Jornal Página 3
Coluna
Drone
Por Hélvion Ribeiro

DECK DE MADEIRA

Passando pela Avenida Atlântica hoje (27), vi uma mulher sapateando na calçada, do mesmo jeito que os jovens faziam naqueles joguinhos na tevê.

Estavam desmontando um deck de madeira apodrecido, e ela tentava desesperada matar algumas das muitas baratas, que fugiam.

Na verdade estes decks de madeira são criadouros por excelência de ratos e baratas, além de depósito de ‘guimbas’ de cigarro e muito lixo, sem possibilidade de limpeza.

Já existem em grande quantidade, talvez, milhares.

Entraram na moda aqui em Balneário Camboriú há alguns anos, para limitar a área da calçada que restaurantes e bares podem usar.

Penso que a Vigilância Sanitária de Balneário Camboriú poderia fazer um estudo para ver se não tem aí um prejuízo para a saúde pública.

Em tempo: perguntei para a mulher do sapateado, se iam colocar o deck de novo e ela falou :

"De jeito nenhum". 

Escrito por Hélvion Ribeiro, 28/05/2019 às 11h14 | helvionr@yahoo.com.br



Hélvion Ribeiro

Assina a coluna Drone

Hélvion A. Ribeiro, 69. Atuou como Dentista em Lages, Urubici, Fpolis, RJ, Camboriú, Itajaí, Blumenau e BC. Seu trabalho mais importante é contribuir como voluntário, especialmente pela Universidade Gratuita. Pai de 3 médicos, tem 5 netos, faz academia rural no sítio em B. Camboriú onde tem a felicidade de viver há 20 anos.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Drone
Por Hélvion Ribeiro

DECK DE MADEIRA

Passando pela Avenida Atlântica hoje (27), vi uma mulher sapateando na calçada, do mesmo jeito que os jovens faziam naqueles joguinhos na tevê.

Estavam desmontando um deck de madeira apodrecido, e ela tentava desesperada matar algumas das muitas baratas, que fugiam.

Na verdade estes decks de madeira são criadouros por excelência de ratos e baratas, além de depósito de ‘guimbas’ de cigarro e muito lixo, sem possibilidade de limpeza.

Já existem em grande quantidade, talvez, milhares.

Entraram na moda aqui em Balneário Camboriú há alguns anos, para limitar a área da calçada que restaurantes e bares podem usar.

Penso que a Vigilância Sanitária de Balneário Camboriú poderia fazer um estudo para ver se não tem aí um prejuízo para a saúde pública.

Em tempo: perguntei para a mulher do sapateado, se iam colocar o deck de novo e ela falou :

"De jeito nenhum". 

Escrito por Hélvion Ribeiro, 28/05/2019 às 11h14 | helvionr@yahoo.com.br



Hélvion Ribeiro

Assina a coluna Drone

Hélvion A. Ribeiro, 69. Atuou como Dentista em Lages, Urubici, Fpolis, RJ, Camboriú, Itajaí, Blumenau e BC. Seu trabalho mais importante é contribuir como voluntário, especialmente pela Universidade Gratuita. Pai de 3 médicos, tem 5 netos, faz academia rural no sítio em B. Camboriú onde tem a felicidade de viver há 20 anos.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade