Jornal Página 3
Coluna
Fabular é preciso!
Por Fabi Langaro Loos

Prática versus gramática

As frases e textos escritos nas redes sociais, ditos em conversas com amigos ou replicados via whatsapp, só têm algum efeito real se aplicados nas nossas vivências do dia a dia. Senão, tornam-se meras frases de efeito, que apenas impressionam à primeira vista e não alteram a vida de ninguém.

A prática, essa sim, tem conteúdo e fará a diferença no decorrer da vida real e não naquela vida que se deseja aparentar. Os atos e as ações realizados aqui e agora é que realmente mudam conceitos e acrescentam um valor inestimável à nossa existência e à existência daqueles que nos rodeiam direta ou indiretamente.

Em todo momento estamos compondo nossas vidas, assim como se compõe uma música ou se escreve uma poesia. Somos experiências e práticas. Somos causa e efeito. Somos palavras e ações. A consciência de cada um é seu microcosmo, porém, sua atitude, essa sim, faz parte do macrocosmo e afeta a realidade de todos. Aí a diferença entre a prática e a gramática.

Há vários exemplos! Fala-se tanto em gratidão, mas muita gente esquece ou tem preguiça de agradecer de verdade. Torna-se, então, apenas uma palavra bonita, porém ilusória, com a única capacidade de atingir o ego de quem a reverbera. Atualmente, a palavra de ordem é resiliência. Mas o que é se colocar no lugar do outro enquanto não estamos na pele do outro? Compreendê-lo faz a diferença, mas estender a mão faz a mudança.

É benéfico falar de tudo aquilo que assombra cruelmente a vida e que causa a violação de direitos, ajuda a mudar a chave na cabeça de muita gente, acende um “start” para novos pensamentos. Mas apenas falar do lixo que precisa ser reciclado, da costureira escravizada pela grande marca, da preservação da natureza, do machismo patriarcal no cotidiano de diversos lares, não fará a diferença. Mesmo parecendo clichê, é preciso colocar a mão na massa, pois são os pequenos atos que irão trazer a mudança dentro da coletividade e dentro da gente.

Que possamos cada vez mais buscar um mundo com mais reflexão, com mais prática, com menos discursos e mais entregas!

(Crédito da foto: Divulgação) 

Escrito por Fabi Langaro Loos, 17/02/2021 às 11h29 | fabiloos@terra.com.br

Lunáticos pelo Mundo

Dia 11 de outubro, a fotógrafa Andréa Schaefer, o publicitário Alex Stein e a mascote Luna embarcam em uma aventura de 120 dias denominada Lunáticos pelo Mundo, com o objetivo de desbravar o Brasil a bordo de uma Kombi.

O nome da mascote Luna, uma cadelinha muito simpática, deu inspiração para o nome do projeto, no qual três lunáticos irão percorrer mais de 15 mil quilômetros a fim de conhecer os lugares mais incríveis e icônicos do nosso país, desvendando culturas e curiosidades de cada lugar.

Os aventureiros partem nesse domingo, de Itajaí, na antiga Praça do Correio (em frente ao Colégio Salesiano) às 10h 30min. Uma carreata acompanhará os lunáticos até a BR 101, quando eles iniciarão essa viagem pelo nosso imenso país, que será registrada por belíssimas fotos e histórias empolgantes, engraçadas, curiosas e inusitadas.

A Kombi, o meio de transporte dos viajantes, está toda preparada para enfrentar os dias de viagem, com cama, banheiro químico, utensílios de cozinha, isolamento térmico e acústico, sistema de reutilização da água, tudo para tornar a viagem mais segura e confortável. E eles ainda levam duas bicicletas para passearem por alguns trechos das cidades enquanto a Kombi permanece estacionada.

E, claro, para ninguém perder nenhum detalhe dessa história, toda a viagem poderá ser acompanhada pelo instagram @lunaticospelomundo. Corre lá e boa viagem!

Os três lunáticos: a fotógrafa Andréa Schaefer, o publicitário Alex Stein e a mascote Luna (Crédito da foto: Projeto Lunáticos pelo Mundo/Divulgação)

Escrito por Fabi Langaro Loos, 10/10/2020 às 10h23 | fabiloos@terra.com.br

Dubai como inspiração

Em busca de inspirações para um novo projeto, a arquiteta Natália Xavier esteve em Dubai, nos Emirados Árabes. Apaixonada pela arquitetura do local, referência mundial na construção civil, Natália visitou diversos pontos turísticos de grandiosa arquitetura.

A arquiteta visitou o imponente Hotel Armani, que fica no Burj Khalifa, edifício mais alto do mundo, com 830 metros. Conheceu ainda a maquete do que virá a ser o maior edifício do planeta, o Dubai Creek Tower, que terá mil metros de altura e cerca de 200 andares.

Entre os passeios, visitou a ilha de Palmeira Jumeirah, a famosa ilha em forma de palmeira, que ostenta grandes hoteis, torres residenciais luxuosas e os mais requintados restaurantes internacionais. Ela também visitou o Burj Al Arab, hotel com 7 estrelas, construído em uma ilhota artificial, além do Palazzo Versace, um dos primeiros hoteis de grife do mundo.

Natália, que já participou de duas edições da CASACOR SC, retornou a seu escritório NX Arquitetura & Design, localizado em Balneário Camboriú, repleta de novas ideias e pronta para a execução de novos projetos.

Natália Xavier e toda suntuosidade do Palazzo Versace (Crédito da foto: Divulgação / Agência A)
Escrito por Fabi Langaro Loos, 23/09/2020 às 11h31 | fabiloos@terra.com.br

Chef Dudu Poerner na Vinícola Pericó

Nesse final de semana, muitas pessoas que moram no litoral, irão trocar o mar pela serra e vice versa. Na serra, além da beleza da natureza com campos, animais, cânions e vinhedos, localizam-se belas fazendas, muitas delas com serviços de hospedagem e turismo rural.

A beleza da altitude catarinense e a vontade de desfrutar um pouco de frio antes do início da primavera que chega são pontos primordiais para os visitantes do turismo do planalto serrano que buscam a atmosfera especial e a hospitalidade dos dias de inverno, com lareiras acesas, gastronomia típica da região e degustação de vinhos.

Para aqueles que se aventurarem em subir a serra, a Vinícola Pericó, de São Joaquim, estará aberta com uma programação especial e o destaque fica para o almoço assinado pelo Chef Dudu Poerner, de Balneário Camboriú, que foi vice-campeão da primeira edição do reality Mestre do Sabor, da Rede Globo.

Como ainda estamos em época de isolamento social, hoteis e pousadas podem funcionar com capacidade limitada, sempre seguindo as normas de segurança estabelecidas pelo Governo Estadual e Municipal, dessa forma, a Vinícola Pericó atende com reservas, que podem ser feitas pelo telefone (47) 99922-4499. Uma boa programação sem sair do estado catarinense, pequeno em dimensões, porém, rico em paisagens diversificadas e calor humano.

A beleza dos campos do Planalto Serrano Catarinense. (Crédito da fotos: Kako Waldrich/ Divulgação)

Escrito por Fabi Langaro Loos, 03/09/2020 às 09h34 | fabiloos@terra.com.br

Decoração em tempos de isolamento social

Em época de isolamento social, o tempo é de ficar em casa (claro, para quem pode). Logo, nossos olhares estão mais voltados para nossa residência, a fim da renovação da decoração de ambientes ou para sentir melhor o aconchego que todo o lar é capaz de nos proporcionar. É tempo para analisar cada cantinho, cada detalhe que, talvez, anteriormente a esse isolamento, na correria do dia a dia, passava despercebido. 

Ócio e tédio que, para muitas pessoas, poderiam ser sensações que viriam à tona ao falar “fique em casa”, transformaram-se em respiro na vida tumultuada, em criatividade e afetividade nas relações intensas que vivemos com o lar. 

Nunca estivemos em uma amizade tão próxima com a nossa casa quanto agora. É uma experiência peculiar que atinge a todos e, assim, cada vez mais, a casa passa a refletir o estado de espírito de quem habita nela, um reflexo do momento, seja para trazer uma sensação de calma ou de alegria através das cores, uma sensação poética ou até mesmo para organizar espaços e tentar escapar da confusão e do caos do cotidiano em uma época tão delicada, que nunca havíamos enfrentado.

Com mais tempo em casa, as pessoas começaram a cultivar o valor à arte e ao design, que desenvolvem sentimentos únicos ao ser humano. Além de transformar a configuração e o layout do ambiente, a arte nos transforma interiormente, e esse é o seu mais valioso poder.

As obras de arte, assim como outros objetos de decoração e de design, proporcionam mais leveza, harmonia e cor ao dia a dia. Ter o privilégio de viver em um lugar onde bate uma luz natural ou de sentir o vento que invade a janela da sala é um prazer indescritível. Mas ter isso rodeado de peças de arte e de design é ânimo aos sentidos. Afinal, a arte é sempre uma excelente companhia.  

Obra de arte Lollipop (mista sobre tela - 123x103 cm) da artista plástica Fabiana Langaro Loos em ambiente assinado pela arquiteta Simara Deola Mello, na Praia Brava, em Itajaí/SC.

Escrito por Fabi Langaro Loos, 27/08/2020 às 09h18 | fabiloos@terra.com.br

Poema pandêmico

por Murilo Maluche Schaefer

Hoje sou profundamente grato!
Agradeço às máscaras:

As concretas
de elástico e 100% algodão.
Proteção duvidosa,
grito estridente da moda pandêmica.
 
Tem as abstratas, de material nobre,
dessas que lubrificam o convívio:
30% fingimento,
60% conveniência,
10% hipocrisia.
 
Adereços úteis e valiosos
que, em dias dificeis,
onde o sorriso é dolorido,
e o choro é gratuito
Sustentam o peso do não-ser.
 
Tempos pandêmicos
minguam as máscaras abstratas,
fazem desaparecer sorrisos  
e abundam lágrimas não contidas.
 
Já as máscaras concretas
disfarçam o que a alma não esconde.
Tudo o que a alma expulsa.
Tudo aquilo que não querem ver.
 
 (Crédito da foto: Fabi Loos - @fabiloosarts)
Escrito por Fabi Langaro Loos, 05/05/2020 às 09h37 | fabiloos@terra.com.br



1 2 3 4 5 6

Fabi Langaro Loos

Assina a coluna Fabular é preciso!

... é artista plástica, pinta e borda, ama as cores e as palavras, é do heavy metal e da vida.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: [email protected]

Página 3
Fabular é preciso!
Por Fabi Langaro Loos

Prática versus gramática

As frases e textos escritos nas redes sociais, ditos em conversas com amigos ou replicados via whatsapp, só têm algum efeito real se aplicados nas nossas vivências do dia a dia. Senão, tornam-se meras frases de efeito, que apenas impressionam à primeira vista e não alteram a vida de ninguém.

A prática, essa sim, tem conteúdo e fará a diferença no decorrer da vida real e não naquela vida que se deseja aparentar. Os atos e as ações realizados aqui e agora é que realmente mudam conceitos e acrescentam um valor inestimável à nossa existência e à existência daqueles que nos rodeiam direta ou indiretamente.

Em todo momento estamos compondo nossas vidas, assim como se compõe uma música ou se escreve uma poesia. Somos experiências e práticas. Somos causa e efeito. Somos palavras e ações. A consciência de cada um é seu microcosmo, porém, sua atitude, essa sim, faz parte do macrocosmo e afeta a realidade de todos. Aí a diferença entre a prática e a gramática.

Há vários exemplos! Fala-se tanto em gratidão, mas muita gente esquece ou tem preguiça de agradecer de verdade. Torna-se, então, apenas uma palavra bonita, porém ilusória, com a única capacidade de atingir o ego de quem a reverbera. Atualmente, a palavra de ordem é resiliência. Mas o que é se colocar no lugar do outro enquanto não estamos na pele do outro? Compreendê-lo faz a diferença, mas estender a mão faz a mudança.

É benéfico falar de tudo aquilo que assombra cruelmente a vida e que causa a violação de direitos, ajuda a mudar a chave na cabeça de muita gente, acende um “start” para novos pensamentos. Mas apenas falar do lixo que precisa ser reciclado, da costureira escravizada pela grande marca, da preservação da natureza, do machismo patriarcal no cotidiano de diversos lares, não fará a diferença. Mesmo parecendo clichê, é preciso colocar a mão na massa, pois são os pequenos atos que irão trazer a mudança dentro da coletividade e dentro da gente.

Que possamos cada vez mais buscar um mundo com mais reflexão, com mais prática, com menos discursos e mais entregas!

(Crédito da foto: Divulgação) 

Escrito por Fabi Langaro Loos, 17/02/2021 às 11h29 | fabiloos@terra.com.br

Lunáticos pelo Mundo

Dia 11 de outubro, a fotógrafa Andréa Schaefer, o publicitário Alex Stein e a mascote Luna embarcam em uma aventura de 120 dias denominada Lunáticos pelo Mundo, com o objetivo de desbravar o Brasil a bordo de uma Kombi.

O nome da mascote Luna, uma cadelinha muito simpática, deu inspiração para o nome do projeto, no qual três lunáticos irão percorrer mais de 15 mil quilômetros a fim de conhecer os lugares mais incríveis e icônicos do nosso país, desvendando culturas e curiosidades de cada lugar.

Os aventureiros partem nesse domingo, de Itajaí, na antiga Praça do Correio (em frente ao Colégio Salesiano) às 10h 30min. Uma carreata acompanhará os lunáticos até a BR 101, quando eles iniciarão essa viagem pelo nosso imenso país, que será registrada por belíssimas fotos e histórias empolgantes, engraçadas, curiosas e inusitadas.

A Kombi, o meio de transporte dos viajantes, está toda preparada para enfrentar os dias de viagem, com cama, banheiro químico, utensílios de cozinha, isolamento térmico e acústico, sistema de reutilização da água, tudo para tornar a viagem mais segura e confortável. E eles ainda levam duas bicicletas para passearem por alguns trechos das cidades enquanto a Kombi permanece estacionada.

E, claro, para ninguém perder nenhum detalhe dessa história, toda a viagem poderá ser acompanhada pelo instagram @lunaticospelomundo. Corre lá e boa viagem!

Os três lunáticos: a fotógrafa Andréa Schaefer, o publicitário Alex Stein e a mascote Luna (Crédito da foto: Projeto Lunáticos pelo Mundo/Divulgação)

Escrito por Fabi Langaro Loos, 10/10/2020 às 10h23 | fabiloos@terra.com.br

Dubai como inspiração

Em busca de inspirações para um novo projeto, a arquiteta Natália Xavier esteve em Dubai, nos Emirados Árabes. Apaixonada pela arquitetura do local, referência mundial na construção civil, Natália visitou diversos pontos turísticos de grandiosa arquitetura.

A arquiteta visitou o imponente Hotel Armani, que fica no Burj Khalifa, edifício mais alto do mundo, com 830 metros. Conheceu ainda a maquete do que virá a ser o maior edifício do planeta, o Dubai Creek Tower, que terá mil metros de altura e cerca de 200 andares.

Entre os passeios, visitou a ilha de Palmeira Jumeirah, a famosa ilha em forma de palmeira, que ostenta grandes hoteis, torres residenciais luxuosas e os mais requintados restaurantes internacionais. Ela também visitou o Burj Al Arab, hotel com 7 estrelas, construído em uma ilhota artificial, além do Palazzo Versace, um dos primeiros hoteis de grife do mundo.

Natália, que já participou de duas edições da CASACOR SC, retornou a seu escritório NX Arquitetura & Design, localizado em Balneário Camboriú, repleta de novas ideias e pronta para a execução de novos projetos.

Natália Xavier e toda suntuosidade do Palazzo Versace (Crédito da foto: Divulgação / Agência A)
Escrito por Fabi Langaro Loos, 23/09/2020 às 11h31 | fabiloos@terra.com.br

Chef Dudu Poerner na Vinícola Pericó

Nesse final de semana, muitas pessoas que moram no litoral, irão trocar o mar pela serra e vice versa. Na serra, além da beleza da natureza com campos, animais, cânions e vinhedos, localizam-se belas fazendas, muitas delas com serviços de hospedagem e turismo rural.

A beleza da altitude catarinense e a vontade de desfrutar um pouco de frio antes do início da primavera que chega são pontos primordiais para os visitantes do turismo do planalto serrano que buscam a atmosfera especial e a hospitalidade dos dias de inverno, com lareiras acesas, gastronomia típica da região e degustação de vinhos.

Para aqueles que se aventurarem em subir a serra, a Vinícola Pericó, de São Joaquim, estará aberta com uma programação especial e o destaque fica para o almoço assinado pelo Chef Dudu Poerner, de Balneário Camboriú, que foi vice-campeão da primeira edição do reality Mestre do Sabor, da Rede Globo.

Como ainda estamos em época de isolamento social, hoteis e pousadas podem funcionar com capacidade limitada, sempre seguindo as normas de segurança estabelecidas pelo Governo Estadual e Municipal, dessa forma, a Vinícola Pericó atende com reservas, que podem ser feitas pelo telefone (47) 99922-4499. Uma boa programação sem sair do estado catarinense, pequeno em dimensões, porém, rico em paisagens diversificadas e calor humano.

A beleza dos campos do Planalto Serrano Catarinense. (Crédito da fotos: Kako Waldrich/ Divulgação)

Escrito por Fabi Langaro Loos, 03/09/2020 às 09h34 | fabiloos@terra.com.br

Decoração em tempos de isolamento social

Em época de isolamento social, o tempo é de ficar em casa (claro, para quem pode). Logo, nossos olhares estão mais voltados para nossa residência, a fim da renovação da decoração de ambientes ou para sentir melhor o aconchego que todo o lar é capaz de nos proporcionar. É tempo para analisar cada cantinho, cada detalhe que, talvez, anteriormente a esse isolamento, na correria do dia a dia, passava despercebido. 

Ócio e tédio que, para muitas pessoas, poderiam ser sensações que viriam à tona ao falar “fique em casa”, transformaram-se em respiro na vida tumultuada, em criatividade e afetividade nas relações intensas que vivemos com o lar. 

Nunca estivemos em uma amizade tão próxima com a nossa casa quanto agora. É uma experiência peculiar que atinge a todos e, assim, cada vez mais, a casa passa a refletir o estado de espírito de quem habita nela, um reflexo do momento, seja para trazer uma sensação de calma ou de alegria através das cores, uma sensação poética ou até mesmo para organizar espaços e tentar escapar da confusão e do caos do cotidiano em uma época tão delicada, que nunca havíamos enfrentado.

Com mais tempo em casa, as pessoas começaram a cultivar o valor à arte e ao design, que desenvolvem sentimentos únicos ao ser humano. Além de transformar a configuração e o layout do ambiente, a arte nos transforma interiormente, e esse é o seu mais valioso poder.

As obras de arte, assim como outros objetos de decoração e de design, proporcionam mais leveza, harmonia e cor ao dia a dia. Ter o privilégio de viver em um lugar onde bate uma luz natural ou de sentir o vento que invade a janela da sala é um prazer indescritível. Mas ter isso rodeado de peças de arte e de design é ânimo aos sentidos. Afinal, a arte é sempre uma excelente companhia.  

Obra de arte Lollipop (mista sobre tela - 123x103 cm) da artista plástica Fabiana Langaro Loos em ambiente assinado pela arquiteta Simara Deola Mello, na Praia Brava, em Itajaí/SC.

Escrito por Fabi Langaro Loos, 27/08/2020 às 09h18 | fabiloos@terra.com.br

Poema pandêmico

por Murilo Maluche Schaefer

Hoje sou profundamente grato!
Agradeço às máscaras:

As concretas
de elástico e 100% algodão.
Proteção duvidosa,
grito estridente da moda pandêmica.
 
Tem as abstratas, de material nobre,
dessas que lubrificam o convívio:
30% fingimento,
60% conveniência,
10% hipocrisia.
 
Adereços úteis e valiosos
que, em dias dificeis,
onde o sorriso é dolorido,
e o choro é gratuito
Sustentam o peso do não-ser.
 
Tempos pandêmicos
minguam as máscaras abstratas,
fazem desaparecer sorrisos  
e abundam lágrimas não contidas.
 
Já as máscaras concretas
disfarçam o que a alma não esconde.
Tudo o que a alma expulsa.
Tudo aquilo que não querem ver.
 
 (Crédito da foto: Fabi Loos - @fabiloosarts)
Escrito por Fabi Langaro Loos, 05/05/2020 às 09h37 | fabiloos@terra.com.br



1 2 3 4 5 6

Fabi Langaro Loos

Assina a coluna Fabular é preciso!

... é artista plástica, pinta e borda, ama as cores e as palavras, é do heavy metal e da vida.