Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Dólar sobe pelo 2º dia, mas completa nove semanas de queda; Bolsa recua

Sábado, 18/2/2017 7:12.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O dólar devolveu pelo segundo dia parte da forte desvalorização registrada no início da semana, quando atingiu o menor patamar em quase dois anos, e fechou cotado a R$ 3,09 nesta sexta-feira (17). Já a Bolsa brasileira acompanhou o aumento da cautela no exterior e encerrou o dia praticamente estável.

O dólar à vista, referência no mercado financeiro, teve alta de 0,38%, para R$ 3,094. O dólar comercial subiu 0,25%, para R$ 3,093. Apesar da alta, a moeda americana acumula nove semanas de desvalorização em relação ao real. No ano, o dólar recua 4,9% ante o real.

A alta do dólar desta sexta (17) acompanhou o movimento da moeda americana no exterior. Das 24 principais divisas emergentes, 18 perderam força ante o dólar nesta sessão.

Na avaliação de analistas, alguns investidores aproveitaram o dia para ajustar suas posições, considerando que na segunda-feira (20) os mercados americanos estarão fechados por causa do feriado do Dia do Presidente nos Estados Unidos.

O Banco Central deu continuidade aos leilões de swaps cambiais -equivalentes à venda de dólares no mercado futuro. Foram vendidos 6.000 contratos com vencimento em março, no total de US$ 300 milhões. A autoridade monetária ainda tem US$ 5,754 bilhões para rolar.

Apesar das nove semanas de desvalorização, a expectativa é que o dólar ganhe força ao longo do ano em relação ao real, acompanhando os aumentos de juros nos Estados Unidos. Na próxima quarta-feira, o comitê de política monetária do banco central americano divulga a ata da última reunião, realizada em fevereiro e na qual seus membros decidiram manter a taxa de juros nos EUA. Para o próximo encontro, em março, a probabilidade de aumento é de 32%.

No mercado de juros futuros, os contratos fecharam em baixa nesta sexta. O contrato com vencimento em abril de 2017 recuou de 12,225% para 12,197%. O DI com vencimento em janeiro de 2018 caiu de 10,635% para 10,570%. O contrato com vencimento em janeiro de 2021 teve queda de 10,340% para 10,290%.

O CDS (credit default swap) de cinco anos brasileiro, espécie de seguro contra calote e termômetro de risco, subiu 1,36%, para 231,117 pontos, na quarta alta seguida.

BOLSA

O Ibovespa, principal índice do mercado acionário brasileiro, fechou em leve baixa de 0,10%, para 67.748 pontos. Apesar da queda, o índice acumulou alta de 2,46% na semana, a segunda seguida de alta.

O volume financeiro do dia foi de R$ 7,69 bilhões, em linha com a média diária do ano, que é de R$ 7,65 bilhões.

As ações da Petrobras fecharam em baixa, em dia de instabilidade nos preços do petróleo no exterior. As ações preferenciais da estatal caíram 1,58%, para R$ 15,61. As ações ordinárias recuaram 1,47%, para R$ 16,72.

As ações da Vale iniciaram o dia em baixa, mas se recuperaram e encerraram o dia no azul. As ações preferenciais da mineradora subiram 1,26%, para R$ 32,25. Os papéis ordinários tiveram valorização de 0,89%, para R$ 34,07. No ano, os papéis acumulam ganho de mais de 30%. Os papéis preferenciais sobem 38,2% e os ordinários, 32,7%.

No setor financeiro, os papéis de bancos fecharam sem uma direção definida. As ações do Itaú Unibanco caíram 0,05%, as ações preferenciais do Bradesco tiveram queda de 0,21% e as units -conjunto de ações- do Santander Brasil fecharam o dia com desvalorização de 0,95%.

Na ponta contrária, as ações do Banco do Brasil subiram 0,06% e fecharam em alta pelo sexto dia seguido. As ações ordinárias do Bradesco tiveram alta de 0,13%. 

