Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Projeto ‘Cultura Viva’ de Balneário Camboriú será apresentado no encontro das artes

Projeto envolve as crianças com tradições culturais

Quinta, 26/9/2019 12:19.
Divulgação/FCBC

Publicidade

O projeto ‘Cultura Viva: da Cultura local à vivência da criança atual’, de autoria da professora Dijaíza Gomes de Sá Souza e das artistas Lilian Martins e Potyra Najara, será apresentado no XIV Colóquio da Associação dos Arte-Educadores de Santa Catarina, que inicia nesta quinta (26) e encerra no sábado (28), no Centro Universitário Avantis (Uniavan). O projeto local será apresentado sexta-feira (27), às 14h.

O tema do encontro é ‘Conversas ao Pé do Ouvido: Ensino de Artes em Santa Catarina’.

A atriz e escritora Potyra Najara disse que é muito importante que a Fundação Cultural e a secretaria de Educação estejam unidas no desenvolvimento sócio cultural das crianças.

“Poder preparar os arte educadores para a prática em sala de aula e ver o resultado de um trabalho profundo e dinâmico na apresentação das crianças é ter certeza que a nossa cultura se manterá viva e pulsante nos nossos cidadãos”, disse.

O projeto

Considerando que Balneário Camboriú é uma cidade jovem e multicultural, o projeto Cultura Viva foi desenvolvido por meio da parceria entre a secretaria Municipal de Educação e Fundação Cultural, com o objetivo de oportunizar às crianças da Educação Infantil (0 a 5 anos) da Rede Municipal de Ensino conhecer e vivenciar o patrimônio histórico e cultural local/regional como currículo vivo nos tempos atuais, estabelecendo relação entre passado e presente, apropriando-se desse patrimônio no qual estão inseridas.

O projeto se desenvolveu em cinco etapas principais:

1. A oferta de formação continuada aos professores (formação para 54 profissionais, sendo o supervisor e um professor Multiplicador representante de cada Núcleo de Educação Infantil), referente ao patrimônio histórico e cultural local/regional, por acreditar ser o caminho mais eficaz para que as experiências e vivências da linguagem da arte e cultura pudessem chegar até as crianças;

2. O planejamento das ações a serem realizadas na prática em sala;

3. Prática pedagógica com o foco nas ações de educação patrimônio histórico e cultural local/ regional, apresentando a pesca artesanal da tainha, Terno de Reis, Produção da farinha, em parceria com o único engenho em atividade “caseira” no município, Cultura Haitiana,

Cultura Quilombola, entre outros;

4. A socialização das vivências desenvolvidas no decorrer do projeto, entre os Núcleos de Educação Infantil, na “Semana da História e Cultura de BC”;

5. O compartilhamento dos resultados, bem como, o apontamento de sugestões para as futuras edições do mesmo. No desenvolver das etapas, o projeto legitimou a educação patrimônio histórico e cultural local/regional como currículo vivo e contínuo na Educação Infantil.

Com esse entendimento a Secretaria Municipal de Educação, por meio do Departamento de Educação Infantil, constituiu o projeto como institucional, garantindo-o no Projeto Político Pedagógico de todos os Núcleos de

Educação Infantil do município. O projeto contribuiu significativamente, ampliando o olhar da criança e seu repertório social, cultural, reconhecendo sua existência, auto afirmando a construção da própria identidade cultural. Nesse contexto, acredita-se que o projeto Cultura Viva é inovador e inédito.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/FCBC

Projeto ‘Cultura Viva’ de Balneário Camboriú será apresentado no encontro das artes

Projeto envolve as crianças com tradições culturais

Publicidade

Quinta, 26/9/2019 12:19.

O projeto ‘Cultura Viva: da Cultura local à vivência da criança atual’, de autoria da professora Dijaíza Gomes de Sá Souza e das artistas Lilian Martins e Potyra Najara, será apresentado no XIV Colóquio da Associação dos Arte-Educadores de Santa Catarina, que inicia nesta quinta (26) e encerra no sábado (28), no Centro Universitário Avantis (Uniavan). O projeto local será apresentado sexta-feira (27), às 14h.

O tema do encontro é ‘Conversas ao Pé do Ouvido: Ensino de Artes em Santa Catarina’.

A atriz e escritora Potyra Najara disse que é muito importante que a Fundação Cultural e a secretaria de Educação estejam unidas no desenvolvimento sócio cultural das crianças.

“Poder preparar os arte educadores para a prática em sala de aula e ver o resultado de um trabalho profundo e dinâmico na apresentação das crianças é ter certeza que a nossa cultura se manterá viva e pulsante nos nossos cidadãos”, disse.

O projeto

Considerando que Balneário Camboriú é uma cidade jovem e multicultural, o projeto Cultura Viva foi desenvolvido por meio da parceria entre a secretaria Municipal de Educação e Fundação Cultural, com o objetivo de oportunizar às crianças da Educação Infantil (0 a 5 anos) da Rede Municipal de Ensino conhecer e vivenciar o patrimônio histórico e cultural local/regional como currículo vivo nos tempos atuais, estabelecendo relação entre passado e presente, apropriando-se desse patrimônio no qual estão inseridas.

O projeto se desenvolveu em cinco etapas principais:

1. A oferta de formação continuada aos professores (formação para 54 profissionais, sendo o supervisor e um professor Multiplicador representante de cada Núcleo de Educação Infantil), referente ao patrimônio histórico e cultural local/regional, por acreditar ser o caminho mais eficaz para que as experiências e vivências da linguagem da arte e cultura pudessem chegar até as crianças;

2. O planejamento das ações a serem realizadas na prática em sala;

3. Prática pedagógica com o foco nas ações de educação patrimônio histórico e cultural local/ regional, apresentando a pesca artesanal da tainha, Terno de Reis, Produção da farinha, em parceria com o único engenho em atividade “caseira” no município, Cultura Haitiana,

Cultura Quilombola, entre outros;

4. A socialização das vivências desenvolvidas no decorrer do projeto, entre os Núcleos de Educação Infantil, na “Semana da História e Cultura de BC”;

5. O compartilhamento dos resultados, bem como, o apontamento de sugestões para as futuras edições do mesmo. No desenvolver das etapas, o projeto legitimou a educação patrimônio histórico e cultural local/regional como currículo vivo e contínuo na Educação Infantil.

Com esse entendimento a Secretaria Municipal de Educação, por meio do Departamento de Educação Infantil, constituiu o projeto como institucional, garantindo-o no Projeto Político Pedagógico de todos os Núcleos de

Educação Infantil do município. O projeto contribuiu significativamente, ampliando o olhar da criança e seu repertório social, cultural, reconhecendo sua existência, auto afirmando a construção da própria identidade cultural. Nesse contexto, acredita-se que o projeto Cultura Viva é inovador e inédito.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade