Jornal Página 3
Coluna
Economia & Negócios
Por Augusto Cesar Diegoli

Economia na Semana

Brusque em evidência na Globo

O município de Brusque foi destaque do jornalismo da Rede Globo de Televisão na noite da última sexta-feira (15), através do programa Globo Repórter. Por sete minutos do programa, a cidade foi colocada em evidência por liderar a lista de cidades mais pacíficas do Brasil, segundo pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Nos últimos 15 anos, a cidade recebeu em torno de 45 mil pessoas de fora. Mas o que está por trás deste número? Começa com três letras: IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). E o IDH de Brusque é alto em matéria de educação e de renda. E muito alto quando se trata da expectativa de vida, que ali é o maior do Brasil. A pesquisa tomou como base o ano de 2016 e considera Brusque a “Cidade da Paz”, na comparação com outras cidades acima de 100 mil habitantes.

Mais fios aos 70 anos

A Fiação São Bento completou 70 anos de atividades. A empresa iniciou a operação com 90 funcionários e uma produção mensal de 75 toneladas de fios. Uma das principais produtoras de fios do país, emprega 730 trabalhadores e produz 1.300 toneladas de fios mensais. No ano passado, obteve faturamento de R$ 189 milhões. Ocupa 55 mil m2 de área construída no bairro Serra Alta, em São bento do Sul. A Fiação atende a malharias, tecelagens e empresas do setor do vstuário. O maior mercado está no Sul e Sudeste, mas atende a outras regiões do Brasil e países da América do Sul.

Indústria de SC avança

A produção industrial catarinense voltou a crescer em abril em relação a março. Considerando a série com ajuste sazonal, o avanço foi de 1,9%, mostram dados do IBGE. Estas são as estatísticas mais recentes do instituto, já que os números de maio, que certamente sofrerão impacto diante da paralização dos caminhoneiros, com consequências graves à economia do Estado, só serão publicadas em julho. Apesar do indicador positivo para abril, o ritmo de crescimento da produção industrial catarinense foi mais lento do que o verificado em Estados como Bahia (7%), Rio de Janeiro (6%), Minas Gerais (4,4%), Paraná (3,3%), Rio Grande do Sul (2,2%) e Pernambuco (2,1%). Mesmo assim, o resultado foi superior ao registrado em todo o país (0,8%).

Bouton Têxtil

A empresa Bouton é fabricante e importadora de artigos de cama, banho e decoração. Fundada em 2009, em Brusque, conta atualmente com 125 funcionários. Detém com exclusividade a licença da marca Buettner, sendo responsável pela fabricação e comercialização dos seus produtos. Desenvolve suas coleções com base em pesquisas de tendências, visitas à feiras internacionais e em viagens aos principais centros lançadores de moda, além de expor nas principais feiras têxteis do Brasil.

Máquina pública

A máquina pública é o grande fardo que todo brasileiro carrega. É uma das mais caras do mundo, com privilégios e mordomias que poucos brasileiros podem usufruir. Para exemplificar melhor, é como se houvesse um peso de 100 kilos em cada uma de suas pernas e alguém lhe dissesse “agora você precisa correr”. Impossível, você não sai do lugar. Essa dificuldade faz com que o empreendedorismo e o desenvolvimento do Brasil não aconteçam, deixando o país cada dia mais pobre e sem condições de crescer. Liberalismo econômico é a solução. Menos Estado e mais cidadão, argumenta o diretor presidente da Havan.

Dívidas

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), através de seu presidente, assinou convênio com a Fecam (Federação Catarinense dos Municípios) visando a instalação de Câmaras de Negociação de Débitos Vencidos com as prefeituras municipais. A experiência realizada com Blumenau foi positiva. Atualmente, mais de 90 mil ações executivas tramitam no Judiciário. O Tribunal tem a disposição meios de agilizar as cobranças mediante negociações.

Movimentação cresce

O volume de contêineres movimentados no Complexo Portuário do Itajaí-Açu cresceu 29% no mês de maio em comparação com o ano passado. Foram movimentados 85.810 TEUs (medida que equivale a contêineres de 20 pés). A APM Terminais, arrendatária do Porto de Itajaí, foi responsável pela maior fatia de aumento: 120% no comparativo com o resultado de maio de 2017. No acumulado do ano, o Complexo Portuário teve crescimento de 3%. A expectativa é pelos resultados de junho, que deverão ter impacto negativo devido a greve dos caminhoneiros.

Pesquisa

O Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae/SC disponibilizou uma pesquisa online para que consumidores de produtos de beleza e bem-estar ajudem a entender o perfil atual deste público, cada vez mais guiado por redes sociais e influenciadores. O Brasil é o terceiro maior consumidor mundial deste mercado, atrás apenas dos EUA e Japão. As respostas podem ser enviadas pelo link: https://bit.ly/2Jh9maO.

Setor de serviços

O volume do setor de serviços cresceu 1% de março para abril deste ano. Essa foi a primeira alta do setor do ano, neste tipo de comparação. Segundo o IBGE, o setor teve queda de 0,2% de fevereiro para março. Na comparação com abril de 2017, o setor teve um crescimento de 2,2%, a mais alta desde março de 2015 (2,3%). Os serviços de informação e comunicação (-1.1%) é a única atividade em queda.

Força das pequenas

Sem os mesmos incentivos concedidos às grandes fabricantes da bebida, as pequenas cervejarias artesanais, com até 99 funcionários, criaram 400 novos empregos no Brasil nos quatro primeiros meses do ano, mostram dados do Caged compilados pela Associação Brasileira de Cerveja Artesanal. Nas grandes empresas, o saldo ficou com 350 vagas.

Cesta básica

A pesquisa mensal em torno da cesta básica levando em consideração os dados do mês de maio apresentado pelo Dieese, registrou aumento no total dos produtos em Brusque, fechando o índice em 0,39%. O valor total para adquirir os 13 produtos na quantidade mínima para se passar o mês foi de R$ 369,07, contra R$ 367,64 em abril. Na variação mensal, os preços que tiveram maior alta foram a batata (+13,04%) e o tomate (+15,04%).

Novas Câmaras Arbitrais

Chapecó também está contando com sua Câmara de Mediação e Arbitragem. Trata-se da CMARB/SC (Centro de Mediação e Arbitragem de Santa Catarina). Recentemente Otacílio Costa e Palhoça também abriram sua Câmara Arbitral. Santa Catarina está se destacando com a formação de câmaras arbitrais. Já passam de 25 as entidades devidamente instaladas. O objetivo da Fecema (Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem) é que mais cidades se apresentem para abertura de uma Câmara Arbitral.

Demissões (1)

O anúncio de fechamento do frigorífico da GTB Foods, em Iguaçu (SC), trouxe uma grande preocupação com o impacto social e econômico na região. São 630 empregados que tiveram o aviso prévio da demissão anunciado e 90 avicultores, com 147 galpões, que ficarão sem produzir. O frigorífico abatia 90 mil aves por dia.

Demissões (2)

A LG demitiu 450 funcionários da sua fábrica em Taubaté (SP). As demissões correspondem a aproximadamente de 25% dos cerca de 2 mil trabalhadores da unidade. A redução no quadro é reflexo da queda nas vendas. A planta, que concentra a produção de aparelhos de TV, operava atualmente com 30% da sua capacidade.

Congresso varejista

Balneário Camboriú vai sediar em 2020, a 36ª edição do Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais do Comércio de Bens, Serviço e Turismo. A candidatura de BC para sediar o evento foi apresentada pelo Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Balneário Camboriú (Sindilojas), durante o 34º Congresso em Bonito (MS). No próximo ano, o congresso ocorre em Fortaleza (CE).

Uniasselvi

Os Fundos de Investimentos Carlyle e Vinci venderam 25% da rede de ensino superior à distância Uniasselvi para o Fundo Neuberger Berman.

CPS restritos

Levantamento da CNDL/Serasa contabiliza: em maio, havia 63,2 milhões de consumidores inadimplentes no País. O número é 2,78% superior ao de igual mês do ano passado.

Fraudes em sindicatos

A Polícia Federal tem indícios de fraude em processos de ao menos 150 sindicatos e federações no Ministério do Trabalho. As entidades aparecem em documentos e trocas de mensagens de investigados na Operação Registro Espúrio, os quais tratam, segundo investigadores, da manipulação dos trâmites para obtenção de cartas sindicais e outros interesses. A PF suspeita de um esquema amplo de venda de atos administrativos e que funcionava há vários anos na pasta, historicamente aparelhada por partidos políticos e centrais sindicais.

Indústria paulista demite

A indústria paulista fechou 3,5 mil postos de trabalho em maio, segundo levantamento da Fiesp (Federação das Indústrias). Foi a primeira vez no ano que o índice apresentou resultado negativo, após quatro altas consecutivas. No acumulado do ano, o saldo é positivo com 28,5 mil vagas abertas. O setor que mais fechou postos de trabalho no mês foi o de couro e calçados.

WEG maior do Estado na bolsa

Enquanto a BRF se perdeu nos últimos anos devido à conturbada gestão de Abílio Diniz, a WEG de Jaraguá do Sul, foi crescendo do seu jeito e se tornou a maior empresa catarinense na bolsa. Em 30 de maio, a líder mundial em motores elétricos estava avaliada em R$ 36 bilhões, com ações vendidas a R$ 17,18. Em segundo lugar estava a Engic Energia, avaliada em R$ 24 bilhões, e em terceiro a BRF, em R$ 17 bilhões.

Hotéis

Balneário Camboriú contará, dentro de três anos, com um novo hotel, o Ibis Budget, com 230 apartamentos. Contrato de financiamento com o BRDE acaba de ser firmado pelo empresário Joel Pires. O grupo Pires conta com sete hotéis, sendo seis em Balneário Camboriú e o Novohotel em Itajaí, inaugurado para a regata Volvo Ocean Race.

Cachaça premiada

Três marcas de Luiz Alves conquistaram medalhas no concurso de cachaças da Expocachaças, uma das importantes exposições mundiais da bebida em Minas Gerais. A Bylaardt faturou um ouro na categoria “extra premium e armazenada acima de três anos” e uma prata na categoria “carvalho francês”. A Wruck e a Sacca também subiram ao pódio com um segundo lugar, ambas na categoria “brancas puras”. O evento recebeu 150 expositores e produtores de 20 Estados.

Preferida pelos gringos

Três cidades da região estão entre os 10 destinos mais visitados do país pelos turistas internacionais para lazer, segundo pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo. Bombinhas, Balneário Camboriú e Itapema aparecem na lista, que é encabeçada pelo Rio de Janeiro e Florianópolis nas duas primeiras posições.

Reparação histórica

O julgamento da ação dos royalties do petróleo disputados por Santa Catarina no Supremo Tribunal Federal (STF) foi marcado em um momento fundamental diante do contexto das contas públicas catarinenses. No dia 27 de junho, data da sessão em Brasília, estará em jogo um aporte financeiro estimado em R$ 300 milhões iniciais, além de outros R$ 500 milhões a serem divididos entre Paraná e São Paulo, caso a tese catarinense seja aceita pela maioria dos 11 ministros. Além disso, parte desses valores será repassada a municípios impactados pela extração de petróleo e gás.

Ferrovia

Estudos técnicos referentes à construção do corredor ferroviário de Santa Catarina, projetado para conectar as regiões Oeste e Leste, de Dionísio Cerqueira a Itajaí, foram apresentados na Unidavi, em Rio do Sul. O evento teve a participação de representantes da Valec e do secretário da Secretaria de Patrimônio da União.

Moralização

A sociedade não aceita e o contribuinte não suporta continuar sustentando um Parlamento que ignora a realidade na qual o crescente desajuste fiscal e o descontrole dos gastos públicos apontam para, em futuro breve, uma situação de absoluta inviabilidade do Estado catarinense e brasileiro. Da nota oficial da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, pedindo a revogação dos contratos dos terceirizados da Assembleia Legislativa, o fim do auxílio-moradia e outras medidas moralizadoras.

Cenário econômico

Cenário econômico, eleições e oportunidades para o varejo, foi o tema da palestra do editor de economia da revista IstoÉ Dinheiro, na abertura da 31ª Exposuper, na Expoville, em Joinville. Durante a feira, foram feitas 40 palestras, painéis e workshops. Estiveram presentes mais de 250 expositores, 60% deles catarinenses, distribuídos em 11 mil m2 de área de feira. Inclusive um grupo de empresários uruguaios mostraram seus produtos em busca de novos mercados no Brasil. O potencial de geração de negócios alcançou a cifra de R$ 450 milhões.

Vai faltar água

O plano estadual de recursos hídricos mostra que nos próximos 10 anos a demanda por água vai superar a capacidade de oferta do recurso outorgado em Santa Catarina. A informação foi prestada pelo diretor do Centro de Economia Verde da Fundação Certi, durante a Rodada de Inovação para a água, encontro realizado pela Fiesc, governo de SC, Fapesc e Fundação Certi. A outorga de direito de uso dos recursos hídricos é um componente da política nacional de recursos hídricos, por meio do qual o Poder Público autoriza, concede ou permite fazer o uso deste bem público.

Tecnologia

A Uber vai utilizar tecnologia artificial para identificar se o usuário está bêbado, antes mesmo de ele entrar no carro. A empresa está preparando documento para patentear a novidade.

Camarão e caviar

Em meio às restrições orçamentárias do governo federal, o Comando Militar do Leste, vinculado ao Comando do Exército, realiza uma licitação estimada inicialmente em R$ 6,5 milhões para a compra de mantimentos que incluem lista de produtos refinados e bebidas alcoólicas. Entre os produtos licitados pelo Exército estão duas toneladas de camarão, 109 potes de caviar e milhares de garrafas de bebidas alcoólicas, como vinhos nacionais e importados, uísque, cachaça e espumante.

Encadeamento produtivo

Entre as dezenas de projetos executados pelo Sebrae/SC no Estado, um dos que mais nos orgulhamos é o de Encadeamento Produtivo. Executado em alguns setores, o encadeamento produtivo tem como objetivo contribuir com a melhoria dos índices de produtividade e competitividade das micro e pequenas empresas, promovendo a inserção de pequenos negócios em cadeias de valor de grandes empresas, por meio de relacionamentos cooperativos de longo prazo e mutuamente atraentes. Essa parceria faz com que os pequenos negócios aprimorem seus processos no fornecimento de bens e serviços, se adequando aos requisitos específicos das grandes empresas. Executada desde 1998, uma das pioneiras no Estado, a parceria entre Sebrae e Aurora é destinada aos pequenos negócios e produtores rurais vinculados à cooperativa. Essa parceria já beneficiou mais de 35 mil produtores rurais e iniciou uma nova etapa em fevereiro de 2018, que irá beneficiar nos próximos dois anos mais de mil propriedades rurais de suínos, aves e leite.

Navio com 500 carros

A chegada de uma embarcação de grande porte chamou atenção de quem passava próximo às margens do Rio Itajaí-Açu. Curiosos viram atracar no berço 2 do Porto de Itajaí o navio Apollon Highway, que tem 200 metros de comprimento, 38 metros de altura e bandeira Panamá. A assessoria da operadora APM Terminais confirmou que o navio veio da Argentina e tinha a bordo 500 carros, que foram descarregados no porto itajaiense. O governo do Estado negocia com a GM para utilizar portos catarinenses na movimentação de veículos produzidos pela montadora.

Proposta tenta encerrar anos de disputa

A definição desse acordo entre os poupadores e os bancos encerrou, em partes, muitos anos de discussões jurídicas e expectativas. Intermediado pela AGU (Advocacia-Geral da União), a proposta de acordo não é obrigatória e o poupador ou o herdeiro de quem tinha caderneta não é obrigado a aceitar. Aqueles que entraram com ação individual poderão continuar com seus processos, mas eles só voltarão a andar quando o prazo para adesão ao acordo terminar.

Revisão à distância

O INSS informou que está aprimorando seus sistemas para ampliar a oferta de serviços à distância. A meta é também oferecer o serviço de revisão sem que seja preciso sair de casa. No entanto, esse tipo de procedimento deve ficar pronto somente no final deste ano. Para que seja possível oferecer cada vez mais atendimento sem ir à agência, é preciso automatizar ainda mais os dados. Outra meta é fazer com que a correção do Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais) seja automática. Essa etapa, no entanto, é considerada uma das mais complexas desse projeto de mudanças, pois exige a automatização de outros dados de diversos órgãos federais.

Cidadão está cansado

Em mais um discurso que é óbvio para a maioria da população, a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, disse que “o cidadão está cansado de todos nós, inclusive do Judiciário”. A frase da ministra, se refere a decisões monocráticas e recorrentes como as do ministro Gilmar Mendes, que dão a entender ao cidadão comum, que o Judiciário está a favor de criminosos, trabalhando no sentido oposto aos dos anseios da população. Gilmar Mendes, nas últimas duas semanas, praticamente limpou as cadeias e soltou vários presos da Lava-Jato. Foram quatro doleiros, dois integrantes do governo de Sérgio Cabral, dois presos da Operação Pão Nosso e um empresário, que teria fraudado o sistema penitenciário do Rio. Para o ministro, não existem fundamentos para as prisões. Daí a revolta da população contra a figura do ministro.

Brasileiros querem se aposentar

Segundo pesquisa encomendada pela FenPrevi ao Instituto Ipsos, mais da metade dos entrevistados (51%) querem se aposentar até 64 anos. Só dois em cada dez aceitam se aposentar com mais de 65 anos. Além disso, 43% disseram que planejam seguir trabalhando após a aposentadoria para garantir o sustento.

Cota do Pasep

Quem trabalhou como servidor entre 1971 e 1988 e não sacou a grana tem direito a cota do Pasep, paga pelo Banco do Brasil. No site www.bb.com.br/pasep, dá para ver se há saldo a receber. É preciso informar número de inscrição do Pasep ou CPF e data de nascimento. Para saber o valor, o cotista terá de ir a uma agência do banco.

Olho na lata

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve uma condenação por danos morais coletivos à Gomes da Costa por venda de sardinha em lata com peso diferente do que estava anunciado na embalagem. A decisão foi da terceira turma do STJ, em resposta ao recurso da empresa. O processo começou em 2014 no Rio Grande do Sul. Na época, o Ministério Público estadual recebeu denúncias de consumidores, que afirmavam que a empresa vinha reduzindo a quantidade de sardinha nas latas e compensando o peso com óleo.

INSS na internet

Cresce a procura pelo INSS na internet. - 56,8 milhões de visualizações foram registradas pelo site do INSS em março deste ano. O número representa crescimento de 20% na comparação com fevereiro. - 7 milhões de segurados já estão cadastrados no Meu INSS, a central de serviços do órgão na internet. - Jovens e adultos usam mais. Os usuários do Meu INSS estão concentrados na faixa de 25 a 44 anos. - Os serviços mais procurados são: consulta de situação de benefício; agendamento; extrato de pagamento de benefício; auxílio-doença. O computador é a principal forma de acesso: 68,92% do público que acessa o site do INSS utiliza o computador (desktop) ou notebook. Enquanto 30% acessa os serviços digitais por meio de telefones celulares (smarphones).

Pagamento integral

Os trabalhadores que recebem alta do INSS após um período de auxílio-doença podem não conseguir voltar imediatamente ao trabalho. O motivo mais comum é o chamado limbo previdenciário, quando o perito do governo manda o segurado voltar ao batente, mas o médico da empresa não o aceita por não considerar apto. Nesse período, o trabalhador fica sem o auxílio-doença e, em muitos casos, também sem o salário. A Justiça já decidiu que, nessa situação, o segurado tem que receber do patrão os salários dos meses em que ficou no limbo. Para a maioria dos juízes, com o fim do auxílio, o contrato de trabalho volta a valer, e a empresa é responsável.

Segurado pode acumular 2 benefícios

Quem tem direito a receber dois benefícios ao mesmo tempo pode ganhar mais do que o teto do INSS (hoje, em R$ 5.645,80). É o caso, por exemplo, de viúvos e viúvas que contribuem para a Previdência e, quando atingem as condições de se aposentar por idade ou por tempo de contribuição, podem acumular a aposentadoria com a pensão. Também é possível ganhar pensão junto a benefícios por invalidez. Segundo especialista, isso é permitido, pois os dois benefícios têm fontes de custeio diferentes. O mesmo entendimento, porém, barra o acúmulo de duas aposentadorias pelo INSS: trabalhador só conseguirá acumular se uma delas for pelo órgão e a outra como servidor público.

Grana do PIS

Os trabalhadores e servidores públicos com idades entre 57 e 59 anos com direito à cota do fundo PIS/Pasep poderão sacar a grana. O dinheiro será liberado pelo governo em lotes. Nessa primeira etapa, a retirada poderá ser feita até 29 de junho. Depois, no dia 8 de agosto, a grana cairá na conta dos clientes da Caixa Econômica Federal, responsável pelo PIS, e do Banco do Brasil, que paga o Pasep. Em seguida, a partir do dia 14 até 28 de setembro, os demais trabalhadores e servidores terão a grana. O valor médio a ser pago é de R$ 1.370. Terão direito ao saque 25 milhões de trabalhadores.

Tempo de contribuição

Um dos principais cuidados para quem vai se aposentar é conhecer bem as regras do INSS. Além disso, é preciso que o trabalhador faça uma boa análise das suas contribuições à Previdência antes de decidir qual será sua opção. Trabalhadores podem se dar bem ao pedir a aposentadoria por tempo de contribuição, embora esse benefício tenha, em alguns casos, o desconto do fator previdenciário, esse tipo de aposentadoria tem regras que podem ajudar o segurado a ganhar mais. Uma delas é a fórmula 85/95, que concede ao segurado o benefício sem desconto.

Alternativa para litígios jurídicos

Quando um cidadão ou empresa precisa resolver uma pendência na Justiça, lá se vai muito tempo de espera. Sabe-se que o Judiciário é lento e que um processo não é julgado em menos de quatro anos. Não raro, o litígio pode levar 10 ou 20 anos para ser concluído, já que sempre came recursos e as brechas na lei muitas vezes dão margem a interpretações diferentes. Além da morosidade, o Judiciário está abarrotado de processos e seus profissionais não são suficientes para dar andamento a todos os casos. Na tentativa de minimizar alguns desses problemas, foi criada a Lei Federal 9.307 de 23 de setembro de 1996, instituindo a Arbitragem no Brasil, através de Tribunais ou Câmaras de Mediação e Arbitragem.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 18/06/2018 às 14h29 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Pagamento de boletos

A Febraban (federação de bancos) ampliou o prazo para que boletos de menor valor possam ser pagos em qualquer banco após vencer. Boletos entre R$ 400 e R$ 799 poderão ser pagos em bancos diferentes do emissor a partir de 25 de agosto. Prazo original era 26 de maio.

Ano de retomada

Após dois anos de recessão, três de cada quatro empresas catarinenses que estão na bolsa de valores brasileira conseguiram fechar 2017 com lucro. O balanço positivo é bem diferente do ano anterior, quando 11 das 21 que fazem parte da Bovespa estavam no vermelho. Apesar dos desafios particulares de cada setor, a maioria terminou o ano passado com receita líquida de vendas maior do que 2016. A líder nesse ranking é a BRF, que alcançou o valor de R$ 33,47 bilhões, seguida pela WEG (R$ 9,52 bilhões), Celesc (R$ 7,09 bilhões) e Engic Brasil Energia (R$ 7,01 bilhões).

Pórtico de entrada

Empresários de Brusque têm comentado sobre o péssimo estado de conservação que estão os pórticos de entrada da cidade, nas rodovias Antônio Heil e Ivo Silveira. Comentam sobre a falta de pintura e corte da vegetação. Já se trata de um monumento de gosto duvidoso e, agora, devido à falta de manutenção, encontra-se em aspecto piorado. Há até sugestão de que, se for para ficar da forma como está, é melhor que os equipamentos sejam retirados. Os pórticos foram arquitetados por meio de um concurso público durante a administração Paulo Eccel.

Pelos cassinos

Em seminário realizado recentemente em São Paulo, o atual ministro do Turismo defendeu a liberação de cassinos e investimentos em parques temáticos como forma de impulsionar ainda mais a atividade turística no Brasil. Destacou que o setor vai crescer cerca de 3% neste ano, mas poderia avançar mais se o país melhorasse o ambiente interno de negócios.

Setor de beleza e bem-estar

Os cuidados com beleza estão em alta e a previsão é de que, nos próximos anos, os consumidores busquem ainda mais serviços desse segmento. Mesmo diante da recessão econômica que afetou o país entre 2015 e 2016, o setor apresentou um crescimento superior ao restante do PIB e registrou 9,8% de aumento médio, contra 3% do PIB total. Uma pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) apontou que apenas 3,7% das empresas do setor de beleza e estética apresentaram falência, comparado aos 24,9% de outros segmentos.

Retorno de ICMS

No bolo do ICMS arrecadado em Santa Catarina, os destaques estão com Joinville (8,35%), Itajaí (7,55%) e Blumenau (4,72%). Brusque deve ficar com 1,69%. São esses os percentuais de retorno para 2019. A conta é feita de acordo com o movimento econômico de cada cidade em 2016 e 2017. A partir de agora, as prefeituras tem prazo de 30 dias para questionar esses índices, que são provisórios.

Compre de SC

“Leva qualidade para casa e desenvolvimento para o nosso Estado” é o mote do movimento “Compre de Santa Catarina” que acaba de ser lançado pelo governo estadual. A iniciativa foi criada para incentivar a retomada da economia catarinense após a paralisação dos caminhoneiros.

Privatização

“O petróleo é nosso” foi a campanha nacional que culminou com a criação da Petrobrás. Transformou-se na maior estatal brasileira. É o maior cabide de empregos, com mais de 180 mil funcionários, sem precedentes no resto do mundo. Nenhuma outra empresa sofreu assalto tão gigantesco como no petróleo. No petrolão, foi lembrado o ex-presidente Castelo Branco, sobre o monopólio estatal do petróleo: “Se é competente, não precisa de monopólio. Se não é, não merece”.

Menos impostos

Entre as muitas contradições da mobilização dos transportadores de carga, uma delas fica ainda mais evidente: ao cobrarem do poder público redução de preço do diesel por meio de menos tributos, os grevistas ignoraram que uma questão é consequência da outra. Pagam-se impostos escorchantes porque há uma máquina inchada e ineficiente, além do hábito arraigado de concederem subvenções e subsídios e da tentação de controlar preços públicos, numa excessiva interferência do Estado na economia. Para se pagarem menos impostos, uma justa reivindicação dos protestos, seria preciso privatizar aceleradamente, a começar pelas estatais deficitárias. Basta ver, porém, as objeções à venda da Eletrobrás, um recanto de apaniguados do poder de ocasião, para se entenderem as resistências à perda de privilégios, similares às dos que lutam contra o saneamento da Petrobrás, como se viu nessa greve dos petroleiros.

Negócio

A Advent Internacional, um dos grandes nomes globais do ramo de private equity (investimentos em empresas já consolidadas no mercado), anunciou a compra de 80% das ações da Walmart no Brasil. O acordo ainda depende de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O valor do negócio não foi divulgado.

Voz única

A Facisc está concluindo a primeira fase do programa Voz Única, recebendo 700 demandas de mais de 90% das Associações Comerciais e Industriais de todo o Estado. Tratam das primeiras reivindicações em saúde, segurança, tributos e infraestrutura. Servirão de base para entregar aos candidatos às eleições de 2018 em Santa Catarina.

Conta energia

Os consumidores devem pagar, em média 25,7% a mais na conta de luz no final deste mês, na comparação com junho do ano passado. A estimativa é da TR Soluções e leva em consideração dois aspectos principais: a adoção da bandeira vermelha patamar 2 pelo governo federal e os reajustes anuais das concessionárias de energias nos diversos estados. Essa projeção vale para todos os tipos de consumidores: residenciais, comerciais e industriais.

Boa noite, Cinderela

O TJ-SC negou pleito de profissional liberal de Florianópolis que garante ter sofrido o golpe conhecido como “Boa Noite, Cinderela”, em São Paulo, em janeiro de 2016. Após alguns drinques com jovens em bar da cidade, sofreu prejuízo de R$ 24 mil em compras efetuadas com seu cartão e senha durante a madrugada. Sob alegação de que houve negligência da instituição financeira em não bloquear os cartões, uma vez que as compras foram realizadas em um período de 23 minutos, tentou judicialmente o ressarcimento. Perdeu. Os juízes concluíram que o evento danoso decorreu exclusivamente por sua culpa.

Cesta básica

O custo da cesta básica em Itajaí teve uma alta significativa em maio de 10%. O valor passou de R$ 350,77 em abril para R$ 386,09 em maio. Os dados são do Projeto Cesta Básica Alimentar, da Univali. Ao longo deste ano, a cesta já subiu o equivalente a 22%. Por sua vez, mostra que Florianópolis tem a segunda cesta básica mais cara entre as capitais. De acordo com a publicação do Dieese, para consumir os 13 itens de maior necessidade era necessário gastar R$ 441,62 em maio. A Capital perde apenas para o Rio de Janeiro, que registrou a cesta básica mais cara do país com 446,03.

Multilog cresce

De uma operadora logística catarinense com 350 colaboradores, a Multilog saltou este ano para uma equipe de 1,5 mil pessoas e atuação no Sul e Sudeste. Essa aceleração foi alcançada principalmente com aquisições que somaram R$ 205 milhões em plena recessão. A companhia, que completou 22 anos de atividades, no meio da greve do transporte, planeja dobrar o faturamento até 2022, quando projeta receita de R$ 1 bilhão.

Sequência a ser interrompida

Mais do que as significativas perdas de receita, a paralisação dos caminhoneiros, que teve seu auge na reta final de maio, deve representar a interrupção de uma sequência de resultados animadores para a indústria. Em abril, a produção industrial avançou 0,8% na comparação com março, conforme dados divulgados pelo IBGE. Frente ao mesmo mês de 2017, o avanço é de 8,9%. Nos últimos 12 meses, chega a 3,9% e no acumulado de 2018 atinge 4,3%.

Venda de veículos

Aos poucos, os reflexos da paralisação dos caminhoneiros começam a aparecer em vários setores da economia catarinense. Depois dos principais e mais visiveis prejuízos, crise no abastecimento de alimentos e combustíveis, indústria parada e mortandade de animais no agronegócio, vem à tona outros impactos na vida dos catarinenses. Em levantamento divulgado pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos (Fenabrave) mostra que a venda de veículos novos em Santa Catarina teve queda de 11,82% em maio frente abril (14.309 contra 16.227). No segmento de automóveis e comerciais leves, responsável por 70% dos emplacamentos, a retração foi de 12,18%.

Acordo malfeito

Além de não ter conseguido agradar plenamente aos caminhoneiros, o acordo fechado sob pressão para atender às demandas dos transportadores de carga abriu uma frente de conflitos em diferentes áreas. Agora, ameaça paralisar inclusive o setor produtivo. Tanto a indústria quanto o agronegócio vêm demonstrando forte reação ao tabelamento do frete, uma das exigências para o encerramento da greve, que em alguns casos chega até mesmo a dobrar o custo do transporte de cargas. Em consequência, o acordo, que divide hoje ministérios, agências reguladoras, gestores públicos, organismos de controle e empresários de diferentes áreas de atuação, corre o risco de ir parar na Justiça.

Aquém do esperado em maio

Entre os prejuízos causados pela paralisação dos caminhoneiros em Santa Catarina está a arrecadação estadual aquém do esperado. Em maio, a receita bruta total atingiu R$ 2,02 bilhões, um crescimento de 5,42% frente ao mesmo mês do ano passado. Pelos cálculos da Secretaria de Estado da Fazenda, eram esperados R$ 130 milhões a mais, perda causada pelos bloqueios nas rodovias. Em relação ao mês anterior, abril, houve queda de 7,2%, dado que reflete mais o encolhimento da atividade econômica a partir do dia 21 de maio.

Reajustes dos combustíveis

A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis) deve abrir consulta pública para discutir a periodicidade dos reajustes de combustíveis no país. A ideia é estabelecer um prazo mínimo para os repasses das variações no mercado internacional.

Cadastro positivo

Aprovação final do texto base do PL 441/17 é fundamental para que o Cadastro Positivo funcione efetivamente no Brasil, a exemplo dos países desenvolvidos onde o crédito é barato e acessível à população. Nosso modelo atual ainda se baseia no Cadastro Negativo, onde por meio da análise do comportamento de inadimplência do consumidor, um novo crédito é concedido ou não. Basta uma negativa para o crédito não ser concedido. Ou seja, um consumidor que esqueceu de pagar um débito e teve seu nome inscrito no SPC terá a mesma punição do devedor com 10 ou mais registros, o que não é justo. No Brasil, há 60 milhões de pessoas negativadas, não se considerando no modelo atual o histórico de bom pagador.

Novos ônibus Busscar

A Carbuss – Indústria Catarinense de Carrocerias anunciou o lançamento dos novos modelos da marca Busscar, de Joinville, que está retornando efetivamente ao mercado neste primeiro semestre do ano. Serão comercializados três modelos: Vissta Buss 340, Vissta Buss 360 e Vissta Buss DD. As três linhas de ônibus foram desenvolvidas para os segmentos rodoviário, de fretamento e de turismo o consolidam a retomada das atividades fabris da marca. Durante o processo de implantação da nova Busscar também houve investimento na atualização de projetos, no design dos produtos e na atualização e modernização da fábrica.

Bem na foto

A Hering foi considerada uma das marcas do segmento de lojas de roupas mais relevantes para os consumidores de São Paulo, mostra um estudo feito pelo jornal O Estado de São Paulo juntamente com a consultoria Troiano Branding, aparece na segunda colocação do ranking, empatada com a C&A e Riachuelo. A liderança ficou com a Renner, com 40 categorias, o levantamento foi feito a partir de 11,5 mil entrevistas.

Menor crescimento do PIB

O mercado financeiro continua reduzindo a projeção para o crescimento da economia e aumentando a estimativa de inflação. De acordo com o Boletim Focus, publicação divulgada na internet todas as semanas pelo Banco Central, a expectativa para a expansão do PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 2,37% para 2,18%. Essa foi a quinta redução seguida. Para 2019, a previsão permanece em 3% há 18 semanas consecutivas.

Labirinto tributário

Muito além da excessiva dependência do transporte rodoviário, a greve dos caminhoneiros, que esvaziou postos de combustíveis e prateleiras de supermercados nas últimas semanas, expôs a necessidade urgente de uma forma tributária no Brasil. Ao arrancar, na base da pressão política, a aprovação da isenção da cobrança de PIS/Cofins sobre o diesel, as empresas de transportes de cargas escancaram o quão disfuncional é o sistema tributário no país. O Estado toma para si cinco meses do trabalho de todos os cidadãos enquanto categorias e setores com alto poder de barganha no Congresso conseguem incluir na legislação uma série de exceções e regimes diferenciados. Um cipoal de regulamentações que acaba produzindo desperdícios, evasão fiscal e um tormento burocrático para quem procura investir no país.

Megarrecall

A GM iniciou um megarrecall que envolve cerca de 500 mil modelos Chevrolet Onix, Prisma, Spin e Cobalt. Estão incluídas as unidades fabricadas entre janeiro de 2016 e maio deste ano dos quatro modelos. Um defeito pode levar a curto-circuito e superaquecimento do motor de partida, com possibilidade de incêndio. Para agendamento e informações, a GM disponibiliza o telefone 0800-702-4200 e o site chevrolet.com.br

Indenização do INSS ao segurado

Quando o INSS comete erros que causam prejuízos ao segurado, é possível cobrar uma indenização na Justiça. Corte do benefício sem aviso, desconto indevido de empréstimo não solicitado ou perda de documentos são alguns exemplos que podem dar dano moral de R$ 1.000 a R$ 15.000. Segundo especialista, a indenização é dada para que o órgão repare o erro e não cometa mais esse tipo de falha. Porém, como a decisão depende da interpretação do juiz, é importante reunir provas de que foi lesado e fazer um pedido consistente para entrar com a ação.

Pedido de aposentadoria na Justiça

Segurados que estão há muito tempo aguardando uma resposta do INSS sobre pedidos de aposentadoria ou auxílio podem recorrer à Justiça para tentar receber o benefício mais rápido. Para isso, é necessário entrar com um mandado de segurança. Nessa ação, o segurado pede que o INSS cumpra o prazo legal para responder o pedido administrativo, que é de até 45 dias. Foi o que um trabalhador de Guarulhos (SP) fez para saber a resposta sobre a sua aposentadoria por tempo de contribuição. Na sentença, o juiz aceitou o pedido do segurado sob o argumento de que a Previdência não apresentou justificativa para a demora.

Como acelerar na Justiça

Responsáveis por reavaliar as negativas de benefícios ou revisões a segurados do INSS, as Juntas de Recursos da Previdência Social não são uma solução rápida para disputas entre a Previdência e os seus segurados. Apesar de uma cobrança por prazos do Ministério Público Federal, o INSS leva em média, em alguns Estados, quase sete meses só para encaminhar os recursos dos beneficiários ao órgão julgador. O prazo legal é de 30 dias. Além de apresentar uma queixa à Ouvidoria do INSS pelo telefone 135 ou no site (inss.gov.br), a alternativa ao segurado para tentar acelerar o andamento do recurso é exigir o cumprimento dos prazos por meio de um mandado de segurança na Justiça, segundo especialistas.

Aposentadoria por idade

Trabalhadores que passam longos períodos desempregados ou em ocupações informais enfrentam dificuldades para conseguir a aposentadoria no INSS. Só no ano passado, das 287,6 mil aposentadorias negadas só em São Paulo, 238,9 mil (83%) foram rejeitadas por falta de contribuições. O foco dos segurados com poucas contribuições deve ser a aposentadoria por idade. Homens a partir dos 65 anos de idade e mulheres com 60 anos ou mais adquirem direito ao benefício ao completarem 180 contribuições, o equivalente a 15 anos. Para quem teve trabalho com registro em carteira ou fez algum pagamento à Previdência até 24 de julho de 1991, a carência da aposentadoria por idade varia de 5 anos a 14,5 anos.

Segunda chance de revisão

Os trabalhadores que pediram uma revisão do benefício ao INSS e foram derrotados têm a possibilidade de refazer o pedido à Previdência ou à Justiça Federal se conseguirem reunir novas provas. Para outra ação na Justiça, por exemplo, o segurado deve ter, além de mais documentos, um novo pedido administrativo, ou seja, a solicitação também tem que ser feita ao INSS, e não somente para o Judiciário. Sem isso, a ação poderá nem ser analisada. Outro detalhe é que esse mesmo pedido só pode ser apresentado na agência em que o benefício foi concedido.

Demissão perto da aposentadoria

O trabalhador que está perto de se aposentar tem estabilidade no emprego, de acordo com a convenção coletiva feita entre patrões e sindicato. Em geral, esse período varia de seis meses a três anos. Em alguns casos, só tem o benefício quem trabalha há mais de cinco anos na empresa. O trabalhador que for demitido no período de estabilidade pode exigir o seu emprego de volta, caso contrário a empresa deverá pagar salários e verbas trabalhistas referentes ao período que falta para a aposentadoria. Em decisão recente, o Tribunal Superior do Trabalho garantiu a estabilidade a um trabalhador que não avisou a empresa que estava perto de se aposentar. Mas especialistas alertam que o ideal é sempre avisar o patrão.

Problema estrutural

Condomínio novo, famílias felizes, mas nem tudo é motivo para alegria. Tão logo o prédio tenha sido entregue, é importante o síndico contratar uma empresa de engenharia para fazer uma vistoria para saber se tudo o que a construtora prometeu foi entregue como havia sido apresentado no projeto. Esta checagem pode mostrar para o engenheiro os chamados vícios construtivos. Os vícios são anomalias ou imperfeições do imóvel que afetam o seu uso e a finalidade para a qual ele se destina. São aqueles que decorrem de uma falha no projeto, do material empregado ou da própria execução da obra. É preciso ser ágil para não perder o prazo para cobrar a construtora sobre os problemas. O ideal é o condomínio trabalhar desde cedo para isso. Uma vez constatado o problema, notificada a incorporadora, e a construtora não se mexer, tem que entrar com uma ação na Justiça, não deixando passar o prazo de cinco anos.

CNH apreendida

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu que é possível recolher a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) de um homem que tinha dívidas na Justiça. A sanção é prevista no Código de Processo Civil (CPC). O tribunal proibiu, no entanto, a apreensão do passaporte do devedor, alegando que a medida fere o direito constitucional de ir e vir. A decisão ocorreu com base na análise de um recurso apresentado por um homem que estava sendo cobrado por dívidas de R$ 16,8 mil com uma escola.

 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 12/06/2018 às 10h07 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Workshop

Dia 12 de junho, das 8,30hs até às 12hs, em Itajaí, acontece um ciclo de palestras na OAB, com o tema: “As vantagens da Mediação e Arbitragem para Advogados”, uma realização da CAMESC (Câmara de Arbitragem e Mediação de Santa Catarina), tendo como palestrantes Dr. Asdrubal Júnior (Advogado em Brasília), Dra. Quitéria Peres (Juíza de Direito em Blumenau) e Dr. Marcelo Botelho Mesquita (Presidente da Comissão de Mediação e Arbitragem da OAB/SC). As inscrições são gratuitas até 8 de junho. O evento tem como apoiadores o Instituto dos Advogados de Santa Catarina e a OAB/SC, Sub-Seção de Itajaí.

Aplicações financeiras

Destacamos a seguir, o rendimento das aplicações financeiras no mês de maio, bem como o resultado acumulado deste ano (janeiro/maio): Selic +0,52% (acumulado +2,65%), CDI +0,52% (acumulado +2,64%), CDB +0,54% (acumulado +2,60%), Poupança +0,37% (acumulado +1,94%), Bolsa de Valores -10,87% (acumulado +0,46%), Dólar comercial +6,65% (acumulado +12,74%), Euro comercial +2,97% (acumulado +9,93%), Ouro +5,90% (acumulado +15,45%), Inflação pelo IGP-M +1,38% (acumulado +3,45%). Em 12 meses, para alugueis com vencimento em junho, o IGP-M tem alta de 4,26%.

Conta do boicote

Para compensar os R$ 9,6 bilhões gastos com a redução do preço do diesel, exigida pelos caminhoneiros em paralisação, o governo tomará mais dinheiro de exportadores, da indústria de refrigerantes e da indústria química, além de cortar verbas de programas da saúde, educação e segurança. Perderão grana programas de fortalecimento do SUS, concessão de bolsas para o ensino superior, policiamento ostensivo em rodovias federais e a preservação e a repressão ao tráfico de drogas.

Turismo religioso

O turismo religioso movimenta anualmente mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil este volume é de 17,7 milhões de viajantes, segundo dados do Ministério do Turismo (2016). Neste mercado, um dos destaques no país é Nova Trento, como aponta relatório produzido pelo Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae-SC: a cidade, terra de Santa Paulina, recebe cerca de 840 mil visitantes por ano.

Geração de empregos em abril

No país, houve geração de 115.898 novos empregos no mês e soma 336.855 no acumulado janeiro a abril. Em Santa Catarina foram 5.322 novas vagas e um acumulado no ano de 41.747. Os destaques em SC no mês de abril ficaram com Joinville (+1.270), São José (+803) e Blumenau (+677) em novos empregos gerados. No acumulado do ano (janeiro a abril) os destaques estão com Joinville (+5.031), Blumenau (+4.494), Chapecó (+2.422), Jaraguá do Sul (+2.323) e Brusque (+2.248). Os destaques negativos no mês ficaram com Tubarão (-476), Fraiburgo (-240) e Balneário Camboriú (-145). No acumulado do ano, os números negativos estão com Florianópolis (-1.220), Balneário Camboriú (-913) e Itapema (-96).

Prejuízo para as exportações

Os prejuízos da indústria catarinense com a paralisação do transporte de cargas, determinado pela mobilização dos caminhoneiros, podem se estender por mais tempo caso contratos de exportação sejam revistos pelos compradores. A análise foi feita pelo vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de SC (Fiesc), Mário Cezar de Aguiar. Em pesquisa da Federação com mais de 900 indústrias de todo o Estado, quando 69% delas informaram terem sido intensamente afetadas pela paralisação. A pesquisa também apontou os prejuízos causados e uma estimativa do tempo necessário para recuperação.

Entrega de objetos pessoais

Em consequência da paralisação dos caminhoneiros, os Correios deixaram de entregar cerca de 85 milhões de objetos pessoais, entre encomendas e mensagens, uma vez que os veículos da empresa não conseguiram chegar ao seu destino por causa de bloqueios nas estradas ou devido à falta de combustível. Com o término do movimento, a estimativa é de que em aproximadamente 15 dias as entregas estejam normalizadas.

Estelionato educacional

O ex-presidente da OAB em Santa Catarina, o advogado Tulio Cavalazzi Filho, criticou em artigo a “abertura indiscriminada” de novos cursos de Direito em todo o país. Já são 1.266, conforme dados do Ministério da Educação citados por ele. No resto do mundo, acrescenta, existem apenas 1,1 mil. O Brasil já tem 1,08 milhão de advogados inscritos na instituição.

Economia contaminada

O ano de 2018 começou em um clima de animação e expectativa positiva com o desempenho da economia, a partir das previsões otimistas sobre o crescimento do PIB superior a 3%. Terminada a temporada, a situação econômica começou a desinflar, com dados até preocupantes, que se agravaram nos últimos dias com aumentos sucessivos na cotação do dólar. É ótimo para os exportadores, mas péssimo para o mercado interno. Um Congresso Nacional improdutivo, com debates desconectados dos interesses da sociedade, as reformas que não acontecem, os fatos novos denunciados, setores da esquerda primitiva afrontando o Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Federal, e outras tentativas de radicais dos responsáveis pelo desastre econômico de impedirem a retomada efetiva do desenvolvimento. A queda da expectativa favorável e a falta de confiança produzem outro efeito diabólico na economia: os juros estão baixos, mas o crédito continua difícil. Falta de credibilidade dos candidatos e dos políticos.

Passarelas na Rodovia

A demora na instalação das passarelas que vai garantir mais segurança na travessia da Rodovia Antônio Heil (Itajaí/Brusque), especialmente para crianças e adolescentes que moram de um lado da estrada, mas estudam de outro, tem incomodado a comunidade. As vigas de sustentação estão em fase de produção e que se aguarda as adaptações na fiação elétrica, que terão que ser feitas pela Celesc, segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura. Quando essa etapa estiver pronta, começa a instalação.

Fiscalização intensiva

Mais de 180 auditores da Fazenda estadual fizeram recentemente uma operação de fiscalização em 2,2 mil estabelecimentos de varejo em 56 cidades. Em 12% das lojas foram verificadas irregularidades na utilização de equipamentos de controle fiscal.

Acima da média

A venda de veículos novos no Vale entre janeiro e abril cresceu 39%, mais do que o dobro do que a média nacional no mesmo período (17,6%). O resultado também é superior ao verificado em Santa Catarina (27,2%). Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores em Santa Catarina (Fenabrave-SC). Nos quatro primeiros meses do ano, 17.487 veículos foram emplacados na região. Só de automóveis foram 10.614 unidades. Termômetro da economia, o mercado de veículos costuma ser um espelho do poder de consumo das pessoas.

Tamanho do mercado

O setor de ferramentaria movimenta 42 bilhões de dólares por ano em todo o mundo, mas o Brasil só participa com 0,4% desse volume. Diante dos números, o Senai espera ampliar a capacidade competitiva das matrizes desenvolvidas no País.

Devedor contumaz

O devedor contumaz foi tema de um inédito seminário em Florianópolis, promovido pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF-SC), com palestras e debates entre representantes de todos os Estados. Trocaram-se experiências, informações, conhecimentos, normatizações e tecnologias com vistas à reflexão conjunta e aprofundada sobre tal personagem. Há alguns catarinenses notáveis na categoria. A Secretaria de Estado da Fazenda que o diga.

Discurso enganador

Ouve-se agora o velho discurso do governo dizendo que para ceder às reivindicações dos caminhoneiros é preciso ter uma fonte de onde tirar os recursos, que seria o aumento de impostos, evidentemente. O espantoso é que o mesmo governo não fala em cortar despesas possíveis, dentre elas os privilégios de seus funcionários, como o vai-pra-lá e pra-cá de jatos da FAB levando ministros, como se fossem passear na praça mais próxima. Por que não reduzir despesas dos obesos e ineficientes judiciário e legislativo, eliminando seus odiosos privilégios, no ambiente federal, estadual e municipal? Essa greve poderá gerar efeitos muito positivos, como uma boa limpeza, em todos os sentidos, de tudo que há de sujo e ruim neste país.

Reivindicação atendida

Um dos pedidos feitos pela comitiva formada por representantes da Associação Empresarial de Brusque, pelo Núcleo de Empresas Contábeis da entidade, Sindicato dos Contabilistas de Brusque e do Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina, à 2ª Gerência Regional da Fazenda Estadual em Itajaí, será atendida. Trata-se da solicitação da disponibilidade de um fiscal para atuar em Brusque em forma de plantão, pelo menos uma vez por semana, para atender as demandas da cidade e dos municípios vizinhos.

Registros sindicais

O Ministério do Trabalho suspendeu por 30 dias as análises, pedidos e cancelamentos de registro sindical. A portaria com a medida foi publicada no Diário Oficial da União. A suspensão ocorreu depois de uma operação da Policia Federal para investigar um esquema de fraude na concessão de registros.

Transportadoras multadas

Dez transportadoras de carga de Santa Catarina foram multadas no valor de R$ 22,2 milhões aplicadas por agentes da Polícia Rodoviária Federal no dia 26. A argumentação da Advocacia-Geral da União para determinar a punição financeira é de que as empresas teriam infringido o artigo 253-A do Código de Trânsito Brasileiro, que proíbe a conduta de “usar qualquer veículo para, deliberadamente, interromper, restringir ou perturbar a circulação na via sem autorização do órgão ou entidade de trânsito”. No caso de não cumprimento voluntário do pagamento arbitrado, a AGU pede, ainda, a penhora de outros bens das transportadoras consideradas infratoras. Das empresas catarinenses punidas, uma é de Joinville; quatro têm sede em cidades do Vale do Itajaí; duas são do Sul; duas do Meio-Oeste; e uma da região Oeste.

Sai de baixo

Para os fãs do programa “Sai de Baixo”, uma boa novidade. Na última semana, iniciaram-se as filmagens do longa “Sai de Baixo. O filme promete boas risadas com o casal Caco Antibes e Magda, que já anunciaram nas redes sociais o retorno. Mas o filme ainda não tem data para estrear nos cinemas. Vamos esperar.

Cenário é de cautela

O índice de confiança do micro e pequeno empresário cresceu 4,3 pontos em um ano, segundo o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). O indicador registrou 54,1 pontos em maio. Em abril, estava em 52,7 pontos, e, segundo as instituições, refletem uma moderação do empresário. A economia brasileira superou a recessão, mas os sinais de retomada ainda são graduais, segundo o presidente da CNDL.

Importância das pessoas

As organizações somente podem prosperar se forem capazes de se aperfeiçoar, investindo na valorização do seu capital humano. Para que uma empresa seja lucrativa, ela precisa, além das máquinas, das pessoas que nelas trabalham. E as pessoas precisam ser valorizadas, pois uma empresa que tem colaboradores satisfeitos funciona inteiramente melhor. Os colaboradores podem ampliar ou limitar as forças e fraquezas de uma organização, dependendo da maneira como eles são tratados. São as pessoas que dão vida ao dia a dia da organização, que fazem os processos funcionar e que levam a empresa ao crescimento e ao desenvolvimento.

Críticas ao governo

O Fórum Sindical dos Trabalhadores de Brusque e região focou em críticas ao governo federal, elencando diversas medidas contrárias à população. A entidade cita o congelamento dos investimentos em saúde, segurança e educação por 20 anos, a reforma trabalhista e a reforma da previdência, cuja aprovação o governo aguarda. Para o Fórum, o governo federal atual “está a trabalho somente do grande capital, abandonando o povo”.

Preço da gasolina

A Petrobrás aumentou dia 2 (sexta-feira) em 2,25% o preço da gasolina em suas refinarias. O preço passou de R$ 1,9671 para R$ 2,0113, de acordo com a estatal. Em um mês, o combustível acumula alta de preço de 11,29% ou seja, de 20 centavos por litro, já que em 1º de maio, o combustível era negociado nas refinarias a R$ 1,8072. O preço do diesel, que recuou 30 centavos desde o dia 23 de maio, no ápice da greve dos caminhoneiros, será mantido em R$ 2,0316 por 60 dias.

O futuro da Petrobrás (1)

A saída de Pedro Parente da Petrobrás foi um desastre para a imagem da companhia e para o que resta de confiança no atual governo. Para se ter uma ideia, a estatal terminou a sexta-feira (1/6) valendo R$ 40 bilhões a menos no mercado. Isso pode ser revertido, mas o fato é que há um temor geral a respeito do futuro da maior empresa do país. Parente ficou na berlinda por causa da disparada dos preços da gasolina e do óleo diesel nos últimos meses. Coma paralisação dos caminhoneiros, que apesar de seus abusos ganhou apoio da população, o governo decidiu a toque de caixa baixar na marra os preços do diesel. É claro que sempre se pode pensar num jeito de evitar transtornos para o consumidor com reajustes quase diários nos combustíveis.

O futuro da Petrobrás (2)

Mas, com o petróleo ficando mais caro no mundo todo, a estatal (que pertence a todos os brasileiros) não pode morrer no prejuízo. Aliás, ela quase foi à lona na gestão de Dilma Rousseff, justamente porque estava sendo administrada na base do controle de preços (e da corrupção). O governo Temer não se preparou para a bronca geral com o encarecimento dos combustíveis. O jeito agora é controlar os danos. Deu muito trabalho tirar a Petrobrás do buraco. É preciso proteger a empresa de novas politicagens. Uma saída é discutir com seriedade os impostos que incidem sobre a gasolina e o diesel, que são mesmo muito altos. Aliás, isso acontece com quase todos os produtos no Brasil.

Prejuízos (1)

As agroindústrias de Santa Catarina tiveram um prejuízo superior a R$ 350 milhões, segundo dados da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaesc). Além disso, a entidade elencou outros impactos: que na receita dos agricultores, falta de alimentos para os animais, desperdício da produção, perda de animais, aumento abusivo nos preços dos alimentos e, o mais ameaçador, risco de sanidade animal.

Prejuízos (2)

Levantamento feito pela Fiesc (Federação das Indústrias de SC) com grandes empresas de todo o Estado revela que 86% delas foram muito ou totalmente afetadas pelo movimento dos caminhoneiros. Em 30% houve registro de paralisações. No Vale, 70% das atividades foram muito ou totalmente afetadas, segundo os números divulgados. Metade dessas grandes empresas estima um prejuízo acima de 20% no faturamento mensal. Para 89%, as atividades só serão completamente normalizadas 20 dias após o fim da greve.

Empreendedorismo (1)

Fernando Heil, nascido e criado em Brusque, o trabalho esteve sempre presente em sua vida. Aos oito anos de idade, quando o pai administrava a olaria que herdou do avô, ele, tijolo por tijolo, dava início à construção de seu futuro. Com muita luta, o empresário conquistou seu espaço como grande empreendedor brusquense. Sucesso construído passo a passo. Primeiro na olaria de seu pai, depois nas fábricas de Brusque, até o momento em que decidiu empreender. A história de Fernando Heil inicia em 1977, quando ele decide sair da Indústria Renaux, onde trabalhava, há 13 anos. A primeira coisa que fez foi comprar uma Kombi, ano 61, para trabalhar com tapetes. Depois, usava o mesmo veículo para fazer entregas das pipocas.

Empreendedorismo (2)

Além da fábrica de tapetes, da fábrica de pipocas (Bilu), o empresário Fernando Heil decidiu construir o Stop Shop, hoje com mais de 150 lojas. Segundo ele, o comércio estava saindo da Rua Azambuja e se deslocando para a Rodovia Antônio Heil, onde já havia alguns centros comerciais e muitas lojas pequenas. O olhar empreendedor percebeu que havia uma necessidade crescente de organizar o mercado, oferecer mais segurança para guias, clientes e lojistas. Em março de 1995 nascia o Stop Shop, com comércio atacadista e varejista, uma necessidade de toda a região, e se consolidou como um dos principais roteiros de compras de agentes de viagem e lojistas de todo o Brasil. Tempos depois, mais uma vez a ousadia e o empreendedorismo falaram mais alto. Em 2010, nascia o Catarina Shopping, na Rodovia Ivo Silveira. Segundo Fernando Heil, para alcançar o sucesso é preciso uma grande dedicação e sempre dar o seu melhor, além da honestidade. O trabalho não deve ser uma obrigação e, sim, um prazer, revela o empresário.

Turismo cresce em SC

O índice de volume das atividades turísticas de Santa Catarina cresceu 3,1% no primeiro trimestre deste ano frente ao mesmo período de 2017. O dado coloca o Estado como uma das quatro unidades da federação que registraram resultado positivo, atrás de Espirito Santo (14,3%) e Pernambuco (6,3%) e à frente de Goiás (2,8%). No país, o setor retraiu 1,9% com as maiores baixas verificadas no Rio de Janeiro (-7,5%), Bahia (-4,6%) e Ceará (-2,8%). Em receita, o trade catarinense avançou 3,8% entre janeiro e março, quase o dobro da média nacional (2%).

Centralização das esculturas

A proposta de transferência das esculturas espalhadas pela cidade de Brusque começa a ser colocada em prática. Onze delas já foram removidas e devem ser colocadas no Parque das Esculturas. Com históricos de casos de vandalismo, um levantamento sobre a condição de cada uma está sendo desenvolvido pela Secretaria de Turismo. As obras nunca tiveram um cronograma de limpeza específico. A medida deve estimular ainda mais a visitação e facilitar o acesso às obras. Inaugurado em 2014, o Parque das Esculturas abriga mais de 40 peças de mármore. Artistas nacionais e internacionais têm representantes no espaço. Por mês, mais de mil pessoas passam pelo espaço.

Paradão da economia (1)

Ainda no meio da confusão provocada pela paralisação dos caminhoneiros, a divulgação do desempenho da economia no primeiro trimestre do ano ficou até parecendo notícia velha. Os números mostram que o PIB, isto é, a produção e a renda do país cresceu 0,4% no período de janeiro a março, na comparação com o final de 2017. É uma taxa fraca. Basta dizer que, nesse ritmo, o avanço em um ano seria de apenas 1,6%. Até poucas semanas atrás, havia a esperança de que o resultado de 2018 ficasse perto dos 3%, o que já não seria nenhuma maravilha. Pelo jeito, não vai dar mais. Já estavam caindo as apostas num segundo trimestre melhor. Com o boicote dos caminhoneiros, o desânimo aumentou. Não é que a recessão vai voltar, mas o país deve continuar andando bem devagar.

Paradão da economia (2)

O consumo das famílias, que é o que mais movimenta a economia, cresceu 0,5% de janeiro a março. Ainda falta muito para recuperar o nível de 2014, antes do agravamento da crise. O desemprego continua alto, assim como os juros nos bancos. Para complicar, o dólar continua subindo, o que aumenta os preços. Há também uma desconfiança geral entre os empresários em relação ao futuro. Como o governo anda mal das pernas e ninguém tem ideia de quem vai estar no comando no ano que vem, o pessoal vai adiando os investimentos e contratações. Ao que tudo indica, o paradão da economia vai durar até o desfecho da disputa presidencial. Depois, a chance de uma recuperação mais rápida vai depender das providências do eleito. Resta torcer para que, desta vez, não se prometa uma coisa na campanha e se faça outra no Planalto. 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 04/06/2018 às 11h34 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Selic mantida, abismo persistente

Numa decisão considerada surpreendente por muitos analistas, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manteve na última semana a taxa básica de juros, a Selic, a 6,5% ao ano. Havia uma expectativa de nova redução, de 0,25%. A decisão interrompeu uma sequência de 12 cortes seguidos, que iniciou-se em 2016. A Selic funciona como uma referência para a taxa de juros, mas a realidade de acesso ao crédito por parte do consumidor no dia a dia é bem diferente. Há uma enorme disparidade entre a taxa básica e o que de fato é cobrado no comércio, em empréstimos, e no uso de cartões de crédito.

Cadeia produtiva

Além de dificultar a cadeia produtiva do país, os reajustes dos combustíveis inviabilizam financeiramente o cotidiano das empresas e novos investimentos que poderiam aprimorar o setor. Eles são um exagero, diante de uma taxa de inflação abaixo da média e da excessiva carga tributária do Brasil, que incide no transporte.

Geração de empregos (correção)

Na edição anterior, os números gerados de empregos no mês de abril, foram feitos equivocadamente. Destacamos a seguir os números corretos: no país, houve geração de 115.898 novos empregos no mês e soma 336.855 no acumulado janeiro a abril. Em Santa Catarina foram 5.322 novas vagas e um acumulado no ano de 41.747. Os destaques em SC no mês de abril ficaram com Joinville (+1.270), São José (+803) e Blumenau (+677) de novos empregos gerados. No acumulado do ano (janeiro a abril) os destaques estão com Joinville (+5.031), Blumenau (+4.494), Chapecó (+2.422), Jaraguá do Sul (+2.323) e Brusque (+2.248). Os destaques negativos no mês ficaram com Tubarão (-476), Fraiburgo (-240) e Balneário Camboriú (-145). No acumulado do ano, os números negativos estão com Florianópolis (-1.220), Balneário Camboriú (-913) e Itapema (-96).

Selbetti

A Selbetti Gestão de Documentos, de Joinville, comprou mais uma empresa. Desta vez foi a Campello Soluções em Informática, de Belo Horizonte. O negócio, o sétimo desde 2014, incrementará o faturamento em R$ 10 milhões, com parque instalado de 2 mil equipamentos. Os principais clientes que agora se incorporam à base da empresa joinvilense são a Pontifícia Universidade Católica Minas, Grupo Fiat e Drogaria Araújo. A perspectiva de expansão mira faturamento de R$ 250 milhões em 2020, o que significa nova duplicação de tamanho.

Planos de expansão

O mercado de cerveja artesanal no Brasil vem crescendo desde os anos 2000, sendo que, em 2006, apresentou índices bastante altos de crescimento. Quem faz parte desse mercado promissor, sendo um dos pioneiros na região, é a Zehn Bier, de Brusque, que está completando 15 anos. Dados do Sebrae apontam que o País é o terceiro maior produtor mundial, atrás apenas dos Estados Unidos e da China. E, de acordo com esta pesquisa, a expansão nacional é de 30% ao ano, principalmente, nas regiões sul e sudeste. A Zehn Bier, em comemoração aos seus 15 anos, está num projeto de expansão para outras regiões do Brasil e para o mercado externo. Recentemente exportou, pela segunda vez, para Singapura e está mapeando outros mercados.

Fator imposto

O Brasil precisa romper com uma situação que, por incompetência geral do setor público, limita os investimentos com um complexo sistema de impostos e carga tributária elevada demais. Comparando a outros países emergentes, como Rússia, Índia, China e África do Sul, integrantes do grupo conhecido como Brics, o Brasil fica atrás em todos os quesitos considerados importantes pelo Banco Mundial (Bird) para facilitar os investimentos. A desvantagem torna-se ainda mais nítida quando o aspecto avaliado é impostos, indica estudo integrante da série Desafios da Nação, preparada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). No item tributação, o Brasil registrou a maior distância em relação ao que seria considerado o nível mais avançado de desenvolvimento do ambiente de negócios.

Premiação

Dissertação de mestrado do advogado Lio Bocory, apresentada na Faculdade de Direito da Nova York University, conquistou o primeiro lugar. Trata-se da convenção de compra e venda internacional de mercadorias. Bocory foi premiado com matrícula em Seminário na Academia de Arbitragem Internacional da Universidade de Colônia, na Alemanha. Será ministrado pelo professor Klaus Peter Berger, uma das maiores autoridades mundiais em arbitragem.

Vitória de quem?

Os deputados estaduais que votaram pela derrubada da Medida Provisória 220, que reduzia a alíquota do ICMS de 17% para 12%, já se deram conta do equívoco que cometeram. Prova disso são as manifestações oficiais, de setores diversos da economia, dirigidas todos os dias ao secretário da Fazenda, solicitando a concessão do benefício. A Associação Brasileira da Indústria Gráfica de SC e os nove sindicatos patronais regionais do ramo se posicionaram a favor da MP, qualificando-a como benéfica à economia catarinense, por fomentar a produção local. A entidade representa 1.278 empresas gráficas de SC e mais de 11 mil trabalhadores.

Pronegócio

Concluída a 45ª Pronegócio, em Brusque, com mais de um milhão de peças vendidas, toda a diretoria da AmpeBr já está iniciando os preparativos da 46ª edição da rodada, que apresenta a coleção Alto Verão 2019 de marcas de Brusque e região. O evento está agendado para o mês de agosto e deve acontecer nos dias 20 a 24. O local deve ser definido nos próximos dias.

O perigo do dólar (1)

Uma das poucas boas notícias da economia nos últimos tempos foi a queda da inflação. Melhor ainda, a comida ficou mais barata. Na média, os preços de alimentos e bebidas caíram 1,87% no ano passado. Se contados os 12 meses encerrados em abril, a redução é ainda maior, de 2,11%. Isso aconteceu porque o país teve safras agrícolas muito boas. E não foram só os consumidores que se beneficiaram. Com inflação menor, o Banco Central pôde reduzir os juros. É verdade que as taxas nos bancos ainda estão altas demais, mas pelo menos o governo passou a gastar menos grana dos contribuintes com suas dívidas. Só que agora apareceu uma ameaça a essa melhora: o dólar está subindo muito.

O perigo do dólar (2)

Isso acontece quase no mundo todo, porque a economia dos Estados Unidos está crescendo e mais gente compra a moeda dos americanos. Mas em alguns países, como a Argentina, a Turquia e o Brasil, o dólar avança demais. Aqui, um dos motivos é o medo do resultado da eleição. O problema é que isso faz os produtos importados (como trigo, derivados do petróleo e agrotóxicos) ficarem mais caros. Daí podem aumentar os preços de alimentos importantes como pão, além de outros itens como desodorante, xampu e remédios. Foi com medo desses efeitos que o Banco Central desistiu de cortar os juros mais uma vez. Não é que haja grande perigo de uma disparada da inflação, mas é melhor não arriscar. O cenário para os preços já não é tão favorável, e a recuperação da economia ficou ainda mais duvidosa.

Araquari, a bola da vez

O boom do crescimento econômico dos últimos anos fez Araquari chegar a contar com 13,2 mil trabalhadores com carteira assinada, ainda que parte desse pessoal more em cidades vizinhas. É quase o contingente somado empregado pela CLT em São Francisco do Sul (9,1 mil trabalhadores) e Barra Velha (5,2 mil). Em 2018, já surgiram quase 600 novos empregos em Araquari, mais do que todo o ano passado.

Indústria puxa a fila

Nos quatro primeiros meses de 2018, a indústria apresenta o melhor desempenho entre todos os segmentos em SC. É preciso lembrar que é nessa época que as empresas contratam jovens aprendizes, por exemplo, o que ajuda a inflar os dados. Esses contratos são encerrados no final do ano, mesmo assim, trata-se de um indicador positivo.

Reforço no SCMC

O Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC) ganhou um novo reforço. E não é de uma empresa têxtil. A mais nova integrante da plataforma é a Plasvale, conhecida pelos plásticos para as mais diversas utilidades domésticas. O movimento criado para intensificar o intercâmbio entre marcas de moda da região quer aumentar parcerias com companhias que investem em design e dão novos significados na fabricação de produtos.

Hotéis

O tradicional Hotel Termas da Guarda, dos Guglielmi, no município de Tubarão, foi adquirido pelo grupo hoteleiro Ficare, de Porto Alegre. A operação foi avaliada em R$ 8 milhões. No Sul, há informações de que a família Guglielmi está negociando também a venda do famoso Laguna Tourist Hotel, que era conhecido como “gaiola de ouro” do Sul catarinense.

Poupadores podem aderir

Inscrição para quem quiser aceitar acordo com banco será feita pela internet. Poupadores devem avaliar se a proposta é vantajosa. A partir de agora, poupadores podem aderir ao acordo feito com os bancos para receber de volta a grana perdida na época dos planos Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 2 (1991). O cadastro será feito pela internet, em um site que está no ar. Após comprovado que o poupador teve perdas com os planos econômicos, os bancos farão uma análise da documentação. O pagamento deve ocorrer após 15 dias. Valores de até R$ 5 mil serão quitados à vista. Montantes maiores poderão ser parcelados em até sete vezes. Haverá prioridade de pagamento para idosos, e herdeiros também podem aderir. Advogados alertam que o acordo pode não ser bom para todos e que é preciso analisar condições com cautela.

Sem definição para o trevo

Em reunião na Associação Empresarial de Itajaí, o secretário de Estado de Infraestrutura e o presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura de SC (Deinfra), detalharam a situação do entorno da Rodovia Antônio Heil (SC-486), que liga Itajaí a Brusque. Em relação ao entroncamento da rodovia estadual com a BR-101, onde está previsto um trevo com quatro grandes alças de acesso, o secretário informou que o processo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres e as adequações necessárias do projeto foram concluídos. Com isso, o Estado tem autorização para iniciar os trabalhos, que começam com a busca de todos os contatos de desapropriação. A obra não ficará dentro do mesmo cronograma de execução devido ao atraso dos processos. As obras das alças de acesso estão orçadas em aproximadamente R$ 40 milhões e ainda continuam sem data para começar. Ela é fundamental para garantir a fluidez do tráfego de veículos da rodovia, que está sendo duplicada e com previsão de conclusão para dezembro deste ano.

Tempo é dinheiro

O brasileiro precisa meditar se vale a pena utilizar-se exclusivamente do processo convencional ou se não é melhor valer-se de alternativas de solução de conflitos que dispensem o ingresso em Juízo. Os norte-americanos, ricos e pragmáticos, só recorrem ao Judiciário para as grandes questões. As pequenas são resolvidas pela Conciliação, Negociação, Mediação ou Arbitragem. Ganha-se tempo e eles sabem muito bem que “time is money”, motivo porque o ganho é duplo.

Triste retrato

O incêndio que atingiu parte da estrutura e as imagens internas que mostram o local completamente depredado são um triste retrato do abandono do prédio do antigo Grande Hotel, em pleno Centro de Blumenau. Fechado desde 2014, o imóvel já foi a leilão mais de uma vez, sem final feliz. A Justiça já se manifestou favorável à venda direta. Duas propostas de compra chegaram a ser apresentadas, mas por enquanto o caso está parado.

Varejo digital

O professor Marc Knoppe, vice-reitor da Universidade de Ingolstadt, na Alemanha, estará em Brusque nesta semana. Vai abordar, em palestra, a digitalização do varejo e as principais tendências do setor que serão apresentadas na Retail’s Big Show, maior feira do segmento do mundo. A promoção é da Fecomércio e do Senac-SC.

Cachaça

A Assembleia Legislativa de SC deve oficializar em breve o que já se sabe na prática. Projeto de lei que reconhece Luiz Alves como capital e terra catarinense da cachaça passou pelas comissões de Constituição e Justiça e Educação, Cultura e Desporto e vai para votação em plenário. A produção da bebida representa uma das principais atividades econômicas da cidade. O município conta atualmente com 12 alambiques. Já foram mais de 50 nos anos de 1980 e que produzem um milhão de litros de aguardente de forma artesanal. A produção abastece os mercados catarinense e paranaense.

Ironia

Segundo levantamento do Ministério do Turismo, 88% dos visitantes estrangeiros que estiveram no Brasil em 2017 avaliam que a viagem superou ou atendeu as expectativas. Entre as melhorias de avaliação está a dos aeroportos, de 90% para 92%. Ironicamente, o terminal aéreo de pior avaliação foi o Hercílio Luz, de Florianópolis, por onde decola e aterrissa, a toda hora, o atual ministro do Turismo. Mas os suíços que ganharam a concessionária prometem tirá-lo de tão humilhante posição. No mesmo levantamento, o Rio de Janeiro foi a cidade mais visitada entre os que procuraram lazer (27%) e Florianópolis (20%) em segundo lugar.

Campanha contra esmolas

Prevista em lei municipal aprovada em 2014, a realização de uma campanha que visa desestimular a doação de esmolas em Brusque já começou, com a colocação de placas nos semáforos do município. Elas estarão em pelo menos 20 pontos. O objetivo da Secretaria de Assistência Social é que, sem esmolas, as pessoas que ficam nas ruas sejam desestimuladas a continuar ali, em vez de procurar auxílio na prefeitura.

Golpe

Um golpe que está sendo aplicado em comerciantes em todo o Brasil. Ao pagar a conta no caixa de um restaurante, um casal troca a máquina leitora de cartão sem que a funcionária do estabelecimento perceba. A máquina do restaurante é colocada numa bolsa, de onde é retirada outra máquina semelhante, mas com a conta deles cadastrada. Eles dizem que a operação não foi efetuada e pagam a conta em dinheiro. A partir daí, todos os pagamentos recebidos caem na conta dos golpistas.

Impacto na economia

Um estudo com base nos indicadores do seguro obrigatório de automóveis DPVAT, divulgado pela Escola Nacional de Seguros, revela que os acidentes graves ocorridos no trânsito brasileiro em 2017 provocaram impacto econômico de R$ 199 bilhões, ou o correspondente a 3,04% do PIB, a soma dos bens e serviços produzidos no país. O valor equivalente ao que seria gerado pelo trabalho das vítimas, caso os acidentes não tivessem ocorrido. Os acidentes no trânsito mataram 41,1 mil pessoas no ano passado em todo o país e deixaram com invalidez permanente, que as afasta da atividade econômica que exerciam, outras 42,3 mil. A maior parte dos acidentes (74%) no ano passado envolveu motocicletas, sendo que 59% das vítimas nesse tipo de veículos eram os próprios condutores, sendo que estavam em fase economicamente ativa.

Imprimindo crescimento

Pouca gente sabe, mas as sacolas de marcas como Colcci, Carmen Steffens e Arezzo são feitas por uma empresa do Vale. Com investimentos que chegam a R$ 60 milhões desde que foi comprada pelo Grupo Weisul, em 2010, a Prinbag prevê um crescimento de 10% neste ano. O parque fabril em Camboriú emprega 200 pessoas. De lá sairão mais de 50 milhões de embalagens que abastecerão o mercado até dezembro. A expansão será motivada pela variedade na carteira de clientes: grandes varejistas e negócios de pequeno e médio porte, segundo a direção da empresa.

Sonegação trava crescimento

A causa principal da arrecadação abaixo do potencial é a sonegação. Poderia ser melhor. Este é o motivo segundo dados do IBGE sobre o PIB de serviços de Brusque. Se fosse aplicar a alíquota do ISS, que é de 2%, daria mais de 100% de acréscimo do que se arrecada. Hoje no Brasil, a cada real pago de imposto, sonegam-se dois ou três. Brusque está nesta relação. Há um potencial enorme a ser trabalhado sobre a importância do pagamento de tributos.

Só olhando

Levantamento da Fecomércio-SC revela a intenção de consumo das famílias catarinenses atingiu 91,2 pontos em abril, numa escala de zero a 200. É um resultado ruim. Na comparação anual, há recuo de 2,5%. Significa que as vendas ainda não se disseminaram para o conjunto dos segmentos do varejo. Os negócios do segmento de bens duráveis é o que ainda não reagiu. Mas para o futuro, a percepção é melhor. Em relação as perspectivas de consumo, o índice marca 104,8 pontos, alta expressiva ante os 97,4 de um ano atrás.

Imunidade baixa

Qualquer um de nós, quando debilitado, fica mais vulnerável e sensível às intempéries, a contágios. Assim também os países. O Brasil continua com imunidade baixa porque não tratou adequadamente as suas patologias. Não completamos as reformas estruturais e, por isso, não encaminhamos questões fundamentais como o desequilíbrio fiscal, a baixa produtividade e a falta de competitividade. Continuamos sensíveis às oscilações da economia internacional, dos preços das commodities e da taxa de juros. Produtos agropecuários e minerais em alta e juros em queda nos fazem bem. O inverso nos faz muito mal: é gripe ou pneumonia à vista.

Imposto sindical

Em Santa Catarina, magistrados de primeiro grau têm divergido sobre a questão envolvendo o Imposto Sindical. Em ações movidas principalmente por sindicatos laborais, há decisões favoráveis e contrárias. A inconstitucionalidade da medida na Segunda Instância, no entanto, o TRT vem sinalizando de que a extinção da contribuição obrigatória é legal.

Queda livre

Medida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o índice de confiança do empresário industrial teve a segunda queda seguida em maio, baixando para 55,5 pontos, acaba de divulgar a entidade. O indicador vai de 0 a 100, quanto mais alto, mais otimista está o segmento. A lentidão da recuperação da economia e o cenário de incertezas para os rumos do país a partir das eleições presidenciais ajudam a explicar a queda.

Parceria

A Câmara de Comércio Árabe-Brasileira inaugurou um escritório em Itajaí. A proposta é reduzir custos e agilizar os serviços para os associados que utilizam o comércio portuário local. O que atraiu a entidade foi o grande volume de carnes que são exportadas para os árabes a partir de Itajaí.

Arquitetura e design

Reconhecida como a maior mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas, é grande a expectativa da Casacor 2018, em Itapema, que irá ocorrer no antigo Plaza Hotel. O evento abriu as portas para o público no último final de semana e ocorre até 8 de julho. Francis Bernardo e Luiz Bernardo serão os anfitriões da mostra e contam que os 35 ambientes prometem um grande espetáculo em materiais inovadores. Materiais inovadores, projetos arquitetônicos de qualidade, tendências internacionais em design, paisagismo, eventos com conteúdo relevante, curadoria de arte e muito mais. 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 29/05/2018 às 14h12 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Nova loteria

A Caixa está lançando mais uma loteria. Chama-se Dia da Sorte. O valor mínimo da aposta é de R$ 2. A probabilidade de acertar os sete números com aposta mínima é de uma para 2,6 milhões de possibilidades. É mais uma oportunidade que o governo tem de recolher muitos trocados do povo insatisfeito com o que ganha. Aliás, jogar na loteria é pagar o imposto da ilusão.

Preferência nacional

Balneário Camboriú divide com Gramado (RS) a preferência dos turistas que virão à região Sul nas férias de julho. A cidade está entre as 10 mais procuradas segundo ranking da operadora CVC, uma das maiores do país. Os outros destinos favoritos para o mês mais frio do ano estão na região Nordeste. A expectativa de ocupação hoteleira para o período, em Balneário, é de 65%.

Geração de empregos

O Brasil gerou 118.898 novos empregos no mês de abril deste ano, somando um acumulado de 336.855 novas vagas abertas neste ano. Santa Catarina gerou 5.322 novos empregos neste mês de abril e soma 41.747 novas vagas este ano de 2018. Os destaques em SC no mês de abril ficaram com São José (+748), Joinville (+664) e Lajes (+503). No acumulado deste ano os destaques estão com Joinville (+3.243), Brusque (+2.248) e Blumenau (+2.040). Os piores desempenhos no acumulado deste ano estão com Florianópolis (-3.448), Balneário Camboriú (-1.1135) e Itapema (-398).

Rombo

Diminuiu, mas ainda é grande. O prejuízo líquido da BRF no primeiro trimestre foi de R$ 114 milhões. Apesar disso, o rombo é menor do que o verificado no mesmo período do ano passado (R$ 286 milhões). A companhia, fruto da fusão entre Perdigão e Sadia e que se constituiu em um dos principais símbolos do agronegócio brasileiro, vive momento delicado, com crise financeira, insatisfação de acionistas e credibilidade em xeque após ser alvo de denúncias de fraudes no mercado de carnes.

Economia criativa

A economia criativa pode ser definida como um conjunto de negócios baseados no capital intelectual e cultural e na inovação que gera valor econômico. Essa nova forma de economia envolve profissionais que utilizam criatividade como fatores-chave para o sucesso do seu trabalho. Em diversos países, a força da economia criativa é considerada um diferencial competitivo. O mercado e o consumidor precisam e buscam profissionais que idealizam soluções criativas, capazes de criar produtos e experiências funcionais e sustentáveis. Esse tipo de indústria também estimula a geração de renda, cria empregos e produz receitas de exportação, O crescimento anual do mercado criativo deve girar entre 10% e 20% nos próximos anos em todo o mundo.

Disparada do dólar

As sucessivas altas do dólar deve chegar aos supermercados. A moeda norte-americana chegou ao seu maior nível desde 15 de março de 2016, quando valia R$ 3,763. Para especialistas, o valor do pão francês pode subir até 20% e do macarrão, 12%. Os primeiros impactos deverão ocorrer nos preços de produtos importados ou que utilizam matéria-prima comprada do exterior.

Cortando na carne

A reestruturação operacional do grupo Restoque com vistas à redução de custos e ganhos em escala já custou o fechamento de quatro fábricas da Dudalina em Santa Catarina – em Benedito Novo, Presidente Getúlio, Luiz Alves e a matriz em Blumenau – e a demissão de pelo menos 800 pessoas em menos de um ano, o que, logicamente, é péssimo para a economia do Estado. Mas na frieza dos números e olhando a saúde financeira da gigante varejista, a estratégia vem se mostrando acertada.

Caixa fecha agências

A Caixa aprovou uma meta de lucro para 2018 de R$ 9 bilhões, resultado que será alcançado graças a um corte de custos operacionais de R$ 2,6 bilhões. Boa parte desse enxugamento virá do fechamento de agências. Serão encerradas as atividades de cerca de 100 agências cujas operações são consideradas insustentáveis ou aquelas que disputam clientes em endereços muito próximos. Com isso, o banco passará a possuir 4,1 mil agências.

Capital fechado

Assembleia geral realizada na última semana decidiu pelo fechamento do capital da Cremer. A empresa blumenauense de materiais descartáveis para saúde foi comprada no ano passado pela CM Hospitalar por R$ 500 milhões. Na época, o grupo já havia sinalizado que cancelaria o registro da Cremer como companhia aberta.

Água

Catorze empresas ligadas à Associação Catarinense das Indústrias de Água Mineral, responsáveis por 70% da distribuição no Estado, lançaram um galão de 20 litros padronizado, que facilita a vida do consumidor na hora da troca do vasilhame.

Pegando carona

Com a rede hoteleira de Brusque lotada durante os dias da 25ª edição da Festa Nacional do Jeep, muita gente precisou buscar hospedagem em cidades vizinhas. O evento ocorre entre os dias 30 de maio e 3 de junho. Vai reunir mais de 800 jipeiros de todo o país.

Pronegócio

Chegou o fim na última semana a 45ª Pronegócio, em Brusque, com um resultado dentro do esperado pela diretoria da AmpeBr, ultrapassou um milhão de peças vendidas, número este que deve aumentar, com o fechamento de mais pedidos por parte das grandes redes de lojas. Clientes de todo o Brasil atenderam ao convite da entidade e mais uma vez marcaram presença no evento, garantindo o sucesso da edição. Do outro lado, as marcas que representaram os 180 segmentos da rodada, confiaram na organização e seriedade do evento e trouxeram suas coleções Primavera/Verão 2018-2019 para surpreender os clientes. Mais de 800 compradores se fizeram presentes nesta edição da Pronegócio.

Expansão

A blumenauense Oficina das Palavras abriu um escritório comercial em Toronto. Vai oferecer serviços de assessoria de comunicação, conteúdo e mídias para empresas com sede no Canadá que estão de olho no potencial do mercado brasileiro.

Isenção

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aprovou convênio que garante isenção de ICMS para micro e minigeradores de energia elétrica no limite de até um megawatt de potência instalada.

Casacor Itapema

O ex-Resort Plaza Itapema, no litoral, está a todo vapor com os últimos preparativos para sediar o Casacor este ano. É a primeira vez que Itapema será sede do evento, num local escolhido estrategicamente. De frente para o mar, as dependências do hotel estão passando pelas últimas adaptações agora para receber o evento, que inicia dia 27 de maio e segue até 8 de julho. Com quadra de golfe, piscina de frente para o mar e grandes aberturas zenitais na estrutura, essa promete ser uma das melhores edições da mostra. Expectativa em alta.

Ensino prático

Referência no setor de cardiologia em Santa Catarina e no Brasil, o Hospital SOS Cárdio, de Florianópolis, firmou acordo com a Unisul para compartilhar sua larga experiência com os novos profissionais. O projeto de internato médico recebe estudantes da última fase de Medicina para aulas no local e acompanhamento das equipes de cirurgias cardíacas, hemodinâmica, pronto atendimento e UTI.

Brasileiros desperdiçados (1)

Quando um país não aproveita todas as pessoas que podem ou querem trabalhar, é sinal de que não está produzindo tanta riqueza quanto poderia. Isso sempre acontece em alguma medida, seja porque faltam vagas para os interessados, seja porque alguns desistem de procurar emprego. No Brasil, o problema tomou proporções alarmantes. Segundo os novos números do IBGE, havia 27,7 milhões de brasileiros subutilizados no primeiro trimestre do ano. Isso corresponde a 1 de cada 4 pessoas em idade de trabalhar e que têm ou gostariam de ter um emprego. É o maior número já medido por esta estatística, que tem dados desde 2012. No primeiro trimestre daquele ano, havia 21,4 milhões nessa situação.

Brasileiros desperdiçados (2)

Dá para notar, portanto, que as deficiências do mercado de trabalho vão muito além das medidas pela taxa de desemprego. Essa conta só inclui aqueles que buscam vaga e não encontram. São 13,7 milhões, o que já é uma enormidade. Mas, mesmo entre os ocupados, existe gente que gostaria de trabalhar mais horas por semana, porque precisa ganhar mais dinheiro. E também há 4,6 milhões de pessoas que desistiram de procurar emprego. É o que se chama de desalento, e o número também é recorde no período pesquisado. Na maioria são pretos e pardos (3,4 milhões) e não chegaram a concluir o ensino médio (3,2 milhões). A única solução de verdade para esse desperdício de brasileiros é o crescimento forte da economia. Mas isso, pelo jeito, vai ficar para o próximo governo.

Burocracia e leis em excesso

Recente estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) revela que o Brasil tem 5,5 milhões de normas legais em vigor nas três esferas da Administração Pública – municípios, Estados e União. Somente as leis federais totalizam 180 mil. A fúria normativa e regulatória não poupa nem a Carta Constitucional. Desde sua promulgação em 1988, o extenso texto constitucional (formado por 250 artigos e 114 disposições transitórias) recebeu 99 emendas. Reflexo desse quadro assustador é o número de processos em tramitação no âmbito judicial ou administrativo: 80 milhões.

Novo outlet

O próximo verão catarinense contará com um novo centro comercial voltado para moda e preço acessível. O I Fashion Outlet Santa Catarina, empreendimento do Grupo Iguatemi, será inaugurado no início de dezembro às margens da BR-101, em Tijucas. Com investimento de R$ 150 milhões, o projeto está em fase adiantada de construção, terá 85 lojas e, em plena atividade, vai oferecer 2,4 mil empregos diretos. O I Fashion SC está na categoria de outlet preminum, que foca produto de qualidade e preço acessível. O diferencial é produto e preço.

Perspectivas

O mercado financeiro voltou a reduzir a estimativa de crescimento da economia brasileira para este ano. Boletim Focus divulgado pelo Banco Central mostra que a projeção para o PIB de 2018 passou de 2,7% para 2,5%. A expectativa para a inflação também baixou, de 3,49% para 3,45%.

Juros são mantidos

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu manter a taxa básica de juros Selic) em 6,5% ao ano, após 12 cortes seguidos, que começaram em 2016. Mesmo assim, os juros estão no menor nível desde que o Copom foi criado, em 1996.

Dívida bilionária

Quem aposta numa recuperação consistente da economia brasileira ancorada na elevação do consumo das famílias poderá ter uma surpresa negativa. Pesquisa feita pela Serasa Experian revela: abril bateu o recorde de inadimplência do consumidor. Há 61,2 milhões de brasileiros endividados. Juntos devem R$ 271 bilhões. Em média, há quatro dívidas por CPF.

Estante Jurídica – Vanessa Diegoli Caldeira

(66) – 3532-7824 – Sinop (MT) – www.diegolicaldeira.blogspot.com

Patrões devem FGTS

Cerca de 7 milhões de trabalhadores no país estão com seus depósitos de FGTS irregulares. Segundo dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, existem cerca de 213 mil devedores. O total devido chegou a R$ 27,8 bilhões em abril. Dentre os 15 maiores devedores estão empresas que já faliram, como a Vasp e a TV Manchete, além da Vale e da Eletropaulo. De acordo com especialistas, o FGTS que os patrões deixam de pagar o governo assim que começam a ter dificuldades financeiras. Há uma lentidão na cobrança, pois o fisco não é um cobrador tão eficiente quanto pode parecer. A dívida com o FGTS vem aumentando. Em abril, o montante cresceu 13,5% ante março.

Pente-fino dos benefícios

Cerca de 118 mil segurados que recebem auxílio-doença e aposentadoria por invalidez foram convocados em meados de abril pelo INSS para revisão do benefício, mas não marcaram a perícia médica dentro do prazo e, por isso, podem ter o benefício suspenso. O prazo para agendar a revisão terminou dia 4 de maio. De acordo com o instituto, somente 34 mil segurados haviam feito o agendamento em todo o país. Ao todo, 152 mil pessoas haviam sido convocadas para revisão nesta fase.

Senha do site do INSS

A central de serviços do INSS na internet (meu.inss.gov.br) mudou a regra para o cadastro da senha que dá acesso aos serviços oferecidos pelo órgão. Agora, não é mais preciso usar um caractere especial. Basta cadastrar nove dígitos e que, entre eles, exista uma letra maiúscula, outra minúscula e um número. Lançado no ano passado, o portal Meu INSS já têm mais de 7 milhões de usuários cadastrados. O aplicativo do Meu INSS também está disponível para celulares.

Outra mordida do leão

A TRU (Turma Regional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais) da 4ª Região considerou que o auxílio-alimentação ou auxílio-almoço pago em dinheiro pelo patrão para os empregados têm natureza salarial e, por isso, pode ser cobrado Imposto de Renda sobre os valores.

Economia no pente-fino

O governo estima que, somando a revisão dos benefícios por incapacidade do INSS a outras ações de pente-fino, a economia anual aos cofres públicos possa chegar a R$ 12 bilhões em 2019. Isso porque o atual governo já tem feito uma varredura no Bolsa Família e vai aplicá-la também no BPC (Benefício de Prestação Continuada), que concede um salário mínimo a idosos e deficientes pobres. No Bolsa Família, 500 mil famílias estariam foram do perfil do programa.

Benefício prorrogado

A Justiça Federal decidiu que é possível a prorrogação do salário-maternidade para as mães que tiveram bebês prematuros. A decisão é da Turma de Uniformização dos Juizados Especiais Federais da 4ª Região, que atende estados do Sul do país. A prorrogação pode ser correspondente ao tempo que o recém-nascido ficar internado na UTI neonatal, caso seja comprovado que precise dos cuidados da mãe. O salário-maternidade é concedido a seguradas por até 120 dias após o parto ou adoção.

Direto na conta do benefício

O segurado que consegue a revisão na agência da Previdência tem a vantagem de receber a grana dos atrasados mais facilmente. É que, nesses casos, o INSS paga os valores diretamente na conta em que o aposentado ou pensionista recebe o benefício. Os atrasados são corrigidos e costumam ser depositados sem nenhum erro. Já na Justiça, a grana pode demorar para sair. Se for uma RPV (Requisição de Pequeno Valor), o dinheiro é liberado dois meses após a decisão final, quando não houver mais possibilidade de recurso. No caso de precatório, que é acima de 60 salários mínimos, o pagamento é feito uma vez no ano, conforme orçamento federal.

Poupança da aposentadoria

Os gastos com a saúde são a motivação de oito em cada dez brasileiros (84%) para guardar dinheiro para a aposentadoria, segundo levantamento do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). A pesquisa considera só quem está se preparando financeiramente para o dia em que parar de trabalhar. De forma geral, entre os que se organizam para a terceira idade, 85% disseram assumir essa tarefa como prioridade em suas vidas. O levantamento ainda revela que praticamente todos os entrevistados acreditam que o brasileiro deveria se organizar para a chegada da terceira idade e, desses, mais de um terço concordam que as pessoas precisam pensar em formas alternativas de renda para não depender exclusivamente da Previdência Social. É importante se preparar na juventude para não depender de terceiros no futuro. Sete entre dez disseram temer passar dificuldades.

INSS amplia lista de serviços

O segurado do INSS poderá fazer o agendamento de novos serviços por telefone ou pela internet. A promessa do instituto é liberar nas próximas semanas o atendimento de mais de 20 serviços com hora marcada. Atualmente, em todos eles, informa o INSS, o segurado precisa ir pessoalmente até o posto. Entre os serviços que poderão ser agendados estão troca de agência em que é pago o benefício, atualização de dados cadastrais, mudança da agência de relacionamento, desistência de aposentadoria, solicitação de pagamento não recebido e pedido de desbloqueio do benefício para empréstimo consignado.

Cadastro atualizado

O INSS procura segurados que agendaram pedidos de benefícios para antecipar o atendimento. No entanto, isso só é possível quando o órgão consegue localizar os trabalhadores que estão na fila de espera. Quem trocou o número de telefone e o endereço, por exemplo, deve atualizar as suas informações na Previdência. A atualização cadastral é realizada pessoalmente, em agências do INSS. Para isso, é necessário fazer um novo agendamento pelo telefone 135 ou pela internet. Para conferir se os dados estão corretos, o trabalhador deve acessar o site Meu INSS, onde também pode fazer o cadastro pela primeira vez.

Revisão após 10 anos

É praticamente impossível para o segurado conseguir revisar no posto do INSS uma aposentadoria ou pensão concedida há mais de dez anos. No entanto, nos Juizados Especiais Federais, a situação é bastante favorável aos beneficiários que só descobriram prejuízos no valor do benefício após o prazo. Desde junho de 2015 prevalece nos juizados a ideia de que não há perda do direito à revisão nos casos em que o INSS deixou de analisar documentação fornecida pelo segurado.

Aumento da aposentadoria no INSS

Mesmo se o segurado do INSS já teve o seu primeiro pedido de revisão negado, vale a pena insistir e buscar o aumento da aposentadoria ou a pensão por morte, direto nas agências. A dica para quem quer ganhar tempo para continuar brigando por um direito, sem enfrentar os custos e a lentidão do Judiciário, é procurar quais situações já são reconhecidas pelas chamadas Juntas de Recursos da Previdência Social. Geralmente, há poucas variações nas decisões das juntas. São os casos, por exemplo, das revisões por erro de cálculo ou do valor das contribuições do empregador, cujo direito já é garantido nas normas internas do instituto.

Reajuste maior

O Supremo Tribunal Federal vai decidir se os benefícios do INSS podem ser revisados para receber reajustes anuais iguais aos aplicados ao salário mínimo, quando a alternativa for a mais vantajosa. Submetido ao plenário virtual (quando os ministros votam sem se reunir) pelo relator, ministro Marco Aurélio, o processo deve ter a chamada repercussão geral, ou seja: a decisão terá efeito sobre todas as ações com a mesma finalidade. Há hoje duas regras para reajuste dos benefícios da Previdência Social. Para quem recebe mais do que um salário mínimo, a legislação determina a reposição da inflação medida pelo INPC do IBGE. Para aqueles que ganham o piso, o reajuste é igual ao do salário mínimo.

Aposentadoria por idade

O INSS deixará d agendar datas para receber pedidos de aposentadoria por idade e passará a conceder o benefício automaticamente, sem o segurado precisar ir a um posto da Previdência. O comparecimento a uma agência do INSS só deverá ocorrer quando alguma pendência. Os pedidos de aposentadoria deverão ser feitos pelo site do instituto ou pelo telefone e serão analisados pelos computadores do órgão. Podem pedir aposentadoria por idade os segurados com pelo menos 15 anos de contribuição ao INSS e 60 anos ou mais (mulheres), ou 65 anos ou mais (homens). Além da aposentadoria por idade, o salário-maternidade também poderá ser pedido dessa maneira.

Trabalho na infância

Os períodos em que o segurado do INSS trabalhou na infância ou na adolescência aumentam o tempo de contribuição para a aposentadoria e até geram revisão para quem já recebe o benefício. No entanto, conseguir esse direito implica superar as restrições da Previdência. Hoje, o trabalho que conta como contribuição previdenciária é o que foi realizado a partir dos 16 anos, ou aos 14 anos, desde que o segurado tenha atuado como menor aprendiz. Em outras épocas, era considerado trabalho legal aquele executado a partir dos 12 anos, a regra valeu entre 1967 e 1988. Saiba incluir esse tempo para conseguir uma revisão do benefício ou antecipar a sua aposentadoria.

Valor da aposentadoria

Antes de pedir a aposentadoria ao INSS, o trabalhador tem a possibilidade de simular o valor do benefício que receberá. Com essa informação, ele poderá se preparar melhor para a nova etapa da vida, que costuma provocar uma redução brusca nos rendimentos. O INSS não tem um serviço oficial que mostra o valor do benefício antes de o segurado fazer o pedido. No entanto, os sites do instituto têm ao menos três ferramentas que podem auxiliar o segurado nesse cálculo. Ainda que não tenham valor oficial, esses simuladores permitem que os trabalhadores tenham ideia do que vem pela frente. 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 23/05/2018 às 11h57 | acdiegoli@gmail.com

Economia na Semana

Leilão da Manes

Bens da tradicional fabricante de colchões e estofados Manes, de Guaramirim, vão a leilão. O pacote inclui um complexo fabril às margens da BR-280 com cerca de 60 mil m2 de área e outros imóveis não operacionais, além de terrenos. Tudo está avaliado em R$ 84 milhões. Caso não apareçam interessados em primeira chamada, será convocada uma segunda dia 1º de junho. Neste caso, o lance mínimo cai para R$ 50 milhões.

Hercílio Luz vende estádio

O Hercílio Luz, de Tubarão, concluiu a venda do Estádio Anibal Costa para um grupo de investidores. A transação foi efetivada pelo valor aproximado de R$ 12 milhões, dinheiro que o clube pretende utilizar para quitar dívidas e fazer uma grande reestruturação. A compra foi feita pela empresa 3-Sm Administração de Bens, de São Ludgero. O clube iniciou a movimentação para vender o imóvel em 2016.

Pesquisa

Pela primeira vez, a Secretaria de Turismo de Balneário Camboriú lançou pesquisa de demanda exclusiva para o público idoso. O questionário leva em conta a escolha da cidade e o que há a melhorar na oferta turística para quem tem mais de 65 anos. Balneário é uma das cidades mais visitadas do Estado por grupos de idosos, especialmente nos meses seguintes à alta temporada de verão.

Abusivo

Esses burocratas das estatais federais não aprendem mesmo. A Eletrobrás, totalmente quebrada e com uma dívida bilionária, oferece o mais novo exemplo da falta de espírito público. Seu presidente está pedindo aumento do próprio salário. Passaria de R$ 52,2 mil para R$ 76,6 mil. Não só para o presidente da Eletrobrás, mas também para os “62 diretores estatutários das empresas Eletrobrás”. O reajuste foi indeferido pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Cadastro positivo

O plenário da Câmara dos Deputados acaba de aprovar o texto-base do projeto de lei que prevê a adesão automática de todos os consumidores ao cadastro positivo, uma espécie de banco de dados com informações de tomadores de crédito. Prevaleceu a proposta da equipe econômica, que enxerga na iniciativa uma forma de reduzir a taxa de juros ao cliente final.

IFC de Brusque

Desde o início de abril, toda a estrutura do Instituto Federal Catarinense (IFC) de Brusque já funciona no espaço construído no bairro Jardim Maluche. A obra teve início em 2013, ficou paralisada por um ano devido a problemas na licitação e adaptação de projetos e há cerca de um mês, foi entregue de forma parcial, ou seja, a empresa continua fazendo ajustes necessários, sem interferir na rotina dos alunos. A construção do campus de Brusque teve o valor final de pouco mais de R$ 11,3 milhões, sendo que o local tem 5,6 mil m2 de área construída.

Queixas dos Correios

Agências lotadas, entregas mais lentas, funcionários e clientes descontentes são o cenário deixado pela crise dos Correios, que vai entrar em mais uma etapa. Enquanto explodem reclamações de usuários, a estatal anunciou que estuda fechar mais agências. No primeiro semestre de 2017, cerca de 250 foram fechadas. Mais de 33 mil queixas foram registradas de janeiro a abril, ante 12,3 mil em igual período de 2017. Desde 2015, 10 mil funcionários foram cortados. Hoje, o número de trabalhadores é de 106 mil.

Mais inadimplentes

A inadimplência do consumidor cresceu 3,54% em abril, a sétima alta seguida. Os dados são de levantamento feito pelo SPC/CNDL. O Brasil tem quase 18 milhões de contas em atraso na faixa dos 30 a 39 anos de idade. O mês de abril fechou com 62,2 milhões de pessoas negativadas.

Ação milionária

A advogada Márcia Maes deve impetrar no final deste mês ação civil pública contra a Fundação Celos e a Celesc Distribuição para buscar a recuperação das perdas ocorridas na Fundação Celesc de Seguridade Social. Empregados aposentados e pensionistas estiveram reunidos e decidiram ingressar na Justiça. Segundo a advogada, as perdas são superiores a R$ 900 milhões. Já há decisões favoráveis na Petros e na Postalis sobre as mesmas perdas.

Varejo catarinense

O volume de vendas do varejo catarinense cresceu 12,8% no primeiro trimestre deste ano, alcançando o segundo melhor desempenho do país frente aos três primeiros meses de 2017. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE. Roraima registrou o maior incremento: 12,9%. Na outra ponta, Goiás sofreu a maior queda: (-5,5%), seguido do Distrito Federal (-2,3%). A média brasileira para o período foi de 6,6%.

Brasil ou Argentina (1)

Muitos anos atrás, foi inventada a expressão “efeito Orloff” para falar de problemas enfrentados pela Argentina que acabavam no Brasil. Isso começou por causa de um famoso comercial de vodca, em que um sujeito dizia a uma sósia “Eu sou você amanhã”, para mostrar que a bebida não dava ressaca. Por muito tempo, de fato, as economias brasileira e argentina passaram por crises parecidas: ora era a dívida externa, ora a inflação descontrolada. Também havia a tradição de pedir grana ao FMI, que sempre impõe medidas duras de ajuste aos países que ajuda. Pois a Argentina, mais uma vez na pindaíba, resolveu agora negociar um novo pacote de socorro com o Fundo Monetário. Será que o Brasil vai pelo mesmo caminho?

Brasil e Argentina (2)

Ao que tudo indica, não. Nossa situação está longe de ser boa, mas desta vez os países estão enfrentando dificuldades diferentes. Lá, o governo gasta mais do que arrecada e cobre essa diferença com dinheiro buscado no exterior. Eles precisam muito de dólares. Aqui também há um rombo (até maior) no Orçamento, mas ele é bancado com a grana dos brasileiros, em moeda nacional. Nós temos dólares sobrando. Isso não quer dizer que a solução brasileira seja boa. Como o governo toma tanta grana no país, sobra pouco nos bancos para financiar os consumidores e as empresas. Lá como aqui, vai ser preciso arrumar as contas públicas, o que é sempre duro. Nossa vantagem, pelo menos por enquanto, é não precisar seguir as ordens do FMI.

Inflação pelo IGP-DI

O IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna) fechou abril em 0,93%. O acumulado de janeiro a abril é de 2,24% e, dos últimos 12 meses, é de 2,97%. Seis dos oito setores que compõem a índice subiram, com destaque para saúde e cuidados pessoais (1,12%).

Pente-fino

Cidades do Vale foram alvo da Operação Rhea, deflagrada por fiscais da Secretaria da Fazenda de Santa Catarina. Os agentes verificaram a regularidade no uso de equipamentos de controle fiscal em estabelecimentos comerciais. A ação ocorreu em 50 municípios catarinenses.

Indústria comemora

A indústria automotiva vendeu 762,9 mil veículos entre janeiro e abril, 21,3% a mais ante o mesmo período de 2017, segundo a Anfavea (associação dos fabricantes). Em abril, foram comercializados 217,3 mil unidades, 38,5% acima do mesmo mês de 2017, melhor resultado desde 2015.

Imposto de Renda

A Receita Federal está disponibilizando consulta à restituição do Imposto de Renda para quem saiu da malha fina entre os anos de 2008 a 2017. O crédito será pago para 125,6 mil contribuintes. Informações no site: receita.fazenda.gov.br ou pelo telefone 146.

Altona contrata

A Altona abriu processo seletivo para contratação de 80 funcionários. São vagas operacionais em diferentes áreas do parque fabril da fundição blumenauense, O objetivo é reforçar o quadro de pessoal para o segundo semestre, época em que tradicionalmente o volume de encomendas é maior. Os números de 2018 até agora indicam aquecimento nos negócios da empresa, sobretudo em projetos ligados aos segmentos de energia, infraestrutura e mineração.

Mentoria de peso

Organização mundial de fomento aos empreendedorismo, a Endeavor selecionou 21 empresas catarinenses para participarem do Scale-Up, programa de apoio às startups que se destacam pela inovação e crescimento. O objetivo é que os empreendedores aprendam com os principais líderes empresariais do país e potencializem seus negócios. Na última edição do programa em 2017, foram 23 empresas do Estado entre os participantes. Em apenas sete meses, elas geraram cerca de 260 empregos e um aumento de, em média, 126% na receita dos negócios. Neste ano, empresas de Tubarão, Florianópolis, Blumenau, Brusque, Pomerode e Garopaba foram selecionadas para participar da turma de 2018.

Mais vendidos em abril

O mercado automotivo nacional registrou emplacamentos em abril, com uma média diária de 9.593 unidades. Entre os veículos, o Onix da GM mantém a ponta, seguido do HB20, na terceira posição vem o Ford Ka. O Prisma da GM e o Fiat Strada completam os cinco mais vendidos.

Balanço da Hering

A Cia. Hering, de Blumenau, encerrou o primeiro trimestre do ano com receita bruta de R$ 405,9 milhões, alta de 4,4% frente ao mesmo período de 2017. O lucro líquido oscilou um pouco para baixo, caindo de R$ 37,8 milhões para R$ 34,3 milhões. Todos os canais de venda (incluindo lojas próprias e multimarcas, franquias e comércio eletrônico) apresentaram resultados melhores. A antecipação dos feriados de Carnaval e Páscoa contribuíram para o bom desempenho.

Exportações de SC

As exportações catarinenses fecharam abril com valor de US$ 750 milhões, o que representa um aumento de 9,01% em relação ao mesmo período de 2017 e garante o melhor índice desde 2014. No cenário nacional, o Estado responde por 3,76% das vendas totais do Brasil. O balanço do primeiro quadrimestre de 2018 mostra que o setor alcançou quase US$ 2,7 bilhões, valor levemente acima dos primeiros quatro meses de 2017 (3,3%).

Projetos Sociais

O Banco Social e o Fundo Social são oportunidades para as empresas devolverem para a sociedade até 9% do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ). O valor pode ser aplicado em projetos de várias áreas sociais, educação e cultura por meio das leis federais, que contribuam para a transformação e a melhoria dos indicadores sociais da região. Segundo a Federação das Indústrias (Fiesc), R$ 200 milhões poderiam ser revertidos em projetos com essas finalidades, mas apenas 30% do total foram usados para isso ao longo de todo o ano passado pelas indústrias catarinenses.

Exportação de ovas

A primeira safra da tainha (pesca artesanal) começou na última semana, antes que o impedimento às exportações de pescado brasileiro para a União Europeia, que dura cinco meses, tenha sido resolvido. O impasse tem consequências graves para Santa Catarina, já que as ovas são o principal produto de exportação do nosso setor pesqueiro para a Europa. Se a suspensão não for revertida nas próximas semanas, a previsão é que o Estado deixe de vender o equivalente a US$ 3,5 milhões. Sem previsão de retomada das exportações, SC corre um sério risco de perder o mercado mais importante de ovas de tainha no mundo. A Europa absorve, além do produto melhor qualificado, também o de menor qualidade, como ovas avermelhadas ou quebradas, algo que outros mercados não aceitam.

Antiga Expofair

Uma faixa fixada no prédio da antiga Expofair, próximo à Vila Germânica, em Blumenau, revela que o imóvel está mais uma vez à venda. São 2,9 mil m2 de área construída em um terreno de 4,3 mil m2, incluindo um estacionamento externo. O espaço está avaliado em R$ 6,5 milhões. Fechado desde o fim de 2011, o imóvel chegou a receber feiras de negócios, shows e formaturas.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 15/05/2018 às 10h15 | acdiegoli@gmail.com



1 2 3 4 5 6

Augusto Cesar Diegoli

Assina a coluna Economia & Negócios

Contabilista aposentado, graduado em Direito pela Univali (ex-Fepevi), pós graduado em Direito tributário e Finanças Empresariais pela Furb, árbitro/mediador e diretor da Câmara de Mediação e Arbitragrem de Brusque e diretor da Facema - Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br