Jornal Página 3
Coluna
Economia & Negócios
Por Augusto Cesar Diegoli

Economia na Semana

Nova atração

O Beto Carrero World marcou para 12 de julho, em Penha, a estreia da área temática Hot Wheels. A atração terá 30 mil m2 e carrinhos em tamanho real, com pista de manobras e acrobacias. O projeto foi feito pela Mattel, gigante do setor de brinquedos norte-americana que detém a marca Hot Wheels. Será a primeira atração em grande escala da linha na América do Sul.

Abismo social

Brusque está em primeiro lugar entre as 10 cidades mais pacíficas do Brasil com uma taxa de homicídios de 4,8 por 100 mil habitantes (em 2016). Na outra ponta está Queimados, no Rio de Janeiro, com 134,9 mortes para cada 100 mil habitantes no mesmo ano. Um abismo social inacreditável.

Centro de Oncologia

Uma boa notícia para pacientes de Brusque. O Hospital Santo Antônio, de Blumenau, referência para o tratamento do câncer de pacientes aqui do município, está inaugurando seu Centro de Oncologia e Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI). Trata-se de uma obra com investimentos de R$ 17 milhões, sendo R$ 10 milhões provenientes do governo do Estado. O Centro de Oncologia terá ambulatório, clínica, quimioterapia e radioterapia de forma integrada.

Barreiras

Estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que o setor industrial é afetado diretamente por pelo menos 16 tipos de barreiras comerciais, quatro tarifárias e 12 não tarifárias. Somente em 2017, exigências sanitárias e fitossanitárias de outros países reduziram em US$ 30 bilhões as exportações brasileiras de produtos e serviços.

Ampliação

A Superintendência de Distribuição e Logística da Agência Nacional do Petróleo (ANP) autorizou a empresa Walendowsky Distribuidora de Combustíveis, que tem sede em Brusque, a ampliar suas instalações de armazenamento e distribuição de combustíveis. Localizada na rua Alberto Muller, no bairro Limeira. De acordo com a autorização divulgada pela ANP, a empresa poderá expandir sua capacidade de armazenamento em até 1005 metros cúbicos.

Pastel

O Vale entrou no foco da expansão da 10 Pastéis. Já presente em Gaspar e Rio do Sul com operações dentro de lojas da Havan, a rede de franquias mira a abertura de unidades em Blumenau, Balneário Camboriú, Navegantes e Itajaí até o ano que vem.

Uniasselvi vai às compras

A Uniasselvi deve fazer uma ou duas aquisições até o fim deste ano. A instituição de ensino que nasceu em Indaial e ganhou o país com polos de educação a distância, planeja destinar para este fim, 30% dos R$ 375 milhões que acabaram de entrar no caixa com a confirmação da venda de 25% do seu capital para o fundo americano Neuberger Berman, operação que indica que o valor de mercado da marca chega a R$ 1,5 bilhão. São R$ 112 milhões que entram no orçamento de expansão. As informações foram divulgadas pelo jornal Valor Econômico (SP).

Jovens querem deixar o país

Cerca de 70 milhões de brasileiros com 16 anos ou mais deixariam o Brasil se pudessem, mostra o Datafolha. Na pesquisa feita em todo o Brasil em maio, 43% da população adulta diz querer sair do país. O êxodo não fica só na intenção. O número de vistos para imigrantes brasileiros nos EUA, país preferido dos que querem se mudar, foi a 3,3 mil em 2017, o dobro de 2008, início da crise global. Pedidos de cidadania portuguesa também aceleraram. Só no consulado de São Paulo, houve 50 mil concessões desde 2016. No mesmo período, dobrou o número de vistos a estudantes, empreendedores e aposentados a fim de se fixar em Portugal.

Geração de empregos

O Brasil gerou 33.659 novos empregos no mês de maio, totalizando 381.166 novas vagas abertas neste ano. Após uma série de resultados positivos, Santa Catarina registrou em maio a perda de 4.484 postos formais de trabalho, segundo dados do Caged. As maiores reduções ocorreram na indústria de transformação, com menos 1.820 vagas, seguida pela agropecuária com perda de 1.555 e o comércio varejista, com redução de 1.291. O segmento da construção civil fechou 179 postos. No ano, SC tem um saldo positivo de 37.579 empregos novos gerados, com destaques para Joinvillle (+5.091), Blumenau (+4.359), Jaraguá do Sul (+2.392), Chapecó (+2.356) e Brusque (+2.243). Os números negativos no ano continuam com Florianópolis (-1.444) e Balneário Camboriú (-1.409) vagas fechadas.

20 modelos

A General Motors vai lançar pelo menos 20 novos modelos totalmente elétricos até 2023. O fator eficiência energética é relevante desde 2016, reduziu mais de 2,2 mil quilos em 14 modelos de veículos novos, economizando 133 milhões de litros de gasolina. As versões de produção do Cruise como veículo autônomo serão construídas na fábrica Orion Assembly, em Michigan (EUA), com comercialização em 2019. A GM planeja fornecer 100% de energia renovável para suas fábricas, globalmente, até 2050. Até o final de 2018, a energia renovável responderá por 20% do total usado pela companhia.

Dinheiro para Cultura

A Caixa Econômica Federal abriu seleção pública para patrocinar projetos nas áreas de dança, teatro, música, artes visuais e cinema. O banco terá R$ 39 milhões disponíveis no biênio 2019-2020 para estas finalidades. As inscrições podem ser feitas por pessoas jurídicas até às 17 horas do dia 3 de agosto.

Devolução do IPTU

A Prefeitura de Brusque enviou à Câmara projeto de lei que trata da devolução de valores do IPTU de 2018 aos contribuintes, após ter sido cobrado um pouco a mais, tendo em vista que o governo registrou irregularmente a planta genérica de valores, base da cobrança, em uma das trapalhadas jurídicas da atual gestão. O texto apenas dá autorização para que seja feito um desconto do valor nas faturas de 2019, aqueles contribuintes que pagaram a mais. A prefeitura não informa, ainda, qual a estimativa do custo total desse ressarcimento.

Fusões

Dobrou o número de fusões e aquisições entre empresas em Santa Catarina no primeiro trimestre, segundo dados apurados pela KPMG. Foram 10 operações deste tipo em 2018 contra cinco neste mesmo período de 2017.

Injeção de ânimo

A economia de Santa Catarina escala aos poucos os degraus que já ocupou no ápice durante a última década. Mas é uma recuperação lenta e cautelosa. Os indicadores mais recentes que evidenciam essa tendência foram divulgados pelo IBGE. O setor de serviços registrou alta de 4% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano passado. É quase o dobro da média nacional (2,2%). O Estado é um dos sete que tiveram desempenho positivo e contribuíram para alavancar o índice brasileiro.

Wanke centenária

O clube de indústrias centenárias do Vale do Itajaí ganhou mais uma integrante. É a fabricante de lavadoras de roupas Wanke, de Indaial, que na última semana foi homenageada pela associação empresarial da cidade pelos seus 100 anos de trajetória, que estão sendo completados em 2018. O parque fabril da empresa está instalado em uma área de 60 mil m2. De lá, saem, por ano, mais de meio milhão de lavadoras, centrífugas e secadoras de roupas que abastecem o mercado brasileiro e também o Paraguai.

Lojas Koerich

A Koerich acaba de inaugurar mais duas novas lojas em Santa Catarina. A primeira, em Taió, e a segunda, em Tijucas. Completa 103 filiais em 49 cidades.

Portfólio ampliado

Nem só de cerveja e refrigerante vive a indústria de bebidas do Vale. A Kalmae, da premiada vodka Kalvelage, está diversificando o portfólio. A empresa, que tem sede administrativa em Blumenau mas mantém uma linha de produção em Botuverá, acaba de lançar um gim, um sonho antigo dos irmãos e sócios, Mauricio e Marcos Kalvelage. As novidades não devem parar por aí. Estão previstos mais lançamentos nos próximos meses. São destilados inovadores que ainda não existem no Brasil e que estão em fase final de aprovação e testes para entrar no mercado. Com capacidade instalada para produzir de 200 a 220 mil litros por mês, a atual fábrica ainda tem espaço para dar conta do aumento da demanda.

Juros básicos

Pela segunda vez seguida, o Banco Central manteve sem alteração os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 6,5% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros. Com a decisão, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986.

Inadimplentes

Santa Catarina tem 200 mil micro e pequenas empresas com dívidas em atraso, revela levantamento da Serasa/Experian, com dados de março deste ano. O Estado participa com 4% do total de negócios que não conseguem pagar as contas em dia em todo o País. Há cinco milhões de micro e pequenas empresas brasileiras com dívidas atrasadas. É recorde histórico que sinaliza dificuldades financeiras crescentes. Na comparação com março de 2017, quando 4,6 milhões de empresas desse porte estavam inadimplentes, o crescimento é de 8,9% no período de um ano.

Positivo vai abrir capital

O Grupo Positivo vai abrir o capital em 2019. Planeja realizar oferta pública inicial da unidade de educação. Para concretizar este objetivo, contratou o banco BTG Pactual para assessorar na negociação. A divisão Positivo Participação detém sete escolas privadas de educação básica em Santa Catarina e no Paraná, com 8 mil alunos. Sua universidade têm oito campi no estado do Paraná e também atua em Joinville, tanto com cursos de graduação como de especialização e pós. Em 2017, a divisão teve receita de R$ 1,2 bilhão e lucro líquido de R$ 117 milhões.

Novo empréstimo

A Univali fará novo empréstimo bancário para cobrir despesas. O valor não foi definido e a decisão ainda terá que passar pelos conselhos, mas a administração já está em busca de financiamento. No ano passado a Fundação Univali fez um empréstimo de R$ 50 milhões para saldar gastos e refinanciar outros empréstimos. Nos últimos dois meses a universidade atrasou salários de parte dos funcionários e lançou um programa de austeridade. No centro da discussão sobre a crise da Univali estão as bolsas do ProUni, do governo federal. A universidade é a que tem o maior volume no Estado. São mais de 5 mil. O número equivale a 25% do total de alunos. O total de bolsas está em revisão.

Abandono

O planejamento estratégico do Ministério dos Transportes ignora de forma inaceitável os produtores e exportadores de Santa Catarina. Todos os projetos de rodovias e ferrovias, vitais para a logística do comércio exterior, excluem os portos catarinenses. A revelação é do diretor da Câmara de Transporte e Logística da Fiesc, que exibiu outra projeção dramática para a mobilidade nas rodovias catarinenses. Com os investimentos que estão sendo feitos nos portos de SC, em 2020 circularão por dia mais de 21 mil caminhões. Isto representa 879 carretas por dia e 15 por minuto. Lembrou que os portos de Santa Catarina ocupam o segundo maior índice do Brasil em movimentação de contêineres. Mesmo assim, continua ignorada pelo governo federal.

Desemprego segura inflação

Estivesse a economia já em trajetória firme de recuperação e a inflação mais próxima da meta, caberia uma postura preventiva. Não é o caso por ora. A ociosidade na economia está elevada, em 23%, e praticamente estagnada. A inflação, com destaque para a inflação de serviços, deverá seguir contida tendo em vista o elevado desemprego. A estimativa é de que a inflação de preços livres, que são o foco da política monetária, deverá fechar este ano em 3,2%. Para o próximo ano, deverá variar entre 4% e 4,5%.

Controlar preços é besteira (1)

No sufoco para acabar com a paralisação dos caminhoneiros, o governo não apenas abriu os cofres já esvaziados, também tomou medidas que, embora até possam parecer simpáticas à primeira vista, só fazem aumentar a bagunça na economia. Esse é o caso do controle dos preços do óleo diesel e dos fretes. No primeiro caso, para evitar aumentos. No segundo, para evitar quedas. Os consumidores, claro, acham bom que os combustíveis não fiquem mais caros do que já estão. Já os caminhoneiros tratam de garantir um pagamento decente pelo trabalho de transportar mercadorias. O problema é que cada um tem sua própria ideia sobre os valores justos das coisas. Os interesses e as necessidades de quem produz ou vende o diesel não coincidem com as de quem compra. O mesmo acontece com os fretes. O tabelamento pode impedir que a comida fique mais barata, por exemplo.

Controlar preços é besteira (2)

Nos anos 80, o Brasil tentou várias vezes segurar a inflação controlando os preços. Deu tudo errado: chegou a faltar carne no mercado. Além do desabastecimento, essas tentativas podem resultar em prejuízo para as empresas (incluindo a Petrobrás) e disputas na Justiça. Até faz sentido monitorar alguns contratos, como planos de saúde, energia elétrica e telefonia, porque são casos em que não existem muitas opções para os consumidores. Mas é besteira o governo ameaçar com multa os postos que não estão baixando os preços do diesel. O mais importante, isso sim, é garantir que haja concorrência entre eles.

Oito eixos

A Fiesc realizou reunião do conselho estratégico da indústria catarinense. O grupo conheceu o atual status da Carta da Indústria, que está sendo elaborada. Destaque para as demandas que serão entregues aos candidatos ao governo do Estado. O documento leva em conta oito fatores estruturantes que contemplam questões relacionadas à educação, capital humano, saúde e segurança, desenvolvimento de mercado, internacionalização, inovação e empreendedorismo, infraestrutura, além de investimentos e políticas públicas.

Votação do cadastro positivo

Um dos pontos prioritários da agenda econômica do atual governo, o projeto do cadastro positivo está empacado desde o início de maio, na Câmara dos Deputados. Após ter a votação adiada diversas vezes, o projeto teve o texto-base aprovado no dia 9 daquele mês. Com quórum baixo no plenário, obstrução da oposição e divergências dentro da base, porém, o governo acabou desistindo da análise das emendas ao texto, que podem desfigurar o projeto patrocinado pelo Banco Central.

Grana curta

O atual ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão disse que o governo federal não tem grana para oferecer empréstimo para Estados e municípios pagarem os precatórios devidos. A medida está prevista na emenda constitucional 99.

Incertezas

Com o fim da gestão das ministras Cármen Lúcia, no STF e Laurita Vaz, no STJ, em setembro, o ministro Dias Toffoli assumirá o STF e João Otávio de Noronha, o STJ. Humberto Martins será o novo corregedor nacional de Justiça. Será uma administração de ex-advogados. Promotores consultados reveem retrocesso no combate à corrupção, menos prisões de foro especial, mais corporativismo e tolerância com desvios de magistrados.

Bônus para acelerar aposentadorias

O INSS pagará bônus para funcionários que analisarem mais pedidos de concessão e de revisão de benefícios. O objetivo do programa, que deve começar a valer em agosto, é reduzir gastos com o pagamento de correção monetária e incentivar a permanência de servidores que já podem se aposentar. Os segurados que ficam mais de 45 dias aguardando uma resposta do INSS têm direito de ganhar atrasados com a correção da inflação. Além de o trabalhador sofrer com o atraso do pagamento, a demora nas concessões traz prejuízo aos cofres públicos. Em 2017, a Previdência gastou cerca de R$ 350 milhões com o pagamento de correção monetária de atrasados.

Como acompanhar pedido de revisão

Não são incomuns os segurados do INSS que processaram a Previdência para obter benefícios ou revisões. No entanto, após algum tempo é possível não ter nem mais ideia da situação da ação e o que fazer para saber como ela anda. Com exceção dos segurados com processos ainda em discussão na primeira instância dos Juizados Especiais Federais, aqueles que batalham na Justiça para receber um direito dependem de um advogado. Por isso, para a maioria das situações, a regra é manter contato com o defensor. Porém, a recomendação não significa que o interessado não possa buscar informações sobre o seu processo.

Tempo é dinheiro

O brasileiro precisa meditar se vale a pena utilizar-se exclusivamente do processo convencional ou se não é melhor valer-se de alternativas de solução de conflitos que dispensam o ingresso em Juízo. Os norte-americanos, ricos e pragmáticos, só recorrem ao Judiciário para as grandes questões. As pequenas são resolvidas pela Conciliação, Mediação, Negociação ou Arbitragem. Ganha-se tempo e eles sabem muito bem que “time is money”, motivo porque o ganho é duplo.

Aumente suas chances

A Justiça pode se tornar o único caminho que um aposentado tem para conseguir a revisão no seu benefício. No entanto, falhas no pedido podem aumentar o tempo por uma solução ou até extinguir a ação. Requerimentos pouco objetivos e sem provas de que houve erro no cálculo da renda são falhas comuns dos segurados que recorrem aos Juizados Especiais Federais, onde é possível processar o governo sem advogado. No entanto, montar o pedido exige certo conhecimento das regras da Justiça. Deslizes, como recorrer ao juizado antes de pedir uma solução no posto do INSS, podem acabar com as chances de vitória.

Pensão do INSS

A pensão por morte do INSS pode ser paga para companheiro, companheira, filhos, pai, mãe e irmãos após a morte do segurado. O caso mais comum é o da pensão para viúvos e viúvas. Pai, mãe e irmãos devem comprovar que dependiam economicamente do segurado. O trabalhador que morreu precisa ter feito ao menos 18 contribuições. Se o casamento ou a união estável tinha menos de dois anos, a pensão será paga por quatro meses. Quem é pensionista deve conferir se todos os períodos trabalhados pelo segurado entraram no cálculo.

Contribuições para antecipar aposentadoria

Quem está planejando para pedir a aposentadoria pode usar o sistema de simulação do tempo de contribuição do site de serviços do INSS. O programa é útil, mas fornece apenas informações sobre a aposentadoria por tempo de contribuição tradicional. O benefício por idade acaba ficando de fora. A vantagem de fazer a consulta ao simulador é que o segurado poderá saber qual o número exato de pagamentos registrados no cadastro do INSS. Com isso, é possível descobrir as falhas em seu Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais) e corrigi-las o quanto antes para garantir a aposentadoria sem nenhum erro.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 26/06/2018 às 14h14 | acdiegoli@gmail.com



Augusto Cesar Diegoli

Assina a coluna Economia & Negócios

Contabilista aposentado, graduado em Direito pela Univali (ex-Fepevi), pós graduado em Direito tributário e Finanças Empresariais pela Furb, árbitro/mediador e diretor da Câmara de Mediação e Arbitragrem de Brusque e diretor da Facema - Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Economia & Negócios
Por Augusto Cesar Diegoli

Economia na Semana

Nova atração

O Beto Carrero World marcou para 12 de julho, em Penha, a estreia da área temática Hot Wheels. A atração terá 30 mil m2 e carrinhos em tamanho real, com pista de manobras e acrobacias. O projeto foi feito pela Mattel, gigante do setor de brinquedos norte-americana que detém a marca Hot Wheels. Será a primeira atração em grande escala da linha na América do Sul.

