Jornal Página 3
Coluna
Ex pressão
Por Caroline Cezar

RECUPERAR a consciência

MUITO SONO quando chegam pra mim uns links de “como recuperar o corpo depois da gravidez”. Se clicar é desgraça completa! Tem desde lipoaspirações “levinhas” a dietas milagrosas, com mil e um recursos e “truques pra parecer melhor”. Até da barriga da princesa falam - aquela que pariu há um dia.

Ah, então é isso. Você é um corpo. Que infla, infla, infla e depois esvazia, fica murcho e precisa ser RECUPERADO. Só não achei onde está um bebê nessa história; nem uma mãe. Nem o poder da criação. Nem o amor.

Tudo se transforma e isso NÃO É um consolo, muito menos um drama.

Vou dizer como se recupera um corpo depois da gestação: NÃO SE RECUPERA. Esse corpo NUNCA MAIS será o mesmo. Esse saco de pele, ossos e secreções agora tem memórias que só cortando a cabeça fora. E olhe lá! Esse corpo, depois da gestação, é um corpo que DEU A LUZ. Se mostrou mais TEMPLO do que nunca. Não é um objeto. Não é um manequim. Não é uma foto de revista. É um corpo que serviu, e CONTINUA A SERVIÇO da vida. Não é uma incubadora. Aliás, é.

Uma incubadora NATURAL e não artificial. De amor. De luz. De encaminhamento HUMANO. Precisa ser usado como tal. Não é uma idéia, uma alternativa, uma opção, é um exercício fundamental. É O exercício. Muito mais que três séries de dez. Despertar-se para essa função sagrada faz-se urgente. Seu corpo tem uma sabedoria ancestral que só precisa de menos interferências pra ser acessada. Você pode ajudar.

PROTEJA-SE
Não clique em links de “como recuperar seu corpo”. Não procure as fotos das artistas no “pós-parto”. Evite qualquer tipo de sugestão estética nesse sentido. Você tem mais o que fazer com esse “corpo”, que pra começo de conversa, não é um fim, e sim UM MEIO.

AMAMENTE
Seu “corpo” maravilhosamente produz o melhor alimento para seu filho. Sirva-o à vontade desse alimento, mantenha-o perto, esqueça relógios, quantidades, fórmulas ideais e tabelas. Ele vai saber fazer, é básico e instintivo. Se tiver alguma dificuldade, peça ajuda, discretamente. A alguém de confiança, amoroso e próximo. Que principalmente, acredite nesse vínculo.

DIVIDA
Seu corpo se dividiu, se multiplicou, e de preferência, deve continuar disponível para livre partilha, dividindo, multiplicando, dividindo, multiplicando. Deixe que o bebê continue parte dele o quanto precisar, que tenha acesso a esse corpo. Não só para mamar, mas também para dormir, sentir calor, cheiro, pele, ser tocado, tocar. Menos carrinho, mais carinho. Vista-o em você. Amarre, enjambre, pendure, abrace. Permita essa fusão. Para ele, para você. É troca.

TIRE AS ROUPAS
Sempre que puder, faça isso com menos roupa. Se não se sente à vontade com alguém ou alguma coisa, peça licença e feche a porta. Permita-se livrar-se do que estipularam pra você. Tá frio? Vai debaixo das cobertas. Põe uma cadeira debaixo do chuveiro. Senta ao sol. Proteja seu bebê em você, alimente-o verdadeiramente, com o corpo inteiro e os sentidos. Lembre-se de como ele estava acolhido, protegido.

ALIMENTE-SE
Coma bem. Em paz. Sem culpa. Não faça dieta. Opte por alimentos naturais, leves, de fácil digestão e nutritivos. Batata. Fruta. Folha. Menos açúcar, menos gordura, muitíssimo menos industrializados. Muita água.

DESCANSE
Sempre que puder. Descansar não é ligar a televisão ou ficar no computador. Tenha momentos de repouso absoluto, mental inclusive. Se houver descanso, seu corpo vai pedir movimento. Gradualmente e no tempo certo.

RESPEITE-SE
Não é porque um médico te dá uma pílula anticoncepcional quarenta dias depois do parto com um “pronto, tá liberada” que você precisa retomar sua vida sexual. CALMA. Sua prioridade é bem estar emocional, que reflete diretamente no bem estar do bebê e da família como um todo. Respeite seu tempo. Converse com o parceiro. Repensem formas, estejam próximos, mas muita calma nesse território sagrado. Mais sensibilidade.

Escrito por Caroline Cezar, 23/05/2014 às 14h58 | carol.jp3@gmail.com



Caroline Cezar

Assina a coluna Ex pressão

É curiosa e encantada com manifestações da natureza, incluindo a humana. Tem resistência a currículos e títulos. Tenta exercitar a entrega cotidiana. Discorda da própria opinião. É apaixonada. Não sabe, nem quer, separar nada de coisa alguma.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Ex pressão
Por Caroline Cezar

RECUPERAR a consciência

MUITO SONO quando chegam pra mim uns links de “como recuperar o corpo depois da gravidez”. Se clicar é desgraça completa! Tem desde lipoaspirações “levinhas” a dietas milagrosas, com mil e um recursos e “truques pra parecer melhor”. Até da barriga da princesa falam - aquela que pariu há um dia.

Ah, então é isso. Você é um corpo. Que infla, infla, infla e depois esvazia, fica murcho e precisa ser RECUPERADO. Só não achei onde está um bebê nessa história; nem uma mãe. Nem o poder da criação. Nem o amor.

Tudo se transforma e isso NÃO É um consolo, muito menos um drama.

Vou dizer como se recupera um corpo depois da gestação: NÃO SE RECUPERA. Esse corpo NUNCA MAIS será o mesmo. Esse saco de pele, ossos e secreções agora tem memórias que só cortando a cabeça fora. E olhe lá! Esse corpo, depois da gestação, é um corpo que DEU A LUZ. Se mostrou mais TEMPLO do que nunca. Não é um objeto. Não é um manequim. Não é uma foto de revista. É um corpo que serviu, e CONTINUA A SERVIÇO da vida. Não é uma incubadora. Aliás, é.

Uma incubadora NATURAL e não artificial. De amor. De luz. De encaminhamento HUMANO. Precisa ser usado como tal. Não é uma idéia, uma alternativa, uma opção, é um exercício fundamental. É O exercício. Muito mais que três séries de dez. Despertar-se para essa função sagrada faz-se urgente. Seu corpo tem uma sabedoria ancestral que só precisa de menos interferências pra ser acessada. Você pode ajudar.

PROTEJA-SE
Não clique em links de “como recuperar seu corpo”. Não procure as fotos das artistas no “pós-parto”. Evite qualquer tipo de sugestão estética nesse sentido. Você tem mais o que fazer com esse “corpo”, que pra começo de conversa, não é um fim, e sim UM MEIO.

AMAMENTE
Seu “corpo” maravilhosamente produz o melhor alimento para seu filho. Sirva-o à vontade desse alimento, mantenha-o perto, esqueça relógios, quantidades, fórmulas ideais e tabelas. Ele vai saber fazer, é básico e instintivo. Se tiver alguma dificuldade, peça ajuda, discretamente. A alguém de confiança, amoroso e próximo. Que principalmente, acredite nesse vínculo.

DIVIDA
Seu corpo se dividiu, se multiplicou, e de preferência, deve continuar disponível para livre partilha, dividindo, multiplicando, dividindo, multiplicando. Deixe que o bebê continue parte dele o quanto precisar, que tenha acesso a esse corpo. Não só para mamar, mas também para dormir, sentir calor, cheiro, pele, ser tocado, tocar. Menos carrinho, mais carinho. Vista-o em você. Amarre, enjambre, pendure, abrace. Permita essa fusão. Para ele, para você. É troca.

TIRE AS ROUPAS
Sempre que puder, faça isso com menos roupa. Se não se sente à vontade com alguém ou alguma coisa, peça licença e feche a porta. Permita-se livrar-se do que estipularam pra você. Tá frio? Vai debaixo das cobertas. Põe uma cadeira debaixo do chuveiro. Senta ao sol. Proteja seu bebê em você, alimente-o verdadeiramente, com o corpo inteiro e os sentidos. Lembre-se de como ele estava acolhido, protegido.

ALIMENTE-SE
Coma bem. Em paz. Sem culpa. Não faça dieta. Opte por alimentos naturais, leves, de fácil digestão e nutritivos. Batata. Fruta. Folha. Menos açúcar, menos gordura, muitíssimo menos industrializados. Muita água.

DESCANSE
Sempre que puder. Descansar não é ligar a televisão ou ficar no computador. Tenha momentos de repouso absoluto, mental inclusive. Se houver descanso, seu corpo vai pedir movimento. Gradualmente e no tempo certo.

RESPEITE-SE
Não é porque um médico te dá uma pílula anticoncepcional quarenta dias depois do parto com um “pronto, tá liberada” que você precisa retomar sua vida sexual. CALMA. Sua prioridade é bem estar emocional, que reflete diretamente no bem estar do bebê e da família como um todo. Respeite seu tempo. Converse com o parceiro. Repensem formas, estejam próximos, mas muita calma nesse território sagrado. Mais sensibilidade.

Escrito por Caroline Cezar, 23/05/2014 às 14h58 | carol.jp3@gmail.com



Caroline Cezar

Assina a coluna Ex pressão

É curiosa e encantada com manifestações da natureza, incluindo a humana. Tem resistência a currículos e títulos. Tenta exercitar a entrega cotidiana. Discorda da própria opinião. É apaixonada. Não sabe, nem quer, separar nada de coisa alguma.