Jornal Página 3
Coluna
Mãe na Roda
Por Ana Paula Góis

Protetor solar, qual fator?

 

Assim como as plantas, nós os animais, precisamos de sol para crescermos fortes e sadios. Não só durante o verão, mas durante todo o ano precisamos nos expor ao sol para que nossa saúde e nutrição sejam completas. Além de 'tirar o mofo' o sol nos ajuda a produzir a tão necessária vitamina D.

Nos dias atuais, não nos expomos mais ao sol e nossa sociedade nos leva a acreditar que ele é nocivo e que devemos ficar longe dele. Não por acaso a maioria das pessoas vivem doentes e cheias de 'efeitos colaterais', seja dos remédios (que nunca promovem a cura, apenas a manutenção da doença), seja da falta de nutrientes.

O que falar das crianças e bebês? Ficamos ansiosas esperando fazer seis meses para o pediatra 'liberar' o protetor solar, e assim que isso acontece, o pouco sol que a criança pega está besuntada de produtos químicos e ainda por cima 'protegida' do tão desejado SOL. E agora que já está protegida com o fator "2015", deixamos elas o dia todo na praia torrando e queimando os pés, porque é verão, está calor, e é assim que é!

Agora peço que faça uma experiência: pegue aquele seu vasinho de plantas que não costuma pegar muito sol, leve ele até o local mais ensolarado da casa, escolha umas folhas e passe uma camada de protetor solar. Ao longo do dia, molhe as folhas com água e sal ou cloro (como preferir), espere secar ao sol e repasse o protetor. Faça isso o dia todo, uma ou duas vezes por semana... parece loucura? Mas é o que fazemos com nossos filhos e também conosco.

Nosso corpo é parte da natureza e se deixarmos ele conversa de igual com ela. Precisamos de sol! De sol no rosto, de sol no corpo, de sol sem protetor! E os horários para estar exposto ao sol são os horários em que nosso corpo está se sentido agradável sob ele. Nosso maior fator de proteção solar deve ser nosso instinto. Nos horários em que está muito quente, insuportável, saia da praia ou da piscina, vá para a sombra... Passar o protetor mais uma vez não é saudável. Viver o dia inteiro de protetor não é saudável. Se você trabalha ou caminha sob o sol escaldante e não pode fugir disso, use chapéu, roupas leves compridas e claras, sombrinhas.

 

De manhã bem cedo e no final de tarde vá a praia sem protetor solar e no horário mais forte, não vá.
O melhor fator de proteção solar já está em nós: nossos sentidos! E isso vale para todos eles: TATO, VISÃO, AUDIÇÃO, PALADAR, OLFATO e INTUIÇÃO, se você estiver em um lugar onde algum desses estiver comprometido, ou seu corpo não estiver se sentindo confortável, saia de lá. Sua pele vai te avisar quando é para sair do sol, escute e obedeça!

 

Permita que você e sua família se alimentem desse poderoso e vital elemento, O SOL com respeito e reverência!

Por uma humanidade mais sadia e fraterna!

Paz e Bem

Escrito por Ana Paula Góis, 28/12/2015 às 08h02 | conviteecia@hotmail.com



Ana Paula Góis

Assina a coluna Mãe na Roda














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Mãe na Roda
Por Ana Paula Góis

Protetor solar, qual fator?

 

Assim como as plantas, nós os animais, precisamos de sol para crescermos fortes e sadios. Não só durante o verão, mas durante todo o ano precisamos nos expor ao sol para que nossa saúde e nutrição sejam completas. Além de 'tirar o mofo' o sol nos ajuda a produzir a tão necessária vitamina D.

Nos dias atuais, não nos expomos mais ao sol e nossa sociedade nos leva a acreditar que ele é nocivo e que devemos ficar longe dele. Não por acaso a maioria das pessoas vivem doentes e cheias de 'efeitos colaterais', seja dos remédios (que nunca promovem a cura, apenas a manutenção da doença), seja da falta de nutrientes.

O que falar das crianças e bebês? Ficamos ansiosas esperando fazer seis meses para o pediatra 'liberar' o protetor solar, e assim que isso acontece, o pouco sol que a criança pega está besuntada de produtos químicos e ainda por cima 'protegida' do tão desejado SOL. E agora que já está protegida com o fator "2015", deixamos elas o dia todo na praia torrando e queimando os pés, porque é verão, está calor, e é assim que é!

Agora peço que faça uma experiência: pegue aquele seu vasinho de plantas que não costuma pegar muito sol, leve ele até o local mais ensolarado da casa, escolha umas folhas e passe uma camada de protetor solar. Ao longo do dia, molhe as folhas com água e sal ou cloro (como preferir), espere secar ao sol e repasse o protetor. Faça isso o dia todo, uma ou duas vezes por semana... parece loucura? Mas é o que fazemos com nossos filhos e também conosco.

Nosso corpo é parte da natureza e se deixarmos ele conversa de igual com ela. Precisamos de sol! De sol no rosto, de sol no corpo, de sol sem protetor! E os horários para estar exposto ao sol são os horários em que nosso corpo está se sentido agradável sob ele. Nosso maior fator de proteção solar deve ser nosso instinto. Nos horários em que está muito quente, insuportável, saia da praia ou da piscina, vá para a sombra... Passar o protetor mais uma vez não é saudável. Viver o dia inteiro de protetor não é saudável. Se você trabalha ou caminha sob o sol escaldante e não pode fugir disso, use chapéu, roupas leves compridas e claras, sombrinhas.

 

De manhã bem cedo e no final de tarde vá a praia sem protetor solar e no horário mais forte, não vá.
O melhor fator de proteção solar já está em nós: nossos sentidos! E isso vale para todos eles: TATO, VISÃO, AUDIÇÃO, PALADAR, OLFATO e INTUIÇÃO, se você estiver em um lugar onde algum desses estiver comprometido, ou seu corpo não estiver se sentindo confortável, saia de lá. Sua pele vai te avisar quando é para sair do sol, escute e obedeça!

 

Permita que você e sua família se alimentem desse poderoso e vital elemento, O SOL com respeito e reverência!

Por uma humanidade mais sadia e fraterna!

Paz e Bem

Escrito por Ana Paula Góis, 28/12/2015 às 08h02 | conviteecia@hotmail.com



Ana Paula Góis

Assina a coluna Mãe na Roda