitos até 3 de maio de 2012 (Lei 12.703/2012)
Aniversário - Rendimento (%)
27/12 = 0,6615
28/12 = 0,6890
29/12 = 0,6858
30/12 = 0,6858
31/12 = 0,6858
1º/1 = 0,6858
2/1 = 0,6922
3/1 = 0,6732
4/1 = 0,7106
5/1 = 0,7271
6/1 = 0,7112
7/1 = 0,7085
8/1 = 0,6880
9/1 = 0,6666
10/1 = 0,6766
11/1 = 0,7141
12/1 = 0,7526
13/1 = 0,7150
14/1 = 0,7150
15/1 = 0,6784
16/1 = 0,6680
17/1 = 0,6660
18/1 = 0,6926
19/1 = 0,7269
20/1 = 0,7117
21/1 = 0,7109
22/1 = 0,6665
23/1 = 0,6509
24/1 = 0,6553
25/1 = 0,6914
26/1 = 0,7223
27/1 = 0,7197

NOVA POUPANÇA
Depósitos feitos a partir de 4 de maio de 2012 (Lei 12.703/2012)
Aniversário - Rendimento (%)
27/12 = 0,6615
28/12 = 0,6890
29/12 = 0,6858
30/12 = 0,6858
31/12 = 0,6858
1º/1 = 0,6858
2/1 = 0,6922
3/1 = 0,6732
4/1 = 0,7106
5/1 = 0,7271
6/1 = 0,7112
7/1 = 0,7085
8/1 = 0,6880
9/1 = 0,6666
10/1 = 0,6766
11/1 = 0,7141
12/1 = 0,7526
13/1 = 0,7150
14/1 = 0,7150
15/1 = 0,6784
16/1 = 0,6680
17/1 = 0,6660
18/1 = 0,6926
19/1 = 0,7269
20/1 = 0,7117
21/1 = 0,7109
22/1 = 0,6665
23/1 = 0,6509
24/1 = 0,6553
25/1 = 0,6914
26/1 = 0,7223
27/1 = 0,7197

ÍNDICES DE INFLAÇÃO
IPCA/IBGE
Dezembro 2015: 0,96%
Janeiro 2016: 1,27%
Fevereiro 2016: 0,90%
Março 2016: 0,43%
Abril 2016: 0,61%
Maio 2016: 0,78%
Junho 2016: 0,35%
Julho 2016: 0,52%
Agosto 2016: 0,44%
Setembro 2016: 0,08%
Outubro 2016: 0,26%
Novembro 2016: 0,18%
Dezembro 2016: 0,30%

INPC/IBGE
Dezembro 2015: 0,90%
Janeiro 2016: 1,51%
Fevereiro 2016: 0,95%
Março 2016: 0,44%
Abril 2016: 0,64%
Maio 2016: 0,98%
Junho 2016: 0,47%
Julho 2016: 0,64%
Agosto 2016: 0,31%
Setembro 2016: 0,08%
Outubro 2016: 0,17%
Novembro 2016: 0,07%
Dezembro 2016: 0,14%

IPC/Fipe
Dezembro 2015: 0,82%
Janeiro 2016: 1,37%
Fevereiro 2016: 0,89%
Março 2016: 0,97%
Abril 2016: 0,46%
Maio 2016: 0,57%
Junho 2016: 0,65%
Julho 2016: 0,35%
Agosto 2016: 0,11%
Setembro 2016: -0,14
Outubro 2016: 0,27%
Novembro 2016: 0,15%
Dezembro 2016: 0,72%

IGP-M/FGV
Dezembro 2015: 0,49%
Janeiro 2016: 1,14%
Fevereiro 2016: 1,29%
Março 2016: 0,51%
Abril 2016: 0,33%
Maio 2016: 0,82%
Junho 2016: 1,69%
Julho 2016: 0,18%
Agosto 2016: 0,15%
Setembro 2016: 0,20%
Outubro 2016: 0,16%
Novembro 2016: -0,03%
Dezembro 2016: 0,54%

IGP-DI/FGV
Dezembro 2015: 0,44%
Janeiro 2016: 1,53%
Fevereiro 2016: 0,79%
Março 2016: 0,43%
Abril 2016: 0,36%
Maio 2016: 1,13%
Junho 2016: 1,63%
Julho 2016: -0,39%
Agosto 2016: 0,43%
Setembro 2016: 0,03%
Outubro 2016: 0,13%
Novembro 2016: 0,05%
Dezembro 2016: 0,83%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2017: R$ 937,00

SALÁRIO FAMÍLIA
Janeiro 2016
Até R$ 806,80: R$ 41,37
de R$ 806,81 até R$ 1.212,64: R$ 29,16 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Na véspera da posse de Trump, dólar cai com ação do BC; Bolsa recua

Sexta, 20/1/2017 6:49.

EULINA OLIVEIRA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dia antes da posse de Donald Trump na presidência dos Estados Unidos, o real destoou das principais moedas e teve a maior valorização ante o dólar nesta quinta-feira (19).

A moeda americana à vista, referência no mercado financeiro, fechou em queda de 0,85%, a R$ 3,1950. O dólar comercial, usado em contratos de comércio exterior, recuou 0,46%, a R$ 3,2040.

O câmbio doméstico reagiu à ampliação da atuação do Banco Central. A autoridade monetária elevou nesta sessão a rolagem diária de contratos de swap cambial tradicional com vencimento em fevereiro de 12 mil (US$ 600 milhões) para 15 mil lotes (US$ 750 milhões).
A operação equivale à venda futura de dólares ao mercado, e a renovação de contratos que vencem no início de fevereiro começou na última terça-feira (17).

De acordo com analistas da Guide Investimentos, caso mantenha esse novo ritmo, o BC conseguirá fazer a rolagem integral desses contratos até a próxima quarta-feira (25).

"O BC está provendo liquidez para o mercado, mas pode estar se preparando para um movimento mais forte de valorização do dólar, com possíveis reações ao discurso da posse de Trump", diz a Guide, em relatório.

O dólar subiu mundialmente também por causa de indicadores que confirmam a força da economia americana. A leitura do mercado é que, sob Trump, o ritmo de aumento dos juros americanos se intensificará por causa de um possível aumento da inflação com o aquecimento da economia.
No fim da tarde desta quarta-feira (18), a presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA), Janet Yellen, afirmou durante um evento que a demora para elevar as taxas de juros pode gerar riscos para a inflação.

"Mas mesmo que os juros subam nos Estados Unidos e caiam no Brasil, o nosso juro real continuará alto, garantindo o interesse de investidores", diz Paulo Henrique Correa, operador de câmbio da corretora MultiMoney.

JUROS

No mercado de juros futuros negociados na BM&FBovespa, o contrato de DI (Depósito Interfinanceiro) para janeiro de 2018 caiu de 11,035% para 10,975% ao ano; o contrato de DI para janeiro de 2021 recuou de 10,800% para 10,700%; e o contrato para janeiro de 2026 cedeu de 11,210% para 11,135%.

Neste mercado, investidores buscam proteção contra flutuações dos juros negociando contratos para diferentes vencimentos.

A queda dos juros futuros refletiu o resultado do IPCA-15 de janeiro, que veio abaixo do esperado por analistas e reforçou as expectativas de corte da taxa básica de juros em 0,75 ponto percentual na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), em fevereiro.

A prévia da inflação oficial subiu 0,31% em janeiro, informou o IBGE, acima da alta de 0,19% de dezembro, mas no menor patamar para janeiro desde 1994, ano em que foi criado o Plano Real.

BOLSA

O Ibovespa fechou em baixa de 0,31%, aos 63.950,86 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,9 bilhões.

As ações da Vale caíram 2,54%, a R$ 28,69 (PNA), e 1,99%, a R$ 31,47 (ON), devolvendo parte da forte alta da véspera.

Nesta quarta-feira, os papéis da mineradora subiram com a notícia de poderia haver uma única classe de ações, apenas ordinárias, no novo acordo de acionistas da companhia.

Em resposta a questionamento da BM&FBovespa, a mineradora informou nesta quinta-feira que "não há qualquer discussão ou deliberação no âmbito da Vale sobre eventual unificação das ações de sua emissão".

O minério de ferro na China recuou mais de 1% nesta sessão, contribuindo para a queda das ações da companhia.

As ações PN da Bradespar, acionista da Vale, cederam 3,55%, a R$ 19,81.

A lista das maiores quedas do índice foi liderada por Metalúrgica Gerdau PN, com -4,52%, seguida por Gerdau PN (-4,04%).

Os papéis PNA da Suzano tiveram a maior alta do Ibovespa, com +5,39%, após a companhia anunciar o reajuste do preço da celulose. As ações ON das concorrentes Fibria e Klabin seguiram o movimento, com +4,36% e 2,31%, respectivamente.

Já as ações da Petrobras terminaram em leve baixa; os papéis de bancos fecharam com sinais mistos.


Números do mercado financeiro

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC - R$ 3,2107 / R$ 3,2113 **
Câmbio livre mercado - R$ 3,1987 / R$ 3,2040 *
Turismo - R$ 3,0400 / R$ 3,3600

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: -0,46%

OURO BM&F
R$ 123,5

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: -0,31%
Pontos: 63.950
Volume financeiro: R$ 6,953 bilhões
Maiores altas: Suzano Papel PNA (5,39%), Fibria ON (4,37%), Klabin UNT (2,31%)
Maiores baixas: Gerdau Metalúrgica PN (-4,52%), Gerdau PN (-4,04%), Bradespar PN (-3,55%)

Dow Jones (Nova York): -0,37%
Nasdaq (Nova York): -0,28%
CAC 40 (Paris): -0,25%
Dax 30 (Frankfurt): -0,02%
Financial 100 (Londres): -0,54%
Nikkei 225 (Tóquio): 0,94%
Hang Seng (Hong Kong): -0,21%
Shanghai Composite (Xangai): -0,38%
Merval (Buenos Aires): -1,25%
IPC (México): -0,23%

POUPANÇA
Depósitos feitos até 3 de maio de 2012 (Lei 12.703/2012)
Aniversário - Rendimento (%)
27/12 = 0,6615
28/12 = 0,6890
29/12 = 0,6858
30/12 = 0,6858
31/12 = 0,6858
1º/1 = 0,6858
2/1 = 0,6922
3/1 = 0,6732
4/1 = 0,7106
5/1 = 0,7271
6/1 = 0,7112
7/1 = 0,7085
8/1 = 0,6880
9/1 = 0,6666
10/1 = 0,6766
11/1 = 0,7141
12/1 = 0,7526
13/1 = 0,7150
14/1 = 0,7150
15/1 = 0,6784
16/1 = 0,6680
17/1 = 0,6660
18/1 = 0,6926
19/1 = 0,7269
20/1 = 0,7117
21/1 = 0,7109
22/1 = 0,6665
23/1 = 0,6509
24/1 = 0,6553
25/1 = 0,6914
26/1 = 0,7223
27/1 = 0,7197

NOVA POUPANÇA
Depósitos feitos a partir de 4 de maio de 2012 (Lei 12.703/2012)
Aniversário - Rendimento (%)
27/12 = 0,6615
28/12 = 0,6890
29/12 = 0,6858
30/12 = 0,6858
31/12 = 0,6858
1º/1 = 0,6858
2/1 = 0,6922
3/1 = 0,6732
4/1 = 0,7106
5/1 = 0,7271
6/1 = 0,7112
7/1 = 0,7085
8/1 = 0,6880
9/1 = 0,6666
10/1 = 0,6766
11/1 = 0,7141
12/1 = 0,7526
13/1 = 0,7150
14/1 = 0,7150
15/1 = 0,6784
16/1 = 0,6680
17/1 = 0,6660
18/1 = 0,6926
19/1 = 0,7269
20/1 = 0,7117
21/1 = 0,7109
22/1 = 0,6665
23/1 = 0,6509
24/1 = 0,6553
25/1 = 0,6914
26/1 = 0,7223
27/1 = 0,7197

ÍNDICES DE INFLAÇÃO
IPCA/IBGE
Dezembro 2015: 0,96%
Janeiro 2016: 1,27%
Fevereiro 2016: 0,90%
Março 2016: 0,43%
Abril 2016: 0,61%
Maio 2016: 0,78%
Junho 2016: 0,35%
Julho 2016: 0,52%
Agosto 2016: 0,44%
Setembro 2016: 0,08%
Outubro 2016: 0,26%
Novembro 2016: 0,18%
Dezembro 2016: 0,30%

INPC/IBGE
Dezembro 2015: 0,90%
Janeiro 2016: 1,51%
Fevereiro 2016: 0,95%
Março 2016: 0,44%
Abril 2016: 0,64%
Maio 2016: 0,98%
Junho 2016: 0,47%
Julho 2016: 0,64%
Agosto 2016: 0,31%
Setembro 2016: 0,08%
Outubro 2016: 0,17%
Novembro 2016: 0,07%
Dezembro 2016: 0,14%

IPC/Fipe
Dezembro 2015: 0,82%
Janeiro 2016: 1,37%
Fevereiro 2016: 0,89%
Março 2016: 0,97%
Abril 2016: 0,46%
Maio 2016: 0,57%
Junho 2016: 0,65%
Julho 2016: 0,35%
Agosto 2016: 0,11%
Setembro 2016: -0,14
Outubro 2016: 0,27%
Novembro 2016: 0,15%
Dezembro 2016: 0,72%

IGP-M/FGV
Dezembro 2015: 0,49%
Janeiro 2016: 1,14%
Fevereiro 2016: 1,29%
Março 2016: 0,51%
Abril 2016: 0,33%
Maio 2016: 0,82%
Junho 2016: 1,69%
Julho 2016: 0,18%
Agosto 2016: 0,15%
Setembro 2016: 0,20%
Outubro 2016: 0,16%
Novembro 2016: -0,03%
Dezembro 2016: 0,54%

IGP-DI/FGV
Dezembro 2015: 0,44%
Janeiro 2016: 1,53%
Fevereiro 2016: 0,79%
Março 2016: 0,43%
Abril 2016: 0,36%
Maio 2016: 1,13%
Junho 2016: 1,63%
Julho 2016: -0,39%
Agosto 2016: 0,43%
Setembro 2016: 0,03%
Outubro 2016: 0,13%
Novembro 2016: 0,05%
Dezembro 2016: 0,83%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2017: R$ 937,00

SALÁRIO FAMÍLIA
Janeiro 2016
Até R$ 806,80: R$ 41,37
de R$ 806,81 até R$ 1.212,64: R$ 29,16 

Publicidade

Publicidade