Jornal Página 3
Coluna
Mãe na Roda
Por Ana Paula Góis

Sobre fraldas e desfralde

Muito estamos falando sobre parto, muito estamos falando sobre carregadores, muito estamos falando sobre introdução alimentar, mas a fralda e o desfralde ainda são grandes tabus praticados no automático, como se fazia (ou se faz) com o nascimento, o carrinho, os suplementos.

A fralda não é uma necessidade natural do ser humano e não precisa ser tratada como fundamental. Defender o uso contínuo e ininterrupto da fralda por 2 anos ou mais é no mínimo desumano (imagine-se usando fraldas durante 24 meses 24 horas do dia?)

Sabemos que existe muita correria no dia a dia e que o uso de fraldas, descartáveis ou não, é uma prática muito útil que nos salva de muitos 'acidentes'.

Mas o uso constante da fralda também nos separa de nossos maiores instintos.

Para um 'fralde' e 'desfralde' seguros e na 'idade certa' recomendamos que você deixe seu pequeno sem fraldas. Nem descartável, nem de pano, sem fraldas mesmo. Não precisa ser o tempo todo, mas que este tempo exista!

Nossas crianças não necessitam de fraldas 24 horas porque não fazem cocô e xixi 24 horas. Fazem muito, mas não todo o tempo. Aprenda a observar seu filho e deixe que ele se observe também. Ele precisa saber de onde vem o cocô e o xixi, entender a fisiologia do próprio corpo, e a fralda o priva disso.

Em casa, procure deixá-lo sem fraldas, quando for trocá-lo, tire a fralda suja e demore alguns minutos ao menos 15 minutos para por a outra, não precisa ficar emendando uma fralda na outra. Se ele se sujar, carinhosamente limpe.

Permita que seu filho conheça seu próprio corpo desde muito cedo para que ele entenda como funciona porque depois de dois anos convivendo com fraldas "gel" que o deixam sequinho desde o nascimento será muito mais difícil fazê-lo.

 

Por uma humanidade mais fraterna!

Paz e Bem!

Escrito por Ana Paula Góis, 05/01/2016 às 12h56 | conviteecia@hotmail.com



Ana Paula Góis

Assina a coluna Mãe na Roda














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Mãe na Roda
Por Ana Paula Góis

Sobre fraldas e desfralde

Muito estamos falando sobre parto, muito estamos falando sobre carregadores, muito estamos falando sobre introdução alimentar, mas a fralda e o desfralde ainda são grandes tabus praticados no automático, como se fazia (ou se faz) com o nascimento, o carrinho, os suplementos.

A fralda não é uma necessidade natural do ser humano e não precisa ser tratada como fundamental. Defender o uso contínuo e ininterrupto da fralda por 2 anos ou mais é no mínimo desumano (imagine-se usando fraldas durante 24 meses 24 horas do dia?)

Sabemos que existe muita correria no dia a dia e que o uso de fraldas, descartáveis ou não, é uma prática muito útil que nos salva de muitos 'acidentes'.

Mas o uso constante da fralda também nos separa de nossos maiores instintos.

Para um 'fralde' e 'desfralde' seguros e na 'idade certa' recomendamos que você deixe seu pequeno sem fraldas. Nem descartável, nem de pano, sem fraldas mesmo. Não precisa ser o tempo todo, mas que este tempo exista!

Nossas crianças não necessitam de fraldas 24 horas porque não fazem cocô e xixi 24 horas. Fazem muito, mas não todo o tempo. Aprenda a observar seu filho e deixe que ele se observe também. Ele precisa saber de onde vem o cocô e o xixi, entender a fisiologia do próprio corpo, e a fralda o priva disso.

Em casa, procure deixá-lo sem fraldas, quando for trocá-lo, tire a fralda suja e demore alguns minutos ao menos 15 minutos para por a outra, não precisa ficar emendando uma fralda na outra. Se ele se sujar, carinhosamente limpe.

Permita que seu filho conheça seu próprio corpo desde muito cedo para que ele entenda como funciona porque depois de dois anos convivendo com fraldas "gel" que o deixam sequinho desde o nascimento será muito mais difícil fazê-lo.

 

Por uma humanidade mais fraterna!

Paz e Bem!

Escrito por Ana Paula Góis, 05/01/2016 às 12h56 | conviteecia@hotmail.com



Ana Paula Góis

Assina a coluna Mãe na Roda