Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Bia Mattar, única representante de SC no seminário que discute o futuro da cultura no país

Terça, 21/5/2019 13:20.

Como representante do Conselho Nacional de Política Cultural, Bia Mattar, de Balneário Camboriú será a única representante catarinense convidada para palestrar no seminário "Os Impactos da Extinção do Ministério da Cultura", nesta quarta-feira (22), às 15h, na Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados.

“Vou apresentar alguns dos documentos sobre o assunto que já foram apresentados pelo Conselho Nacional de Política Cultural em maio de 2016, onde foi colocada a fusão da pasta com o MEC na ocasião. Depois de um movimento organizado e articulado da sociedade civil e órgãos culturais de instâncias privadas e públicas conseguiram fazer o governo do então presidente Temer (assumido após o impeachment da Dilma) voltasse atrás e desistisse da extinção ou fusão do MINC."

Além disso, ela vai argumentar e reapresentar os motivos que asseguram que acabar com o Ministério da Cultura é um retrocesso político-administrativo gerando posicionamento negativo na sociedade.

“Muitos políticos entendem cultura como arte apenas, sem considerar fatores sociológicos e antropológicos que aparecem no contexto social como, os usos, costumes, religião, raça, sexo, culinária, moda, arquitetura, entre outros. O objeto de estudo econômico da cultura comprova que gera impacto positivo na economia brasileira. Avançamos muito nos últimos 10 anos com estatísticas, levantamento de indicadores e mensuração de resultados na economia da cultura”, segue.

O seminário também questionará sobre o cumprimento das ações previstas no Sistema Nacional de Cultura sem a estrutura de um Ministério no comando dos processos, em que o mais importante é estabelecer relações com os entes federados no cumprimento dos planos estaduais e municipais de cultura, inclusive com repasse de verbas aos respectivos fundos estaduais e municipais de cultura que mantenham o CPF da Cultura em dia, ou seja, Conselho, Plano e Fundo.

Os atrasos na convocação da conferência nacional de cultura, eleições do Conselho Nacional, revisão do Plano Nacional de Cultura são explicações que a nova gestão federal ainda não se posicionou quanto ao cumprimento de suas obrigações legais.

Segundo Bia Mattar, o seminário também será uma oportunidade de saber notícias sobre o andamento dos programas de governo que até agora se mostraram truncados, como o caso da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), a extinção dos Conselhos anunciada no mês passado, o fortalecimento da Funarte como órgão promotor dos editais públicos, apoio para as bibliotecas, museus e manutenção dos equipamentos culturais.

“Tudo está parado e sem definição dos programas de políticas culturais a serem instituídos por este governo. Por isso, a importância do debate no âmbito da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados no Congresso Nacional que além de qualificar, já prevê encaminhamentos dos assuntos abordados de maneira mais efetiva”, resumiu.

Em Brasília, ela estará ao lado de outros 10 convidados: José Henrique Pires (secretário Especial da Cultura do Ministério da Cidadania), Lia Calabre (Pesquisadora e chefe do setor de Estudos de Política Cultural da Fundação Casa de Rui Barbosa), Juca Ferreira (Ex-Ministro de Estado da Cultura e Secretário Municipal de Cultura de Belo Horizonte), Dalva Santos (Produtora e gestora cultural de Brasília), Cida Falabella (Atriz, diretora teatral, vereadora em Belo Horizonte), Sérgio Pinto (Presidente da Associação de Servidores do Ministério da Cultura (AsMinC), Sérgio Ronaldo Silva (secretário Geral da Confederação dos Trabalhadores do Serviço Federal (CONDSEF), Fabiano Piúba (Presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura e Secretário de Estado de Cultura do Ceará), Ney Carrasco (Presidente do Fórum de Secretários e Gestores de Cultura das Capitais e Municípios Associados e Secretário Municipal de Cultura de Campinas) e Maria Marighella (Atriz, ex-coordenadora de Teatro da Funarte e Assessora Especial da Secretaria de Cultura da Bahia).

O seminário será transmitido ao vivo pelo site da Câmara.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Bia Mattar, única representante de SC no seminário que discute o futuro da cultura no país

Publicidade

Terça, 21/5/2019 13:20.

Como representante do Conselho Nacional de Política Cultural, Bia Mattar, de Balneário Camboriú será a única representante catarinense convidada para palestrar no seminário "Os Impactos da Extinção do Ministério da Cultura", nesta quarta-feira (22), às 15h, na Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados.

“Vou apresentar alguns dos documentos sobre o assunto que já foram apresentados pelo Conselho Nacional de Política Cultural em maio de 2016, onde foi colocada a fusão da pasta com o MEC na ocasião. Depois de um movimento organizado e articulado da sociedade civil e órgãos culturais de instâncias privadas e públicas conseguiram fazer o governo do então presidente Temer (assumido após o impeachment da Dilma) voltasse atrás e desistisse da extinção ou fusão do MINC."

Além disso, ela vai argumentar e reapresentar os motivos que asseguram que acabar com o Ministério da Cultura é um retrocesso político-administrativo gerando posicionamento negativo na sociedade.

“Muitos políticos entendem cultura como arte apenas, sem considerar fatores sociológicos e antropológicos que aparecem no contexto social como, os usos, costumes, religião, raça, sexo, culinária, moda, arquitetura, entre outros. O objeto de estudo econômico da cultura comprova que gera impacto positivo na economia brasileira. Avançamos muito nos últimos 10 anos com estatísticas, levantamento de indicadores e mensuração de resultados na economia da cultura”, segue.

O seminário também questionará sobre o cumprimento das ações previstas no Sistema Nacional de Cultura sem a estrutura de um Ministério no comando dos processos, em que o mais importante é estabelecer relações com os entes federados no cumprimento dos planos estaduais e municipais de cultura, inclusive com repasse de verbas aos respectivos fundos estaduais e municipais de cultura que mantenham o CPF da Cultura em dia, ou seja, Conselho, Plano e Fundo.

Os atrasos na convocação da conferência nacional de cultura, eleições do Conselho Nacional, revisão do Plano Nacional de Cultura são explicações que a nova gestão federal ainda não se posicionou quanto ao cumprimento de suas obrigações legais.

Segundo Bia Mattar, o seminário também será uma oportunidade de saber notícias sobre o andamento dos programas de governo que até agora se mostraram truncados, como o caso da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), a extinção dos Conselhos anunciada no mês passado, o fortalecimento da Funarte como órgão promotor dos editais públicos, apoio para as bibliotecas, museus e manutenção dos equipamentos culturais.

“Tudo está parado e sem definição dos programas de políticas culturais a serem instituídos por este governo. Por isso, a importância do debate no âmbito da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados no Congresso Nacional que além de qualificar, já prevê encaminhamentos dos assuntos abordados de maneira mais efetiva”, resumiu.

Em Brasília, ela estará ao lado de outros 10 convidados: José Henrique Pires (secretário Especial da Cultura do Ministério da Cidadania), Lia Calabre (Pesquisadora e chefe do setor de Estudos de Política Cultural da Fundação Casa de Rui Barbosa), Juca Ferreira (Ex-Ministro de Estado da Cultura e Secretário Municipal de Cultura de Belo Horizonte), Dalva Santos (Produtora e gestora cultural de Brasília), Cida Falabella (Atriz, diretora teatral, vereadora em Belo Horizonte), Sérgio Pinto (Presidente da Associação de Servidores do Ministério da Cultura (AsMinC), Sérgio Ronaldo Silva (secretário Geral da Confederação dos Trabalhadores do Serviço Federal (CONDSEF), Fabiano Piúba (Presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura e Secretário de Estado de Cultura do Ceará), Ney Carrasco (Presidente do Fórum de Secretários e Gestores de Cultura das Capitais e Municípios Associados e Secretário Municipal de Cultura de Campinas) e Maria Marighella (Atriz, ex-coordenadora de Teatro da Funarte e Assessora Especial da Secretaria de Cultura da Bahia).

O seminário será transmitido ao vivo pelo site da Câmara.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade