Jornal Página 3
Coluna
Condomínio Garden City
Por Saint Clair Nickelle

Dia da Bandeira

Consta da minha certidão de nascimento que eu nasci em 19 de novembro, mas minha irmã, mais velha, diz que eu nasci em 03 de novembro, mas fui registrado no Dia da Bandeira. Levei uma vantagem de 16 dias, fato que me deixa bem mais moço.

Por parte da minha falecida esposa, Sandra, um seu primo, além do fato de ter nascido e ter sido registrado no dia 19 de novembro, é a expressão mais autêntica da data, eis que ele se chama, Miguel Bandeira.

Apesar de tudo, levo uma ligeira vantagem, pois junto aos meus familiares do primeiro casamento, comemoram o meu aniversário dia 03 de novembro, pois ficaram sabendo da verdade. Já entre os familiares da Sueli, minha segunda esposa, a comemoração é no Dia da Bandeira, pois se apressaram em verificar a questão cartorial, condição “sine qua non”, para ser aceito na família.

Hoje, plenamente integrado à família Costa, até sou alvo de mensagens muito afetivas, no Dia da Bandeira, tais como:

“Nicinha:

Bom dia meu querido, parabéns, muitas felicidades, que Deus te abençoe imensamente. Você é uma pessoa muito especial e tenho certeza que estará sempre com proteção divina. Obrigada SAN por ser meu cunhado e amigo. Te amo!”

 Agradecimento:

“Desde há muito tempo você mora no meu coração, mas não paga aluguel porque a morada é por amor. Obrigado, querida cunhada!

“Fabiane:

Feliz aniversário meu papis mais lindo, tudo de mais maravilhoso na sua vida, que Deus abençoe você...Obrigada por tudo, serei eternamente grata por tudo o que você faz por nós...Te amo muito!!!!Obrigada por fazer parte das nossas vidas!!! Beijos BI”

 Agradecimento:

“Fabiane, querida filha de coração! Obrigado pela bela mensagem. Também, sou grato pelo carinho de vocês. Ele me dá forças para continuar construindo essa amizade e carinho. Obrigado a você e aos meus netos queridos, Maria Eduarda e Luiz Felipe. Beijos do SAN.

Não vou repetir, aqui, tantas mensagens lindas que recebi, mas todas trazem o carinho com que fui aceito na família da Sueli. Aliás, tive a sorte de continuar cultivando todas as amizades da grande família da Sandra, bem como da que hoje preenche meus dias. Deixei Porto Alegre, onde estudei, me formei em Arquitetura, construí minha vida profissional, casei e tive meus filhos amados, Michel e Sabrina, que por sinal hoje moram aqui em Santa Catarina. Hoje, passados longos anos, moro em Balneário Camboriú, que será, sem dúvida, minha última morada.

E, para não fugir do tema, moro no Parque Bandeirantes, cujas ruas homenageiam os desbravadores do interior brasileiro, como Brás Cubas, Sebastião Tourinho, Pascoal Moreira Cabral Leme, entre tantos, que com suas Entradas e Bandeiras, deram  essa dimensão imensa ao território do Brasil, desrespeitando o Tratado de Tordesilhas, assinado na povoação de Tordesilhas, em 7 de junho de 1494, entre o Reino de Portugal e a Coroa de Castela, esses bandeirantes ocuparam terras que seriam espanholas.

E, assim, passei meu dia de aniversário misturando carinho com fatos históricos.

Escrito por Saint Clair Nickelle, 23/11/2017 às 09h49 | sannickelle@gmail.com



Saint Clair Nickelle

Assina a coluna Condomínio Garden City

Arquiteto aposentado e autor das crônicas denominadas CONDOMÍNIO GARDEN CITY, as quais serão apresentadas em capítulos, descrevendo as relações humanas num condomínio hipotético.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Condomínio Garden City
Por Saint Clair Nickelle

Dia da Bandeira

Consta da minha certidão de nascimento que eu nasci em 19 de novembro, mas minha irmã, mais velha, diz que eu nasci em 03 de novembro, mas fui registrado no Dia da Bandeira. Levei uma vantagem de 16 dias, fato que me deixa bem mais moço.

Por parte da minha falecida esposa, Sandra, um seu primo, além do fato de ter nascido e ter sido registrado no dia 19 de novembro, é a expressão mais autêntica da data, eis que ele se chama, Miguel Bandeira.

Apesar de tudo, levo uma ligeira vantagem, pois junto aos meus familiares do primeiro casamento, comemoram o meu aniversário dia 03 de novembro, pois ficaram sabendo da verdade. Já entre os familiares da Sueli, minha segunda esposa, a comemoração é no Dia da Bandeira, pois se apressaram em verificar a questão cartorial, condição “sine qua non”, para ser aceito na família.

Hoje, plenamente integrado à família Costa, até sou alvo de mensagens muito afetivas, no Dia da Bandeira, tais como:

“Nicinha:

Bom dia meu querido, parabéns, muitas felicidades, que Deus te abençoe imensamente. Você é uma pessoa muito especial e tenho certeza que estará sempre com proteção divina. Obrigada SAN por ser meu cunhado e amigo. Te amo!”

 Agradecimento:

“Desde há muito tempo você mora no meu coração, mas não paga aluguel porque a morada é por amor. Obrigado, querida cunhada!

“Fabiane:

Feliz aniversário meu papis mais lindo, tudo de mais maravilhoso na sua vida, que Deus abençoe você...Obrigada por tudo, serei eternamente grata por tudo o que você faz por nós...Te amo muito!!!!Obrigada por fazer parte das nossas vidas!!! Beijos BI”

 Agradecimento:

“Fabiane, querida filha de coração! Obrigado pela bela mensagem. Também, sou grato pelo carinho de vocês. Ele me dá forças para continuar construindo essa amizade e carinho. Obrigado a você e aos meus netos queridos, Maria Eduarda e Luiz Felipe. Beijos do SAN.

Não vou repetir, aqui, tantas mensagens lindas que recebi, mas todas trazem o carinho com que fui aceito na família da Sueli. Aliás, tive a sorte de continuar cultivando todas as amizades da grande família da Sandra, bem como da que hoje preenche meus dias. Deixei Porto Alegre, onde estudei, me formei em Arquitetura, construí minha vida profissional, casei e tive meus filhos amados, Michel e Sabrina, que por sinal hoje moram aqui em Santa Catarina. Hoje, passados longos anos, moro em Balneário Camboriú, que será, sem dúvida, minha última morada.

E, para não fugir do tema, moro no Parque Bandeirantes, cujas ruas homenageiam os desbravadores do interior brasileiro, como Brás Cubas, Sebastião Tourinho, Pascoal Moreira Cabral Leme, entre tantos, que com suas Entradas e Bandeiras, deram  essa dimensão imensa ao território do Brasil, desrespeitando o Tratado de Tordesilhas, assinado na povoação de Tordesilhas, em 7 de junho de 1494, entre o Reino de Portugal e a Coroa de Castela, esses bandeirantes ocuparam terras que seriam espanholas.

E, assim, passei meu dia de aniversário misturando carinho com fatos históricos.

Escrito por Saint Clair Nickelle, 23/11/2017 às 09h49 | sannickelle@gmail.com



Saint Clair Nickelle

Assina a coluna Condomínio Garden City

Arquiteto aposentado e autor das crônicas denominadas CONDOMÍNIO GARDEN CITY, as quais serão apresentadas em capítulos, descrevendo as relações humanas num condomínio hipotético.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade