Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Seu Dinheiro
Combustível no Brasil tem alta com tensão síria

Sexta, 13/4/2018 6:30.

Publicidade

NICOLA PAMPLONA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Com a alta das cotações internacionais do petróleo, os preços da gasolina e do diesel nas refinarias da Petrobras atingiram o maior valor desde que os reajustes passaram a ser diários, em julho de 2017.

Nesta quinta (12), a Petrobras anunciou aumento de 0,8% no preço da gasolina, que passará a ser vendida por suas refinarias a R$ 1,6968 por litro a partir desta sexta (13). O diesel será elevado em 2%, para R$ 1,9549 por litro.

Nos dois casos, é o quarto aumento seguido, com o preço do produto acompanhando a reação do mercado o risco de ação militar dos Estados Unidos na Síria.

Na semana, o preço do barril em Londres disparou, saindo da casa dos US$ 67 na sexta (6) para a casa dos US$ 72 -fechou em US$ 72,01 nesta quinta. Na quarta (11), ultrapassou durante o pregão a barreira dos US$ 73 pela primeira vez desde novembro de 2014.

"Embora não haja fundamentos econômicos, enquanto houver ameaça de guerra americana na Síria, o petróleo continuará neste patamar acima dos US$ 70", diz o consultor Adriano Pires, do CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Combustível no Brasil tem alta com tensão síria

Publicidade

Sexta, 13/4/2018 6:30.

NICOLA PAMPLONA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Com a alta das cotações internacionais do petróleo, os preços da gasolina e do diesel nas refinarias da Petrobras atingiram o maior valor desde que os reajustes passaram a ser diários, em julho de 2017.

Nesta quinta (12), a Petrobras anunciou aumento de 0,8% no preço da gasolina, que passará a ser vendida por suas refinarias a R$ 1,6968 por litro a partir desta sexta (13). O diesel será elevado em 2%, para R$ 1,9549 por litro.

Nos dois casos, é o quarto aumento seguido, com o preço do produto acompanhando a reação do mercado o risco de ação militar dos Estados Unidos na Síria.

Na semana, o preço do barril em Londres disparou, saindo da casa dos US$ 67 na sexta (6) para a casa dos US$ 72 -fechou em US$ 72,01 nesta quinta. Na quarta (11), ultrapassou durante o pregão a barreira dos US$ 73 pela primeira vez desde novembro de 2014.

"Embora não haja fundamentos econômicos, enquanto houver ameaça de guerra americana na Síria, o petróleo continuará neste patamar acima dos US$ 70", diz o consultor Adriano Pires, do CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade