Jornal Página 3
Coluna
Drone
Por Hélvion Ribeiro

DECK DE MADEIRA

Passando pela Avenida Atlântica hoje (27), vi uma mulher sapateando na calçada, do mesmo jeito que os jovens faziam naqueles joguinhos na tevê.

Estavam desmontando um deck de madeira apodrecido, e ela tentava desesperada matar algumas das muitas baratas, que fugiam.

Na verdade estes decks de madeira são criadouros por excelência de ratos e baratas, além de depósito de ‘guimbas’ de cigarro e muito lixo, sem possibilidade de limpeza.

Já existem em grande quantidade, talvez, milhares.

Entraram na moda aqui em Balneário Camboriú há alguns anos, para limitar a área da calçada que restaurantes e bares podem usar.

Penso que a Vigilância Sanitária de Balneário Camboriú poderia fazer um estudo para ver se não tem aí um prejuízo para a saúde pública.

Em tempo: perguntei para a mulher do sapateado, se iam colocar o deck de novo e ela falou :

"De jeito nenhum". 

Escrito por Hélvion Ribeiro, 28/05/2019 às 11h14 | helvionr@yahoo.com.br

O DESPERDÍCIO

Veja... você ABRE um restaurante para servir 40 pessoas por dia, você coloca as mesas, as cadeiras, a louça, os mantimentos, a cozinha, os garçons, a luz, a água, a limpeza, as obrigações trabalhistas, os impostos, as férias, o 13 °, os feriados, as possíveis faltas e tudo o mais... SUFICIENTE para 40 ( QUARENTA ) pessoas.

Se vem sempre, somente, 4 ou 5 pessoas, você QUEBRA em 6 meses.

Nas UNIVERSIDADES FEDERAIS, nos INSTITUTOS FEDERAIS, e ESTADUAIS, em MUITOS CURSOS, em salas - com tudo projetado - para 40 ( QUARENTA ) ALUNOS, tem muitas turmas só com 4 ( quatro ) ou 5 ( cinco ) alunos.

MAS, sempre, ANO INTEIRO, é mantido o Corpo Docente, Funcionários, Laboratórios, Professores e tudo o mais...para 40 ( quarenta ) ALUNOS.

Aí não há BRASIL, nem BOM SENSO, que aguente.

Vai pelo ralo.

A CULPA é da evasão, do não preenchimento das vagas DESDE o primeiro semestre, do mau planejamento, do negligência, da irresponsabilidade, do desinteresse e do "não tô nem aí " para o DESPERDÍCIO, " desde que o meu venha no fim do mês, até o fim da minha vida ".

Somos NÓS, que pagamos este
D E S P E R D Í C I O, né não !? 

Escrito por Hélvion Ribeiro, 24/05/2019 às 12h39 | helvionr@yahoo.com.br

Despedida do ano

A VEJA desta semana trouxe um erro grosseiro de português. É na manchete da CAPA: "MEU PAI É UM MONSTRO", frase tirada da entrevista da reportagem principal.

O correto é "MEU PAÍS É UM MOSTRO".

Quando olhei 2 ou 3 vezes de relance, li certo " MEU PAÍS É UM MOSTRO", porque estava muito absorvido pelos olhos sem vida, da filha de JOÃO de DEUS, quando ela afirmou que era violentada pelo pai - JOÃO de DEUS ( ! ) desde os 10 anos.

De um jeito ou de outro, são milhares de vítimas.

E a Dalva, falou a verdade!
Não pelo que ela disse, mas pelo que os OLHOS dela mostram.

O que os OLHOS dela - sem vida - mostram, é uma dor infinita, uma amargura e uma infelicidade permanentes.

Os olhos dela mostram, que sua doença é irrecuperável, nem com os melhores médicos, psicólogos ou psiquiatras.

O MONSTRO é o BRASIL!

Só nós poderíamos produzir e manter por décadas um animal deste calibre. Só no MOSTRO Brasil, se pode formar uma rede de proteção conivente e acobertadota do criminoso.

DALVA , fizeste bem em não divulgar. Você seria morta, não pelo pai/bandido. Ele fatalmente mandaria um de seus bandidos amigos te matar.

Só um uma coisa intocável te mantém viva - por Deus, o destino ou seja o o que for - você foi mantida VIVA para poder mostrar o absurdo dos criminosos.

Sim, só no BrasilMONSTRO, um curandeiro entrosado com endinheirados, Artistas, Políticos, Jornalistas e Comunicadores, todos interessados na criação e manutenção do animal diabólico, poderia existir.

E a nossa mídia, antes tão arrogante e poderosa, nossa tão decantada mídia levou o João lá em cima. E o manteve lá.

Por mais um capricho e um absurdo o JoãoMONSTRO , recebeu um codinome curioso é fatal : JOÃO de DEUS.

De DEUS...

Em nome de Deus, tem se cometido muito crimes. Dos outros deuses também.

Dante coloca esses MONSTROS no sétimo inferno.

E o BrasiMONSTRO também.

Foi este BrasilMONSTRO, que deu coragem e audácia para o João do Demo, cometer seus crimes.

PORQUE ELE SABIA QUE FICARIA IMPUNE!

Aqueles coitados e coitadas, fragilizados, doentes as vezes terminais , que o idolatravam e divinizavam , foram sim vítimas de tudo isto , por ter sido induzidos a se submeter ao criminoso e seus asseclasMONSTROS.

Quando nossos políticos, artistas , comunicadores, jornalistas e poderosos bajulam este e outros MONSTROS , dão a eles poder e força para suas MONSTRUOSIDADES, eles crescem, ficam " grande e pisam forte".

A impunidade, a demora, o prende/solta, os recursos da justiça brasileira, os infindáveis embargos, a proteção CORPORATIVA do BRASILMONSTRO; das organizações criminosos, as malas de dinheiro roubado à luz do dia, a corrupção, o assassinato de 70.000 pessoas por ano, situações que se mantêm só poderiam mesmo produzir este PAÍS MONSTRO, que temos.

Logo advogados do JoãoMONSTRO- de Deus - no PAÍS MONSTRO, encontrarão um meio de tirá-lo da prisão.

Só no PaísMONSTRO um curandeiro, durante 4 décadas pode se manter junto com seu grupo de bandidos enganando e cometendo crimes e se manter glorificado.

PaísMONSTRO - onde o crime é ADMINISTRADO de DENTRO dos presídios.

Escrito por Hélvion Ribeiro, 22/12/2018 às 22h43 | helvionr@yahoo.com.br

A história das três galinhas "caipiras"

Para mim não existe amor e dor maior do que no ser humano, com o devido respeito a cães e gatos.

Mas, as vezes acontece coisas tão estranhas, que a gente vacila.

Há muitos anos atrás aqui no meu sítio, em Balneário Camboriú, eu tinha 92 galinhas entre angola e caipira. Numa tarde de domingo, dois cachorros mataram 80. Só mataram, não comeram. Um cão - me disseram - pit bull.

Bem, mas bem antes, eu colocava ovos no chôco para ter pintinhos.

Uma vez, coloquei 3 galinhas para chocar.

Em tempo, um do meus filhos médicos, foi visitar um professor que tinha um aviário, e ele disse que pra matar os frangos de granja bastava bater palmas bem forte, que eles caiam mortos por ataque do coração. Ainda preciso saber se isto é verdade mesmo.

Eu prefiro tanto no sabor, como na criação, a galinha caipira.

Bem, tô alí com três galinhas chocando. A primeira veio com oito pintinhos, a segunda veio com cinco, e terceira com 4 pintos.

Resolvi colocar todos os pintinhos em uma galinha choca só e a escolhida foi a primeira galinha, que tinha mais filhos e mais velhos. Coloquei todos os 17 pintinhos e a galinha em um ambiente no galinheiro, separado.

Quando tinha sol coloca todo mundo na rua.

Então um dia de sol, vi que a galinha da qual tirei os cinco estava brigando ferozmente com a outra que tinha ficado com os cinco dela.

Achei estranho.

Depois de um tempo notei que a terceira galinha - a dos quatro pintinhos - se meteu em baixo do galinheiro onde estavam os pintos e não saía de jeito nenhum, nem para comer.

Várias vezes tocamos de lá mas ela voltava.

Um dia quando cheguei, ela estava morta, em baixo do galinheiro! Deu ruim.

Sei lá, dizem que os bichos não tem memória... Sei não...

Em tempo, esta imagem acima é de outra galinha. Ela está sem penas nas costas. O motivo disto daí é que agora eu tenho 2 galos e 10 galinhas. É muito galo, deveria ter 20 galinhas. Então eles judiam delas, assediam elas. A solução foi encaminhar um galo para a panela.

Um abraço.

Escrito por Hélvion Ribeiro, 21/11/2018 às 18h48 | helvionr@yahoo.com.br

Instituto Federal de Camboriú vai à luta

O IFC de Camboriú, antigo Colégio Agrícola,  puxou ontem uma importante Audiência Pública.

A finalidade era ouvir a comunidade sobre a pertinência de abrir um Curso Superior de Engenharia Agronômica em 2020.

Indicado por meu amigo Valdim Utech, fui lá pelo MOVUP - Movimento Voluntário Universidade Pública e Gratuita.

O que vi me agradou muito.

O IFC, de Camboriú vai bem. Tem uma bela biblioteca.

O projeto de Engenharia Agronômica, está redondinho. Tem tudo a ver com a vocação dos Cursos Técnicos Agrícolas que ali são dados a décadas. É o caminho natural. O projeto é para um Curso Superior com 40 vagas anuais, presencial, em tempo integral e por 10 semestres.

Percebe-se a explícita intenção de criar um Curso de nível, sério e criterioso. Um Curso que privilegie a profissão de Engenheiro Agrônomo incorporado na sociedade usando tecnologia e ciente da sustentabilidade.

Santa Catarina é um estado em que o agronegócio vem dando certo e tem muito campo para crescer. É uma área madura , tradicional e vital por tratar da produção, comercialização e consumo de alimentos.

Mais de 300 pessoas entre estudantes, professores, funcionários, Direção do IFC, autoridades municipais e estaduais e cidadãos estavam ali.

A proposta justificada lúcida e tecnicamente, foi integralmente aprovada e tudo leva a crer que em 2020, nossa região ganhará este importante Curso Superior Público e Gratuito de Engenharia Agronômica.

Escrito por Hélvion Ribeiro, 14/11/2018 às 09h45 | helvionr@yahoo.com.br

Carta Aberta ao Comandante MOISÉS

Caro Moisés:

Logo após o segundo turno lhe aconselhei a mandar fazer o terno da posse.

Há 30 dias ninguém, nem você acreditava que poderia ser eleito Governador de SC.

Sabemos que você será eleito com uma grande vantagem. Mas não se deslumbre. É mais por indignação contra a corrupção e a velha política, e o contexto na revolução por VOTOS, que varre o Brasil.

Não entre no jogo político do seu adversário, ele é um hábil político no velho estilo e neste campo ele te dá um banho.

Aliás, segure as pontas quanto aos programas políticos, você tem mais chance de perder do que de ganhar votos. Deixe a campanha para o povo e a sua vice, que é mais articulada nesta área, que hoje não muda nada.

Evite aparecer muito. Aproveita para botar a cabeça no lugar. " MEMENTO HOMO".

Pega a tua familia e vai para um hotelzinho lá em Itapirubá, ou relaxa nas Termas do Gravatal.

Dedique-se profundamente, junto com tua equipe técnica (não a política - por que esta... já foi) para conhecer formas de tornar o estado mais eficiente, menos violento, melhorar a educação - Ahh, falei sobre apoiar a educação obrigatória até 17 anos - isto melhora a formação e contribui para reduzir a criminalidade.

Nosso estado, não tá bom, mas tb não é ruim. Cuidado para não ser encurralado pelos políticos ou pelo segundo escalão do funcionalismo.

Aliás, muito cuidado -- utilizar só funcionário públicos no comando (!) pode ser uma tiro no pé, porque os funcionários públicos são muito corporativistas - vão pressionar por salários e farão greves.

Os funcionários são também razoavelmente viciados, avessos à ordens (bem diferente da força da hierarquia e disciplina militar).

Cuidado com as raposas políticas e empresariais, como disse - não se deslumbre.

Outro coisa, não esqueça de passar no alfaiate.

Hoje encontrei uma pessoa só (1) que vai votar de novo no Merísio.

Eu vou mudar o meu voto como tantos. Mas, também vou cobrar muito mais.

Quero um País e um Estado menos corrupto e menos violento.

Fica tranquilo, faremos a nossa parte.

Faça a sua.

Um abraço,

Hélvion A. Ribeiro

Escrito por Hélvion Ribeiro, 25/10/2018 às 19h26 | helvionr@yahoo.com.br



1 2 3 4

Hélvion Ribeiro

Assina a coluna Drone

Hélvion A. Ribeiro, 69. Atuou como Dentista em Lages, Urubici, Fpolis, RJ, Camboriú, Itajaí, Blumenau e BC. Seu trabalho mais importante é contribuir como voluntário, especialmente pela Universidade Gratuita. Pai de 3 médicos, tem 5 netos, faz academia rural no sítio em B. Camboriú onde tem a felicidade de viver há 20 anos.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Drone
Por Hélvion Ribeiro

DECK DE MADEIRA

Passando pela Avenida Atlântica hoje (27), vi uma mulher sapateando na calçada, do mesmo jeito que os jovens faziam naqueles joguinhos na tevê.

Estavam desmontando um deck de madeira apodrecido, e ela tentava desesperada matar algumas das muitas baratas, que fugiam.

Na verdade estes decks de madeira são criadouros por excelência de ratos e baratas, além de depósito de ‘guimbas’ de cigarro e muito lixo, sem possibilidade de limpeza.

Já existem em grande quantidade, talvez, milhares.

Entraram na moda aqui em Balneário Camboriú há alguns anos, para limitar a área da calçada que restaurantes e bares podem usar.

Penso que a Vigilância Sanitária de Balneário Camboriú poderia fazer um estudo para ver se não tem aí um prejuízo para a saúde pública.

Em tempo: perguntei para a mulher do sapateado, se iam colocar o deck de novo e ela falou :

"De jeito nenhum". 

Escrito por Hélvion Ribeiro, 28/05/2019 às 11h14 | helvionr@yahoo.com.br

O DESPERDÍCIO

Veja... você ABRE um restaurante para servir 40 pessoas por dia, você coloca as mesas, as cadeiras, a louça, os mantimentos, a cozinha, os garçons, a luz, a água, a limpeza, as obrigações trabalhistas, os impostos, as férias, o 13 °, os feriados, as possíveis faltas e tudo o mais... SUFICIENTE para 40 ( QUARENTA ) pessoas.

Se vem sempre, somente, 4 ou 5 pessoas, você QUEBRA em 6 meses.

Nas UNIVERSIDADES FEDERAIS, nos INSTITUTOS FEDERAIS, e ESTADUAIS, em MUITOS CURSOS, em salas - com tudo projetado - para 40 ( QUARENTA ) ALUNOS, tem muitas turmas só com 4 ( quatro ) ou 5 ( cinco ) alunos.

MAS, sempre, ANO INTEIRO, é mantido o Corpo Docente, Funcionários, Laboratórios, Professores e tudo o mais...para 40 ( quarenta ) ALUNOS.

Aí não há BRASIL, nem BOM SENSO, que aguente.

Vai pelo ralo.

A CULPA é da evasão, do não preenchimento das vagas DESDE o primeiro semestre, do mau planejamento, do negligência, da irresponsabilidade, do desinteresse e do "não tô nem aí " para o DESPERDÍCIO, " desde que o meu venha no fim do mês, até o fim da minha vida ".

Somos NÓS, que pagamos este
D E S P E R D Í C I O, né não !? 

Escrito por Hélvion Ribeiro, 24/05/2019 às 12h39 | helvionr@yahoo.com.br

Despedida do ano

A VEJA desta semana trouxe um erro grosseiro de português. É na manchete da CAPA: "MEU PAI É UM MONSTRO", frase tirada da entrevista da reportagem principal.

O correto é "MEU PAÍS É UM MOSTRO".

Quando olhei 2 ou 3 vezes de relance, li certo " MEU PAÍS É UM MOSTRO", porque estava muito absorvido pelos olhos sem vida, da filha de JOÃO de DEUS, quando ela afirmou que era violentada pelo pai - JOÃO de DEUS ( ! ) desde os 10 anos.

De um jeito ou de outro, são milhares de vítimas.

E a Dalva, falou a verdade!
Não pelo que ela disse, mas pelo que os OLHOS dela mostram.

O que os OLHOS dela - sem vida - mostram, é uma dor infinita, uma amargura e uma infelicidade permanentes.

Os olhos dela mostram, que sua doença é irrecuperável, nem com os melhores médicos, psicólogos ou psiquiatras.

O MONSTRO é o BRASIL!

Só nós poderíamos produzir e manter por décadas um animal deste calibre. Só no MOSTRO Brasil, se pode formar uma rede de proteção conivente e acobertadota do criminoso.

DALVA , fizeste bem em não divulgar. Você seria morta, não pelo pai/bandido. Ele fatalmente mandaria um de seus bandidos amigos te matar.

Só um uma coisa intocável te mantém viva - por Deus, o destino ou seja o o que for - você foi mantida VIVA para poder mostrar o absurdo dos criminosos.

Sim, só no BrasilMONSTRO, um curandeiro entrosado com endinheirados, Artistas, Políticos, Jornalistas e Comunicadores, todos interessados na criação e manutenção do animal diabólico, poderia existir.

E a nossa mídia, antes tão arrogante e poderosa, nossa tão decantada mídia levou o João lá em cima. E o manteve lá.

Por mais um capricho e um absurdo o JoãoMONSTRO , recebeu um codinome curioso é fatal : JOÃO de DEUS.

De DEUS...

Em nome de Deus, tem se cometido muito crimes. Dos outros deuses também.

Dante coloca esses MONSTROS no sétimo inferno.

E o BrasiMONSTRO também.

Foi este BrasilMONSTRO, que deu coragem e audácia para o João do Demo, cometer seus crimes.

PORQUE ELE SABIA QUE FICARIA IMPUNE!

Aqueles coitados e coitadas, fragilizados, doentes as vezes terminais , que o idolatravam e divinizavam , foram sim vítimas de tudo isto , por ter sido induzidos a se submeter ao criminoso e seus asseclasMONSTROS.

Quando nossos políticos, artistas , comunicadores, jornalistas e poderosos bajulam este e outros MONSTROS , dão a eles poder e força para suas MONSTRUOSIDADES, eles crescem, ficam " grande e pisam forte".

A impunidade, a demora, o prende/solta, os recursos da justiça brasileira, os infindáveis embargos, a proteção CORPORATIVA do BRASILMONSTRO; das organizações criminosos, as malas de dinheiro roubado à luz do dia, a corrupção, o assassinato de 70.000 pessoas por ano, situações que se mantêm só poderiam mesmo produzir este PAÍS MONSTRO, que temos.

Logo advogados do JoãoMONSTRO- de Deus - no PAÍS MONSTRO, encontrarão um meio de tirá-lo da prisão.

Só no PaísMONSTRO um curandeiro, durante 4 décadas pode se manter junto com seu grupo de bandidos enganando e cometendo crimes e se manter glorificado.

PaísMONSTRO - onde o crime é ADMINISTRADO de DENTRO dos presídios.

Escrito por Hélvion Ribeiro, 22/12/2018 às 22h43 | helvionr@yahoo.com.br

A história das três galinhas "caipiras"

Para mim não existe amor e dor maior do que no ser humano, com o devido respeito a cães e gatos.

Mas, as vezes acontece coisas tão estranhas, que a gente vacila.

Há muitos anos atrás aqui no meu sítio, em Balneário Camboriú, eu tinha 92 galinhas entre angola e caipira. Numa tarde de domingo, dois cachorros mataram 80. Só mataram, não comeram. Um cão - me disseram - pit bull.

Bem, mas bem antes, eu colocava ovos no chôco para ter pintinhos.

Uma vez, coloquei 3 galinhas para chocar.

Em tempo, um do meus filhos médicos, foi visitar um professor que tinha um aviário, e ele disse que pra matar os frangos de granja bastava bater palmas bem forte, que eles caiam mortos por ataque do coração. Ainda preciso saber se isto é verdade mesmo.

Eu prefiro tanto no sabor, como na criação, a galinha caipira.

Bem, tô alí com três galinhas chocando. A primeira veio com oito pintinhos, a segunda veio com cinco, e terceira com 4 pintos.

Resolvi colocar todos os pintinhos em uma galinha choca só e a escolhida foi a primeira galinha, que tinha mais filhos e mais velhos. Coloquei todos os 17 pintinhos e a galinha em um ambiente no galinheiro, separado.

Quando tinha sol coloca todo mundo na rua.

Então um dia de sol, vi que a galinha da qual tirei os cinco estava brigando ferozmente com a outra que tinha ficado com os cinco dela.

Achei estranho.

Depois de um tempo notei que a terceira galinha - a dos quatro pintinhos - se meteu em baixo do galinheiro onde estavam os pintos e não saía de jeito nenhum, nem para comer.

Várias vezes tocamos de lá mas ela voltava.

Um dia quando cheguei, ela estava morta, em baixo do galinheiro! Deu ruim.

Sei lá, dizem que os bichos não tem memória... Sei não...

Em tempo, esta imagem acima é de outra galinha. Ela está sem penas nas costas. O motivo disto daí é que agora eu tenho 2 galos e 10 galinhas. É muito galo, deveria ter 20 galinhas. Então eles judiam delas, assediam elas. A solução foi encaminhar um galo para a panela.

Um abraço.

Escrito por Hélvion Ribeiro, 21/11/2018 às 18h48 | helvionr@yahoo.com.br

Instituto Federal de Camboriú vai à luta

O IFC de Camboriú, antigo Colégio Agrícola,  puxou ontem uma importante Audiência Pública.

A finalidade era ouvir a comunidade sobre a pertinência de abrir um Curso Superior de Engenharia Agronômica em 2020.

Indicado por meu amigo Valdim Utech, fui lá pelo MOVUP - Movimento Voluntário Universidade Pública e Gratuita.

O que vi me agradou muito.

O IFC, de Camboriú vai bem. Tem uma bela biblioteca.

O projeto de Engenharia Agronômica, está redondinho. Tem tudo a ver com a vocação dos Cursos Técnicos Agrícolas que ali são dados a décadas. É o caminho natural. O projeto é para um Curso Superior com 40 vagas anuais, presencial, em tempo integral e por 10 semestres.

Percebe-se a explícita intenção de criar um Curso de nível, sério e criterioso. Um Curso que privilegie a profissão de Engenheiro Agrônomo incorporado na sociedade usando tecnologia e ciente da sustentabilidade.

Santa Catarina é um estado em que o agronegócio vem dando certo e tem muito campo para crescer. É uma área madura , tradicional e vital por tratar da produção, comercialização e consumo de alimentos.

Mais de 300 pessoas entre estudantes, professores, funcionários, Direção do IFC, autoridades municipais e estaduais e cidadãos estavam ali.

A proposta justificada lúcida e tecnicamente, foi integralmente aprovada e tudo leva a crer que em 2020, nossa região ganhará este importante Curso Superior Público e Gratuito de Engenharia Agronômica.

Escrito por Hélvion Ribeiro, 14/11/2018 às 09h45 | helvionr@yahoo.com.br

Carta Aberta ao Comandante MOISÉS

Caro Moisés:

Logo após o segundo turno lhe aconselhei a mandar fazer o terno da posse.

Há 30 dias ninguém, nem você acreditava que poderia ser eleito Governador de SC.

Sabemos que você será eleito com uma grande vantagem. Mas não se deslumbre. É mais por indignação contra a corrupção e a velha política, e o contexto na revolução por VOTOS, que varre o Brasil.

Não entre no jogo político do seu adversário, ele é um hábil político no velho estilo e neste campo ele te dá um banho.

Aliás, segure as pontas quanto aos programas políticos, você tem mais chance de perder do que de ganhar votos. Deixe a campanha para o povo e a sua vice, que é mais articulada nesta área, que hoje não muda nada.

Evite aparecer muito. Aproveita para botar a cabeça no lugar. " MEMENTO HOMO".

Pega a tua familia e vai para um hotelzinho lá em Itapirubá, ou relaxa nas Termas do Gravatal.

Dedique-se profundamente, junto com tua equipe técnica (não a política - por que esta... já foi) para conhecer formas de tornar o estado mais eficiente, menos violento, melhorar a educação - Ahh, falei sobre apoiar a educação obrigatória até 17 anos - isto melhora a formação e contribui para reduzir a criminalidade.

Nosso estado, não tá bom, mas tb não é ruim. Cuidado para não ser encurralado pelos políticos ou pelo segundo escalão do funcionalismo.

Aliás, muito cuidado -- utilizar só funcionário públicos no comando (!) pode ser uma tiro no pé, porque os funcionários públicos são muito corporativistas - vão pressionar por salários e farão greves.

Os funcionários são também razoavelmente viciados, avessos à ordens (bem diferente da força da hierarquia e disciplina militar).

Cuidado com as raposas políticas e empresariais, como disse - não se deslumbre.

Outro coisa, não esqueça de passar no alfaiate.

Hoje encontrei uma pessoa só (1) que vai votar de novo no Merísio.

Eu vou mudar o meu voto como tantos. Mas, também vou cobrar muito mais.

Quero um País e um Estado menos corrupto e menos violento.

Fica tranquilo, faremos a nossa parte.

Faça a sua.

Um abraço,

Hélvion A. Ribeiro

Escrito por Hélvion Ribeiro, 25/10/2018 às 19h26 | helvionr@yahoo.com.br



1 2 3 4

Hélvion Ribeiro

Assina a coluna Drone

Hélvion A. Ribeiro, 69. Atuou como Dentista em Lages, Urubici, Fpolis, RJ, Camboriú, Itajaí, Blumenau e BC. Seu trabalho mais importante é contribuir como voluntário, especialmente pela Universidade Gratuita. Pai de 3 médicos, tem 5 netos, faz academia rural no sítio em B. Camboriú onde tem a felicidade de viver há 20 anos.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade