Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Seu Dinheiro
Petrobras aumenta gás de cozinha em 4,4% e Sindigás emite nota

ágio praticado pela Petrobras está em 25,45% em relação ao preço praticado no mercado internacional

Quarta, 4/7/2018 16:23.
Arquivo Página 3.

Publicidade

(NICOLA PAMPLONA -RIO DE JANEIRO, RJ FOLHAPRESS/JP3) - A Petrobras anunciou nesta quarta (4) reajuste de 4,4% no preço do gás de cozinha vendido em botijões de 13 quilos, mais usado por consumidores residenciais.

Segundo a estatal, o aumento reflete a desvalorização do real frente ao dólar, que acumula 16% nos últimos três meses, e a elevação das cotações internacionais de 22% no mesmo período.

O gás vendido em botijões de 13 quilos é reajustado a casa três meses, segundo política iniciada em janeiro com o objetivo de tentar suavizar o repasse ao consumidor das variações das cotações internacionais.

Os novos preços entram em vigor nesta quinta (5). Foi o primeiro aumento desde que a periodicidade trimestral de reajustes foi implantada -em janeiro, houve queda de 5% e em abril, de 4,4%.

De acordo com a Petrobras, após o aumento desta quinta, o preço do gás ficará ainda 5,2% inferior ao praticado em dezembro.

A alta no preço do gás em 2017 levou cerca de 1,2 milhão de residências brasileiras a adotar combustíveis alternativos como a lenha e o carvão para cozinhar alimentos, de acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE em abril.

O aumento incide sobre o preço de refinaria, que passará a ser, em média, R$ 23,10. O preço pago pelo consumidor inclui ainda impostos e margens de lucro de revenda e distribuição.

NOTA DO SINDIGÁS

O Sindigás informa que suas empresas associadas foram comunicadas pela Petrobras na tarde de hoje sobre novo reajuste de preço do GLP residencial e também para o GLP empresarial (para embalagens acima de 13 quilos).

De acordo com as informações que as distribuidoras receberam da Petrobras, o aumento de preço será entre 4,2% e 4,6%, dependendo do polo de suprimento, tanto para o GLP empresarial quanto para o residencial, válido a partir de 0h de amanhã, dia 05 de julho, nas unidades da petroleira.

Com o aumento, o ágio praticado pela Petrobras está em 25,45% em relação ao preço praticado no mercado internacional e o preço do GLP empresarial vai ficar 57,52% acima do valor cobrado pelo GLP residencial.

Na avaliação do Sindigás, esse ágio vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial as empresas que operam com uso intensivo de GLP.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Arquivo Página 3.

Petrobras aumenta gás de cozinha em 4,4% e Sindigás emite nota

ágio praticado pela Petrobras está em 25,45% em relação ao preço praticado no mercado internacional

Publicidade

Quarta, 4/7/2018 16:23.

(NICOLA PAMPLONA -RIO DE JANEIRO, RJ FOLHAPRESS/JP3) - A Petrobras anunciou nesta quarta (4) reajuste de 4,4% no preço do gás de cozinha vendido em botijões de 13 quilos, mais usado por consumidores residenciais.

Segundo a estatal, o aumento reflete a desvalorização do real frente ao dólar, que acumula 16% nos últimos três meses, e a elevação das cotações internacionais de 22% no mesmo período.

O gás vendido em botijões de 13 quilos é reajustado a casa três meses, segundo política iniciada em janeiro com o objetivo de tentar suavizar o repasse ao consumidor das variações das cotações internacionais.

Os novos preços entram em vigor nesta quinta (5). Foi o primeiro aumento desde que a periodicidade trimestral de reajustes foi implantada -em janeiro, houve queda de 5% e em abril, de 4,4%.

De acordo com a Petrobras, após o aumento desta quinta, o preço do gás ficará ainda 5,2% inferior ao praticado em dezembro.

A alta no preço do gás em 2017 levou cerca de 1,2 milhão de residências brasileiras a adotar combustíveis alternativos como a lenha e o carvão para cozinhar alimentos, de acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE em abril.

O aumento incide sobre o preço de refinaria, que passará a ser, em média, R$ 23,10. O preço pago pelo consumidor inclui ainda impostos e margens de lucro de revenda e distribuição.

NOTA DO SINDIGÁS

O Sindigás informa que suas empresas associadas foram comunicadas pela Petrobras na tarde de hoje sobre novo reajuste de preço do GLP residencial e também para o GLP empresarial (para embalagens acima de 13 quilos).

De acordo com as informações que as distribuidoras receberam da Petrobras, o aumento de preço será entre 4,2% e 4,6%, dependendo do polo de suprimento, tanto para o GLP empresarial quanto para o residencial, válido a partir de 0h de amanhã, dia 05 de julho, nas unidades da petroleira.

Com o aumento, o ágio praticado pela Petrobras está em 25,45% em relação ao preço praticado no mercado internacional e o preço do GLP empresarial vai ficar 57,52% acima do valor cobrado pelo GLP residencial.

Na avaliação do Sindigás, esse ágio vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial as empresas que operam com uso intensivo de GLP.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade