Jornal Página 3
Coluna
Economia & Negócios
Por Augusto Cesar Diegoli

Economia na semana

Vagas temporárias

A proximidade da temporada de verão aquece o ritmo das contratações temporárias no comércio de Balneário Camboriú. O momento é ideal para quem busca recolocação ou ingresso no mercado de trabalho, já que a estimativa é de cerca de 3,5 mil vagas temporárias sejam abertas durante a temporada 2017/2018. Os números foram projetados pelo Sincomércio. As oportunidades em BC são para atuar nos setores de serviços e comércio. 
 
Lançamento chega a Brusque
A Mega Motos Honda está lançando a Nova Honda Biz 2018, com mudanças significativas no modelo, que trará uma série de novidades em relação ao modelo atual. A principal delas será o painel totalmente digital, que vai proporcionar melhor visualização e distribuição das informações, o que inclui nível de combustível, velocímetro, hodômetro, entre outros. Outra novidade bastante útil é uma tomada 12v posicionada no porta-capacete sob o banco, que permitirá recarregar um smartphone, por exemplo. A nova Biz chegará com novo design, mais sofisticado e moderno. No quesito segurança, a principal mudança é nos freios. O novo modelo traz freios combinados. Os sistemas de auxílio à frenagem serão obrigatórios a partir de 2019. A Honda Biz é, sem dúvidas, uma das motocicletas de maior sucesso no mercado brasileiro. Lançada há 19 anos, já conseguiu emplacar mais de 3,5 milhões de unidades no país. 
 
Inflação de outubro
A inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) em outubro ficou em 0,42% no país, quase o triplo do resultado de setembro, que foi de 0,16%. Em 12 meses, o índice é de 2,7%. Um dos principais impactos do mês foi a tarifa de energia elétrica, que subiu 3,28% e também adotou, pela primeira vez, a bandeira vermelha de patamar 2. Outro foi o botijão de gás, cujo preço, em outubro, teve reajuste de 4,49%. Entre os segmentos, o de habitação foi o que teve a maior alta: 1,33%, seguido de vestuário (0,71%), saúde e cuidados pessoais (0,52%), transportes (0,49%) e comunicação (0,40%). 
 
SC vai bombar
O economista José Roberto Mendonça de Barros publicou artigo no Estadão tratando da recuperação da economia brasileira e com sinalizações fortes sobre as melhores perspectivas para 2018. Concluiu citando o Estado: “Em outros Estados é possível perceber um belo ajuste durante a crise que está trazendo oportunidades de crescimento. O exemplo mais acabado, para mim, é o de Santa Catarina, que tem a menor taxa de desemprego do país, de 7,5%. Lá, o ajuste da indústria na direção da internacionalização e da competitividade (a WEG é o melhor exemplo), bem como a melhora da educação e a atração de novas empresas de base tecnológica, complementa o quadro. Não tenho dúvida de que Santa Catarina vai bombar e aproveitar ao máximo a recuperação da economia brasileira”. 
 
Poupança
Poupadores e bancos estão mais próximos de um acordo sobre os valores devidos às pessoas prejudicadas pelos planos econômicos das décadas de 1980 e 1990. Em uma nova rodada de negociação, as duas partes apresentaram propostas com diferenças bem menores em relação às colocadas na mesa nas últimas reuniões realizadas. A expectativa é que as discussões estejam encerradas até o final deste mês. Um dos principais motivos para o otimismo com o novo rumo das negociações é que poupadores e bancos decidiram ceder em relação ao que vinham pedindo. O acordo pode colocar um fim a uma disputa judicial, com milhares de ações, de quase três décadas. 
 
Altona vende para a Havan
A Electro Aço Altona, em comunicado ao mercado, vendeu imóvel de 75 mil m2 no município de Barra Velha, para a Havan. O dinheiro da transação será utilizado para aderir ao Programa Especial de Regularização Tributária. Isso acontece porque a Altona migrou todos os seus débitos do Refis federal para o programa. A nova situação permitirá reduzir o passivo tributário em 60%. Há alguns anos, a Altona tinha projeto de erguer fábrica em Barra Velha. 
 
Negócio mexicano
Líder mundial no fornecimento de impulsores de partida, a Zen fechou um contrato de cinco anos com a Bosch no México. Os embarques começarão em breve. Da empresa de Brusque sairão, durante esse período, cerca de 2,5 milhões de peças que vão equipar motores que abastecerão veículos dos Estados Unidos. A Zen tem 900 funcionários e exporta para mais de 60 países. A forte presença no exterior, que representa 55% das receitas, garantiu um bom ritmo de crescimento nos últimos anos, mesmo em meio à recessão da economia doméstica e também já faz a empresa pensar em implantar uma unidade fora do país nos próximos anos. A China aparece como um dos destinos cotados. 
 
Tupy cresce
As vendas líquidas da Fundição Tupy, de Joinville, somaram R$ 2,73 bilhões no período janeiro a setembro deste ano, contra R$ 2,47 bilhões em igual período do ano passado. A empresa encerrou o período de nove meses com lucro de R$ 139,4 milhões. Em 2016, no mesmo período, teve prejuízo de R$ 2,4 milhões. O Patrimônio Líquido (Capital Social e Reservas) soma R$ 2,04 bilhões em 30 de setembro. 
 
Dívida milionária
A falta de pagamentos de encargos ao INSS rendeu à prefeitura de Penha uma dívida de R$ 51 milhões, somada a outros débitos, elevou para R$ 76 milhões o endividamento do município, valor que equivale ao orçamento do ano. A falta de pagamento do tributo se deve a uma auditoria contratada no ano passado que teria, equivocadamente, apontado para um crédito de INSS na prefeitura. A dívida acumulou multas e juros, e o valor total só foi descoberto porque a prefeitura recebeu uma notificação do Ministério da Fazenda, para que negociasse o débito. A informação caiu como uma bomba. Com uma dívida tão grande, a cidade não tem como pleitear recursos estaduais e federais. Diante do débito milionário, a prefeitura anunciou a instauração de um processo administrativo para apurar responsabilidades e pedir a restituição ao município. Revogou a procuração que dava à empresa Pública Consultoria e Desenvolvimento Profissional, responsável pela auditoria, autorização para negociar em nome da cidade e determinou uma auditoria nas contas. 
 
Cartões de lojas
Os cartões de loja são a forma de financiamento que mais leva o consumidor à inadimplência. Entre os devedores que têm esse tipo de cartão, 80% estão com o nome sujo por causa dele. Em 2016, o índice era de 73%, segundo o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). 
 
Idosos & herdeiros
O saque da cota do PIS começou a ser liberado no mês passado, mas, até agora, 3,3 milhões de idosos de 70 anos ou mais ainda não foram buscar o dinheiro no banco. Tem direito à grana quem trabalhou com carteira assinada entre 1971 e 4 de outubro de 1988. Se o trabalhador já morreu, os seus herdeiros podem fazer o resgate da grana. No total, há R$ 6,4 bilhões esperando pelos donos na Caixa. No caso de servidores públicos, 759 mil cotistas ainda não resgataram a grana do Pasep nas agências do Banco do Brasil. O valor acumulado chega a R$ 2,3 bilhões. 
 
Sem trabalho
No terceiro trimestre deste ano, de acordo com a Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), feita pelo IBGE, a taxa de subutilização da força de trabalho superou 23,9% (o percentual era de 21,2% em 2016). Isso representa 26,8 milhões de pessoas sem emprego apropriado. O índice inclui trabalhadores desocupados, subocupados (sem carteira assinada e que trabalham menos de 40 horas semanais) e pessoas que não estão em busca de ocupação, mas que estariam disponíveis para trabalhar. 
 
Crise na educação
A Univali está tomando R$ 50 milhões em empréstimo para quitar dívidas e fazer pagamentos de 13º salário, férias e salários dos funcionários. A notícia impactou a região nos últimos dias. A administração da entidade apresentou dados do faturamento e número de matrículas, evidenciando a evasão de alunos: em 2005, totalizavam 30,1 mil alunos e em 2017, o número caiu para 25,7 mil. 
 
Troca de eletros
A Celesc passou a oferecer um subsídio de 50% aos consumidores para a troca de geladeiras, freezers e aparelhos de ar-condicionado antigos por outros novos e mais eficientes. A iniciativa faz parte da 4ª edição do programa Bônus Eficiente Linha Eletrodomésticos. O consumidor que estiver em dia com a empresa tem direito a fazer a troca de um equipamento por unidade consumidora (residência), sendo que os aparelhos usados devem ter mais de cinco anos de fabricação e não possuir o selo Procel de energia. As vendas acontecem em mais de 40 lojas da rede Colombo em todo o Estado e seguem até o fim dos estoques. Além do desconto de 50%, o cliente poderá parcelar o valor da compra em até seis vezes sem juros no cartão de crédito. 
 
Moedas virtuais
O Banco Central divulgou um alerta sobre as moedas virtuais (bitcoins), que não têm a garantia de qualquer autoridade monetária. Segundo o órgão, as empresas que lidam com elas “não são reguladas, autorizadas ou supervisionadas pelo Banco Central do Brasil”. 
 
Lucro recorde
O superávit da Oktoberfest 2017 atingiu R$ 4,2 milhões, um novo recorde para a maior festa germânica do Brasil. Na comparação com a edição do ano passado, o crescimento foi de 33%. Com exceção do convênio com o governo do Estado, cujo repasse encolheu de R$ 700 mil para R$ 450 mil, todos os indicadores de receitas (ingressos, patrocínios, comissões sobre vendas de bebidas e comida) apresentaram alta. Em 2013, o superávit havia sido de R$ 1 milhão. Desde então, o lucro disparou 300%. 
 
Aeroporto bate recorde
Os números oficiais divulgados pela Infraero confirmaram a previsão do Aeroporto de Navegantes sobre o mês de outubro. Pelo menos 157 mil passageiros passaram pelo terminal, um aumento de 25% em relação ao ano passado e um recorde no período: foi a segunda maior movimentação na história do aeroporto, atrás apenas de janeiro de 2016, quando o terminal registrou 167 mil pessoas. As festas de outubro foram as grandes impulsionadoras de movimentação de passageiros no mês, com a inclusão de voos extras. Foram 42 voos diários, contra 37 em outubro de 2016. 
 
Números da Teka
A Teka, do segmento têxtil cama, mesa e banho, com sede em Blumenau, teve vendas líquidas de R$ 94,1 milhões no período janeiro a setembro deste ano, contra R$ 119,8 milhões em igual período do ano passado. A empresa registrou prejuízo de R$ 137,7 milhões em 30 de setembro. Em 2016, no mesmo período, o prejuízo registrado foi de R$ 121 milhões. As despesas financeiras líquidas somaram neste ano R$ 109,9 milhões, contra R$ 110,7 milhões em igual período de 2016. O Patrimônio Líquido (Capital Social e Reservas) está negativo em R$ 1,44 bilhão, ou seja, a empresa apresenta um passivo a descoberto neste valor. 
 
Cia da Meia
Se algumas empresas preferem esperar a consolidação da recuperação da economia para voltar a investir, outras não se importam. É o caso da Cia da Meia, fabricante de meias de Blumenau que vai investir R$ 3 milhões para ampliar a sua fábrica de 3 mil m2. Um novo galpão de 5,5 mil m2 começará a ser erguido em julho de 2018. As contratações vão elevar para 250 o número de funcionários da empresa. A projeção é chegar a 500 nos próximos três anos. Atualmente a empresa produz 55 mil pares de meias de algodão por dia. São modelos masculinos, femininos, juvenis, infantis e esportivos. 
 
Pastelarias
Em Brusque, o segmento pastelarias tem ganhado mais espaço nos últimos tempos. A última novidade neste segmento é a 10 Pastéis. Maior franquia do ramo no Brasil, o estabelecimento já está funcionando na Havan. Os empresários que tocam o projeto são Afonso Lazzeri e Juliane de Souza e Silva. Os dois já têm experiência em empreender e receberam da Havan a oferta de abrir a franquia. O produto tem qualidade e sabor para cativar o público consumidor. 
 
Reação da economia catarinense
A SCGás distribuiu 1,85 milhão de m3 de gás natural por dia durante o mês de outubro. No mercado industrial, este foi o melhor mês de outubro desde 2015, registrando um crescimento de 6,22 e 5,39% em relação aos dois anos anteriores. O principal segmento de mercado que mostrou reação nos volumes comercializados foi o Gás Natural Veicular (GNV), que atende mais de 90 mil veículos emplacados em Santa Catarina. O crescimento no setor automotivo foi o maior dos últimos três anos. SC tem a tarifa de GNV para postos mais barata do país. 
 
Planos da Breithaupt
Quase centenária, a rede Breithaupt, com sede em Jaraguá do Sul, pretende se tornar a maior do segmento de materiais de construção e máquinas e ferramentas do Norte catarinense até 2021. Para isso, projeta ampliar atuação, com pontos de vendas espalhados pelo Estado e reinaugurar a loja de Jaraguá do Sul com um modelo inovador. Também há a intenção de aumentar o mix de produtos. A empresa inaugura oito novas lojas neste ano. 
 
Acima da inflação
O governo federal pretende dar aumento real para o benefício do Bolsa Família. O reajuste será em março ou abril. Este ano próximo deve ter um reajuste e mais um pouco. O Bolsa Família ficou dois anos sem reajuste. 
 
Estado saqueado
A crise do Rio de Janeiro não é só fruto da incompetência de seus governantes. O Estado foi saqueado por políticos e empresários que estavam abrigados no Executivo, no Legislativo e protegidos pelos corruptos do tribunal de contas. No centro das falcatruas está o PMDB do Rio, outrora um braço poderoso do partido do atual governo federal. Um grupo que derreteu graças à Lava-Jato, mas que se articulava para comandar o país. O ex-governador Sérgio Cabral chegou a ser apontado como um possível presidenciável para 2018. Hoje, está preso. Nos seus delírios de poder, também Eduardo Cunha sonhou em ocupar a cadeira do Palácio do Planalto. Outro que está atrás das grades. A situação do Rio expõe o que de pior existe na política brasileira. E há quem diga que se a Lava-Jato concentrar as ações em outros Estados poderá encontrar situações semelhantes. 
 
Férias em até 3 vezes
Orientação é que férias coletivas deste fim de ano entrem no primeiro período de descanso anual remunerado dos profissionais. Depois, patrão e empregado vão negociar qual o melhor período para retirar os dias restantes. Pela nova CLT, a primeira parcela de férias não pode ser menor do que 14 dias. A orientação é que as férias coletivas sejam de 18 de dezembro a 1º de janeiro.
Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 21/11/2017 às 11h58 | acdiegoli@gmail.com



Augusto Cesar Diegoli

Assina a coluna Economia & Negócios

Contabilista aposentado, graduado em Direito pela Univali (ex-Fepevi), pós graduado em Direito tributário e Finanças Empresariais pela Furb, árbitro/mediador e diretor da Câmara de Mediação e Arbitragrem de Brusque e diretor da Facema - Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br