Jornal Página 3
Coluna
Condomínio Garden City
Por Saint Clair Nickelle

Ostentação

O Clovis, mais conhecido como coquinho, nos convidou para uma mateada no caramanchão da Praça Central. Como sempre lá compareceram o seu Gumercindo, genro do Clóvis, o Luiz Paulo, delegado aposentado, o Sérgio, auditor do Banco Central, o Reginaldo, professor de Sociologia e eu.

Enquanto a cuia girava de mão em mão, o seu Gumercindo fez o comentário que todos esperavam:

- Vocês viram a Polícia Federal bater na casa do Carlos Alberto de Bezerra às 6 h da manhã, ontem?

- Eu, como resido junto à Praça da Frente, acordei com uma grande movimentação de veículos e, como curioso e ex-policial que sou, fui espiar para ver. Não deu outra, era na casa do Bezerra, disse o Luiz Paulo.

- Qual teria sido o motivo?

- Eu acredito que faça parte da Operação Lava Jato, aquela que tá pegando os safados que participaram do Governo do Estado de 2004 a 2008.

- Mas ele foi só o braço direito do Governador. Será que ele tá envolvido naquele propinoduto do Serguei Cabriles?

- Quem duvida ou é louco ou burro! Vocês não viram como cresceu o patrimônio dele naquele período? - afirmou o Clóvis, fazendo roncar aquele chimarrão buenacho.

- Pois, não é que tu tens razão vivente! Mas, antes que eu comente, me passa a cuia e a chaleira que a goela tá ficando seca! - disse o seu Gumercindo. Depois de um ano que o Bezerra tava no Governo, ele comprou a casa do lado e começou uma grande reforma. Depois de pronta, a casa boa e simples que morava com a família, deu lugar a uma mansão de dois pavimentos, garagem para seis carros e, um terraço com piscina e churrasqueira acima do segundo pavimento.

- Vocês lembram o carro que ele tinha?

- Se, não me engano, era uma caminhonete Ford F-100, 1982.

Agora ele desfila num AUDI Q3, sua mulher num Land Rover Range Rover Evoque.

- E os filhos?

- Eles tem dois filhos, um casal para ser mais exato. A moça tem um Hyundai Hb20X e o rapaz um Chevrolet Camaro. Todos carros do ano.

- Meu Deus! Não foi com o salário de Secretário do Governador que ele conseguiria tanto dinheiro.

- Claro que não, Reginaldo! Tu lembras quando ele veio pedir para suspender a dívida que ele tinha com o condomínio, pois a casa estava prestes a ir para leilão?

- Tu era o síndico na ocasião, não é verdade, Luiz Paulo?

- Sim, seu Gumercindo! Ele inclusive chorou, dizendo que sua família não teria para onde ir. Apiedados, eu e o Conselho Fiscal fizemos um acordo para suspender a decisão judicial. Ele pagaria a taxa normal do condomínio mais 10% da dívida a cada mês. Foi a forma que encontramos para suspender o leilão.

- O mais curioso, e que remete à personalidade do Bezerra, é de que depois que ele melhorou de vida, deixou de ser compreensivo com os inadimplentes.

- É verdade seu Gumercindo! Eu lembro daquela Assembleia que elegeu o seu Osvaldo e que definiu a alteração da taxa condominial, quando ele propôs um aumento de 100%.

- Ela só não foi aprovada, porque o nosso grupo, como sempre coerente, bateu pé para não agravar a condição dos condôminos que tinham mais dificuldades.

- Ele, na ocasião, afirmou que quem não pudesse pagar que fosse morar na Restinga, não num condomínio como o Garden City.

- Fiquei horrorizado. Disse o Luiz Paulo.

- Como pode uma pessoa esquecer, especialmente diante de mim, tudo o que ele passou e foi comtemplado com tanta humanidade, inclusive pelos membros do Conselho Fiscal que também estavam presentes naquela assembleia?

- Só pode ser desvio de personalidade.

- Ou um baita cara de pau!

- Taí, agora foi preso pela Polícia Federal. Certamente não vai se livrar da taxa condominial e, talvez perca a casa, os carros, as obras de arte, as jóias da mulher para saldar o que ganhou ilicitamente.

- Dizem que ele se sentiu mal quando teve que enfrentar os olhares críticos dos vizinhos que acompanhavam a sua prisão.

- Se ele de fato se sentiu mal não se sabe, mas a Polícia Federal acabou internando-o no Pronto Socorro Municipal.

- O que a imprensa noticiou, Reginaldo, foi que os médicos não constataram nada com ele, liberando-o para ser encaminhado ao Presídio Central.

- E vocês viram o escândalo que ele fez para não ser encaminhado à prisão?

- Como foi, Clóvis?

- O barraco protagonizado pelo Bezerra e pela família viralizou ao longo da madrugada desta sexta-feira, especialmente entre os moradores do Garden, que sentem um gostinho de vingança depois de tanta ostentação indevida.

- Clóvis, põe erva nova neste mate, tá ficando aguado.

- É pra já, Sérgio!

- Se ele fosse um cara discreto, como muitos políticos, talvez estivesse até agora desfrutando dos nossos impostos desviados para o bolso dos engravatados sem escrúpulos.

- Sim, os que sempre declaram não saber de nada, mas que andam cercados dos melhores advogados do país, no caso de uma prisão intempestiva.

- Pessoal, chimarrão novo e bem quente, vamos esquecer, por ora, as safadezas do nosso vizinho ostentador.

- Tens razão, Clóvis! Nada como um chimarrão gostoso entre amigos.

“ Ostentar é a ação de mostrar ou exibir com alarde, com pompa, em atos públicos ou particulares. É se mostrar com ostentação, ou seja, com grande luxo, esplendor ou suntuosidade.”

“Estima-se que R$ 200 bilhões são desviados no Brasil, por ano. Esse dinheiro poderia servir para triplicar o investimento federal em saúde e educação…”

Escrito por Saint Clair Nickelle, 24/11/2016 às 17h21 | sannickelle@gmail.com



Saint Clair Nickelle

Assina a coluna Condomínio Garden City

Arquiteto aposentado e autor das crônicas denominadas CONDOMÍNIO GARDEN CITY, as quais serão apresentadas em capítulos, descrevendo as relações humanas num condomínio hipotético.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Condomínio Garden City
Por Saint Clair Nickelle

Ostentação

O Clovis, mais conhecido como coquinho, nos convidou para uma mateada no caramanchão da Praça Central. Como sempre lá compareceram o seu Gumercindo, genro do Clóvis, o Luiz Paulo, delegado aposentado, o Sérgio, auditor do Banco Central, o Reginaldo, professor de Sociologia e eu.

Enquanto a cuia girava de mão em mão, o seu Gumercindo fez o comentário que todos esperavam:

- Vocês viram a Polícia Federal bater na casa do Carlos Alberto de Bezerra às 6 h da manhã, ontem?

- Eu, como resido junto à Praça da Frente, acordei com uma grande movimentação de veículos e, como curioso e ex-policial que sou, fui espiar para ver. Não deu outra, era na casa do Bezerra, disse o Luiz Paulo.

- Qual teria sido o motivo?

- Eu acredito que faça parte da Operação Lava Jato, aquela que tá pegando os safados que participaram do Governo do Estado de 2004 a 2008.

- Mas ele foi só o braço direito do Governador. Será que ele tá envolvido naquele propinoduto do Serguei Cabriles?

- Quem duvida ou é louco ou burro! Vocês não viram como cresceu o patrimônio dele naquele período? - afirmou o Clóvis, fazendo roncar aquele chimarrão buenacho.

- Pois, não é que tu tens razão vivente! Mas, antes que eu comente, me passa a cuia e a chaleira que a goela tá ficando seca! - disse o seu Gumercindo. Depois de um ano que o Bezerra tava no Governo, ele comprou a casa do lado e começou uma grande reforma. Depois de pronta, a casa boa e simples que morava com a família, deu lugar a uma mansão de dois pavimentos, garagem para seis carros e, um terraço com piscina e churrasqueira acima do segundo pavimento.

- Vocês lembram o carro que ele tinha?

- Se, não me engano, era uma caminhonete Ford F-100, 1982.

Agora ele desfila num AUDI Q3, sua mulher num Land Rover Range Rover Evoque.

- E os filhos?

- Eles tem dois filhos, um casal para ser mais exato. A moça tem um Hyundai Hb20X e o rapaz um Chevrolet Camaro. Todos carros do ano.

- Meu Deus! Não foi com o salário de Secretário do Governador que ele conseguiria tanto dinheiro.

- Claro que não, Reginaldo! Tu lembras quando ele veio pedir para suspender a dívida que ele tinha com o condomínio, pois a casa estava prestes a ir para leilão?

- Tu era o síndico na ocasião, não é verdade, Luiz Paulo?

- Sim, seu Gumercindo! Ele inclusive chorou, dizendo que sua família não teria para onde ir. Apiedados, eu e o Conselho Fiscal fizemos um acordo para suspender a decisão judicial. Ele pagaria a taxa normal do condomínio mais 10% da dívida a cada mês. Foi a forma que encontramos para suspender o leilão.

- O mais curioso, e que remete à personalidade do Bezerra, é de que depois que ele melhorou de vida, deixou de ser compreensivo com os inadimplentes.

- É verdade seu Gumercindo! Eu lembro daquela Assembleia que elegeu o seu Osvaldo e que definiu a alteração da taxa condominial, quando ele propôs um aumento de 100%.

- Ela só não foi aprovada, porque o nosso grupo, como sempre coerente, bateu pé para não agravar a condição dos condôminos que tinham mais dificuldades.

- Ele, na ocasião, afirmou que quem não pudesse pagar que fosse morar na Restinga, não num condomínio como o Garden City.

- Fiquei horrorizado. Disse o Luiz Paulo.

- Como pode uma pessoa esquecer, especialmente diante de mim, tudo o que ele passou e foi comtemplado com tanta humanidade, inclusive pelos membros do Conselho Fiscal que também estavam presentes naquela assembleia?

- Só pode ser desvio de personalidade.

- Ou um baita cara de pau!

- Taí, agora foi preso pela Polícia Federal. Certamente não vai se livrar da taxa condominial e, talvez perca a casa, os carros, as obras de arte, as jóias da mulher para saldar o que ganhou ilicitamente.

- Dizem que ele se sentiu mal quando teve que enfrentar os olhares críticos dos vizinhos que acompanhavam a sua prisão.

- Se ele de fato se sentiu mal não se sabe, mas a Polícia Federal acabou internando-o no Pronto Socorro Municipal.

- O que a imprensa noticiou, Reginaldo, foi que os médicos não constataram nada com ele, liberando-o para ser encaminhado ao Presídio Central.

- E vocês viram o escândalo que ele fez para não ser encaminhado à prisão?

- Como foi, Clóvis?

- O barraco protagonizado pelo Bezerra e pela família viralizou ao longo da madrugada desta sexta-feira, especialmente entre os moradores do Garden, que sentem um gostinho de vingança depois de tanta ostentação indevida.

- Clóvis, põe erva nova neste mate, tá ficando aguado.

- É pra já, Sérgio!

- Se ele fosse um cara discreto, como muitos políticos, talvez estivesse até agora desfrutando dos nossos impostos desviados para o bolso dos engravatados sem escrúpulos.

- Sim, os que sempre declaram não saber de nada, mas que andam cercados dos melhores advogados do país, no caso de uma prisão intempestiva.

- Pessoal, chimarrão novo e bem quente, vamos esquecer, por ora, as safadezas do nosso vizinho ostentador.

- Tens razão, Clóvis! Nada como um chimarrão gostoso entre amigos.

“ Ostentar é a ação de mostrar ou exibir com alarde, com pompa, em atos públicos ou particulares. É se mostrar com ostentação, ou seja, com grande luxo, esplendor ou suntuosidade.”

“Estima-se que R$ 200 bilhões são desviados no Brasil, por ano. Esse dinheiro poderia servir para triplicar o investimento federal em saúde e educação…”

Escrito por Saint Clair Nickelle, 24/11/2016 às 17h21 | sannickelle@gmail.com



Saint Clair Nickelle

Assina a coluna Condomínio Garden City

Arquiteto aposentado e autor das crônicas denominadas CONDOMÍNIO GARDEN CITY, as quais serão apresentadas em capítulos, descrevendo as relações humanas num condomínio hipotético.