Jornal Página 3
Cultura
Feira Literária de Paraty gera retorno de quase R$ 47 milhões, diz estudo da FGV
Segunda, 30/7/2018 7:26.

Publicidade

GUILHERME GENESTRETI
PARATY, RJ (FOLHAPRESS) - A Flip, evento que terminou neste domingo (29), gerou em riquezas um valor 13 vezes superior aos seus custos, segundo relatório encomendado pelo Ministério da Cultura. É como se para cada R$ 1 investido no festival, outros R$ 13 retornassem à economia.

Isso porque a organização investiu R$ 3,5 milhões para os cinco dias do evento. Em contrapartida, o impacto econômico total ficou na casa dos R$ 46,9 milhões -número que inclui gastos dos turistas em hotéis, transportes, restaurantes, e também os gastos referentes a atender a essa demanda (fornecimento de comida, serviços bancários, geração de emprego etc.).

O estudo foi realizado por pesquisadores da FGV (Fundação Getúlio Vargas), que circularam durante três dias com um aplicativo e um questionário em que indagavam os visitantes sobre seus gastos.

Mesmo ao se considerar só o aspecto público, isto é, o quanto o governo contribuiu para a realização do evento e o quanto arrecadou em impostos, as contas também fecham no verde. O Estado recebeu 50% a mais do que investiu.

Do total do orçamento do festival, o Estado bancou R$ 3 milhões e recebeu em troca em torno de R$ 4,7 milhões em tributos federais, estaduais e municipais decorrentes das atividades da festa.

"Demonstra claramente que, além do impacto positivo que a Flip tem na promoção da leitura e do pensamento, ela tem um impacto econômico", diz o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, à Folha de S.Paulo.

Segundo ele, o ministério irá estimular outros estudos semelhantes para medir o retorno econômico da área criativa. Estão previstos, por exemplo, levantamentos similares sobre a Lei Rouanet e o Fundo Setorial do Audiovisual.

"Queremos mostrar para os governos e a sociedade o quanto as atividades culturais contribuem para o país, e que ele se beneficia do investimento em cultura."

O estudo ainda calculou que o total de participantes da festa foi de 26.400 pessoas, dos quais 2% são estrangeiros, 45% são brasileiros que não moram em Paraty. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Destaques

O Tonino Lamborghini Residences Balneário Camboriú será desenvolvido pela Embraed Empreendimentos  


Sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019


 Uma restauração histórica de fotos aéreas para o primeiro plano diretor do município



 Em 12 meses foram registradas 2,4 infrações desse tipo por hora


 “Afastar a corrupção é o dever de todos”, disse o prefeito


Cidade

O Tonino Lamborghini Residences Balneário Camboriú será desenvolvido pela Embraed Empreendimentos  


Economia

Sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019


Variedades

 Uma restauração histórica de fotos aéreas para o primeiro plano diretor do município


Variedades


Policia

 Em 12 meses foram registradas 2,4 infrações desse tipo por hora


Política

 “Afastar a corrupção é o dever de todos”, disse o prefeito


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Feira Literária de Paraty gera retorno de quase R$ 47 milhões, diz estudo da FGV

Publicidade

Segunda, 30/7/2018 7:26.

GUILHERME GENESTRETI
PARATY, RJ (FOLHAPRESS) - A Flip, evento que terminou neste domingo (29), gerou em riquezas um valor 13 vezes superior aos seus custos, segundo relatório encomendado pelo Ministério da Cultura. É como se para cada R$ 1 investido no festival, outros R$ 13 retornassem à economia.

Isso porque a organização investiu R$ 3,5 milhões para os cinco dias do evento. Em contrapartida, o impacto econômico total ficou na casa dos R$ 46,9 milhões -número que inclui gastos dos turistas em hotéis, transportes, restaurantes, e também os gastos referentes a atender a essa demanda (fornecimento de comida, serviços bancários, geração de emprego etc.).

O estudo foi realizado por pesquisadores da FGV (Fundação Getúlio Vargas), que circularam durante três dias com um aplicativo e um questionário em que indagavam os visitantes sobre seus gastos.

Mesmo ao se considerar só o aspecto público, isto é, o quanto o governo contribuiu para a realização do evento e o quanto arrecadou em impostos, as contas também fecham no verde. O Estado recebeu 50% a mais do que investiu.

Do total do orçamento do festival, o Estado bancou R$ 3 milhões e recebeu em troca em torno de R$ 4,7 milhões em tributos federais, estaduais e municipais decorrentes das atividades da festa.

"Demonstra claramente que, além do impacto positivo que a Flip tem na promoção da leitura e do pensamento, ela tem um impacto econômico", diz o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, à Folha de S.Paulo.

Segundo ele, o ministério irá estimular outros estudos semelhantes para medir o retorno econômico da área criativa. Estão previstos, por exemplo, levantamentos similares sobre a Lei Rouanet e o Fundo Setorial do Audiovisual.

"Queremos mostrar para os governos e a sociedade o quanto as atividades culturais contribuem para o país, e que ele se beneficia do investimento em cultura."

O estudo ainda calculou que o total de participantes da festa foi de 26.400 pessoas, dos quais 2% são estrangeiros, 45% são brasileiros que não moram em Paraty. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Destaques

O Tonino Lamborghini Residences Balneário Camboriú será desenvolvido pela Embraed Empreendimentos  


Sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019


 Uma restauração histórica de fotos aéreas para o primeiro plano diretor do município



 Em 12 meses foram registradas 2,4 infrações desse tipo por hora


 “Afastar a corrupção é o dever de todos”, disse o prefeito