INDICADORES ECONÔMICOS
Números do mercado financeiro

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC - R$ 3,0944 / R$ 3,0950 **
Câmbio livre mercado - R$ 3,091 / R$ 3,093 *
Turismo - R$ 3,040 / R$ 3,240

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: 0,25%

OURO BM&F
R$ 122,8

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: -0,10%
Pontos: 67.748
Volume financeiro: R$ 7,690 bilhões
Maiores altas: Estácio ON (5,72%), Smiles ON (4,61%), Rumo Logística ON (3,98%)
Maiores baixas: Marfrig ON (-3,05%), Ecorodovias ON (-2,42%), BRF ON (-2,39%)

Dow Jones (Nova York): 0,02%
Nasdaq (Nova York): 0,41%
CAC 40 (Paris): -0,65%
Dax 30 (Frankfurt): 0,00%
Financial 100 (Londres): 0,30%
Nikkei 225 (Tóquio): -0,58%
Hang Seng (Hong Kong): -0,31%
Shanghai Composite (Xangai): -0,85%
Merval (Buenos Aires): 0,60%
IPC (México): -0,27%

POUPANÇA
Depósitos feitos até 3 de maio de 2012 (Lei 12.703/2012)
Aniversário - Rendimento (%)
9/2 = 0,6956
10/2 = 0,6825
11/2 = 0,7274
12/2 = 0,6703
13/2 = 0,6428
14/2 = 0,6392
15/2 = 0,6640
16/2 = 0,6939
17/2 = 0,6825
18/2 = 0,6899
19/2 = 0,6525
20/2 = 0,6296
21/2 = 0,6271
22/2 = 0,6614
23/2 = 0,6940
24/2 = 0,7062
25/2 = 0,6685
26/2 = 0,6697
27/2 = 0,6279
28/2 = 0,5898
1º/3 = 0,5304
2/3 = 0,5393
3/3 = 0,5403
4/3 = 0,5330
5/3 = 0,5330
6/3 = 0,5256
7/3 = 0,5408
8/3 = 0,5062
9/3 = 0,5385

NOVA POUPANÇA
Depósitos feitos a partir de 4 de maio de 2012 (Lei 12.703/2012)
Aniversário - Rendimento (%)
9/2 = 0,6956
10/2 = 0,6825
11/2 = 0,7274
12/2 = 0,6703
13/2 = 0,6428
14/2 = 0,6392
15/2 = 0,6640
16/2 = 0,6939
17/2 = 0,6825
18/2 = 0,6899
19/2 = 0,6525
20/2 = 0,6296
21/2 = 0,6271
22/2 = 0,6614
23/2 = 0,6940
24/2 = 0,7062
25/2 = 0,6685
26/2 = 0,6697
27/2 = 0,6279
28/2 = 0,5898
1º/3 = 0,5304
2/3 = 0,5393
3/3 = 0,5403
4/3 = 0,5330
5/3 = 0,5330
6/3 = 0,5256
7/3 = 0,5408
8/3 = 0,5062
9/3 = 0,5385

ÍNDICES DE INFLAÇÃO

IPCA/IBGE
Janeiro 2016: 1,27%
Fevereiro 2016: 0,90%
Março 2016: 0,43%
Abril 2016: 0,61%
Maio 2016: 0,78%
Junho 2016: 0,35%
Julho 2016: 0,52%
Agosto 2016: 0,44%
Setembro 2016: 0,08%
Outubro 2016: 0,26%
Novembro 2016: 0,18%
Dezembro 2016: 0,30%
Janeiro 2017: 0,38%

INPC/IBGE
Janeiro 2016: 1,51%
Fevereiro 2016: 0,95%
Março 2016: 0,44%
Abril 2016: 0,64%
Maio 2016: 0,98%
Junho 2016: 0,47%
Julho 2016: 0,64%
Agosto 2016: 0,31%
Setembro 2016: 0,08%
Outubro 2016: 0,17%
Novembro 2016: 0,07%
Dezembro 2016: 0,14%
Janeiro 2017: 0,42%

IPC/Fipe
Janeiro 2016: 1,37%
Fevereiro 2016: 0,89%
Março 2016: 0,97%
Abril 2016: 0,46%
Maio 2016: 0,57%
Junho 2016: 0,65%
Julho 2016: 0,35%
Agosto 2016: 0,11%
Setembro 2016: -0,14
Outubro 2016: 0,27%
Novembro 2016: 0,15%
Dezembro 2016: 0,72%
Janeiro 2017: 0,32%

IGP-M/FGV
Janeiro 2016: 1,14%
Fevereiro 2016: 1,29%
Março 2016: 0,51%
Abril 2016: 0,33%
Maio 2016: 0,82%
Junho 2016: 1,69%
Julho 2016: 0,18%
Agosto 2016: 0,15%
Setembro 2016: 0,20%
Outubro 2016: 0,16%
Novembro 2016: -0,03%
Dezembro 2016: 0,54%
Janeiro 2017: 0,64%

IGP-DI/FGV
Janeiro 2016: 1,53%
Fevereiro 2016: 0,79%
Março 2016: 0,43%
Abril 2016: 0,36%
Maio 2016: 1,13%
Junho 2016: 1,63%
Julho 2016: -0,39%
Agosto 2016: 0,43%
Setembro 2016: 0,03%
Outubro 2016: 0,13%
Novembro 2016: 0,05%
Dezembro 2016: 0,83%
Janeiro 2017: 0,43%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2017: R$ 937,00

SALÁRIO FAMÍLIA
Janeiro 2017
Até R$ 859,88: R$ 44,09
de R$ 859,89 a R$ 1.292,43: R$ 31,07

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Abastecimento continua ameaçado economize água


Justiça

Ele considera ilegal a lei municipal que permitiu o empreendimento 


Variedades

Escolha por voto popular contou com participação de sete mil pessoas


Rapidinhas


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Dólar sobe pelo 2º dia, mas completa nove semanas de queda; Bolsa recua

Sábado, 18/2/2017 7:12.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O dólar devolveu pelo segundo dia parte da forte desvalorização registrada no início da semana, quando atingiu o menor patamar em quase dois anos, e fechou cotado a R$ 3,09 nesta sexta-feira (17). Já a Bolsa brasileira acompanhou o aumento da cautela no exterior e encerrou o dia praticamente estável.

O dólar à vista, referência no mercado financeiro, teve alta de 0,38%, para R$ 3,094. O dólar comercial subiu 0,25%, para R$ 3,093. Apesar da alta, a moeda americana acumula nove semanas de desvalorização em relação ao real. No ano, o dólar recua 4,9% ante o real.

A alta do dólar desta sexta (17) acompanhou o movimento da moeda americana no exterior. Das 24 principais divisas emergentes, 18 perderam força ante o dólar nesta sessão.

Na avaliação de analistas, alguns investidores aproveitaram o dia para ajustar suas posições, considerando que na segunda-feira (20) os mercados americanos estarão fechados por causa do feriado do Dia do Presidente nos Estados Unidos.

O Banco Central deu continuidade aos leilões de swaps cambiais -equivalentes à venda de dólares no mercado futuro. Foram vendidos 6.000 contratos com vencimento em março, no total de US$ 300 milhões. A autoridade monetária ainda tem US$ 5,754 bilhões para rolar.

Apesar das nove semanas de desvalorização, a expectativa é que o dólar ganhe força ao longo do ano em relação ao real, acompanhando os aumentos de juros nos Estados Unidos. Na próxima quarta-feira, o comitê de política monetária do banco central americano divulga a ata da última reunião, realizada em fevereiro e na qual seus membros decidiram manter a taxa de juros nos EUA. Para o próximo encontro, em março, a probabilidade de aumento é de 32%.

No mercado de juros futuros, os contratos fecharam em baixa nesta sexta. O contrato com vencimento em abril de 2017 recuou de 12,225% para 12,197%. O DI com vencimento em janeiro de 2018 caiu de 10,635% para 10,570%. O contrato com vencimento em janeiro de 2021 teve queda de 10,340% para 10,290%.

O CDS (credit default swap) de cinco anos brasileiro, espécie de seguro contra calote e termômetro de risco, subiu 1,36%, para 231,117 pontos, na quarta alta seguida.

BOLSA

O Ibovespa, principal índice do mercado acionário brasileiro, fechou em leve baixa de 0,10%, para 67.748 pontos. Apesar da queda, o índice acumulou alta de 2,46% na semana, a segunda seguida de alta.

O volume financeiro do dia foi de R$ 7,69 bilhões, em linha com a média diária do ano, que é de R$ 7,65 bilhões.

As ações da Petrobras fecharam em baixa, em dia de instabilidade nos preços do petróleo no exterior. As ações preferenciais da estatal caíram 1,58%, para R$ 15,61. As ações ordinárias recuaram 1,47%, para R$ 16,72.

As ações da Vale iniciaram o dia em baixa, mas se recuperaram e encerraram o dia no azul. As ações preferenciais da mineradora subiram 1,26%, para R$ 32,25. Os papéis ordinários tiveram valorização de 0,89%, para R$ 34,07. No ano, os papéis acumulam ganho de mais de 30%. Os papéis preferenciais sobem 38,2% e os ordinários, 32,7%.

No setor financeiro, os papéis de bancos fecharam sem uma direção definida. As ações do Itaú Unibanco caíram 0,05%, as ações preferenciais do Bradesco tiveram queda de 0,21% e as units -conjunto de ações- do Santander Brasil fecharam o dia com desvalorização de 0,95%.

Na ponta contrária, as ações do Banco do Brasil subiram 0,06% e fecharam em alta pelo sexto dia seguido. As ações ordinárias do Bradesco tiveram alta de 0,13%. 

INDICADORES ECONÔMICOS
Números do mercado financeiro

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC - R$ 3,0944 / R$ 3,0950 **
Câmbio livre mercado - R$ 3,091 / R$ 3,093 *
Turismo - R$ 3,040 / R$ 3,240

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: 0,25%

OURO BM&F
R$ 122,8

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: -0,10%
Pontos: 67.748
Volume financeiro: R$ 7,690 bilhões
Maiores altas: Estácio ON (5,72%), Smiles ON (4,61%), Rumo Logística ON (3,98%)
Maiores baixas: Marfrig ON (-3,05%), Ecorodovias ON (-2,42%), BRF ON (-2,39%)

Dow Jones (Nova York): 0,02%
Nasdaq (Nova York): 0,41%
CAC 40 (Paris): -0,65%
Dax 30 (Frankfurt): 0,00%
Financial 100 (Londres): 0,30%
Nikkei 225 (Tóquio): -0,58%
Hang Seng (Hong Kong): -0,31%
Shanghai Composite (Xangai): -0,85%
Merval (Buenos Aires): 0,60%
IPC (México): -0,27%

POUPANÇA
Depósitos feitos até 3 de maio de 2012 (Lei 12.703/2012)
Aniversário - Rendimento (%)
9/2 = 0,6956
10/2 = 0,6825
11/2 = 0,7274
12/2 = 0,6703
13/2 = 0,6428
14/2 = 0,6392
15/2 = 0,6640
16/2 = 0,6939
17/2 = 0,6825
18/2 = 0,6899
19/2 = 0,6525
20/2 = 0,6296
21/2 = 0,6271
22/2 = 0,6614
23/2 = 0,6940
24/2 = 0,7062
25/2 = 0,6685
26/2 = 0,6697
27/2 = 0,6279
28/2 = 0,5898
1º/3 = 0,5304
2/3 = 0,5393
3/3 = 0,5403
4/3 = 0,5330
5/3 = 0,5330
6/3 = 0,5256
7/3 = 0,5408
8/3 = 0,5062
9/3 = 0,5385

NOVA POUPANÇA
Depósitos feitos a partir de 4 de maio de 2012 (Lei 12.703/2012)
Aniversário - Rendimento (%)
9/2 = 0,6956
10/2 = 0,6825
11/2 = 0,7274
12/2 = 0,6703
13/2 = 0,6428
14/2 = 0,6392
15/2 = 0,6640
16/2 = 0,6939
17/2 = 0,6825
18/2 = 0,6899
19/2 = 0,6525
20/2 = 0,6296
21/2 = 0,6271
22/2 = 0,6614
23/2 = 0,6940
24/2 = 0,7062
25/2 = 0,6685
26/2 = 0,6697
27/2 = 0,6279
28/2 = 0,5898
1º/3 = 0,5304
2/3 = 0,5393
3/3 = 0,5403
4/3 = 0,5330
5/3 = 0,5330
6/3 = 0,5256
7/3 = 0,5408
8/3 = 0,5062
9/3 = 0,5385

ÍNDICES DE INFLAÇÃO

IPCA/IBGE
Janeiro 2016: 1,27%
Fevereiro 2016: 0,90%
Março 2016: 0,43%
Abril 2016: 0,61%
Maio 2016: 0,78%
Junho 2016: 0,35%
Julho 2016: 0,52%
Agosto 2016: 0,44%
Setembro 2016: 0,08%
Outubro 2016: 0,26%
Novembro 2016: 0,18%
Dezembro 2016: 0,30%
Janeiro 2017: 0,38%

INPC/IBGE
Janeiro 2016: 1,51%
Fevereiro 2016: 0,95%
Março 2016: 0,44%
Abril 2016: 0,64%
Maio 2016: 0,98%
Junho 2016: 0,47%
Julho 2016: 0,64%
Agosto 2016: 0,31%
Setembro 2016: 0,08%
Outubro 2016: 0,17%
Novembro 2016: 0,07%
Dezembro 2016: 0,14%
Janeiro 2017: 0,42%

IPC/Fipe
Janeiro 2016: 1,37%
Fevereiro 2016: 0,89%
Março 2016: 0,97%
Abril 2016: 0,46%
Maio 2016: 0,57%
Junho 2016: 0,65%
Julho 2016: 0,35%
Agosto 2016: 0,11%
Setembro 2016: -0,14
Outubro 2016: 0,27%
Novembro 2016: 0,15%
Dezembro 2016: 0,72%
Janeiro 2017: 0,32%

IGP-M/FGV
Janeiro 2016: 1,14%
Fevereiro 2016: 1,29%
Março 2016: 0,51%
Abril 2016: 0,33%
Maio 2016: 0,82%
Junho 2016: 1,69%
Julho 2016: 0,18%
Agosto 2016: 0,15%
Setembro 2016: 0,20%
Outubro 2016: 0,16%
Novembro 2016: -0,03%
Dezembro 2016: 0,54%
Janeiro 2017: 0,64%

IGP-DI/FGV
Janeiro 2016: 1,53%
Fevereiro 2016: 0,79%
Março 2016: 0,43%
Abril 2016: 0,36%
Maio 2016: 1,13%
Junho 2016: 1,63%
Julho 2016: -0,39%
Agosto 2016: 0,43%
Setembro 2016: 0,03%
Outubro 2016: 0,13%
Novembro 2016: 0,05%
Dezembro 2016: 0,83%
Janeiro 2017: 0,43%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2017: R$ 937,00

SALÁRIO FAMÍLIA
Janeiro 2017
Até R$ 859,88: R$ 44,09
de R$ 859,89 a R$ 1.292,43: R$ 31,07

Publicidade

Publicidade