Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Pastorinhas do Quintal da Su participam de show na Portela

O Quintal da Su é um movimento de roda de samba tradicional que iniciou no quintal da casa da Su, em Itajaí

Sexta, 8/11/2019 15:11.
Divulgação
Gorete Souza, Neide Santana, Su Amaral e Bel Maia em setembro de 2019

Publicidade

Nas escolas de samba algumas mulheres cantoras são chamadas de Pastoras. Suas vozes dão leveza ao samba. Nos primórdios, as mulheres, ao cantar em coro as composições que mais gostavam, determinavam qual seria o samba vencedor na quadra. Hoje, as Pastoras fazem parte da Velha Guarda e continuam a emprestar suas vozes aos sambas mais tradicionais de suas escolas. No Rio de Janeiro, a Portela foi uma das primeiras escolas de samba a manter viva essa tradição.

Gorete Souza, Su Amaral e Bel Maia

A partir desse contexto, o Quintal da Su, que é um evento itinerante de roda de samba que acontece há quatro anos em Itajaí, também têm suas ‘pastorinhas’: Gorete Souza, Su Amaral e Bel Maia. Recentemente as itajaienses foram convidadas por Neide Santana, Pastora da Velha Guarda da Portela, para tornarem-se suas afilhadas.

Neide Santana é filha de Chico Santana (falecido), que foi um compositor brasileiro e integrante da Velha Guarda da escola de samba Portela. Autor do hino da escola “Hino Portelense” e do “Hino da Velha Guarda”.

A convite da Madrinha Neide Santana, as Pastorinhas do Quintal da Su, fazem uma apresentação na “Feijoada da Família Portelense”, neste sábado (9) no Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela, no Rio de Janeiro.

Quintal da Su

O Quintal da Su é um movimento de roda de samba tradicional que iniciou no quintal da casa da Su, em Itajaí, por iniciativa da Susane Amaral Silva e João Ramos Neto. Fundado em 2015, quando sai do quintal da casa e leva a cultura de rodas a locais públicos e privados da cidade. Realiza típicas rodas de samba, envolve artistas locais e nacionais para fomentar e preservar este gênero musical.

As “Pastorinhas do Quintal da Su” surgem em meio a esse movimento, em março de 2016. Em janeiro de 2017, o grupo oficial das Pastorinhas foi apresentado em um evento: Quintal da Su nos 100 anos do Mercado Público de Itajaí, com a artista da cidade Bárbara Damásio.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Gorete Souza, Neide Santana, Su Amaral e Bel Maia em setembro de 2019
Gorete Souza, Neide Santana, Su Amaral e Bel Maia em setembro de 2019

Pastorinhas do Quintal da Su participam de show na Portela

O Quintal da Su é um movimento de roda de samba tradicional que iniciou no quintal da casa da Su, em Itajaí

Publicidade

Sexta, 8/11/2019 15:11.

Nas escolas de samba algumas mulheres cantoras são chamadas de Pastoras. Suas vozes dão leveza ao samba. Nos primórdios, as mulheres, ao cantar em coro as composições que mais gostavam, determinavam qual seria o samba vencedor na quadra. Hoje, as Pastoras fazem parte da Velha Guarda e continuam a emprestar suas vozes aos sambas mais tradicionais de suas escolas. No Rio de Janeiro, a Portela foi uma das primeiras escolas de samba a manter viva essa tradição.

Gorete Souza, Su Amaral e Bel Maia

A partir desse contexto, o Quintal da Su, que é um evento itinerante de roda de samba que acontece há quatro anos em Itajaí, também têm suas ‘pastorinhas’: Gorete Souza, Su Amaral e Bel Maia. Recentemente as itajaienses foram convidadas por Neide Santana, Pastora da Velha Guarda da Portela, para tornarem-se suas afilhadas.

Neide Santana é filha de Chico Santana (falecido), que foi um compositor brasileiro e integrante da Velha Guarda da escola de samba Portela. Autor do hino da escola “Hino Portelense” e do “Hino da Velha Guarda”.

A convite da Madrinha Neide Santana, as Pastorinhas do Quintal da Su, fazem uma apresentação na “Feijoada da Família Portelense”, neste sábado (9) no Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela, no Rio de Janeiro.

Quintal da Su

O Quintal da Su é um movimento de roda de samba tradicional que iniciou no quintal da casa da Su, em Itajaí, por iniciativa da Susane Amaral Silva e João Ramos Neto. Fundado em 2015, quando sai do quintal da casa e leva a cultura de rodas a locais públicos e privados da cidade. Realiza típicas rodas de samba, envolve artistas locais e nacionais para fomentar e preservar este gênero musical.

As “Pastorinhas do Quintal da Su” surgem em meio a esse movimento, em março de 2016. Em janeiro de 2017, o grupo oficial das Pastorinhas foi apresentado em um evento: Quintal da Su nos 100 anos do Mercado Público de Itajaí, com a artista da cidade Bárbara Damásio.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade