Jornal Página 3
Coluna
Economia & Negócios
Por Augusto Cesar Diegoli

Economia na Semana

20 anos em Brusque
A unidade de Brusque da BorgWarner celebrou 20 anos de operação na última semana com reconhecimento aos cerca de 150 funcionários e parceiros de negócios. Ali são produzidos, por ano, cerca de 500 mil motores de partidas, que abastecem grandes montadoras, como GM e Hyundai, no segmento leve, e Mercedes, Ford e Volkswagen, no pesado. Por integrar a divisão PowerDrive Systems da multinacional americana, a planta do Vale terá papel importante na estratégia global da companhia diante das perspectivas de crescimento do mercado de veículos híbridos e elétricos.

Estratégia global passa pelo Vale
A BorgWarner desembarcou no Vale em 2015 ao comprar outra multinacional que mantinha fábrica em Brusque, a Remy. A chegada ocorreu em um período difícil para o setor automotivo no Brasil, mas o cenário vem melhorando. O mercado está voltando, mas ainda em patamares muito distante de onde estava entre 2011 e 2013, que foi o pico. A planta local fatura R$ 100 milhões ao ano e integra uma rede global com operações em 17 países e mais de 27 mil funcionários.

Mais com menos
O viés do momento atual é de otimizar recursos e ter máquinas eficientes. Fazer mais com menos. E aí o processo de inovação é necessário. Brincamos dizendo que o Brasil é “mato alto”: a máquina “fala”, traz vários dados e o empresário não escuta. Os equipamentos geram informações jogadas fora. É vital trabalhar para que se tenha o melhor resultado operacional daquele equipamento, que pare menos e gere menos problema de qualidade. E isso afeta custos. Se tem um equipamento que gera menos problema de qualidade, que consome menos energia, faz mais num turno, você se torna mais eficiente.

Secmasc em Florianópolis
Dias 24 e 25 deste mês, acontece a 8ª edição do Secmasc (Seminário de Conciliação, Mediação e Arbitragem de Santa Catarina). Este ano, o evento volta para Florianópolis e acontece no Auditório Primavera do Impact Hub Floripa, na Rodovia José Carlos Daux, 4159 bairro Saco Grande. A palestra final acontece, no sábado 25, com o renomado advogado Carlos Alberto Carmona, de São Paulo, um dos integrantes da comissão que elaborou a Lei 9307/96, mais conhecida como Lei da Arbitragem no Brasil. As inscrições para o evento podem ser feitas pelo site: www.fecema.org.br/secmasc.

Havan investe mais em Barra Velha
Depois de comprar 75 mil m2 de um terreno da Altona, em Barra Velha, no ano passado, a Havan fez nova proposta à empresa de Blumenau para adquirir outra fatia da área, que originalmente tinha 1,8 milhão de m2, esta ainda maior, de 425 mil m2. A rede varejista, com sede em Brusque, se dispõe a pagar R$ 25,5 milhões pelo espaço. A ideia é concentrar toda a operação logística da Havan em Barra Velha. Se confirmada, a aquisição de mais esta parte do terreno dobraria a área destinada ao centro de distribuição da rede varejista no município de Barra Velha, para 800 mil m2. A expansão é necessária para dar conta do projeto de crescimento de lojas. A meta é chegar a 200 lojas em 2022. Naquele local, a Altona construiria uma nova fábrica, deixando o atual parque fabril de Blumenau.

Mais empregos
O grupo têxtil Pasquini, de São José dos Campos (SP), se prepara para abrir um parque fabril em Itajaí, bem próximo à divisa com Brusque. As instalações estarão prontas até o fim do ano e a expectativa é de que a empresa abra 300 vagas. As primeiras começaram a ser oferecidas nesta semana no balcão do emprego de Itajaí, em diversos setores, de designer a operador de fábrica.

Comunicação
Com dívidas de R$ 1,6 bilhão, o Grupo Abril, responsável pelas revistas Veja e Exame, protocolou pedido de recuperação judicial. A companhia passa por um processo de reformulação que vem resultando na demissão de profissionais e encerramento de vários títulos editoriais.

Condecoração
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) conferiu ao brusquense Walter Orthmann, a medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho. Ele completou 80 anos de tempo de serviço prestado à mesma empresa (Renauxview) e foi incluído no Guinness, o livro dos recordes. A concessão da Comenda foi proposta pelo ministro Alexandre Ramos, à presidente do TRT-SC, que prestigiou o ato.

Pistolagem
Parceria da impunidade, a cultura da pistolagem assombra o Brasil há tempos. A crença de que matar é fácil e de que o crime compensa produziu no País assassinos como Júlio Santana, matador profissional desde os 17 anos. Ele entrou no ofício levado pelo tio Cícero, que também lhe ensinou a rezar dez “Ave-marias” e vinte “Pai-nossos” depois de cada execução. Foram nada menos que 492 pessoas assassinadas, das quais Julião catalogou 487. Ele marcou cada uma em sua macabra “caderneta da morte”. Ali anotava o nome do mandante e da vítima, o valor pago e onde efetuou o “serviço”. Só não matou gestantes e outros pistoleiros. Não aceitava “fiado” e nem tirava a vida de quem estivesse dormindo. Fez fama em Porto Franco, cidade à beira do Rio Tocantins, no Estado do Maranhão. Júlio Santana fez de sua profissão um trabalho comum. Hoje está aposentado.

Duplicação finalizada
O secretário Paulo França espera concluir a duplicação da Rodovia Antônio Heil (SC-486) entre Brusque e Itajaí até o fim do ano. O que vai ficar para 2019 é a intersecção com a BR-101, obra grande que deve durar algo em torno de um ano.

Turismo
A Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa de SC aprovou projeto de lei que institui a Rota Turística Caminhos de Santa Paulina. O roteiro, que inclui cidades por onde passou a religiosa, integra Balneário Camboriú, Camboriú, Canelinha, Tijucas, São João Batista e Nova Trento. O projeto agora seguirá a plenário.

Alerta
O advogado e professor Osvaldo Agripino discorda do caráter simplista de uma matéria, quando alega que é mais complexo quando se trata de um Ministro de corte superior em um país com mais de 110 milhões de processos em tramitação. Mestrado ou doutorado são condições necessárias, mas não suficientes para ser ministro de uma corte superior. É preciso mais: moralidade, experiência destacada em matérias de competência da corte superior, dentre outros requisitos. É preciso repensar o modelo, que está falido. Vejam a insegurança institucional no sistema.

Energia
A conta de luz dos catarinenses vai ficar 13,86% mais cara a partir do dia 22 deste mês. O percentual de reajuste foi confirmado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Pesaram no aumento as altas com encargos setoriais e a pouca chuva que caiu nos últimos meses, o que encareceu a geração de energia.

Economia
Uma cartilha sobre “entenda a economia – dicas para o consumo consciente” começou a ser distribuída pelo Conselho Regional de Economia de SC na campanha em defesa da economia doméstica que marcou o dia do economista. O Conselho está empenhado em orientar as pessoas sobre aspectos práticos de saúde financeira.

Guabiruba sai na frente
Quem passa pelo município de Guabiruba observa que as extremosas já foram podadas em época correta e atualmente já estão todas brotando a espera de meados de novembro quando devem florescer. As cidades também se fazem com belos jardins o que encanta a população e visitantes. Belo exemplo.

Rodovia duplicada
Está sendo apresentado o projeto de duplicação da rodovia Ivo Silveira (SC-108) entre Gaspar e Brusque. A consulta pública está sendo organizada pelo Deinfra. O projeto está sendo elaborado pelo consórcio Beck de Souza/MPB, contratado por meio de licitação e financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Uma vez promovida a consulta pública o projeto deve ser finalizado até o final do ano. Com isso, a obra deve ser licitada em 2019. O projeto prevê a duplicação de 17 quilômetros. Ainda não há estimativa de custo.

Rotas alternativas
Com a duplicação da rodovia Ivo Silveita (SC-108), a ser executada, e da rodovia Antônio Heil (SC-486), que deve ser concluída até o fim do ano, motoristas de Blumenau, do Médio e do Alto Vale terão mais uma opção para chegar ao litoral. Em uma estimativa, saindo do complexo do Sesi, em Blumenau, em direção a Balneário Camboriú, foram anotadas três opções: 64,1 quilômetros em 57 minutos pela BR-470; 56 quilômetros em 58 minutos pela rodovia Jorge Lacerda (SC-412) e 60 quilômetros em uma hora e seis minutos pela Ivo Silveira e Antônio Heil. É bem provável que os tempos diminuam com a conclusão das obras em andamento e as que ainda serão executadas. Vale lembrar que a BR-470 está sendo duplicada e a Jorge Lacerda passa por revitalização entre Gaspar e Itajaí.

Sem pontos facultativos
Pomerode não terá mais ponto facultativo no serviço público municipal. Os vereadores aprovaram projeto de lei encaminhado pelo prefeito depois que um projeto de iniciativa popular foi rejeitado. A cidade é a primeira do país a proibir a prática de folgas remuneradas por lei. A Associação Empresarial de Pomerode foi uma das entidades que defenderam a ideia e mobilizaram a comunidade em abaixo assinado que deu origem ao projeto de iniciativa popular.

Lunelli em Luiz Alves
O Grupo Lunelli já buscava uma parceria com alguma camisaria antes de a Restoque anunciar, em abril, o fechamento da antiga fábrica da Dudalina em Luiz Alves. Os ativos deixados pela gigante varejista, uma área pronta para receber uma linha de costura e, principalmente, pessoas qualificadas para o serviço, atraíram a empresa, que alugou parte do espaço e iniciou as operações no município em 24 de julho. O objetivo é centralizar a produção da marca Hangar 33, uma das cinco que compõem o portfólio do grupo que hoje tem 16 fábricas e emprega 4,3 mil funcionários e faturou R$ 720 milhões no ano passado. A meta é triplicar o número de funcionários em Luiz Alves em apenas oito meses, dos atuais 30 para 100, e o Grupo estuda novas fusões e aquisições.

Melhores para se trabalhar
Duas empresas que nasceram no Vale estão na edição de 2018 da tradicional lista das melhores para se trabalhar no País feita pela revista Época Negócios e pelo Instituto Great Place To Work. A Cooperativa de Crédito Viacredi ficou na 15ª posição entre as grandes companhias, enquanto a BN Papéis, de Benedito Novo, aparece em destaque entre as médias. O ranking é uma espécie de termômetro de boas práticas de gestão de pessoas.

Crescimento
A Havan divulgou ter alcançado crescimento de 40% no primeiro semestre deste ano. Neste período, a varejista de Brusque abriu mais quatro lojas. Outras 10 estão previstas ainda em 2018, nas cidades de São José, São Bento do Sul, Biguaçu e Lages, totalizando 120 unidades, geração de mais 2 mil empregos e expectativa de faturamento de R$ 7 bilhões. A rede tem planos de chegar a 200 lojas até 2022.

... e diversifica investimentos
Apesar de a expansão da rede de lojas ser prioridade, o proprietário da Havan vem diversificando investimentos, que vão além do varejo. Recentemente anunciou a criação de um centro de treinamento focado em esportes eletrônicos. A empresa também tem projetos de pequenas centrais hidrelétricas no Rio Grande do Sul e está bancando metade da obra do One Tower, em construção pela FG Empreendimentos em Balneário Camboriú e que será depois de pronto, o maior edifício do Brasil, com mais de 70 andares.

Dohler
As vendas líquidas da Dohler, de Joinville, do segmento têxtil cama, mesa, banho e decoração, no semestre deste ano, somaram R$ 225,7 milhões, contra R$ 215 milhões em igual período do ano passado. A empresa teve lucro líquido no semestre de R$ 16,9 milhões. No mesmo período de 2017, o lucro foi de R$ 12,5 milhões. O Patrimônio Líquido (Capital Social e Reservas) soma R$ 550 milhões em 30 de junho.

Menos desemprego
Santa Catarina manteve, no segundo trimestre do ano, o status de Estado com a menor taxa de desemprego no Brasil. O índice, que era de 7,5% no mesmo período de 2017, recuou para 6,5% em 2018. A queda de um ponto percentual é maior do que a vista na média nacional, que foi de 13% para 12,4%. Os dados foram divulgados pelo IBGE.

Varejo
A Karsten inaugura dia 30 deste mês uma nova loja em Florianópolis, a sétima da empresa têxtil de Blumenau. O espaço vai funcionar na Avenida Beira-Mar Norte.

Expansão do negócio
Um dos grandes desafios de qualquer empresário é identificar oportunidades para fazer o negócio crescer. O empreendedor quer buscar novos mercados e alcançar o retorno do investimento logo no primeiro ano. Contudo, além das oportunidades, também há riscos na hora de expandir. Ampliar a estrutura da empresa, abrir uma nova loja, contratar mais funcionários ou, até mesmo, criar um novo produto demandam um planejamento bem estruturado e, também, um investimento inicial. O principal ponto a ser analisado é a identificação das tendências econômicas e de consumo. Não adianta expandir o negócio se o mercado e o cliente não estão prontos para recebê-lo.

Lavanderia
Apesar de o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ter recomendado, ainda em 2006, aos tribunais estaduais a criação de varas especializadas em lavagem de dinheiro e organização criminosa, pouco foi feito desde então. Pesquisa da Transpar~encia Internacional mostra que só existem no país sete varas, das quais uma no TJ-SC. Espantoso: dois dos maiores tribunais estaduais (de São Paulo e Rio de Janeiro), não possuem uma vara deste tipo.

Tratamento do Câncer de Tireoide com Iodo
A Clínica de Oncologia Reichow é a única no Vale do Itajaí a disponibilizar a internação para a iodoterapia. Terapia com iodo radioativo é usada no controle de tumores diferenciados da glândula tireoide. O objetivo deste tratamento, que combate as células cancerígenas presentes na tireoide é destruir as células que ainda restaram após a cirurgia (tereoidectomia) e diminuir a chance de recidiva do câncer. A Clínica, localizada em Blumenau, conta com uma estrutura física moderna, uma equipe multidisciplinar especializada e humanizada para seu tratamento.

Dica do gerente
O gerente de banco é a principal fonte de informação dos brasileiros na hora de escolher um investimento, segundo uma pesquisa da Anbima. Das pessoas que aplicam em produtos financeiros, 41% disseram buscar informações presencialmente com esse profissional. Os consultores em geral recomendam não deixar para fazer investimentos só com o gerente de banco pois suas recomendações são limitadas a produtos e interesses das instituições financeiras em que trabalham.

Cenário otimista
Apesar dos impactos da paralisação dos caminhoneiros, em maio deste ano, gradativamente a economia de Santa Catarina mostra sinais de retomada. Levantamento mais recente do IBGE, a Pesquisa Mensal do Comércio revelou que o volume de vendas do varejo catarinense aumentou 9,5% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. Se analisados os meses de maio e junho, com os reflexos das barreiras nas rodovias, os resultados foram negativos para o Estado, mas ainda assim não impactaram no bom saldo do acumulado do semestre. Os setores que se destacaram e puxaram as vendas catarinenses nos seis primeiros meses de 2018 foram artigos de uso pessoal e doméstico que registrou alta de 16,5% no período e supermercados com 14,2%, o que mostra um otimismo dos consumidores.

Calçadas com asfalto
Mais barato e prático, o asfalto será testado como matéria prima para as calçadas feitas pela Prefeitura de Brusque. O uso desse material para passeios públicos já é realidade há muito tempo na Alemanha, país que serve de modelo para o município. O governo brusquense espera reduzir o custo de R$ 36 para R$ 16 o metro quadrado.

Barão maior
Vai ser ampliada em 4 mil m2 a estrutura da Escola Barão, no Centro de Blumenau. A tradicional instituição de ensino, que pertence a Rede Sinodal da IECLB, vai erguer duas edificações onde hoje está o prédio do Hotel City. Um dos prédios será usado para a educação infantil e o outro, maior, para o ensino médio. A ideia é atender à nova proposta para ensino de adolescentes que exige salas mais amplas, laboratórios e áreas de convivência.

Interplast
A Ilha da Reciclagem de Plástico, reunindo empresas, entidades e profissionais para demonstrar o ciclo de vida do plástico, foi um dos temas em destaque da Interplast – Feira e Congresso de integração da Tecnologia de Plástico, realizada em Joinville, na última semana. A Termotécnica, maior recicladora de isopor da América Latina, teve presença destacada no evento. Em defesa da sustentabilidade, defende que é inadmissível nos dias de hoje descartar o plástico em lixo comum.

Bons negócios
Encerrada mais uma edição da Pronegócio, em sua 46ª edição, organizada pela Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região, em parceria com o Sebrae-SC, a rodada contou com 173 segmentos participantes nos setores feminino, masculino e infantil, além de 14 empresas com produtos de pronta-entrega. Cerca de 270 empresas, que correspondem a 650 compradores, participaram desta edição, ao longo de seus cinco dias de realização, na Sociedade Santos Dumont. Agora, a entidade inicia os preparativos para a 47ª edição, que será de Outono/Inverno 2019. O evento acontece de 12 a 15 de novembro, também no Santos Dumont, em Brusque.

Satélite
Itajaí será a primeira cidade de Santa Catarina a contratar um serviço de identificação de vazamentos na rede de água por meio de satélite. A tecnologia é de uma empresa de Israel, que promete precisão de 92% no monitoramento e localização de vazamentos em até 4,5 metros de profundidade. O custo será de R4 320 mil ao ano. O sistema diminuirá a perda de água tratada e pode levar à redução das tarifas.

Primeiro berro
Uma das primeiras manifestações públicas do novo presidente da Fiesc, foi o desgosto pela elevação, para a indústria, de 15% no preço da energia elétrica, um dos principais insumos do setor, que não só vai pressionar os custos de produção como prejudicar a retomada da economia. O presidente registrou que há dois meses houve um salto de 26% no preço do gás natural. Com isso registramos que fica difícil produzir no Brasil e competir com outros países. O Paraguai está de braços abertos esperando pelos empresários descontentes. Oferece incentivos, energia bem mais em conta e outros atrativos, como mão de obra e encargos menos onerosos.

Incentivos para novos hotéis
Balneário Camboriú vai discutir mudanças no Plano Diretor para incentivar a instalação de novos hotéis e também benefícios fiscais para a requalificação dos estabelecimentos de hospedagem mais antigos. A proposta partiu do Instituto + BC, entidade formada por empresários, especialmente da construção civil e tenta reverter um problema histórico: a demolição de hotéis para dar espaço à construção de prédios residenciais. Nos últimos anos, pelo menos 10 sucumbiram ao “canto da sereia” da indústria da construção civil. A rede hoteleira é vista como “porta de entrada”, um primeiro contato entre o turista e a cidade que pode influenciar em futuros negócios, segundo o coordenador do Instituto + BC, empresário Nivaldo Pinheiro.

Despesas médicas
As deduções com despesas médicas sempre estiveram na lista da Receita Federal como um dos itens que mais levam à malha fina. Hoje, há diversas formas de cruzar os dados entre contribuintes, médicos, clínicas e planos de saúde. Além da declaração enviada pelos convênios com a lista de todos os pagamentos, o Fisco exige que os médicos particulares declarem o CPF de seus pacientes. Quando há despesas muito altas, a Receita também costuma jogar a declaração na malha para que o contribuinte prove o que gastou. É preciso ter todos os recibos.

Mercados de trabalho
Os MASCs abrem novos mercados de trabalho para advogados. Entre as vantagens de ser árbitro ou mediador estão a flexibilização na carga horária, possibilidade de atuar em várias empresas, um novo mercado de trabalho e uma forma eficaz e rápida de resolver o conflito do cliente. Com a crescente popularização dos Métodos Adequados de Solução de Conflitos (MASCs), o campo de atuação para advogados e outros profissionais que trabalham na área tem aumentado cada vez mais. Negociação, conciliação, mediação e arbitragem ampliam o mercado de trabalho de diversas formas, ao contrário do que muitos ainda receiam.Não é perda de mercado, mas sim ampliação.

Visite uma Câmara de Mediação e Arbitragem
Tire suas dúvidas. Visite uma Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem e leve suas pendências para uma solução rápida, econômica e sigilosa. Você, empresário, vai se surpreender.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 21/08/2018 às 08h28 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Brasil marcando passo (1)
Para diminuir a distância que separa o Brasil dos países ricos, nossa economia precisa crescer mais depressa. Só que há muito tempo isso não acontece. Nos anos 1950 e 1970, por exemplo, a renda total do país mais que dobrou (alta de mais de 100%). Já nos últimos dez anos, o avanço foi de ridículos 12%. Ou seja, estamos marcando passo enquanto outros progridem. Para se ter uma ideia, a renda média nacional era equivalente a 38% da americana em 1980. Agora são 26%. É evidente que não existe uma explicação única para o atraso brasileiro. São muitos os motivos: a qualidade da educação deixa a desejar, a burocracia e os impostos sufocam as empresas, faltam boas estradas e outros meios de transportar as mercadorias, entre outros problemas.

Brasil marcando passo (2)
Para um país enriquecer, os trabalhadores e as empresas precisam produzir mais e melhor. Isso significa contar com mão de obra mais qualificada, acesso a tecnologia mais avançada e incentivo para inovar e investir. No Brasil é comum achar que a solução é a ajuda do governo. Muitos políticos prometem e defendem essa ideia. Mas, na maior parte dos casos, a proteção oficial acaba levando os favorecidos a se acomodarem. O que faz patrões e empregados se mexerem de verdade é a concorrência. Essa competição, claro, precisa acontecer num ambiente mais justo: com impostos semelhantes para todos, juros bancários civilizados e menos burocracia. Nada disso acontece da noite para o dia, mas faz mais sentido do que receitas milagrosas vendidas por candidatos em período eleitoral.

Cesta básica
Dados do Dieese apontam para uma deflação para o mês de julho em Brusque, com uma variação mensal de -4,24% tendo um custo de R$ 366,63. No ranking nacional, o município ocupa no momento a 13ª posição com a cesta básica mais cara. Os dois produtos que tiveram maior redução em seus valores no mês foram a batata com -32,59% e o tomate com -27,22%.

Visite a Pazmatex
Na semana que acontece a Febratex, a Pazmatex em Brusque terá atendimento especial de 20 a 24 deste mês. Os visitantes serão recepcionados com um gostoso café, acompanhado de outros quitutes. O foco da Pazmatex é mostrar produtos semi-novos, com garantia de novos. A empresa conta com grande estoque de máquinas SWF, Tajima e Baruda, semi-novas, com assistência qualificada e conta com peças de reposição. Também dispõe de máquinas de costura Plotter a laser.

Máquina de Vendas
A empresa Máquina de Vendas deve pedir recuperação extrajudicial em breve. Dona das redes de varejo Ricardo Eletro e Insinuante, tem dívidas superiores a R$ 2 bilhões (R$ 1,5 bilhão só com bancos). A crise afastou importantes fornecedores com os quais também tem débitos milionários. Por isso, os estoques de mercadorias nas lojas têm diminuído. Neste quadro, está em negociação a venda de maior parte do controle para o fundo norte-americano Apollo. Há seis anos a empresa adquiriu a rede de eletrodomésticos Salfer, de Joinville. O grupo chegou a ter mais de mil lojas pelo país, mas vem encolhendo de tamanho.

Depósitos na poupança
Os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em R$ 3,74 bilhões em julho, segundo o Banco Central. No mês passado, foram registrados depósitos de R$ 189,7 bilhões, contra retiradas que somaram R$ 186 bilhões. É o quinto mês seguido em que há mais depósitos.

Início da indústria têxtil
Em 11 de março de 1892, data em que comemorava 30 anos de idade, o empresário Carlos Renaux instalou a primeira fábrica de tecidos em sociedade com Paulo Hoepcke e Augusto Klapoth, que mais tarde se retiraram da sociedade. Os primeiros teares da fábrica pioneira em Brusque foram acionados com tecelões de origem alemã, vindos de Lodz, que pensaram em estabelecer uma pequena indústria têxtil em Brusque. Necessitavam, todavia, de uma pessoa que desfrutasse de conceito na comunidade e que fosse um homem de capacidade dinâmica, capaz de tomar sobre si a responsabilidade do empreendimento. Renaux conquistara reputação de trabalhador eficiente e honesto e aceitou o desafio, mas, até então, não conhecia o ramo de negócio a que iria, depois, dedicar toda a sua existência.

Novo parque fabril
A Tex Cotton, dona de três marcas de roupas com foco no público feminino, aguarda apenas sinal verde para liberação de licenças, para tirar do papel o plano de construção de um novo parque fabril em Blumenau. As operações, que funcionam em dois prédios no bairro Garcia, serão transferidas para uma estrutura de 20 mil m2 a ser erguida na Rua Bahia, no Salto. O investimento total chega a R$ 40 milhões, incluindo a compra de um terreno com 110 mil m2. A construção abre perspectiva de ampliação do quadro de 400 funcionários diretos, com a necessidade de até mais 150 colaboradores.

Na estrada
A Associação Nacional de Fabricantes de Veículos (Anfavea) faz contas e revela as vendas de veículos aumentaram 17,7% em julho sobre o mesmo mês do ano passado. Foram emplacadas 217,5 mil unidades. O destaque é o aumento dos negócios com caminhões, alta de 45%. Os dados comprovam que a indústria automotiva reage. Ainda no campo da indústria automotiva, é esperado que o Congresso aprecie, neste semestre, o programa Rota 2030, que estabelece regramento para a produção e venda de veículos no país e toda sua cadeia produtiva, incluindo o segmento de ferramentarias.

No forno
A Polícia Federal incinerou na última semana, nos fornos de uma empresa em Lages, 6,6 toneladas de maconha e drogas sintéticas apreendidas no mês de julho pela Delegacia da PF em Itajaí. Ao todo, 13 policiais fizeram o transporte e a segurança do carregamento.

Centro de eventos
Balneário Camboriú é candidata a receber o Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais Patronais do Comércio de Bens, Serviços e Turismo em 2020. O evento tem quatro dias e deve reunir 3,5 mil pessoas vindas de todo o país. Para que tudo dê certo, é preciso garantir que o Centro de Eventos esteja pronto e em pleno funcionamento até lá.

Indústria da multa
Na Rodovia Antônio Heil (SC-486), quase que totalmente duplicada, não foi trocada a sinalização de velocidade. As placas que indicam 80 km/h, no mínimo deveriam ser 100 km/h. Quase todos os dias, estão multando motoristas, com controladores móveis. Tem motoristas endividados e muitos não querem mais vir a Brusque. Foram 10 mil multas nos primeiros sete meses deste ano. Isso não pode continuar. A indústria da multa no Brasil é uma vergonha. É um assalto a mão armada contra o cidadão brasileiro. É mais um imposto. Usam os famosos pardais com velocidades diferentes para confundir os motoristas e arrecadar mais. Onde estão nossas autoridades, nossos políticos que cruzam os braços diante de tamanha barbaridade?

Reajustes
Até o final do ano, o preço do óleo diesel terá um reajuste a cada mês. As variações vão acompanhar as oscilações dos preços internacionais do petróleo e do câmbio.

Inflação sobe menos
Depois da maior alta dos últimos 23 anos, devido aos efeitos da paralisação dos caminhoneiros, a inflação desacelerou em julho e chegou a -0,33%, informou o IBGE. Em 12 meses, a variação do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) ficou em 4,48%. De janeiro a julho, foi de 2,94%. Apesar do recuo, a inflação em julho foi muito pressionada pelos preços administrados, aqueles que são estabelecidos por contrato ou por órgão público, que tiveram forte alta em julho. A energia elétrica, por exemplo, subiu em média 5,33%. Os alimentos formaram o grupo com maiores quedas. O grupo ficou com variação negativa de 0,59%, mesmo com a alta de 12% no leite longa vida. Neste ano, o item já subiu 43,51% no país.

Arbitragem
O acesso à Justiça não requer ingresso no Poder Judiciário, muito menos a solução por meio de um processo judicial. A solução extrajudicial (Mediação e Arbitragem) por outro lado, além de solucionar o conflito, contribui ainda para pacificar os conflitantes. Notas promissórias, cheques sem fundos, taxas de condomínio, aluguel, confissão de dívida, contrato de empréstimo, duplicatas, boletos vencidos, venda de imóveis e veículos. Tudo isso pode ser tratado numa Câmara de Arbitragem, também conhecida como Juizado Arbitral. As empresas estão cada vez mais usando este procedimento devido a rapidez, economia e sigilo. Ninguém quer estar exposto, mesmo sendo credor, em certidões negativas. O Brasil já desponta como um país que aceitou bem a Arbitragem a exemplo dos países mais desenvolvidos.

Novo homem forte
O engenheiro Mário Cezar de Aguiar acaba de assumir a presidência da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), em solenidade que aconteceu em 10 de agosto. O setor industrial catarinense tem 51 mil empresas, com 735 mil trabalhadores, respondendo por 34% dos empregos formais e 28,7% do PIB do Estado. A Fiesc tem 141 sindicatos filiados.

Boa notícia
A qualidade das lavadoras de roupas vai aumentar. A classificação de A (mais eficiência energética) a E (menos eficiência energética), será substituída por um novo A-E, considerando outros atributos. A economia de energia se somarão “eficiências” de lavagem, secagem e “legal” consumo de água. Para os técnicos do Inmetro, a mudança estimulará a indústria a fabricar melhores produtos e os consumidores notarão mais as diferenças entre as marcas. As empresas terão um ano para adaptação às novas regras, que sairão em breve.

Alta aérea
Em um ano, a quantidade de drones no Brasil cresceu 248%. Segundo a Anac, hoje são mais de 46 mil aparelhos. O registro é obrigatório desde maio de 2017. Quase metade da frota está em São Paulo (15,9 mil). O número de pessoas física e jurídica autorizadas a operar o equipamento equivale à população de muitas cidades: 43,6 mil. E por falar na aviação civil, no mês passado, o Brasil tinha uma frota de 22.062 aeronaves, 56 a mais do que em dezembro. Só esse ano foram emitidas 1.486 licenças para pilotos de avião e outras 2.013 para operar helicópteros.

Medicina
No 27º Congresso Mundial de Transplantes realizado em Istambul, recentemente, o Brasil foi elogiado por ser o segundo País que mais realiza cirurgias do gênero, atrás dos EUA. No planeta, em 2017, foram 140 mil operações. Nos próximos cinco anos não se prevê o surgimento de grandes medicamentos para pacientes transplantados, já que os atuais são 95% eficientes. Os maiores desafios serão melhorar as redes de captação em cada país e elevar as cirurgias do gênero na Ásia, onde o hábito de “não mexer no corpo do morto” gera poucas doações de órgãos e tecidos.

Livro sobre Celso Bonatelli
“Celso Bonatelli – Valeu e pena lutar” é a obra literária que eterniza a história de um dos médicos e políticos mais queridos da história de Brusque. Como forma de homenageá-lo e relembrar sua trajetória na cidade, foi lançado na Unifebe, o livro de autoria do escritor Saulo Adami que trata da sua vida. O evento, que fez parte da programação dos 158 anos do aniversário de Brusque, contou com a presença de diversas autoridades e convidados. Bonatelli sempre foi um político sério, correto, que marcou a história. Era um pulso firme, como diziam na época. Faleceu em 1999 com apenas 62 anos de idade.

Idosos com nome sujo
O número de idosos que estão com o nome sujo no Brasil chegou a 5,7 milhões em julho. Segundo levantamento do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) com a CNDL (Confederação dos lojistas), a inadimplência para quem tem mais de 65 anos atinge cerca de 33% da população dessa faixa etária. A quantidade pode ser ainda maior, uma vez que no Brasil pessoas com mais de 60 anos já são enquadradas como idosas. Deixar de pagar contas com os bancos representa mais da metade (53%) dos motivos que levaram o idoso a ter o CPF restrito. Contas de água e luz estão em segundo lugar no ranking (16%). Depois vem as pendências com empresas de telefonia e TV (13%). O comércio vem a seguir com 12%.

Turismo
A notícia de crescimento de pelo menos 40% no número de escalas de cruzeiros em Balneário Camboriú nesta temporada é mais do que bem-vinda dentro da Secretaria de Turismo de Blumenau. A cidade do Vale costuma entrar no roteiro de passageiros que desembarcam no litoral e aproveitam a parada para conhecer destinos próximos. Como em outros anos, a pasta voltará a promover ações de divulgação. Já Brusque, outro roteiro de compras na região, precisa se mexer se quiser aproveitar o fluxo turístico na próxima temporada.

Comércio exterior de SC
A Federação das Indústrias de SC divulgou os resultados da pesquisa realizada junto aos setores da indústria, do comércio e de serviços sobre o desempenho do comércio internacional catarinense no período 2016/2017. Entre um ano e outro, as exportações cresceram 12%, atingiram US$ 8,5 bilhões, sendo 57,8% de produtos industrializados e o destino prioritário EUA, China e Argentina. As importações alcançaram US$ 12,6 bilhões, principalmente as de insumos e componentes.

Indústria têxtil revê projeções
Se a largada do ano era encarada como ânimo pela indústria têxtil, uma sucessão de fatores ao longo do primeiro semestre, encabeçados pela instabilidade do cenário eleitoral, paralisação dos caminhoneiros, Copa do Mundo e inverno com temperaturas acima do esperado, arrefeceu o otimismo do setor. A Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit) divulgou que a produção têxtil (-0,9%), a produção de vestuário (-3,8%) e o varejo de vestuário (-3,5%) tiveram queda no país de janeiro a junho frente ao mesmo período do ano passado. A geração de empregos dentro do segmento até ficou no azul, com a criação de 4,1 mil novas vagas, mas o acumulado em 12 meses contabiliza eliminação de 13,9 mil postos de trabalho. Vamos ter que recuperar todo esse terreno perdido agora no segundo semestre.

Pensão tem prazo para ser pedida
A pensão do INSS deve ser solicitada em até 90 dias após a morte do segurado para que os dependentes consigam receber o benefício desde a data do falecimento, chamado pela Previdência de fato gerador. Se o benefício for pedido após 90 dias, o dinheiro será pago a partir da data do requerimento. No entanto, esses prazos não incluem os dependentes menores de 16 anos e os considerados incapazes. Nesses casos, o pedido pode ser feito pelo responsável a qualquer momento.

Expectativa de vida altera o fator
Além da idade e tempo de contribuição do trabalhador, o cálculo do fator previdenciário inclui a expectativa de vida dos brasileiros, divulgada anualmente pelo IBGE. Na prática, cada vez que a esperança de sobrevida da população aumenta, a conta fica desvantajosa para quem vai se aposentar, o que tem ocorrido quase todos os anos. As simulações consideram o fator atual, pois, segundo o advogado do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários) a chance de errar a projeção do fator nos próximos anos é alta, pois em 2020 haverá Censo do IBGE e a expectativa de sobrevida pode mudar bastante.

Caminhoneiros terão multa
Ao sancionar o texto que estabelece preços mínimos para o frete, o governo vetou o artigo que perdoava multas de trânsito e sanções judiciais aplicadas aos caminhoneiros durante a paralisação da categoria, realizada entre maio e junho. A retirada desse trecho da medida provisória, agora convertida em lei, havia sido combinada entre o Legislativo e o Executivo. O perdão foi considerado polêmico, já que o governo reconheceu que parte da paralisação teve ações de locaute.

Corte de benefício mais rápido
O governo publicou decreto que facilita o corte do benefício pago a idosos e pessoas com deficiência em situação de miséria, caso haja suspeitas de fraude. O documento torna mais rápido a suspensão do pagamento do BPC (Benefício de Prestação Continuada) em casos suspeitos e cria novas situações em que a grana poderá ser cortada. O decreto determina que o valor do benefício será bloqueado mesmo que o INSS, responsável pelo pagamento do BPC, não consiga notificar o beneficiário. Só após o bloqueio, se entrar em contato com o INSS, o beneficiário entenderá o motivo pelo qual teve os valores bloqueados. Além disso, terá apenas 10 dias para apresentar uma defesa. A regra válida até então diz que, se o governo não consegue notificar o beneficiário por carta, é necessária uma notificação por edital e há o prazo de 15 dias para apresentação de defesa. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social as medidas vão proporcionar mais agilidade na comunicação com os beneficiários e correção mais rápida das irregularidades. O decreto se aplica apenas aos benefícios pagos irregularmente.

Para pagar atrasados
O Conselho da Justiça Federal determinou que serão necessários R$ 37,6 bilhões para pagar os precatórios, acima de 60 salários mínimos e as RPVs (Requisições de Pequeno Valor) abaixo de 60 mínimos, no ano que vem. Dentro desse valor está incluído o dinheiro que os segurados do INSS receberão de atrasados com ações na Justiça. Segundo o Conselho, do total, R$ 22 bilhões devem ser usados no pagamento de precatórios autorizados pelos juízes até 1º de julho deste ano. Outros R$ 15 bilhões vão para as RPVs. Em geral, quem ganha um processo contra o INSS recebe o valor em até dois ou três meses depois do final do processo, em caso de atrasados menores.

Auxílio-doença na aposentadoria por idade
A maioria dos trabalhadores tem que procurar a Justiça para incluir o período de afastamento na carência da aposentadoria por idade. Somente agências da Previdência do Paraná, Santa Catarina e do Rio Grande do Sul reconhecem o direito dos segurados. Nos outros estados, o caminho é mais longo. Por regra, o INSS não aceita contar o período de auxílio como tempo mínimo para completar os 15 anos de contribuição, exigidos na aposentadoria por idade. Os Juizados Especiais Federais costumam dar decisões favoráveis aos trabalhadores. Para isso, é necessário ter feito contribuições ao INSS antes e depois do afastamento.

Aproveite a demora do INSS
Quem planeja pedir a aposentadoria ao INSS deve se preparar para enfrentar uma espera de mais de 45 dias pela liberação do pagamento. Metade das análises dos pedidos estoura o prazo oficial. A demora na concessão, porém, pode ter uma vantagem. No intervalo entre o pedido de aposentadoria (pelo telefone ou pelo site) e o atendimento no posto da Previdência, os segurados continuam trabalhando, e parte pode alcançar os requisitos para um benefício melhor. Nesses casos, é possível alterar a data da solicitação e garantir o valor maior. O ponto negativo é que a grana dos atrasados é reduzida.

Periculosidade
Desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (TRT-SC) aprovaram, em decisão unânime, a súmula 135, que trata do adicional de periculosidade para casos de armazenamento de substâncias inflamáveis. De acordo com o texto, o adicional deve ser pago ao trabalhador exposto a ambiente com armazenamento superior a 200 litros.

Quando vale a pena pagar o INSS
O trabalhador que está contando os dias para conseguir se aposentar ou para atingir o benefício integral pode verificar se compensa pagar contribuições atrasadas. Essa alternativa existe para quem trabalhou como autônomo, mas não pagou contribuições. Será preciso comprovar a atividade exercida para o INSS, com documentos da época. Mas é preciso ter cuidado antes de ir atrás dessa dívida do passado. Segundo especialistas, quem procura o INSS para saber quanto deve em recolhimentos nos últimos cinco anos pode ser cobrado, pois, ao ir até o posto, reconhece a inadimplência. O pagamento das contribuições antigas tem juros e multa.

Perda da carteira de trabalho
A carteira de trabalho é o documento mais importante na hora de comprovar períodos de contribuição ao INSS. Mas quem perdeu a sua ainda consegue se aposentar. A primeira coisa a fazer é verificar no Cnis (cadastro do INSS) se algum período de trabalho está de fora do cálculo do benefício. Caso isso tenha ocorrido, será necessário pedir uma segunda via da carteira de trabalho. Em seguida, o trabalhador deve solicitar que o RH das empresas onde ele atuou anote novamente os seus registros, com base nos documentos que o empregador tem arquivado. Se o patrão se recusa, o segurado deve procurar o Ministério do Trabalho ou, em último caso, a Justiça.

Acordo pelos atrasados do INSS
Os acordos judiciais fechados pelo governo com segurados do INSS no primeiro semestre atingiram quase o total de todo o ano passado. De janeiro a junho de 2018, a Justiça confirmou 33,2 mil acordos, contra 39 mil em 2017. Desde 2015, a Advocacia-Geral da União mantém força-tarefa de procuradores atuando em propostas de acordos com segurados do INSS. As propostas são apresentadas para pessoas cujo direito fica evidente após análise de documentos, como laudos médicos feitos por perícias judiciais que atestaram incapacidade do segurado. Algumas propostas podem ter descontos de 10% a 20%.

Corretores autônomos
Projeto em tramitação na Câmara dos Deputados, autoriza os corretores de imóveis autônomos a constituírem sociedade para realizar parcerias comerciais com as imobiliárias. A proposta, que altera a lei que regulamenta a profissão de corretor de imóveis, permite que a sociedade de corretores atue com as imobiliárias em regime de parceria, sociedade em conta de participação ou consórcio. Hoje, a lei permite apenas a associação individual entre o corretor autônomo e a imobiliária.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 17/08/2018 às 09h51 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Índice reajuste aluguel
O IGP-M (Índice Geral de Preços Mercado), usado como referência para correção de contrato de aluguel residencial, desacelerou para 0,51% em julho, contra 1,87% no mês anterior. No acumulado de 12 meses, porém, a alta é de 8,24%, acima do valor de 6,92% registrado em junho, segundo a FGV (Fundação Getúlio Vargas). O reajuste de julho deve ser utilizado em contratos que vencem em agosto, cujo pagamento ocorre em setembro.

Fiat convoca recall
A Fiat Chrysler Automóveis anunciou um recall de 87 mil veículos de ano/modelo 2012. São alvos da convocação carros modelos Uno, Novo Palio e Grand Siena. Segundo a empresa, foi detectada a possibilidade de degradação do dispositivo que aciona o airbag desses carros devido à eventuais exposição do veículo a variações elevadas de temperatura e umidade durante longos períodos. Os proprietários desses veículos devem agendar a ida a uma das concessionárias Fiat. Serão feitas gratuitamente a análise e, se necessária, a substituição dos módulos dos airbags.

Fazenda Aero Amil
A partir de 01/09/2018, acontece o atendimento normal, na Fazenda Aero Amil, de pouso e decolagem (diurno e noturno) com o apoio de solo, hangaragem de aeronaves (coberta), abastecimento de AVGAS, oficina mecânica de aeronaves padrão homologada, espaço gourmet, espaço lazer, dormitório, capela ecumênica, vigia noturno. O empreendimento encontra-se registrado na ANAC. IMA (LAO). O empreendimento está localizado na Estrada Geral da Fazenda, na Rua Abrão de Souza e Silva nº 5111, em Brusque.

IFC de Brusque abre inscrições
O Instituto Federal Catarinense (IFC) de Brusque está com matrículas abertas até 11 de setembro para o Ensino Médio Integrado em 2019. Os interessados em garantir uma das 160 vagas ofertadas devem se inscrever no processo, que é feito online. O IFC oferece a oportunidade de uma educação diferenciada e gratuita. Nesse tipo de Ensino Médio Integrado, o aluno tem as aulas comuns ao currículo básico de qualquer escola e mais disciplinas de uma área específica. No caso de Brusque, há dois campos: Química e Informática. São ofertadas 80 vagas para cada área.

Trânsito
As trapalhadas do Contran, como exigir e depois adiar a instalação de placas com chips padrão Mercosul para todos os veículos, mesmos os mais velhinhos que nunca cruzarão a fronteira, onerando os motoristas, fez surgir o debate sobre a conveniência do Departamento Nacional de Trânsito voltar à alçada do Ministério da Justiça. Aliás, o órgão foi para o Ministério das Cidades, em 2003, porque Olivio Dutra pediu a Lula “caixinhas na estrutura”, já que não queria assumir uma recém-criada Pasta esvaziada.

Evolução das aplicações financeiras
Destacamos a seguir a evolução das principais aplicações financeiras no mês de julho e o acumulado do ano (janeiro a julho): CDI +0,54% (acumulado +3,73%), poupança +0,37% (acumulado +2,70%), bolsa de valores +8,88% (acumulado +3,69%), dólar -3,18% (acumulado +13,27%), euro -3,05% (acumulado +10,75%), ouro -6,73% (acumulado +7,98%), IGP-M +0,51% (acumulado +5,92%).

Seguros: outro patamar
O Conselho Nacional de Seguro e Previdência definirá em breve os valores dos seguros obrigatórios para veículos automotores. Enquanto isso, a Susep e a Seguradora Líder discutem um reajuste na indenização paga em acidentes de trânsito. Dos atuais R$ 13.500, a quantia pode subir para cerca de R$ 25 mil. Desde 2007 a remuneração é a mesma, período em que os acidentes e os custos de tratamento só cresceram.

Rizicultores de SC
Os produtores de arroz de Santa Catarina estão confiantes quanto a investir em tecnologias em busca de mais produtividade e renda com o produto. Isso devido ao resultado favorável da colheita deste ano e a sequência de alta nas cotações do grão nos últimos dois meses. Outro fator que corrobora para essa perspectiva é o bom desempenho das exportações, estas tomando impulso pela relação entre os preços internos e o câmbio favorável, segundo especialistas. Um otimismo que pode impactar em cheio as maiores regiões produtoras no Estado. SC inclusive, foi destaque na produção nacional do grão neste ano.

Desestatização
Subiu no telhado o plano de conceder ao setor privado a exploração da loteria Raspadinha (Lotex). Disputas entre os Ministérios da Cultura, dos Esportes e da Segurança pelo R$ 1 bilhão que o governo espera arrecadar no leilão levaram o Planalto a determinar mudanças no edital. A indefinição quanto às regras a serem adotadas esfriou o interesse dos poucos grupos estrangeiros que cobiçavam o negócio. Se o clima não mudar, faltará comprador no pregão.

Troco Solidário
Um total de R$ 2,6 milhões foi a arrecadação da Havan com a campanha Troco Solidário no primeiro semestre deste ano. A ação beneficia entidades filantrópicas de 90 cidades onde a rede varejista está presente.

Taschibra amplia
A Taschibra, fabricante de produtos de iluminação, com sede em Indaial, planeja concluir em março do ano que vem a construção do seu novo centro administrativo, com 4 mil m2. Quem passa pela BR-470 já consegue ver boa parte da estrutura quase pronta. Ali também funcionarão showroom e um auditório. O investimento é de R4 12 milhões. A empresa também está fazendo um aporte de R$ 4 milhões para ampliar em 5 mil m2 a área de estocagem. Com 400 funcionários, a Taschibra produz 600 mil peças por mês.

Cancelamentos
A Receita Federal cancelou o enquadramento no Programa Especial de Regularização Tributária (Pert) de 700 empresas por falta de pagamento. No total, devem mais de R$ 1 bilhão à União. E são empresas que recorreram, com frequência, a diferentes programas Refis ao longo dos anos sem cumprir com seus compromissos. Outras 4 mil empresas brasileiras estão sendo cobradas para regularizar a situação fiscal.

Menos desemprego, mais informalidade
A taxa de desemprego no Brasil recuou para 12,4% no segundo trimestre deste ano, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua divulgados pelo IBGE. A queda de 0,7 ponto percentual na comparação com o trimestre anterior, de janeiro a fevereiro (13,1%). Mesmo assim, não há muitos motivos para comemorar. O país ainda tem um contingente de 13 milhões de desempregados e a redução de agora se deve ao aumento da informalidade no mercado. Já são 37 milhões de pessoas que trabalham sem carteira assinada e, portanto, estão mais fragilizados do ponto de vista de direitos.

Análise de imóveis
A juíza Clarice Lanzarini, da Vara Comercial de Brusque, nomeou perito para fazer a avaliação de imóveis da massa falida da Buettner, que serão vendidos para pagar as dívidas da empresa, sobretudo com os trabalhadores. O engenheiro Airton Diegoli foi incumbido da avaliação, com honorários fixados em R$ 165 mil. A empresa tem 81 imóveis cujas matrículas constam como seu patrimônio. A entrega do laudo de avaliação deve ocorrer em até 120 dias.

Recuperação judicial
A 1ª Vara da Comarca de Piçarras aceitou o pedido de recuperação judicial da Arxo Industrial do Brasil. A empresa é líder na América Latina na fabricação de tanques jateados para postos de combustíveis e responde por 50% dos tanques subterrâneos instalados no Brasil. A Arxo sofreu com o recuo da economia e, no front judiciário, tornou-se alvo da Operação Lava-Jato em fevereiro de 2015, o que resultou no fim de vários negócios e na perda de crédito junto a bancos. As dívidas chegam a R$ 89 milhões.

Indústria recupera perdas
Passado o primeiro semestre inteiro do ano, a indústria brasileira encontra-se no mesmo patamar de dezembro de 2017. O índice de produção do setor fechou junho a 90,6 ligeiramente acima do 90 de abril e pouco abaixo do 90,9 do fim do ano passado, segundo o IBGE. Em maio, o indicador despencou para 80,1 a níveis de 2003, com a paralisação de caminhoneiros, quando a produção perdeu 10,9% ante abril. A recuperação veio em junho, com alta de 13,1%.

Mercado de trabalho
O primeiro semestre deste ano foi o melhor na geração de empregos em Brusque desde 2015. Segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) revela que o saldo entre admissões e demissões fechou em 2.066 positivos. O bom resultado do primeiro semestre dá continuidade a tendência de crescimento na geração de empregos. No mesmo período do ano passado, o saldo também foi positivo, mas um pouco abaixo: 1.686. Os saldos deste ano e de 2017 mostram que a economia municipal tem dado sinais de melhora. Brusque é o 5º município do Estado que mais tem gerado empregos formais neste ano.

Prova extra
O governo deve criar por decreto o exame obrigatório para habilitar formandos em Medicina ao exercício profissional, assim como o exame da OAB em relação aos advogados.

Fechamento dos Correios
Tem circulado informações sobre o fechamento de agências dos Correios no Estado. A empresa informa que há alguns casos de fechamento, mas não se trata de corte de custos, tampouco de estratégia. Alguns processos são pontuais e se devem a problemas nas renovações contratuais de imóveis ocupados pelas unidades de atendimento. Na impossibilidade de renovação dos contratos, por falta de habite-se, os Correios têm procurado parcerias com as prefeituras para cessão de imóveis, viando a manutenção do atendimento postal na localidade até que se concluam os processos de localização de um novo imóvel. A região de Brusque não deve ser afetada. Não existe previsão de fechamento em Brusque, Guabiruba, Botuverá, Nova Trento e São João Batista.

Força dos consórcios
No primeiro trimestre de 2018, um em cada três imóveis comercializados no Brasil foi adquirido por meio de consórcios. Os dados são do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo e do Sistema de Consórcios também apontam a predominância do uso do crédito para a aquisição de residências. Entre 2017 e 2018, o número saltou de 53,5% para 75,4%. De acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio, nos últimos 13 anos mais de 840 mil brasileiros conquistaram um imóvel próprio, residencial ou comercial, reformaram ou ampliaram o patrimônio com o auxílio da modalidade. O número representa uma média de 64 mil novos contemplados a cada ano.

Crimes ambientais
Nas últimas semanas foram contabilizadas pelo menos três situações de descarte irregular de efluentes no rio Itajaí-Mirim, em Brusque. A situação mais recente, na última semana, quando líquido de coloração azul saía de uma tubulação na avenida Arno Carlos Gracher, nas proximidades da Ponte Mário Olinger, direto no rio. Casos deste tipo são comuns no município e podem trazer consequências graves. Recentemente, o Samae precisou suspender a captação e o tratamento de água devido ao despejo de produtos químicos diretamente no rio no bairro Dom Joaquim, no ponto antes da captação de água para o tratamento. Sem fiscalização, empresas de Brusque cometem crimes ambientais e ficam impunes. Itajaí, que capta água para toda a população no rio Itajaí-Mirim sofre também com estas irregularidades.

Na China
A Max Wilhelm atravessou fronteiras e foi parar do outro lado do mundo. A empresa de Blumenau fechou uma parceria com uma distribuidora de bebidas chinesa e vai exportar garrafas de 250 ml e 510 ml de seu refrigerante de guaraná. A expectativa é embarcar quatro contêineres por mês com destino ao gigante asiático.

Colômbia regulariza venezuelanos
Cerca de 443 mil venezuelanos que migraram para a Colômbia empurrados pela crise econômica poderão permanecer regularmente no país por dois anos, segundo decreto assinado pelo atual presidente. Desta forma, a Colômbia regularizou nos últimos anos 820 mil migrantes do país vizinho. Isso é um marco internacional em questão migratória, disse o presidente. O governo legalizou temporariamente a situação dos venezuelanos em meio à maior onda migratória enfrentada pela Colômbia, um país que no passado viu milhares de seus cidadãos deixarem o país.

Desejo de empreender
Ser dono do próprio negócio está entre os quatro principais desejos dos brasileiros, segundo levantamento do Sebrae. O mesmo relatório aponta que pessoas com idade entre 18 e 34 anos, representam 50,8% do público envolvido na abertura d enovos negócios no país. Fazer o horário que melhor atende seu modelo de vida e ver os resultados renderem frutos para si e não para os chefes são alguns dos apontamentos feitos por jovens que escolheram o empreendedorismo em vez do emprego tradicional, com carteira assinada. Atualmente, eles representam 60% de quem busca formação no Sebrae no Vale do Itajaí.

Luz e esgoto
A Caixa Econômica Federal lançou editais para municípios e Estados habilitarem projetos nas áreas de iluminação e esgotamento sanitário. Poderão se habilitar 310 cidades com mais de 100 mil habitantes. A previsão de aporte, a curto prazo, é de R$ 100 milhões, porém esse valor pode aumentar bastante por meio da participação de bancos e organismos multilaterais de investimento, que já têm manifestado interesse ao governo federal. As prefeituras, empresas regionais e os governos estaduais poderão encaminhar propostas no período de 1º a 22 de agosto. O resultado deve ser anunciado em 12 de setembro, com previsão de contratação dos estudos ainda para este ano.

Balneário Saboroso
Foram 15.159 pratos vendidos durante a 9ª edição do Festival Balneário Saboroso, que terminou no domingo (29), com um movimento de 6,5% a mais do que no ano passado e um recorde histórico. O Convention & Visitores Bureau, que organiza o evento, já prepara novidades para o aniversário de 10 anos do festival.

Golpe do amor
Golpistas criam perfis falsos na internet se passando por estrangeiros, seduzem as vítimas e dizem que mandaram presente, mas pedem grana para que o produto seja liberado na alfândega. A Receita Federal está fazendo alerta sobre este golpe.

Menos ideologias, mais soluções
A maioria de nós vive nas cidades. Nós compreendemos o mundo por meio delas. A cidade como convívio, local de trabalho, de lazer, de encontro social, está no centro de nossas vidas. Portanto, tudo o que afeta o modo como são organizados e fornecidos os serviços da cidade nos compromete de maneira muito direta e intensa. Exigimos de nossos municípios serviços concretos: água potável, esgoto, jardinagem, limpeza, coleta de lixo, saúde, iluminação pública, segurança e tantos outros serviços essenciais que implicam uma gestão eficiente. Seus resultados são tangíveis e constituem parte substancial da nossa qualidade de vida. Se não existissem esses serviços, a cidade simplesmente não seria possível. Muitos problemas carecem de solução e a sua maioria se encontra na cidade e não nas ideologias. Em 2018, precisamos eleger agentes públicos que pensam e façam pelas cidades. Afinal, com soluções municipais e menos ideologias, dignificar-se-á ainda mais o bom convívio e a qualidade de vida entre todos.

Livraria Gralha Azul
Após 8 anos em Brusque, a Livraria Gralha Azul está encerrando suas atividades em espaço anexo ao Supermercado Archer (loja 3). A confirmação está sendo feita pelo proprietário, Celso Deucher. No começo, o objetivo da Gralha Azul era oferecer livros que proporcionassem uma leitura diferenciada para Brusque e região. Houve um momento em que a marca chegou a ter duas livrarias. Com o agravamento da crise econômica no País, atingindo vários setores, a leitura também foi afetada, dificultando a sobrevivência de várias livrarias. Sem incentivo à prática da leitura, este setor sentiu de forma imediata os reflexos da crise.

Endividamento cai em SC
O endividamento dos consumidores catarinenses caiu 2,2 pontos percentuais entre junho e julho. Na comparação anual, a queda foi de 5,6 pontos percentuais, o melhor resultado em cinco anos. É o que aponta a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores Catarinenses realizada pela Fecomércio-SC. Na comparação mensal, o percentual de famílias com contas em atraso caiu para 18%, já as famílias que não terão condições de pagar registrou uma alta no percentual de 10,6%. Outro dado que apresentou significativa queda foi o percentual de pessoas que afirmaram estar muito endividadas (5,1%).

Comércio de Balneário
Um impasse entre os donos e os trabalhadores de supermercados em Balneário Camboriú pode levar ao fechamento de todo o comércio durante os feriados, um golpe duro para o turismo de compras. As lojas abertas de segunda a segunda estão entre os principais atrativos da cidade. A origem do problema está num decreto presidencial que incluiu os supermercados como serviços essenciais desde o ano passado. Com a mudança, os supermercados não querem mais pagar um bônus pelos feriados trabalhados, como determinava a convenção coletiva assinada em Balneário Camboriú. Só que esse acordo inclui, também, todos os trabalhadores do comércio. Se os empregados conseguirem derrubar a obrigatoriedade de abrir nos feriados, por falta de bônus salarial, todo o comércio irá na mesma onda.

Nova marca
O Grupo Tigre está anunciando sua nova marca ao mercado, a Tigre Metais. Há quase dois anos, adquiriu o controle acionário da Fabrimar, tradicional fabricante de metais sanitários, acessórios e afins, com sede no Rio de Janeiro, e reforçou sua atuação no mercado com um amplo portfólio. Com produtos para banheiro, cozinha e área externa, a Tigre reforça a sua participação no mercado da construção civil e passa a ser o único presente em todas as etapas da obra. Nos últimos anos, a Tigre vem fazendo investimentos e aquisições visando consolidar a sua liderança como multinacional brasileira, com forte presença internacional e em soluções para a construção civil e cuidados com a água.

Turismo
Depois de uma baixa de mais de 30% no volume de turistas no mês de junho, reflexo ainda da greve dos caminhoneiros, o setor hoteleiro de Balneário Camboriú comemora os bons resultados de julho, considerado as férias de inverno, com tempo seco, fizeram subir as reservas de última hora. Boa parte dos hotéis chegou a 90% de ocupação no período.

Frango enlatado
A Gomes da Costa investiu R$ 10 milhões, entre pesquisas e produção, para lançar no mercado o primeiro frango em cubos enlatado fabricado no Brasil. A produção está concentrada no parque industrial da empresa em Itajaí e faz parte de uma estratégia do grupo Calvo, dono da marca, de apostar em outros produtos além do pescado, por enquanto, o frango em latinha será distribuído apenas em São Paulo.

Empresas com dívidas
O volume de empresas registradas em cadastros de inadimplentes cresceu 9,41% em junho na comparação com o mesmo período do ano passado. É a maior alta desde setembro de 2016, afirma o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). O sudeste foi a região com maior alta. Isso porque, em São Paulo, houve revogação de uma lei que exigia carta com aviso de recebimento antes de registrar a dívida e sujar o nome do devedor.

Duplicação da Antônio Heil
A obra de duplicação da rodovia Antônio Heil (SC-486), entre Brusque e Itajaí, tem ainda três grandes desafios para ser concluída. São as obras em três cruzamentos que demandam bastante tempo de execução. Um dos principais entraves para o acesso em dois níveis próximo da Petrobrás, as desapropriações dos últimos três imóveis estão concretizadas. A grande rotatória que haverá no cruzamento da rua Itajaí com a rodovia é outro desafio para a obra, já no trecho em Brusque. Outro ponto de destaque para o término da duplicação é o entroncamento na altura do km 20. Em princípio, a data para finalização da obra está mantida para dezembro.

O Brasil que eu quero (1)
Acreditamos que todos estejam acostumados com a campanha para colher manifestação por meio de vídeo gravado e enviado para uma emissora de TV, relatando as expectativas para o Brasil do futuro. A curiosidade nos impulsiona a analisar os vídeos enviados. O Brasil que quero para o presente e para o futuro é um país cujo povo seja honesto e responsável, o que refletirá, sem dúvida, em seus governantes. Quero um país no qual os cidadãos cumpram seus deveres e cessem, definitivamente, de querer levar vantagem em tudo, desde a utilização das vagas de estacionamento reservada aos idosos e deficientes, o desrespeito às filas até as ligações clandestinas de esgoto que poluem os rios. Quero um Brasil onde não mais seja dito: “com nota (fiscal) ou sem nota? Sem nota posso dar um desconto”.

O Brasil que eu quero (2)
Quero um Brasil em que os cidadãos assumam suas responsabilidades e não choraminguem esperando que as soluções sejam encontradas pelos outros, clamando pela interferência dos militares, OAB, CNBB, maçonaria ou caminhoneiros. Quero um país em que o voto seja visto como um dever cívico e um direito de escolher legítimos representantes, que seja um ato de responsabilidade, jamais sendo utilizado como moeda de troca por favores ou bens materiais. Quero famílias bem estruturadas, em que as comunicações entre pais e filhos sejam mais constantes do que as conversas nas redes sociais. Quero, no futuro, um Brasil que eu possa construir, juntamente com você, prezado leitor, pois a responsabilidade para alcançarmos a ordem e o progresso é nossa. Comecemos a fazer a nossa parte.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 07/08/2018 às 12h13 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Desoneração da produção
Produzir no Brasil é muito caro. Por terem chegado a essa conclusão, muitas das nossas empresas estão abrindo seus novos negócios em outros países, ou preferindo outras regiões do País onde a carga tributária é significativamente menor, por conta dos incentivos federais regionais. Estamos cada ano vendo nossa região ter menos investimentos e o Paraguai crescendo a taxas invejáveis, graças aos nossos investimentos por lá. As contribuições sociais que incidem sobre a mão de obra são gigantes. Os custos da burocracia e da logística beiram a 10% do custo final. O câmbio, na maioria das atividades, é desfavorável. A carga tributária que gira em torno de um terço da receita (dependendo do setor), é uma das maiores do mundo.

Justiça que tarda e falha
O volume de processos recepcionados pelo Judiciário diariamente nos faz crer que em breve, enfrentaremos o caos. Alguns reflexos já estão sendo sentidos na lentidão dos trâmites judiciais, além de comarcas que estão sem juízes ou com magistrados substitutos, os quais somente despacham urgências. A união desses fatores forma uma bola de neve que deixa vítimas pelo caminho, causando danos financeiros e psicológicos imensuráveis. Nos Juizados Especiais Cíveis, alguns processos chegam a aguardar três anos somente por uma sentença, mais três ou quatro anos por uma decisão da Turma Recursal, além de outros procedimentos. Ou seja, uma pequena demanda pode durar cerca de 10 anos para ser finalizada.

Esperando
O grupo Havan e uma rede de lojas de atacado estão com projetos prontos para começar a construir seus empreendimentos na região Sul de Joinville. Juntos os negócios devem gerar 400 empregos. O empresário Luciano Hang disse que já esteve várias vezes na fila para construção de sua terceira loja na cidade, mas precisou fazer investimentos novos em outras cidades do País. A Havan entrou com pedido de aprovação de projeto em 7 de junho de 2017. A Associação Empresarial de Joinville quer saber quem deve licenciar os empreendimentos no município: a Secretaria da Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura ou o Instituto do Meio Ambiente do governo do Estado?

Teka
A Teka (Tecelagem Kuehnrich) de Blumenau, do segmento têxtil cama, mesa e banho, teve vendas líquidas em 2017 na ordem de R$ 132,1 milhões, contra R$ 158,9 milhões no ano anterior. O resultado líquido do exercício foi um prejuízo de R$ 168,3 milhões. Em 2016, o prejuízo líquido foi de 133,9 milhões. O Passivo a Descoberto (Patrimônio Liquido: Capital Social e Reservas) é negativo em R$ 1,47 bilhão. A conta de Prejuízos Acumulados soma R$ 1,61 bilhão. A liquidez corrente em 31 de dezembro é de apenas R$ 0,025. A empresa encontra-se em Recuperação Judicial.

River Mall
Com mais de 60 espaços exclusivos para o setor comercial e de serviços, com segmentos variados em um mesmo local, no Centro de Brusque, na Avenida Otto Renaux, eis que surge um novo empreendimento empresarial, já disponível e com previsão para abertura oficial em 3 de outubro. Contatos poderão ser feitos pelo telefone (47) 3308-0200.

Secmasc em agosto
O Seminário de Conciliação, Mediação e Arbitragem de SC está programado para os dias 24 e 25 de agosto, em Florianópolis, tendo como local o auditório Primavera – Impact Hub Floripa, no bairro Saco Grande. Os preços variam de R$ 70,00 (estudantes) a R$ 400,00 (profissionais). A programação completa está no site www.fecema.org.br/secmasc. O evento irá debater as modernas técnicas de solução de conflitos. Conciliação, mediação e arbitragem são soluções que garantem melhores resultados para as empresas.

Revisão
A Confederação Nacional da Indústria reduziu as expectativas de expansão da economia em um ponto percentual para 2018. Na atualização, estima que o PIB crescerá 1,6% neste ano, ante 2,6% previstos em abril. O PIB industrial terá expansão de 1,8%, menos que os 3% estimados há três meses. Conforme as previsões da CNI, os investimentos crescerão 3,5%, o consumo das famílias aumentará 2% e a taxa de desemprego fechará o ano em 12,45%.

Vendas de eletrônicos
O setor de eletroeletrônicos acompanhou o ritmo de gradual crescimento da economia brasileira no primeiro semestre deste ano, com alta nas vendas em todos os segmentos. No período, o destaque ficou por conta da Linha Marron, com o impulso da Copa do Mundo para a venda de televisores.

Turista estrangeiro gasta mais
A receita gerada pelo turismo internacional no Brasil, de janeiro a junho, registrou alta de 5,94% na comparação com o 1º semestre de 2017. Em visita a destinos brasileiros no período, os viajantes estrangeiros deixaram no país US$ 3,24 bilhões, US$ 180 milhões a mais que nos primeiros seis meses do ano passado, que foi de US$ 3,06 bilhões. Os dados são do Banco Central do Brasil. A entrada de turistas estrangeiros no Brasil aumentou 8% no primeiro semestre deste ano.

Após pior recessão
O PIB que o Brasil tinha quando a crise teve início só será alcançado em 2020, aponta a Fundação Getúlio Vargas, que destaca uma recuperação muito lenta se comparada a outros períodos após recessões longas, como a do início dos anos 1980, quando o país encolheu 8,5%.

Juros do cheque especial
Segundo dados do Banco Central, em média, os juros do rotativo (quando se paga o mínimo da fatura) caíram de 303% ao ano, em maio, para 292% ao ano em junho. No cheque especial, os juros diminuíram de 312% ao ano, em maio, para 305% ao ano, em junho.

Trigo ameaça subir
A imposição de uma tabela de frete, principal vitória dos caminhoneiros com a greve, chegou às padarias. Os moinhos afirmam que precisam reajustar a farinha para incorporar o novo custo, que se soma à disparada do dólar e a alta nos preços do trigo. Padarias contestam e afirmam que a alta nos últimos meses é expressiva o suficiente para compensar o frete mais caro. Segundo proprietários de moinhos, a farinha subiu 45% nos últimos meses.

Vão subir
Os aumentos nas tarifas de gás natural (21%) e da energia elétrica, possivelmente na faixa de 10% a 12% em agosto, aterrorizam as empresas e as pessoas.

Ganho real
Detalhado estudo feito pelo Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese-SC) mostra que, no primeiro semestre deste ano, a grande maioria das negociações fechadas entre sindicatos patronal e de trabalhadores resultou em algum pequeno aumento real. Das 2,8 mil convenções assinadas, houve reposição acima da inflação em 88% dos casos. Na média, os ganhos no período ficaram em 0,94%.

Celos na Justiça
Ação civil pública contra a Celesc e ex-dirigentes, conselheiros, gestores da Fundação Celos de Seguridade Social foi impetrada na 3ª Vara da Justiça Federal de Florianópolis pelo Instituto Nosso Brasil (Inbras). Pretende responsabilizá-los pelos prejuízos da Celos nas gestões anteriores à atual, além de indenização de R$ 960 milhões, o valor total do rombo dos últimos anos.

Elétricos
A BMW inaugurou pontos de recarga para veículos elétricos. São seis na Via Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro. A iniciativa é parceria com a EDP, multinacional que detém 20% da Celesc. A montadora já começou a produzir carros semiautônomos em Araquari e sabe da importância de entrar com força no mercado de veículos elétricos rapidamente no Brasil.

Convênio com hospital
O Imigrantes Hospital e Maternidade de Brusque anunciou que fechou parceria com mais um plano de saúde. Trata-se do Sintimmeb Saúde, plano destinado aos trabalhadores das indústrias metalúrgicas associados ao sindicato da categoria. O convênio é válido para consultas e exames. Outro convênio assinado foi com a Agemed. Estão em andamento assinaturas de convênios com a Unimed, Bradesco Saúde e Caci (B.Brasil).

Tirando dinheiro
Estudo da Fundação Getúlio Vargas mostra que os baixos salários e o alto nível de desemprego (13,3 milhões de brasileiros) produzem uma consequência natural: a retirada de dinheiro das aplicações. A situação é pior para aqueles que recebem menos. Como exemplo temos os que ganham até R$ 2.100 com 8,2% deles gastam poupança com despesas diárias e 15,1% estão endividados.

Araquari
Enquanto Joinville ainda corre atrás para recuperar as vagas perdidas entre 2015 e 2016, apesar da recuperação em 2017 e 2018, falta repor 2,7 mil empregos, Araquari já conseguiu levantar o mercado de trabalho com sobras. Em 2015, a cidade perdeu 554 empregos. Mas de 2016 até junho de 2018, já são 1,4 mil novos empregos. A cidade respira novas oportunidades e cresce com novas empresas se instalando.

Hoteleiros
Santa Catarina recebeu no último final de semana o maior encontro de hoteleiros do Sul do país. Durante três dias, o CentroSul, em Florianópolis, reuniu empresários, líderes, especialistas, fornecedores e profissionais da hotelaria e do turismo nacional, que discutiram e apresentaram soluções para o tema Pessoas & Tecnologia na Hotelaria.

Fazendo bicos
Nos primeiros seis meses do ano, 6 em cada 10 brasileiros precisaram fazer um trabalho extra para complementar a renda. Nas classes mais pobres, essa proporção sobe para 7 em cada 10. Os dados são de uma pesquisa do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) com a CNDL (confederação dos lojistas). Dentre os motivos que contribuíram para a busca pelos chamados “bicos” estão a lenta recuperação econômica do país, além das altas taxas de desemprego. Para 51% dos consumidores disseram que as condições gerais da economia pioraram ao longo deste ano ante o mesmo período do ano passado.

Salário do prefeito de Brusque
O salário do prefeito de Brusque para expediente (somente à tarde) é de R$ 27,6 mil em valores brutos, o que coloca na lista do quarto maior salário entre os prefeitos de Santa Catarina, perdendo apenas para Itajaí (R$ 34,3 mil), Jaraguá do Sul (R$ 29,6 mil) e Joinville (R$ 29,0 mil). Já os secretários municipais também tem salários altos: R$ 13,4 mil, perdendo apenas para Jaraguá do Sul (R$ 16,8 mil), Florianópolis (R$ 16,6 mil) e Itajaí (R$ 14,0 mil). Assim, chega-se a conclusão que se a administração municipal de Brusque tivesse expediente normal de oito horas, poderia reduzir em muito a folha de pagamento e parar de reclamar pela falta de recursos.

Indústria gráfica
A indústria gráfica de Santa Catarina elevou seu status à potência global com a conclusão da fusão entre a Baumgartner, de Blumenau, e as alemãs Rako e X-Label. A união de forças anunciadas em outubro de 2016, deu origem à All4Labels. Desde aquela época, a direção do novo grupo vinha trabalhando na completa integração entre os três sócios. Pela proximidade entre duas delas, sediadas no mesmo país, o processo começou na Europa para depois avançar para a operação brasileira. O ponto final dessa jornada foi marcado pelo anúncio oficial do encerramento dos trabalhos a funcionários e ao mercado na última semana. O sonho virou realidade e a Baumgartner já não é mais de Blumenau. Agora é global. A All4Labes nasceu como a terceira maior empresa do mundo no mercado de rótulos impressos e a primeira entre aquelas de capital fechado. Opera quase 30 unidades, três delas herdadas da Baumgartner em Blumenau, no México e na Argentina e atende mais de 5 mil clientes em todo o mundo.

Justiça decidirá multa em construção
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) vai decidir a partir de agosto se construtoras que atrasam a entrega das chaves além do período de carência podem acumular pagamento de indenização e multa ao comprador do imóvel que recorre à Justiça. Mais de 6 mil ações estão suspensas na corte aguardando a decisão vinculativa. Compradores costumam entrar com ação pedindo indenização pelo lucro que perderam com o atraso (se tivesse vendido o imóvel, por exemplo) e multa quando a entrega avança sobre o prazo de tolerância estipulado em contrato, geralmente de 180 dias. Ainda não há data para o julgamento.

Revisão sem gastar
Os aposentados do INSS que pretendem aumentar o valor do benefício podem utilizar três serviços gratuitos para solicitar a revisão. A primeira opção é entrar com o pedido na própria Previdência. É preciso que o aposentado descreva em uma carta porque quer a revisão e anexe documentos que mostrem que ele tem direito. A segunda opção é procurar os Juizados Especiais Federais, onde são aceitas ações de até 60 salários mínimos (R$ 57.240). Por fim, também é possível recorrer à Defensoria Pública. Neste caso, é preciso ter renda familiar de até R$ 2 mil.

Cortes no INSS
Até o final do ano, mais de R$ 5 bilhões gastos em benefícios da Previdência deverão ser cortados por causa de irregularidades em apuração no Ministério da Transparência e na CGU (Controladoria-Geral da União). O corte segue a revisão de benefícios feita por determinação de comitê criado em abril de 2016. Na última semana, o governo anunciou a suspensão de 341,7 mil auxílios-doença e 108,5 mil aposentadorias por invalidez, totalizando uma economia de R$ 9,6 bilhões.

Não qualificação cresce após crise
Mais de 50% dos profissionais que atuam por conta própria em áreas que não exigem nenhuma qualificação trabalham dessa forma devido às consequências da crise econômica. Essa é a conclusão de um levantamento realizado pelo Dieese com base em pesquisa do IBGE. Desde 2015, as profissões que mais cresceram foram as de ajudantes de construção de edifícios, vendedores ambulantes e trabalhadores de agricultura. Todas elas se caracterizam pelas condições precárias de salário e ausência de direitos trabalhistas.

Salário antigo na aposentadoria
A chamada revisão da vida inteira faz com que o INSS inclua no cálculo das aposentadorias as contribuições que o trabalhador fez antes de julho de 1994. Pelas regras atuais da Previdência, esses valores são ignorados, pois são anteriores ao Plano Real. Na Justiça, a revisão ainda está em discussão, com decisões a favor e contra os aposentados. Não há uma palavra final sobre a questão. Antes de entrar com a ação para solicitar esse reajuste, o segurado precisa verificar se ele será realmente vantajoso. A revisão vale a pena especialmente para quem recebia salários altos no passado. É possível verificar todos os valores na sua carteira de trabalho. Também é importante contar com a ajuda de um advogado.

Acordos da poupança
A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) estuda tornar mais ágil a adesão de poupadores ao acordo para ressarcimento de parte dos prejuízos dos planos econômicos Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 2 (1991). A lenta adesão de poupadores ao acordo tem sido parcialmente atribuída às diversas etapas a serem cumpridas para o cadastramento no site www.pagamentodapoupanca.com.br. Estima-se que aproximadamente 1 milhão de pessoas tenham direito de receber alguma compensação por mudanças no cálculo da caderneta de poupança nos períodos de implantação dos planos econômicos. Após dois meses de funcionamento, porém a plataforma recebeu apenas cerca de 50 mil cadastramentos. Melhorias no processo serão estudadas para tornar mais ágil a execução dos procedimentos. Segundo a federação, a operação é complexa devido à necessidade de garantir a segurança dos credores. O acordo prevê o pagamento da dívida com desconto de até 19%, de acordo com associações, governo e bancos.

Empréstimo dos aposentados
Com dinheiro curto e falta de emprego, aposentados e pensionistas do INSS têm procurado pegar mais empréstimos em bancos e financeiras. De janeiro a maio deste ano, foram emprestados R$ 4 bilhões a mais em crédito consignado na comparação com o mesmo período de 2017, alta de 16%. Nos cinco meses deste ano, foram emprestados R$ 30,2 bilhões. Como o desconto é feito na folha de pagamento, há taxas menores. Porém, a facilidade pode causar prejuízo. Para especialistas, não se deve pegar empréstimos em nome de parentes ou amigos que estão no vermelho. É preciso desconfiar de proposta de renegociação: apesar de a prestação reduzir, esticar o prazo significa mais juros.

Benefício irregular
Dentro de uma operação pente-fino que busca reavaliar a destinação dos recursos públicos, o governo identificou, entre janeiro de 2016 e maio deste ano, R$ 10 bilhões em pagamentos indevidos a beneficiários de três programas: Bolsa Família, aposentadoria por invalidez e auxílio-doença. Os beneficiários que tiveram os benefícios suspensos não se enquadravam nas exigências. No ano passado, a despesa total com os três foi de R$ 107,4 bilhões. A expectativa é que pente-finos encontrarão outros R$ 20 bilhões em benefícios irregulares até 2020, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social. E tem avaliações em andamento também no Fies (Financiamento Estudantil), do seguro defeso (espécie de seguro desemprego temporário do pescador artesanal) e do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Aposentado ainda pode ter revisão
O prazo para um aposentado pedir a revisão do benefício pode ser maior do que 10 anos. Isso ocorre caso o INSS tenha deixado de analisar algum período ou documento ou o segurado consiga documentos novos aos quais não teve acesso antes de se aposentar pela Previdência. Conforme entendimento da Turma Nacional de Uniformização, dos Juizados Especiais Federais, o segurado não pode ser punido pelo prazo de decadência nesses dois casos. Por isso, ele pode procurar a Justiça para conseguir um benefício mais vantajoso. Advogados especialistas mostram os caminhos para obter a revisão da aposentadoria após uma década.

Rotatividade de porteiros é prejudicial
A rotatividade de porteiros é prejudicial para a segurança de um prédio. Manter o funcionário motivado e empenhado faz com que o dia a dia de um condomínio flua de forma eficaz e saudável. A importância em se manter o mesmo porteiro no condomínio é a confiança que os moradores depositam nesse funcionário. Ele fica habituado às normas internas. Com isso, faz melhor o controle de acesso, o que traz mais segurança.

Golpe em segurados
A Polícia Civil de Santo André (SP) abriu inquérito para investigar uma série de golpes aplicados contra aposentados e pensionistas do INSS. Quatro funcionários da ASBP (Associação Brasileira de Apoio aos Aposentados, Pensionistas e Servidores Públicos) foram presos em flagrante por estelionato e associação criminosa. Os detidos são acusados de manter um esquema que prometia revisão do FGTS e da aposentadoria a idosos. As vítimas recebiam uma carta dizendo que deveriam comparecer com urgência na sede da associação para dar entrada no pedido. Presencialmente, os funcionários informavam que era necessário pagar uma taxa de aproximadamente R$ 4 mil. Após meses, o aposentado era informado que a revisão foi negada.

Na mira da Justiça
Em 2016, o Ministério Público de São Paulo apresentou ação civil pública contra diversas associações. A promotoria afirma que eles enganavam idosos com promessas de revisões e reajustes. A ASBP foi uma dessas associações. Em 2012, o Tribunal de Justiça chegou a proibir a entidade de aceitar novos casos. Os processos ainda estão tramitando.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 31/07/2018 às 15h33 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Falência da Somelos
A Justiça de Brusque decretou a falência da Somelos Tecidos, fábrica estabelecida no bairro Limeira e que estava em recuperação judicial desde abril de 2017. Com problemas financeiros e à espera de aportes de sócios estrangeiros que nunca se confirmaram, a fábrica não pôde mais manter suas atividades. Cerca de 40 funcionários ainda estavam aguardando a eventual retomada das atividades, sem receber salários desde dezembro de 2017. Além disso, diversos ex-funcionários ajuizaram ações trabalhistas e firmaram acordos que não estão sendo honrados. A Somelos empregava aproximadamente 120 trabalhadores na produção, antes de paralisar as atividades, em dezembro do ano passado. Fundada em 1958, em Portugal, com o nome de Sociedade Teixeira de Melo & Filhos, dedicando-se inicialmente à produção de fios e mais tarde à produção de tecidos de algodão.

SC um Estado diferente
Com pequena extensão territorial, grande sportos, colonização europeia e uma indústria pujante, Santa Catarina é o Estado com o maior índice de recuperação da economia. Diferentes setores como o comércio, as exportações e o setor construtivo puxam o carro econômico e garantem o melhor posicionamento diante de toda a Federação. Do registro de aumento no número de vagas à redução do ICMS para o setor intermediário que garante mais circulação de mercadorias internamente diferentes, argumentos pontuam este cenário. Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo apontam que Santa Catarina foi o único Estado brasileiro em que o número de abertura de estabelecimentos comerciais superou o de fechamento em 2017. No cenário geral de vagas, o Estado novamente aparece com destaque Santa Catarina também teve duas cidades na lista das que mais abriram vagas de empego em 2017, com Joinville à frente de todas as outras no Brasil.

Lançamento Primavera 2018
Será dia 29 de julho, domingo, das 10h às 19h. As mais de 160 lojas do Stop Shop, em Brusque, apresentam com exclusividade as tendências da Primavera 2018. Venha conhecer as coleções que estão inspiradoras e novas lojas estarão abertas esperando pela grande clientela do shopping.

Mediação
A vida moderna oferece inúmeras oportunidades. E com elas, sempre surgem conflitos, de toda natureza. Um acordo, um contrato, uma sociedade, uma questão de família, uma briga de condomínios, uma disputa interna na empresa. Conflitos acontecem toda hora, para qualquer um. A forma como você lida com esse conflito é que pode fazer muita diferença. A solução pode ser lenta, cara, estressante e desgastante. Questões judiciais arrastam-se por muitos anos. Pendências destroem amizades, rompem sociedades, separam grupos, ferem famílias. A Mediação e a Arbitragem são meios atuais, pacíficos, eficientes e rápidos de resolver conflitos.

Aeroporto bate recorde
O Aeroporto de Navegantes terminou o semestre com recorde histórico de 925 mil passageiros, 32% a mais do que entre janeiro e junho do ano passado. O crescimento expressivo elevou a expectativa para o resultado deste ano. Se o ritmo de movimentação persistir, a Infraero espera fechar 2018 com 1,8 milhão de passageiros, 200 mil a mais do que em 2017. O crescimento aumenta o interesse na operação. Pelo menos duas novas rotas estão em negociação para Navegantes e poderão ser divulgadas ainda neste ano.

Empregos no país
O Brasil encerrou o mês de junho com o fechamento de 661 vagas. No acumulado do 1º semestre, o saldo é positivo com 392.461 empregos gerados. Em Santa Catarina os números também foram negativos: 4.020 empregos fechados. A grande maioria dos municípios tiveram mais demissões do que admissões. Os municípios de SC que mais geraram empregos formais no semestre foram Joinville (+4.994), Blumenau (+3.836), Chapecó (+2.407), Jaraguá do Sul (+2.294) e Brusque (+2.089). os piores desempenhos no semestre estão com Balneário Camboriú (-1.714) e Florianópolis (-1.678). As informações são Caged/SC.

Economia atropelada (1)
Com a divulgação de alguns números de maio e junho, já dá para ter uma ideia dos impactos da paralisação dos caminhoneiros na economia do país. Eles não são pequenos. Os problemas mais evidentes vieram da bagunça nos transportes, que atrapalhou as empresas. De abril para maio, a produção da indústria desabou> a queda de 10,9% foi a maior desde dezembro de 2008. A fabricação de automóveis, por exemplo, recuou 25,9%. As vendas, 7,8%. Em junho, o movimento continuou fraco. Como resultado, as previsões para o crescimento da economia neste ano, que já andavam em baixa, caíram mais. Até o Banco Central já cortou a sua, de 2,6% para 1,6%. No mercado já há quem fale em menos de 1%. É uma mixaria, ainda mais para um país que está saindo de uma crise profunda.

Economia atrapalhada (2)
A inflação também se alterou. So a cesta básica subiu quase 8% em 30 dias. O IPCA-15 de junho ficou em 1,11%, maior taxa para o mês desde 1995. Mesmo graves, esses efeitos deveriam ser passageiros, mas a paralisação acabou agravando temores que já afligiam empresários e consumidores. Um deles é a incerteza eleitoral. Ninguém consegue prever o resultado da disputa presidencial neste ano, e o apoio da população aos caminhoneiros mostrou como os brasileiros estão insatisfeitos com o governo e os políticos. Nesse cenário, a recuperação da economia fica ainda mais difícil e não resta muito a fazer para melhorar a situação. Os presidenciáveis podem ajudar se apresentarem propostas claras e viáveis na campanha.

Menos plástico (1)
Em Brusque, os vereadores apreciam na Câmara Municipal um projeto de lei que obriga restaurantes, bares, lanchonetes e similares a oferecerem apenas canudinhos de papel biodegradável e/ou reciclável. O texto prevê um prazo de adequação de seis meses se o projeto for aprovado. As penalidades em caso de descumprimento serão fixadas pelo Executivo. A proposta tramita nas comissões internas da Câmara.

Menos plástico (2)
Em nível nacional, iniciativas surgem mesmo sem lei tornando obrigatória a substituição. A rede Bob’s, por exemplo, iniciou neste mês a troca dos canudos de plástico pelos biodegradáveis. Em Blumenau, reportagem do JSC já mostrou a tendência ganhando corpo na cidade. Ao que tudo indica, tendência irreversível. Para o nosso bem.

Restrições no nome
Cerca de 42% da população adulta do país está inadimplente. É o que estimam o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). No primeiro semestre, 63,6 milhões de consumidores tinham ao menos uma conta em atraso.

Sem retorno
Outra pesquisa realizada pelo Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina (CRC-SC) concluiu que os contribuintes do Estado proporcionaram uma arrecadação total em 2017 de R$ 32 bilhões. Gravíssimo: com retorno em obras e serviços federais de apenas R$ 9 bilhões. O governo central deve R$ 24 bilhões só de 2017. E ainda há corte de verbas em 2018.

Perdidos no cartão de crédito (1)
O cartão de crédito é um instrumento precioso para o consumidor. Além de prático e fácil de usar, ele permite planejar melhor as compras maiores e as datas de pagamento. Mas o cartão também é um perigo para quem não consegue controlar suas despesas. E isso pode ser mais comum do que parece. Uma pesquisa do SPC Brasil com a confederação dos lojistas mostrou que três de cada dez brasileiros que usaram esse meio de pagamento não sabiam quanto gastaram. Quando alguém perde as contas do que anda comprando, o resultado mais comum é ficar endividado. Uma hora chega a fatura e não há grana para a quitação. Daí em diante, esse consumidor precisa arcar com juros que estão entre os mais altos do mercado. E nem é preciso lembrar que as taxas brasileiras estão entre as maiores do mundo.

Perdidos no cartão de crédito (2)
Com a economia mal das pernas e a renda da população em baixa, fica mais comum o emprego do cartão para gastos do cotidiano. Na pesquisa, 63% disseram que usam o instrumento nos supermercados e 47% para compras de remédios. Isso quer dizer, que em muitos casos, os brasileiros estão dando um jeito de esticar o salário. É um recurso que pode funcionar às vezes, mas não deve virar hábito. Assim como é essencial viver dentro das possibilidades financeiras, é importante fazer o cálculo de quanto se recebe e se gasta todo mês, em dinheiro e outros meios. Não se deve deixar as dívidas crescerem no cartão e no cheque especial. Os sacrifícios, depois, serão maiores que os benefícios de agora.

Cesta básica
O Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) divulgou o seu relatório mensal sobre a variação do preço da cesta básica em Brusque, relativo ao mês de junho. De acordo com os dados, o preço dos itens básicos no município cresceu 3,74% em relação a maio, chegando a R$ 382,86. É a variação mais expressiva desde abril do ano passado. Nas comparações com as capitais do país, Brusque tem uma cesta básica mais cara do que 17 capitais, entre elas, Campo Grande, Belo Horizonte, Manaus, Salvador e Recife. A que mais se assemelha é a de Belém, custando R$ 1,21 a menos.

Turnê têxtil
Atlântica, Bella Janela, Bouton, Buddemeyer, Fibrasca, Hedrons e Lepper são as empresas que participam da 10ª edição da Turnê do Mercado Têxtil em Santa Catarina, que ocorre entre os dias 23 e 27 deste mês. Durante esses dias, representantes de lojas e redes varejistas conhecem, dentro dessas empresas, as novidades do mercado têxtil catarinense.

A força das pequenas
O número de micro e pequenas empresas de Santa Catarina saltou de 41 mil em 2010, para 49 mil em 2016, mostra pesquisa da Federação das Indústrias de SC (Fiesc). Ainda conforme o levantamento, as MPEs tiveram um saldo, na indústria, de 10 mil vagas de emprego em 2017, com alta de 3,4% nas exportações.

Terceira mais cara do Brasil
A Assembleia Legislativa de Santa Catarina é a terceira mais cara do Brasil, segundo estudo inédito que avalia as despesas totais em 2017, a população e o gasto médio por deputado. A conclusão é da pesquisa “Contabilizando para o Cidadão”, realizada pelo CRC-SC. No item médio de despesas por deputado, Minas Gerais aparece em primeiro lugar, com R$ 17,5 milhões ao ano, seguido do Distrito Federal, com R$ 16,9 milhões. Santa Catarina está em terceiro com R$ 15,9 milhões. Acre é a Assembleia mais econômica, com gasto médio por deputado de R$ 5,9 milhões.

Aquisição
A Híbrido, empresa de Brusque que atua no ramo de comércio eletrônico, adquiriu parte da conterrânea Demacode, especializada no desenvolvimento de sites institucionais e aplicativos.

Obrigações dos municípios (1)
A Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) divulgou na última semana, nota extensa na qual manifesta preocupação com o excesso de obrigações que os legisladores tem colocado nas costas dos municípios, os quais já têm, na sua avaliação, obrigações demais e recursos de menos. Sobraram críticas para o Congresso Nacional e também para o governo do Estado. Anunciou-se estimativas de déficit bilionário em SC e cria-se em âmbito estadual, quase mil novos cargos públicos.

Obrigações dos municípios (2)
Na contramão da lógica e responsabilidade, o Congresso Nacional fixa regras que se consumadas, permitirão a criação de 300 novos municípios brasileiros, critica a entidade, na nota. A Fecam também se manifesta contrária à aprovação, pela Câmara dos Deputados, de lei que fixou o piso salarial dos agentes comunitários de saúde, impondo aos municípios brasileiros obrigação complementar estimada em R$ 2 bilhões.

Obrigações dos municípios (3)
Essa mecânica de descontrole dos gastos públicos por meio da criação de novos cargos públicos, aumento de pisos salariais, possibilidade da criação de mais municípios e diferentes auxílios e benefícios (moradia, carros, dentre outros), são alguns exemplos de recursos aplicados sem a responsabilidade e o cuidado exigido no cenário atual, defende a Fecam, cuja nota é assinada pelo seu presidente, o prefeito de Itajaí.

Recebimento de venezuelanos
A Secretaria de Assistência Social de Brusque respondeu à Secretaria de Estado da área que não tem condições de receber venezuelanos. O Estado consultou o município se poderia acolher alguma quantidade de imigrantes para contribuir com a integração deles à sociedade. A vinda de imigrantes acarretaria em mais serviço para a prefeitura. Outros municípios consultados também se negaram a receber venezuelanos. Até junho deste ano, 24,3 mil venezuelanos pediram refúgio no Brasil, segundo dados do Ministério da Justiça, o que representa um crescimento de 27% em relação ao ano anterior. Apenas em Roraima, principal acesso dessa população ao país, foram registrados 18,3 mil pedidos de refúgio no primeiro semestre deste ano, número maior do que o total de pedidos em todo o país registrados em 2017.

Cidadania financeira
A vida financeira é um dos aspectos da vida das pessoas que interfere diretamente em vários outros. Finanças desorganizadas e falta de conhecimento a esse respeito causam impactos negativos em diversas frentes do nosso convívio. Só quem tem informação, educação e controle sobre a vida financeira tem o poder de tomar decisões que garantam segurança, estabilidade e oportunidade para a família e a comunidade. O Brasil ainda precisa avançar, e muito, quando o assunto é dinheiro. Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostrou que 80% da população ainda não sabe gerir os próprios recursos. Esses dados alertam para a importância de se investir em ações para que o cidadão tenha mais consciência sobre a renda e como torná-la uma aliada e não uma inimiga.

O peso da inadimplência
A inadimplência, drama que atinge hoje uma parcela crescente dos brasileiros, é um dos sintomas mais perversos da recessão, pois dificulta ainda mais as perspectivas de retomada do setor produtivo. Famílias altamente endividadas ficam presas a um círculo vicioso, sem acesso ao crédito e, portanto, ao consumo que poderia reaquecer a economia. Inadimplência em alta como a registrada pela Serasa Experian é uma triste companheira do desemprego.

Área de risco
A maior tragédia climática que deixou marcas em Santa Catarina e, especialmente, no Vale do Itajaí, está completando 10 anos em novembro deste ano. O fim de 2008 mudou a história de cidades na região com a chuva forte e danos consequentes: deslizamentos de terra e cheias nos rios e ribeirões. Entre as 50 cidades dos três Estados com mais moradores de áreas de riscos, nove ficam no Vale do Itajaí: Blumenau, Gaspar, Itajaí, Brusque, Ilhota, Taió, Pomerode, Timbó e Presidente Getúlio. Somados, os municípios tinham mais de 130 mil pessoas em áreas de risco em mais de 40 mil domicílios.

WEG aumenta lucro
A Weg teve receita operacional líquida no primeiro semestre deste ano no montante de R$ 5,6 bilhões, contra R$ 4,4 bilhões em igual período do ano passado. Teve lucro líquido no semestre de R$ 621,6 milhões, contra R$ 529,8 milhões em 30 de junho de 2017.

Nome de terceiros
Quase metade dos brasileiros (44%) já usou nome de terceiros para fazer compras a prazo no comércio. O dado é da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). Sinal inequívoco de que o socorro financeiro vem de parentes e amigos quando se perde o crédito e o nome fica sujo na praça. O comportamento popular embute dois riscos: o de criar dívidas extras e artificiais de quem não vai usufruir do bem ou serviço adquirido; e o de se perder o amigo inadimplente.

Irresponsabilidade
Tem deputado federal de SC apoiando projeto de lei complementar, que está para ser votado, que autoriza a criação de novos municípios no país, elevando o total acima dos atuais 5.570. As novas administrações viriam acompanhadas de secretarias, cargos administrativos e de câmaras municipais, com custo de dezenas de bilhões. Atualmente, mais de 70% das prefeituras não se sustentam sozinhas e dependem em mais de 80% de verbas que vêm de fontes externas à sua arrecadação.

Plano de saúde
O reajuste dos planos de saúde individuais e familiares é calculado com base em uma metodologia falha, segundo documentos do Ministério da Fazenda. As críticas estão em notas desde 2014, mas são mais fortes neste ano. Parecer de junho diz que há erros conceituais na conta, que permite às operadoras repassarem aos clientes custos das falhas de eficiência do setor. O reajuste de que trata o documento é o definido pela ANS em 10% neste ano para convênios individuais e familiares, o que atinge otio milhões de usuários. A ANS informa que elabora nova fórmula de cálculo.

Negócios internacionais
Cinquenta empresários de indústrias metalúrgicas e mecânicas de Blumenau e região estiveram no Paraguai. No país vizinho, participaram de uma rodada de negócios na capital Assunção, de olho em novas oportunidades comerciais.

GM faz teste em Itajaí
O Porto de Itajaí fez na última semana operação-teste de desembarque da General Motors com mil carros trazidos do Porto de Zarate (Argentina) pelo navio European Highway, de bandeira do Panamá. Está prevista outra operação-teste ainda neste mês de julho, descarregando mais mil unidades no Porto de Itajaí, com a possibilidade de serem quinzenais e previsão de até 2.500 veículos por navio. Para estas operações, os veículos são das marcas Equinox, Camaro e Tracker (SUV), que serão embarcados pelo México e transportados diretamente até o Porto de Itajaí.

Duque quer nova chance
A Duque pediu 60 dias para apresentação do novo plano de recuperação judicial para tentar escapar da falência. A empresa deverá entregar o novo documento no prazo máximo de 30 dias, improrrogáveis, sob pena de decretação da falência. O processo tramita na 6ª Vara Cível de Joinville. A empresa entrou em declínio em 2013, ficou sem mercado, atrasou salários, deixou de pagar fornecedores e outros credores. Nos anos seguintes, a situação econômico-financeira se agravou. Pediu recuperação judicial, mas sequer fez o pagamento de dívidas com as quais havia se comprometido no próprio plano de recuperação apresentado e aprovado pelos credores e que tinha sido homologado pela Justiça. Com atividades paralisadas, as dívidas aumentaram.

E-Commerce animal
A Plasvale, famosa pelos itens de utilidade doméstica feitos em plásticos, está de olho no crescimento do mercado pet. Acaba de lançar uma loja virtual com produtos para animais de estimação da linha It.dog, criada neste ano. Presente em todo o Brasil e em mais de 25 países, a empresa de Gaspar projeta crescimento de 15% em 2018.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 26/07/2018 às 10h07 | acdiegoli@gmail.com

Economia na semana

Novo Hospital
A história do antigo Hospital Evangélico de Brusque ganhou novo capítulo. Após fechar as portas em março do ano passado por dificuldades financeiras, a unidade agora tem nova administração e passa a se chamar Imigrantes Hospital e Maternidade. O atendimento foi retomado na última semana, com abertura inicialmente do Pronto Atendimento adulto e infantil. O espaço vai funcionar 24 horas durante sete dias da semana, voltado a pacientes particulares. Os convênios deverão ser aceitos nos próximos dias. O atendimento pelo SUS não irá acontecer. A expectativa é de que entre 1,5 mil e 2 mil pacientes passem pelo Pronto Atendimento por mês. Até outubro deste ano a intenção é abrir todos os setores do hospital e contratar mais 100 funcionários. Atualmente 58 servidores já atuam na unidade, sendo que a maioria já trabalhou no antigo Hospital Evangélico.

Comarca de Brusque
Em dezembro de 2017, o Judiciário de Brusque acumulava 48,1 mil processos aguardando solução, divididos entre as seis varas da Comarca. Cada uma delas tem apenas um juiz responsável por elaborar as sentenças, o que daria uma média de 8 mil ações pendentes por magistrado. O Juizado Especial Cível e Criminal, por exemplo, fechou o ano de 2008 com 2,9 mil processos em andamento. Dez anos depois, são 7,2 mil, um aumento de 148%. Segundo o atual presidente da OAB/Brusque, para que tenhamos uma Justiça mais efetiva é ainda essencial a conscientização da população de que é possível resolver conflitos também por meio da mediação ou arbitragem e não só através do Judiciário, mas, acima de tudo, que é sim viável evitar a instalação de conflitos se cada um fizer a sua parte.

Confiança na Arbitragem
Com cerca de mais de 100 milhões de processos tramitando no Brasil, não é incomum que casos até simples fiquem anos aguardando julgamento. A situação pode se tornar ainda muito mais grave se o processo envolver questões de alta complexidade técnica. Uma solução que tem sido cada vez mais aplicada, especialmente por empresas, é o instituto da Arbitragem. Numa corte arbitral, as partes aceitam se submeter à decisão do árbitro, que não é necessariamente advogado ou juiz, podendo ser um especialista da área onde há a controvérsia. A presidente do Comitê Brasileiro de Arbitragem (CBAr) e doutora em direito pela Universidade de São Paulo (USP), Adriana Braghetta, explica que esse sistema é um método complementar de solução de controvérsias legais, disponível para empresas e cidadãos. Em países do 1º mundo, a Arbitragem é a regra geral, sendo o Judiciário uma exceção pelo seu alto custo.

Tempo é dinheiro
O brasileiro precisa meditar se vale a pena utilizar-se exclusivamente do processo convencional ou se não é melhor valer-se de alternativas de solução de conflitos que dispensem o ingresso em Juízo. Os norte-americanos, ricos e pragmáticos, só recorrem ao Judiciário para as grandes questões. As pequenas são resolvidas pela conciliação, negociação, mediação ou arbitragem. Ganha-se tempo e eles sabem muito bem que “time is money”, motivo porque o ganho é duplo.

Outlet de Iluminação
A Havan conta com novo setor: Outlet de Iluminação. Trata-se de um espaço com diversos produtos em parceria com a empresa Taschibra. São mais de 100 itens diferentes em um espaço instalado dentro da unidade da Matriz, em Brusque. O local ficará aberto no mesmo horário da loja, das 9h às 21h.

Retomada não convence
O ceticismo com relação à retomada da economia brasileira é generalizado. Em junho, os seis indicadores de confiança da FGV (Fundação Getúlio Vargas) caíram. A confiança dos consumidores recuou cinco pontos percentuais. Os índices ensaiaram uma melhora que parecia consistente entre o fim do ano passado e o primeiro trimestre deste ano, mas voltaram a cair entre março e abril, semeando dúvidas sobre a real extensão da retomada econômica, que até então se acreditava mais vigorosa.

Roubo de cargas
Lei promulgada pela Assembleia Legislativa em 2017, após veto do Executivo, cassando a inscrição no cadastro do ICMS dos estabelecimentos que adquirem, transportem, estoquem, revendem ou exponham à venda produtos frutos do furto ou roubo, está obtendo resultados significativos. Nos primeiros três meses deste ano o roubo ou furto de cargas caiu 58% em SC, comparativamente ao mesmo período do ano passado. Méritos também para a Polícia Civil, que criou uma divisão especializada na investigação de tais crimes.

Curva ascendente
O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) comemora ganhos em agilidade ao destacar que julgou mais processos (32,8 mil) do que recebeu novas ações (30 mil) recursos) no último trimestre.

Conta de luz
A energia elétrica dos catarinenses vai encarecer a partir de 22 de agosto, quando entra em vigor o reajuste anual da conta de luz da Celesc. Pelos números preliminares que estão sendo analisados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), responsável pela definição da correção, a alta média deve ficar em dois dígitos, entre 10% e 13%.

Greve afeta toda a economia
A greve dos caminhoneiros, que parou o país no fim de maio, deve tornar a retomada da economia brasileira mais difícil. O volume de todas as cinco atividades do segmento investigadas pelo IBGE caiu, com destaque para transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, que registrou retração de 9,5%. As pesquisas revelam que nenhum segmento foi poupado e o próprio governo vai reduzir a projeção de crescimento do PIB de 2,5% para 1,6%.

Energia na inflação do idoso
A inflação dos idosos, medida pelo IPC-3i (Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade), subiu 2,30% no segundo trimestre. O índice mede o custo de vida de famílias, majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos. Seis das oito classes de despesas tiveram acréscimo. A principal esteve no grupo habitação. O item que mais influenciou nesse grupo foi a conta de luz residencial. Também contribuíram grupos de alimentação, saúde e cuidados pessoais, transportes, entre outros.

Bilhões no ralo
No momento em que a crise nas finanças públicas do governo do Estado provoca calafrios, poucos se dão conta de um fato importante, principalmente por parte dos políticos demagogos: desde a instituição, as secretarias de desenvolvimento regional (agora agências, das quais 15 das inúteis 35 já foram extintas), consumiram cerca de R$ 7 bilhões (média de R$ 500 milhões por ano), com resultados muito discutíveis. Tão discutíveis que nunca se divulgou uma avaliação sobre seu desempenho, feita pelo próprio governo.

Índice de preços acumula alta
O IGP-DI (Índice de Preços – Disponibilidade Interna), calculado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), foi de 1,48% em junho, percentual inferior ao apurado no mês anterior, quando foi de 1,64%. Com esse resultado, o índice acumula alta de 5,45% no ano e de 7,79% em 12 meses. Em junho de 2017, o índice havia caído 0,96% e acumulava queda de 1,51% em 12 meses. Dentre os itens que compõem o IGP-DI, o principal responsável pela alta foi o subgrupo alimentos processados, que avançou 5,52%.

Carne mais cara
A paralisação dos caminhoneiros em maio, fez o brasileiro gastar muito mais do que esperava para colocar carne no prato em junho. Com entrega abaixo do normal nos frigoríficos, supermercados e açougues, o preço subiu 4,6% no mês. Com a redução das pastagens a partir de junho, produtores esperam que a carne ainda suba até 7% neste ano, segundo a associação de frigoríficos.

A farra do Congresso (1)
Com o atual governo brasileiro nas últimas, deputados e senadores estão aproveitando para avançar sobre a grana do contribuinte. Como o Executivo já não tem muita força nem disposição para botar ordem na casa, os parlamentares tratam de votar projetos que reduzem receitas e aumentam despesas públicas. São as chamadas pautas-bombas. Engana-se quem imaginar que a Câmara e o Senado estejam movidos por preocupações com a saúde, a educação, a segurança e outras prioridades. Na maior parte dos casos, as propostas são para atender a grupos poderosos e influentes. Nos últimos dias, em meio à Copa do Mundo e pouco antes do início das campanhas eleitorais, o Congresso viu na farra da distribuição de bondades com o chapéu alheio.

A farra do Congresso (2)
Avançaram projetos que beneficiam produtores de refrigerantes, empresas de transporte rodoviário, proprietários rurais, servidores públicos, governos estaduais e outros. O cúmulo da cara de pau aconteceu numa manobra dos deputados com objetivo de derrubar uma regra que impede a nomeação de políticos e seus parentes para cargos de comando nas empresas estatais. Juntando todas as barbaridades que estão sendo votadas no Congresso, algumas delas propostas pelo Executivo, dá uma conta de R$ 90 bilhões (mais de três vezes a verba do Bolsa Família) em 2019. Isso põe em risco não apenas o próximo governo, mas até a recuperação da economia, que já anda devagar, quase parando. E o pior é que a maioria dos presidenciáveis assiste a tudo sem dar um pio, talvez com medo de desagradar a possíveis aliados.

Brasil no meio
O Brasil aparece no 64º lugar no ranking do Índice Global de Inovação. O país subiu cinco posições em relação a 2017, mas permanece no bloco intermediário entre 120 países. Foram avaliados 80 indicadores, entre eles, taxas de depósito de pedidos de propriedade intelectual, criação de aplicativos para aparelhos portáteis, gastos com educação e publicações científicas e técnicas. Apesar da melhora de um ano para outro, recuamos 22 posições na comparação com 2011. Recuperar o atraso é essencial, sob pena de continuarmos sendo uma economia periférica, apesar de todo o seu gigantismo. Os cinco países melhores em inovação, pela ordem: Suíça, Holanda, Suécia, Reino Unido e Singapura.

Parceria
A Marejada já tem data marcada em Itajaí: de 4 a 14 de outubro. A organização está definindo ações em conjunto com a Oktoberfest, em Blumenau, para repetir a parceria iniciada no ano passado. No alinhamento, estão ações promocionais integradas e o intercâmbio de atrações.

Tarifa social
A isenção nas contas de luz de famílias pobres aprovada pela Câmara no projeto que autoriza a venda de distribuidoras da Eletrobrás deve elevar a conta de luz em R$ 742 milhões, o que terá um impacto de 0,5%, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Casas de câmbio
Algumas casas de câmbio já aceitam cartão de crédito como forma de pagamento para a compra de dinheiro em espécie ou no cartão pré-pago. Além do IOF, é cobrado uma tarifa extra de 3,5% para as compras feitas nos cartões Visa e Master e de 4,5% nos da Elo.

Causa de atraso
O desemprego cresceu como o principal motivo dos inadimplentes para não pagarem suas contas. Segundo uma pesquisa da Boavista SCPC, 45% alegaram não pagar as contas porque estavam sem emprego no primeiro semestre deste ano. No mesmo período do ano passado, o índice era de 32%. O descontrole financeiro ficou em segundo lugar entre as causas responsáveis pela restrição para 18% dos entrevistados. A pesquisa foi feita com 1.700 pessoas do país.

Produção indústrial despenca
O que já se notava a olhos vistos, com fábricas às moscas, agora foi enfim traduzido em estatísticas oficiais. A produção industrial catarinense despencou 15% em maio na comparação com abril, já com ajuste sazonal, revelam dados do IBGE. Frente ao mesmo mês de 2017, o recuo chegou a 8,2%. Os resultados derrubaram para 4% a variação positiva acumulada ao longo de 2018 (era de 7,3% até abril) e para 4,4% na soma dos últimos 12 meses (até então em 5,9%). O tombo atípico é reflexo da paralisação dos caminhoneiros, com profundos impactos nos setores produtivo e logístico. Como o movimento se estendeu durante os 10 últimos dias de maio, a indústria catarinense teve pelo menos um terço de sua produção mensal comprometida. No Vale, várias empresas, sem insumos, diminuíram o ritmo e chegaram a dispensar funcionários.

Ministério fabricava parecer
Relatório da Polícia Federal diz que integrantes do Ministério do Trabalho atropelavam exigências legais e fabricavam pareceres fraudulentos para atender pedidos do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun. A investigação sustenta que Marun solicitava por meio de sua chefe de gabinete, facilidades para sindicatos do Mato Grosso do Sul, possivelmente em troca de apoio no estado, seu reduto eleitoral.

Perdas
A arrecadação estadual já tem uma parda acumulada de R$ 360 milhões, segundo dados oficiais da Secretaria da Fazenda. Motivo: a greve dos caminhoneiros. Em maio, as perdas totalizaram mais de R$ 130 milhões. Em junho pularam para R$ 174 milhões. E, em julho, já estão em R$ 45 milhões.

Mais vendas
Na contramão da indústria, os supermercados de Santa Catarina viram as vendas de maio avançarem 7,25% sobre abril, conforme dados da associação do setor (Acats). Um levantamento da entidade apontou que 64% dos estabelecimentos associados tiveram vendas superiores na reta final do mês. Em alguns casos, o incremento chegou a 15%. É um movimento também atípico, novamente em função da greve dos caminhoneiros.

Espera pelo aniversário
Com a nova idade, quem for se aposentar por tempo de contribuição pode aumentar o valor do benefício ou fugir do desconto do fator e garantir o valor integral, segundo regra 85/95. Um segurado com 38 anos e dez meses de contribuição e 55 anos e dez meses de idade terá benefício integral de R$ 2 mil se esperar seus 56 anos. Se ele pedir antes, o valor cairia para R$ 1.499,75.

Escapando do pente-fino
Aposentados por invalidez e segurados com auxílio-doença estão na mira do INSS. No total, 315 mil perderam o auxílio e 108 mil deixaram de receber a aposentadoria por invalidez após passarem por nova perícia. Há situações em que é possível escapar do pente-fino. Aposentados com 60 anos ou mais não são convocados. Quem recebe auxílio ou aposentadoria há mais de 15 anos também fica fora.

Exclusão em SC
Pelo menos 26,4 mil catarinenses que recebiam auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez tiveram de voltar ao trabalho em dois anos. A revisão faz parte de um pente-fino do INSS na situação de saúde dos trabalhadores que obtiveram o direito via processo judicial e que não passavam por perícia há mais de dois anos em todo o país. Foram realizadas 24,6 mil perícias em trabalhadores que recebiam auxílio-doença em Santa Catarina entre 2016 e agora. Destes, 81% dos benefícios (19,9 mil) foram suspensos, seja por irregularidades ou não comparecimento. Já em relação à aposentadorias por invalidez, as perícias foram feitas em 24,7 mil segurados no Estado e destas, 6,4 mil foram cessadas.

Lei do idoso
O maior desafio é conseguir a aplicação completa do Estatuto do Idoso, a principal lei de defesa dos mais velhos. Para especialistas, o envelhecimento da população não é acompanhado por medidas para atender aos idosos. Um entrave é a falta de programas para quem precisa de apoio durante o dia. Além do acesso à saúde ser difícil, faltam empregos e abordagens em escolas sobre respeito.

Pensão aos netos
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu que o avô não precisa assumir a obrigação de pagar pensão alimentar ao neto em caso de morte do pai. O caso envolvia um rapaz que recebia pensão, além do pagamento da mensalidade de um curso superior. A decisão do STJ cassou o acórdão de Tribunal de Justiça que determinava a obrigação.

Atrasados até final do ano
Aposentados, pensionistas e segurados que ganharam uma ação contra o INSS podem saber se têm chances de receber a grana até dezembro. Após dar vitória ao segurado, a Justiça calcula os atrasados, que são os valores não pagos pelo INSS. O aposentado pode ganhar as diferenças dos cinco anos anteriores ao pedido mais o tempo de espera até sair o reajuste, por exemplo. O pagamento varia conforme o valor e o mês em que o juiz determinar a liberação. Ações de até 60 salários mínimos são quitadas mais rapidamente, pois há lotes mensais. Só RPVs podem ser pagas ainda neste ano.

Afastamentos aumentam aposentadoria
Os períodos de afastamento dos trabalhadores por alguma doença devem ser usados para o cálculo da aposentadoria. A regra vale, inclusive, para aqueles que tiveram o auxílio-doença cortado pelo pente-fino que o governo faz desde agosto de 2016 nesse tipo de benefício. Para assegurar o direito, o segurado que recebe alta da perícia médica precisa trabalhar pelo menos mais um mês com carteira assinada ou fazer uma contribuição por conta própria. Além de ajudar a completar as condições para ter acesso à aposentadoria, o período de afastamento pode efetivamente aumentar o valor do benefício pago pelo INSS.

Maior aposentadoria
Quem se aposenta pode passar a ter uma renda mensal igual ou até maior do que o valor médio das contribuições que fez ao INSS ao longo da vida. No entanto, para isso, é preciso esperar alguns anos a mais para pedir o benefício. Para quem está de olho em uma aposentadoria sem desconto, é necessário entender como funcionam as regras de cálculo por idade ou por tempo de contribuição. O mais vantajoso é o 85/95. Essa fórmula impede o desconto do fator previdenciário, não importando a idade do trabalhador quando ele solicita a aposentadoria.

Revisão até o fim do ano
Os aposentados e pensionistas que começaram a receber um benefício a partir de junho de 2008 devem correr para pedir uma revisão. O prazo para corrigir um erro no cálculo do benefício é de, no máximo 10 anos, contados a partir do mês seguinte ao saque do primeiro pagamento feito pelo INSS. Quem começou a receber o benefício em julho de 2008, por exemplo, tem até o mês que vem para ir ao INSS. Além de estar atento ao prazo, é preciso apresentar um pedido de revisão bem completo. É importante verificar se todos os períodos de contribuição foram considerados. Saiba como fazer o pedido por telefone ou no site do INSS e que documentos ajudam a achar erros.

Justiça limita reajustes
O TJ-SP determinou que os planos empresariais e por adesão devem seguir o mesmo aumento dos convênios individuais e familiares, que são regulados pelo governo por meio da ANS. A Justiça defende que os planos são reajustados sempre muito acima dos índices de inflação e também pelos que são permitidos pela ANS. As operadoras não comentaram a decisão. 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 16/07/2018 às 09h57 | acdiegoli@gmail.com



1 2 3 4 5 6

Augusto Cesar Diegoli

Assina a coluna Economia & Negócios

Contabilista aposentado, graduado em Direito pela Univali (ex-Fepevi), pós graduado em Direito tributário e Finanças Empresariais pela Furb, árbitro/mediador e diretor da Câmara de Mediação e Arbitragrem de Brusque e diretor da Facema - Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br