Jornal Página 3
Coluna
Viagens & Turismo
Por Marcos Vinicios Pagelkopf

Praia Grande, cidade dos cânions

Voltei a Praia Grande nessa semana, a cidade dos cânions, e dessa vez fomos no parque Aparados da Serra, onde nos deparamos com chuva e nevoeiro. Foi mais um desafio para mostrar que as atrações não se limitam pelo clima.

Já na chegada da cidade vi os paredões gigantescos sumirem em nossa frente, o clima nessa região é muito instável, hora dá sol e de repente começa a chuva.

 

Quando chegamos na Pousada Refúgio das Montanhas começou uma chuva com muita intensidade, mudei o roteiro e fomos a um lugar que o nome tem tudo a ver, "Magia das Águas", tem cachoeiras, cascatas e uma vista de tirar o fôlego.

Retornamos na Pousada onde o jantar foi um show de arte, pois a mesa que é preparada no Refúgio tem uma decoração diferente em cada refeição, o cardápio é um dos atrativos da pousada, a carne é assada com estilo tropeiro acompanhado de batatas, escondidinhos, saladas totalmente orgânicas e o charme da mesa fica por conta das flores, pimentas e pedras, somente vindo para ver e sentir esses sabores.

 

No segundo dia após o maravilhoso café da manhã servido com muito bom gosto, subimos a serra do Faxinal.
Em cima é Rio Grande do Sul e um metro abaixo dos peraus está Santa Catarina, a vista maravilhosa é de lá, onde podemos contemplar as curvas e os relevos dos imensos paredões dos Cânions do Itambézinho que fazem a divisa entre os estados.

Quando chegamos na entrada do parque Nacional de Aparados da Serra uma surpresa, o Governo Federal não tinha mais funcionários trabalhando na conservação e administração das entradas que está hoje nas mãos de voluntários.

O Parque Aparados da Serra hoje só está aberto porque está sendo preservado por alguns voluntários de Cambará do Sul - RS e por alguns guias e voluntários de Praia Grande - SC. E todos que visitam o parque deixam uma colaboração espontânea para auxiliar na sua manutenção.

 

Quando visitei pela primeira, tinha vários caixas na recepção principal, carros do governo, agentes fazendo limpeza e manutenção, uma estrutura impecável. Hoje o aspecto de abandono, ferrugem, cercas quebradas gera muita tristeza. Uma vergonha para o turismo nacional, uma vergonha para todos, pois temos turistas Japoneses, Americanos, Europeus e Brasileiros visitando e caminhando pelas trilhas.

A preservação do parque Nacional é obrigação do Governo e está abandonado, largado às traças infelizmente.

Voltando a parte boa da visita, a chuva caiu até chegarmos no parque, o tempo logo abriu e conseguimos em poucos minutos registrar a visita com a dadiva de um arco-íris.

No fim da trilha da vértice tem um sítio em que os proprietários atendem os visitantes oferecendo um café ou um chimarão que é a bebida tradicional do gaúchos. A casa foi construída pelos imigrantes italianos no ano de 1942, não tem energia elétrica e tudo é manual.

A casa e a propriedade já foram cenário da rede Globo em várias novelas e seriados. Foi fugindo da chuva que o destino nos levou a conhecer esse paraíso. Ela atende com café, vende mel, queijos, salaminhos, ponches, mantas, luvas de lã tecidas por ela mesmo, arte feita com dedicação e carinho em cada peça.

Por isso falo que com chuva ou com sol Praia Grande é sensacional.

Venha conhecer você também.
Venha sentir essas emoções.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 29/11/2017 às 09h50 | mvpagelkopf@gmail.com



Marcos Vinicios Pagelkopf

Assina a coluna Viagens & Turismo

Trabalho com turismo desde 1985, já fui agente de viagens, promotor de vendas de atrativos turísticos, professor de curso de recepção municipal e de guia de turismo da Univali, consultor, palestrante e idealizador de ações como a primeira comemoração do Dia Mundial do Turismo no Brasil.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br