Abismo social

Brusque está em primeiro lugar entre as 10 cidades mais pacíficas do Brasil com uma taxa de homicídios de 4,8 por 100 mil habitantes (em 2016). Na outra ponta está Queimados, no Rio de Janeiro, com 134,9 mortes para cada 100 mil habitantes no mesmo ano. Um abismo social inacreditável.

Centro de Oncologia

Uma boa notícia para pacientes de Brusque. O Hospital Santo Antônio, de Blumenau, referência para o tratamento do câncer de pacientes aqui do município, está inaugurando seu Centro de Oncologia e Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI). Trata-se de uma obra com investimentos de R$ 17 milhões, sendo R$ 10 milhões provenientes do governo do Estado. O Centro de Oncologia terá ambulatório, clínica, quimioterapia e radioterapia de forma integrada.

Barreiras

Estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que o setor industrial é afetado diretamente por pelo menos 16 tipos de barreiras comerciais, quatro tarifárias e 12 não tarifárias. Somente em 2017, exigências sanitárias e fitossanitárias de outros países reduziram em US$ 30 bilhões as exportações brasileiras de produtos e serviços.

Ampliação

A Superintendência de Distribuição e Logística da Agência Nacional do Petróleo (ANP) autorizou a empresa Walendowsky Distribuidora de Combustíveis, que tem sede em Brusque, a ampliar suas instalações de armazenamento e distribuição de combustíveis. Localizada na rua Alberto Muller, no bairro Limeira. De acordo com a autorização divulgada pela ANP, a empresa poderá expandir sua capacidade de armazenamento em até 1005 metros cúbicos.

Pastel

O Vale entrou no foco da expansão da 10 Pastéis. Já presente em Gaspar e Rio do Sul com operações dentro de lojas da Havan, a rede de franquias mira a abertura de unidades em Blumenau, Balneário Camboriú, Navegantes e Itajaí até o ano que vem.

Uniasselvi vai às compras

A Uniasselvi deve fazer uma ou duas aquisições até o fim deste ano. A instituição de ensino que nasceu em Indaial e ganhou o país com polos de educação a distância, planeja destinar para este fim, 30% dos R$ 375 milhões que acabaram de entrar no caixa com a confirmação da venda de 25% do seu capital para o fundo americano Neuberger Berman, operação que indica que o valor de mercado da marca chega a R$ 1,5 bilhão. São R$ 112 milhões que entram no orçamento de expansão. As informações foram divulgadas pelo jornal Valor Econômico (SP).

Jovens querem deixar o país

Cerca de 70 milhões de brasileiros com 16 anos ou mais deixariam o Brasil se pudessem, mostra o Datafolha. Na pesquisa feita em todo o Brasil em maio, 43% da população adulta diz querer sair do país. O êxodo não fica só na intenção. O número de vistos para imigrantes brasileiros nos EUA, país preferido dos que querem se mudar, foi a 3,3 mil em 2017, o dobro de 2008, início da crise global. Pedidos de cidadania portuguesa também aceleraram. Só no consulado de São Paulo, houve 50 mil concessões desde 2016. No mesmo período, dobrou o número de vistos a estudantes, empreendedores e aposentados a fim de se fixar em Portugal.

Geração de empregos

O Brasil gerou 33.659 novos empregos no mês de maio, totalizando 381.166 novas vagas abertas neste ano. Após uma série de resultados positivos, Santa Catarina registrou em maio a perda de 4.484 postos formais de trabalho, segundo dados do Caged. As maiores reduções ocorreram na indústria de transformação, com menos 1.820 vagas, seguida pela agropecuária com perda de 1.555 e o comércio varejista, com redução de 1.291. O segmento da construção civil fechou 179 postos. No ano, SC tem um saldo positivo de 37.579 empregos novos gerados, com destaques para Joinvillle (+5.091), Blumenau (+4.359), Jaraguá do Sul (+2.392), Chapecó (+2.356) e Brusque (+2.243). Os números negativos no ano continuam com Florianópolis (-1.444) e Balneário Camboriú (-1.409) vagas fechadas.

20 modelos

A General Motors vai lançar pelo menos 20 novos modelos totalmente elétricos até 2023. O fator eficiência energética é relevante desde 2016, reduziu mais de 2,2 mil quilos em 14 modelos de veículos novos, economizando 133 milhões de litros de gasolina. As versões de produção do Cruise como veículo autônomo serão construídas na fábrica Orion Assembly, em Michigan (EUA), com comercialização em 2019. A GM planeja fornecer 100% de energia renovável para suas fábricas, globalmente, até 2050. Até o final de 2018, a energia renovável responderá por 20% do total usado pela companhia.

Dinheiro para Cultura

A Caixa Econômica Federal abriu seleção pública para patrocinar projetos nas áreas de dança, teatro, música, artes visuais e cinema. O banco terá R$ 39 milhões disponíveis no biênio 2019-2020 para estas finalidades. As inscrições podem ser feitas por pessoas jurídicas até às 17 horas do dia 3 de agosto.

Devolução do IPTU

A Prefeitura de Brusque enviou à Câmara projeto de lei que trata da devolução de valores do IPTU de 2018 aos contribuintes, após ter sido cobrado um pouco a mais, tendo em vista que o governo registrou irregularmente a planta genérica de valores, base da cobrança, em uma das trapalhadas jurídicas da atual gestão. O texto apenas dá autorização para que seja feito um desconto do valor nas faturas de 2019, aqueles contribuintes que pagaram a mais. A prefeitura não informa, ainda, qual a estimativa do custo total desse ressarcimento.

Fusões

Dobrou o número de fusões e aquisições entre empresas em Santa Catarina no primeiro trimestre, segundo dados apurados pela KPMG. Foram 10 operações deste tipo em 2018 contra cinco neste mesmo período de 2017.

Injeção de ânimo

A economia de Santa Catarina escala aos poucos os degraus que já ocupou no ápice durante a última década. Mas é uma recuperação lenta e cautelosa. Os indicadores mais recentes que evidenciam essa tendência foram divulgados pelo IBGE. O setor de serviços registrou alta de 4% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano passado. É quase o dobro da média nacional (2,2%). O Estado é um dos sete que tiveram desempenho positivo e contribuíram para alavancar o índice brasileiro.

Wanke centenária

O clube de indústrias centenárias do Vale do Itajaí ganhou mais uma integrante. É a fabricante de lavadoras de roupas Wanke, de Indaial, que na última semana foi homenageada pela associação empresarial da cidade pelos seus 100 anos de trajetória, que estão sendo completados em 2018. O parque fabril da empresa está instalado em uma área de 60 mil m2. De lá, saem, por ano, mais de meio milhão de lavadoras, centrífugas e secadoras de roupas que abastecem o mercado brasileiro e também o Paraguai.

Lojas Koerich

A Koerich acaba de inaugurar mais duas novas lojas em Santa Catarina. A primeira, em Taió, e a segunda, em Tijucas. Completa 103 filiais em 49 cidades.

Portfólio ampliado

Nem só de cerveja e refrigerante vive a indústria de bebidas do Vale. A Kalmae, da premiada vodka Kalvelage, está diversificando o portfólio. A empresa, que tem sede administrativa em Blumenau mas mantém uma linha de produção em Botuverá, acaba de lançar um gim, um sonho antigo dos irmãos e sócios, Mauricio e Marcos Kalvelage. As novidades não devem parar por aí. Estão previstos mais lançamentos nos próximos meses. São destilados inovadores que ainda não existem no Brasil e que estão em fase final de aprovação e testes para entrar no mercado. Com capacidade instalada para produzir de 200 a 220 mil litros por mês, a atual fábrica ainda tem espaço para dar conta do aumento da demanda.

Juros básicos

Pela segunda vez seguida, o Banco Central manteve sem alteração os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 6,5% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros. Com a decisão, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986.

Inadimplentes

Santa Catarina tem 200 mil micro e pequenas empresas com dívidas em atraso, revela levantamento da Serasa/Experian, com dados de março deste ano. O Estado participa com 4% do total de negócios que não conseguem pagar as contas em dia em todo o País. Há cinco milhões de micro e pequenas empresas brasileiras com dívidas atrasadas. É recorde histórico que sinaliza dificuldades financeiras crescentes. Na comparação com março de 2017, quando 4,6 milhões de empresas desse porte estavam inadimplentes, o crescimento é de 8,9% no período de um ano.

Positivo vai abrir capital

O Grupo Positivo vai abrir o capital em 2019. Planeja realizar oferta pública inicial da unidade de educação. Para concretizar este objetivo, contratou o banco BTG Pactual para assessorar na negociação. A divisão Positivo Participação detém sete escolas privadas de educação básica em Santa Catarina e no Paraná, com 8 mil alunos. Sua universidade têm oito campi no estado do Paraná e também atua em Joinville, tanto com cursos de graduação como de especialização e pós. Em 2017, a divisão teve receita de R$ 1,2 bilhão e lucro líquido de R$ 117 milhões.

Novo empréstimo

A Univali fará novo empréstimo bancário para cobrir despesas. O valor não foi definido e a decisão ainda terá que passar pelos conselhos, mas a administração já está em busca de financiamento. No ano passado a Fundação Univali fez um empréstimo de R$ 50 milhões para saldar gastos e refinanciar outros empréstimos. Nos últimos dois meses a universidade atrasou salários de parte dos funcionários e lançou um programa de austeridade. No centro da discussão sobre a crise da Univali estão as bolsas do ProUni, do governo federal. A universidade é a que tem o maior volume no Estado. São mais de 5 mil. O número equivale a 25% do total de alunos. O total de bolsas está em revisão.

Abandono

O planejamento estratégico do Ministério dos Transportes ignora de forma inaceitável os produtores e exportadores de Santa Catarina. Todos os projetos de rodovias e ferrovias, vitais para a logística do comércio exterior, excluem os portos catarinenses. A revelação é do diretor da Câmara de Transporte e Logística da Fiesc, que exibiu outra projeção dramática para a mobilidade nas rodovias catarinenses. Com os investimentos que estão sendo feitos nos portos de SC, em 2020 circularão por dia mais de 21 mil caminhões. Isto representa 879 carretas por dia e 15 por minuto. Lembrou que os portos de Santa Catarina ocupam o segundo maior índice do Brasil em movimentação de contêineres. Mesmo assim, continua ignorada pelo governo federal.

Desemprego segura inflação

Estivesse a economia já em trajetória firme de recuperação e a inflação mais próxima da meta, caberia uma postura preventiva. Não é o caso por ora. A ociosidade na economia está elevada, em 23%, e praticamente estagnada. A inflação, com destaque para a inflação de serviços, deverá seguir contida tendo em vista o elevado desemprego. A estimativa é de que a inflação de preços livres, que são o foco da política monetária, deverá fechar este ano em 3,2%. Para o próximo ano, deverá variar entre 4% e 4,5%.

Controlar preços é besteira (1)

No sufoco para acabar com a paralisação dos caminhoneiros, o governo não apenas abriu os cofres já esvaziados, também tomou medidas que, embora até possam parecer simpáticas à primeira vista, só fazem aumentar a bagunça na economia. Esse é o caso do controle dos preços do óleo diesel e dos fretes. No primeiro caso, para evitar aumentos. No segundo, para evitar quedas. Os consumidores, claro, acham bom que os combustíveis não fiquem mais caros do que já estão. Já os caminhoneiros tratam de garantir um pagamento decente pelo trabalho de transportar mercadorias. O problema é que cada um tem sua própria ideia sobre os valores justos das coisas. Os interesses e as necessidades de quem produz ou vende o diesel não coincidem com as de quem compra. O mesmo acontece com os fretes. O tabelamento pode impedir que a comida fique mais barata, por exemplo.

Controlar preços é besteira (2)

Nos anos 80, o Brasil tentou várias vezes segurar a inflação controlando os preços. Deu tudo errado: chegou a faltar carne no mercado. Além do desabastecimento, essas tentativas podem resultar em prejuízo para as empresas (incluindo a Petrobrás) e disputas na Justiça. Até faz sentido monitorar alguns contratos, como planos de saúde, energia elétrica e telefonia, porque são casos em que não existem muitas opções para os consumidores. Mas é besteira o governo ameaçar com multa os postos que não estão baixando os preços do diesel. O mais importante, isso sim, é garantir que haja concorrência entre eles.

Oito eixos

A Fiesc realizou reunião do conselho estratégico da indústria catarinense. O grupo conheceu o atual status da Carta da Indústria, que está sendo elaborada. Destaque para as demandas que serão entregues aos candidatos ao governo do Estado. O documento leva em conta oito fatores estruturantes que contemplam questões relacionadas à educação, capital humano, saúde e segurança, desenvolvimento de mercado, internacionalização, inovação e empreendedorismo, infraestrutura, além de investimentos e políticas públicas.

Votação do cadastro positivo

Um dos pontos prioritários da agenda econômica do atual governo, o projeto do cadastro positivo está empacado desde o início de maio, na Câmara dos Deputados. Após ter a votação adiada diversas vezes, o projeto teve o texto-base aprovado no dia 9 daquele mês. Com quórum baixo no plenário, obstrução da oposição e divergências dentro da base, porém, o governo acabou desistindo da análise das emendas ao texto, que podem desfigurar o projeto patrocinado pelo Banco Central.

Grana curta

O atual ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão disse que o governo federal não tem grana para oferecer empréstimo para Estados e municípios pagarem os precatórios devidos. A medida está prevista na emenda constitucional 99.

Incertezas

Com o fim da gestão das ministras Cármen Lúcia, no STF e Laurita Vaz, no STJ, em setembro, o ministro Dias Toffoli assumirá o STF e João Otávio de Noronha, o STJ. Humberto Martins será o novo corregedor nacional de Justiça. Será uma administração de ex-advogados. Promotores consultados reveem retrocesso no combate à corrupção, menos prisões de foro especial, mais corporativismo e tolerância com desvios de magistrados.

Bônus para acelerar aposentadorias

O INSS pagará bônus para funcionários que analisarem mais pedidos de concessão e de revisão de benefícios. O objetivo do programa, que deve começar a valer em agosto, é reduzir gastos com o pagamento de correção monetária e incentivar a permanência de servidores que já podem se aposentar. Os segurados que ficam mais de 45 dias aguardando uma resposta do INSS têm direito de ganhar atrasados com a correção da inflação. Além de o trabalhador sofrer com o atraso do pagamento, a demora nas concessões traz prejuízo aos cofres públicos. Em 2017, a Previdência gastou cerca de R$ 350 milhões com o pagamento de correção monetária de atrasados.

Como acompanhar pedido de revisão

Não são incomuns os segurados do INSS que processaram a Previdência para obter benefícios ou revisões. No entanto, após algum tempo é possível não ter nem mais ideia da situação da ação e o que fazer para saber como ela anda. Com exceção dos segurados com processos ainda em discussão na primeira instância dos Juizados Especiais Federais, aqueles que batalham na Justiça para receber um direito dependem de um advogado. Por isso, para a maioria das situações, a regra é manter contato com o defensor. Porém, a recomendação não significa que o interessado não possa buscar informações sobre o seu processo.

Tempo é dinheiro

O brasileiro precisa meditar se vale a pena utilizar-se exclusivamente do processo convencional ou se não é melhor valer-se de alternativas de solução de conflitos que dispensam o ingresso em Juízo. Os norte-americanos, ricos e pragmáticos, só recorrem ao Judiciário para as grandes questões. As pequenas são resolvidas pela Conciliação, Mediação, Negociação ou Arbitragem. Ganha-se tempo e eles sabem muito bem que “time is money”, motivo porque o ganho é duplo.

Aumente suas chances

A Justiça pode se tornar o único caminho que um aposentado tem para conseguir a revisão no seu benefício. No entanto, falhas no pedido podem aumentar o tempo por uma solução ou até extinguir a ação. Requerimentos pouco objetivos e sem provas de que houve erro no cálculo da renda são falhas comuns dos segurados que recorrem aos Juizados Especiais Federais, onde é possível processar o governo sem advogado. No entanto, montar o pedido exige certo conhecimento das regras da Justiça. Deslizes, como recorrer ao juizado antes de pedir uma solução no posto do INSS, podem acabar com as chances de vitória.

Pensão do INSS

A pensão por morte do INSS pode ser paga para companheiro, companheira, filhos, pai, mãe e irmãos após a morte do segurado. O caso mais comum é o da pensão para viúvos e viúvas. Pai, mãe e irmãos devem comprovar que dependiam economicamente do segurado. O trabalhador que morreu precisa ter feito ao menos 18 contribuições. Se o casamento ou a união estável tinha menos de dois anos, a pensão será paga por quatro meses. Quem é pensionista deve conferir se todos os períodos trabalhados pelo segurado entraram no cálculo.

Contribuições para antecipar aposentadoria

Quem está planejando para pedir a aposentadoria pode usar o sistema de simulação do tempo de contribuição do site de serviços do INSS. O programa é útil, mas fornece apenas informações sobre a aposentadoria por tempo de contribuição tradicional. O benefício por idade acaba ficando de fora. A vantagem de fazer a consulta ao simulador é que o segurado poderá saber qual o número exato de pagamentos registrados no cadastro do INSS. Com isso, é possível descobrir as falhas em seu Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais) e corrigi-las o quanto antes para garantir a aposentadoria sem nenhum erro.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 26/06/2018 às 14h14 | acdiegoli@gmail.com



Augusto Cesar Diegoli

Assina a coluna Economia & Negócios

Contabilista aposentado, graduado em Direito pela Univali (ex-Fepevi), pós graduado em Direito tributário e Finanças Empresariais pela Furb, árbitro/mediador e diretor da Câmara de Mediação e Arbitragrem de Brusque e diretor da Facema - Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade