Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Dedo na Moleira
Manter vereador corrupto na Câmara de Balneário Camboriú suja também o prefeito e o vice

Por Waldemar Cezar Neto

Quinta, 30/7/2020 7:12.

Publicidade

Os vereadores Lucas Gotardo e Patrick Hernandes apresentaram ontem à Câmara de Balneário Camboriú nova denúncia contra Asinil Medeiros que continua no exercício do mandato apesar de condenado a dois anos e oito meses de prisão, por corrupção no exercício do cargo.

Medeiros -e há provas concretas disso no processo- foi condenado por pedir propina para mudar o Plano Diretor e beneficiar um proprietário de loteamento na Interpraias.

A primeira denúncia contra Medeiros foi arquivada por decurso de prazo, uma imoralidade que sujou não apenas a ficha do Legislativo, mas também a do prefeito Fabrício Oliveira e do vice-prefeito Carlos Humberto Silva, pois o condenado por corrupção é aliado de ambos.

Além de aliado, Medeiros pertence ao partido do vice-prefeito, numa Câmara de Vereadores onde o governo tem ampla maioria conquistada com farta distribuição de empregos na máquina pública.

Nunca na história de Balneário Camboriú o mandato foi exercido por uma pessoa condenada por corrupção. O mais próximo disso aconteceu na legislatura anterior quando Elton Garcia foi preso pelo Gaeco, acusado por corrupção e renunciou.

Não podem o prefeito, o vice-prefeito e os vereadores de situação, que comandam a política na cidade alegarem que têm moral quando não a praticam.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Manter vereador corrupto na Câmara de Balneário Camboriú suja também o prefeito e o vice

Por Waldemar Cezar Neto

Publicidade

Quinta, 30/7/2020 7:12.

Os vereadores Lucas Gotardo e Patrick Hernandes apresentaram ontem à Câmara de Balneário Camboriú nova denúncia contra Asinil Medeiros que continua no exercício do mandato apesar de condenado a dois anos e oito meses de prisão, por corrupção no exercício do cargo.

Medeiros -e há provas concretas disso no processo- foi condenado por pedir propina para mudar o Plano Diretor e beneficiar um proprietário de loteamento na Interpraias.

A primeira denúncia contra Medeiros foi arquivada por decurso de prazo, uma imoralidade que sujou não apenas a ficha do Legislativo, mas também a do prefeito Fabrício Oliveira e do vice-prefeito Carlos Humberto Silva, pois o condenado por corrupção é aliado de ambos.

Além de aliado, Medeiros pertence ao partido do vice-prefeito, numa Câmara de Vereadores onde o governo tem ampla maioria conquistada com farta distribuição de empregos na máquina pública.

Nunca na história de Balneário Camboriú o mandato foi exercido por uma pessoa condenada por corrupção. O mais próximo disso aconteceu na legislatura anterior quando Elton Garcia foi preso pelo Gaeco, acusado por corrupção e renunciou.

Não podem o prefeito, o vice-prefeito e os vereadores de situação, que comandam a política na cidade alegarem que têm moral quando não a praticam.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade