Jornal Página 3
Coluna
Mãe na Roda

Brincar com menos

Toda criança precisa brincar e cada uma brinca do seu jeito.... umas gostam de correr, outras gostam de jogar bola, algumas preferem jogos de montar e outras preferem jogar tudo no chão! Será?

Vivemos em uma sociedade cheia de 'coisas'. Muita coisa pra todo lado. Coisa de todo tipo. muitos objetos, muitas roupas, muitos brinquedos, muito barulho, muitos eletrônicos, muitos muitos. O brincar da criança prepara ela para a vida adulta. É através do brincar que ela experimenta sensações e situações que vivenciará no mundo adulto, mas em casas e escolas com muito estímulo fica difícil vivenciar um dia leve.

Tente imaginar:
"Você trocou os armários da sua cozinha por dois grandes baús, onde você guarda todos os seus utensílios e alimentos. Um grande baú com utensílios: talheres, copos, xícaras, panelas, panos, potes plásticos, descascadores, vasilhas, toalhas de mesa, etc, e outro com todos os alimentos: secos e molhados, temperos e bebidas. Seu estômago avisa que está na hora de começar a cozinhar e você resolve fazer um macarrão, algo que você considera simples. Você abre o baú e está tudo ali dentro, tudo que você precisa dentro de um enorme baú encostado na parede! Você abre a caixa e começa a procurar uma faca. Tá muito difícil, você não acha, começa a ficar nervosa porque a fome está apertando e resolve virar a caixa no chão da cozinha. Agora sim! Você achou a faca, mas a panela foi soterrada. Aí você espalha bem toda aquela bagunça para poder visualizar melhor e encontra não a sua panela, mas aquela meia que estava perdida fazia uns tempos... resolve tirar ela dali, levar para a lavanderia e quando volta não lembra mais o que estava procurando. Senta, olha mais uns objetos que nem lembrava que tinha e aparece a panela. Mas agora você está no outro lado da cozinha, longe do fogão e da pia... para chegar lá, passa por cima de toda a tralha, alguma coisa se quebra, outra te machuca, mas você está com fome e determinada a fazer seu macarrãozinho. Não desiste. Agora você está na frente da pia, com a faca, a panela e sem o macarrão (mas pra que era a faca mesmo?). Começa a pensar onde estaria o macarrão, e lembra que tem outra caixa, cheia de alimentos e temperos. Então você abre outra caixa, a primeira ainda está espalhada no chão, mas você tem fome e precisa achar o macarrão para continuar o seu almoço. O baú está cheio de coisas, o macarrão não está na sua visão, mas bem em cima está o arroz e você acha mais simples preparar o arroz mesmo... atravessa as tralhas com o arroz na mão e quando chega na pia vê que não separou o lavador de arroz. Vira para aquela pilha enorme de utensílios jogados no meio de sua cozinha e ao longe vê uma televisão ligada na frente de um sofá com um pacote de bolachas ao lado. Seus olhos brilham, sua boca saliva, seu corpo pede pelo descanso no sofá... Agora você está satisfeita, sentada no sofá, comendo bolachas e assistindo seu programa favorito."

Conseguiu imaginar? É isso que acontece com uma criança que tem muitos brinquedos. É muito difícil focar a atenção em alguma coisa quando tem muita coisa junta.

 

A criança deve ter poucos (bem poucos) brinquedos e eles devem ser guardados de forma ordenada para que a criança possa escolher com o que vai brincar sem distrações. Na infância fazemos ligações muito importantes e num ambiente desordenado fica muito difícil estabelecer estas conexões.

Para crianças mais atentas e focadas:
1- Desligue a televisão;
2- Se livre das tralhas e excessos de brinquedos (se você não consegue organizar mentalmente quantos e quais brinquedos seu filho tem, ele tem brinquedos demais, doe!);
3- Separe os brinquedos por tipo;
4- Livre-se da tão famosa CAIXA DE BRINQUEDOS;
5- Opte por brinquedos feitos de materiais orgânicos como madeira, pano e papelão. Brinquedos que precisam de pilha e que produzem sozinhos sons e movimentos não são inofensíveis, roubam a criatividade de seu pequeno, prefira não tê-los;
6- Permita que seu filho seja criança. Crianças brincam com qualquer coisa, utensílios de casa são ótimas opções;
7- Mantenha um ambiente ordenado e prefira cores que remetam lugares calmos e naturais;
8- Observe mais e interfira menos.

Paz e bem!

Por uma humanidade mais fraterna.

Escrito por Ana Paula Góis, 29/10/2015 às 06h24 | conviteecia@hotmail.com



Mãe na Roda é um espaço colaborativo para compartilhar a maternidade e questões afins.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: [email protected]

Página 3

Brincar com menos

Toda criança precisa brincar e cada uma brinca do seu jeito.... umas gostam de correr, outras gostam de jogar bola, algumas preferem jogos de montar e outras preferem jogar tudo no chão! Será?

Vivemos em uma sociedade cheia de 'coisas'. Muita coisa pra todo lado. Coisa de todo tipo. muitos objetos, muitas roupas, muitos brinquedos, muito barulho, muitos eletrônicos, muitos muitos. O brincar da criança prepara ela para a vida adulta. É através do brincar que ela experimenta sensações e situações que vivenciará no mundo adulto, mas em casas e escolas com muito estímulo fica difícil vivenciar um dia leve.

Tente imaginar:
"Você trocou os armários da sua cozinha por dois grandes baús, onde você guarda todos os seus utensílios e alimentos. Um grande baú com utensílios: talheres, copos, xícaras, panelas, panos, potes plásticos, descascadores, vasilhas, toalhas de mesa, etc, e outro com todos os alimentos: secos e molhados, temperos e bebidas. Seu estômago avisa que está na hora de começar a cozinhar e você resolve fazer um macarrão, algo que você considera simples. Você abre o baú e está tudo ali dentro, tudo que você precisa dentro de um enorme baú encostado na parede! Você abre a caixa e começa a procurar uma faca. Tá muito difícil, você não acha, começa a ficar nervosa porque a fome está apertando e resolve virar a caixa no chão da cozinha. Agora sim! Você achou a faca, mas a panela foi soterrada. Aí você espalha bem toda aquela bagunça para poder visualizar melhor e encontra não a sua panela, mas aquela meia que estava perdida fazia uns tempos... resolve tirar ela dali, levar para a lavanderia e quando volta não lembra mais o que estava procurando. Senta, olha mais uns objetos que nem lembrava que tinha e aparece a panela. Mas agora você está no outro lado da cozinha, longe do fogão e da pia... para chegar lá, passa por cima de toda a tralha, alguma coisa se quebra, outra te machuca, mas você está com fome e determinada a fazer seu macarrãozinho. Não desiste. Agora você está na frente da pia, com a faca, a panela e sem o macarrão (mas pra que era a faca mesmo?). Começa a pensar onde estaria o macarrão, e lembra que tem outra caixa, cheia de alimentos e temperos. Então você abre outra caixa, a primeira ainda está espalhada no chão, mas você tem fome e precisa achar o macarrão para continuar o seu almoço. O baú está cheio de coisas, o macarrão não está na sua visão, mas bem em cima está o arroz e você acha mais simples preparar o arroz mesmo... atravessa as tralhas com o arroz na mão e quando chega na pia vê que não separou o lavador de arroz. Vira para aquela pilha enorme de utensílios jogados no meio de sua cozinha e ao longe vê uma televisão ligada na frente de um sofá com um pacote de bolachas ao lado. Seus olhos brilham, sua boca saliva, seu corpo pede pelo descanso no sofá... Agora você está satisfeita, sentada no sofá, comendo bolachas e assistindo seu programa favorito."

Conseguiu imaginar? É isso que acontece com uma criança que tem muitos brinquedos. É muito difícil focar a atenção em alguma coisa quando tem muita coisa junta.

 

A criança deve ter poucos (bem poucos) brinquedos e eles devem ser guardados de forma ordenada para que a criança possa escolher com o que vai brincar sem distrações. Na infância fazemos ligações muito importantes e num ambiente desordenado fica muito difícil estabelecer estas conexões.

Para crianças mais atentas e focadas:
1- Desligue a televisão;
2- Se livre das tralhas e excessos de brinquedos (se você não consegue organizar mentalmente quantos e quais brinquedos seu filho tem, ele tem brinquedos demais, doe!);
3- Separe os brinquedos por tipo;
4- Livre-se da tão famosa CAIXA DE BRINQUEDOS;
5- Opte por brinquedos feitos de materiais orgânicos como madeira, pano e papelão. Brinquedos que precisam de pilha e que produzem sozinhos sons e movimentos não são inofensíveis, roubam a criatividade de seu pequeno, prefira não tê-los;
6- Permita que seu filho seja criança. Crianças brincam com qualquer coisa, utensílios de casa são ótimas opções;
7- Mantenha um ambiente ordenado e prefira cores que remetam lugares calmos e naturais;
8- Observe mais e interfira menos.

Paz e bem!

Por uma humanidade mais fraterna.

Escrito por Ana Paula Góis, 29/10/2015 às 06h24 | conviteecia@hotmail.com



Mãe na Roda é um espaço colaborativo para compartilhar a maternidade e questões afins.