Jornal Página 3
Coluna
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

Os Três Patetas e o tabelamento dos fretes

Dentre as diversas bobagens feitas por Michel Temer, Carlos Marun e Eliseu Padilha (os novos Três Patetas da história nacional) na greve dos caminhoneiros talvez a maior tenha sido aceitar uma tabela mínima para fretes.

Essa tabela, segundo ministro do próprio Temer, Blairo Maggi, da Agricultura, faz com que um frete que custava R$ 5 mil passe a custar de R$ 10 mil a R$ 15 mil.

Não existe na história econômica tabelamento de preços bem sucedido, o resultado é sempre escassez de produtos e hiperinflação.

Se os Três Patetas não aprenderam com o exemplo da Venezuela dos ditadores Chávez e Maduro poderiam ter aprendido com dois notórios idiotas, José Sarney e Collor de Mello, cujos planos econômicos incluíram tabelamento de preços e levaram o país para o buraco.

Sarney, esse Pai da Pátria, não se contentou com um Plano e fez quatro, todos fracassados: Cruzado (baseado principalmente em tabelamento de preços); Cruzado II; Bresser e Verão.

O objetivo de todos esses esforços foi normalizar a economia, afinal Sarney herdou o governo dos militares com inflação de 235% ao ano.

Entregou o país a seu sucessor com inflação de 4.853,90%.

O plano econômico mais bem sucedido na história brasileira –e um dos mais bem feitos no mundo- foi o Real, do ex-presidente Itamar e tinha como base a receita que toda dona de casa conhece, gastar menos do que ganha.

Agora, faltando quatro meses para ser varrido da história, Temer resolveu ressuscitar medidas que nunca deram certo e isso não irá acabar bem.

Por via das dúvidas encherei o tanque do carro.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 07/06/2018 às 09h51 | waldemar@camboriu.com.br



Waldemar Cezar Neto

Assina a coluna Dedo na Moleira

Lê, pesca, cozinha, escreve e é diretor chefe do Jornal Página 3.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

Os Três Patetas e o tabelamento dos fretes

Dentre as diversas bobagens feitas por Michel Temer, Carlos Marun e Eliseu Padilha (os novos Três Patetas da história nacional) na greve dos caminhoneiros talvez a maior tenha sido aceitar uma tabela mínima para fretes.

Essa tabela, segundo ministro do próprio Temer, Blairo Maggi, da Agricultura, faz com que um frete que custava R$ 5 mil passe a custar de R$ 10 mil a R$ 15 mil.

Não existe na história econômica tabelamento de preços bem sucedido, o resultado é sempre escassez de produtos e hiperinflação.

Se os Três Patetas não aprenderam com o exemplo da Venezuela dos ditadores Chávez e Maduro poderiam ter aprendido com dois notórios idiotas, José Sarney e Collor de Mello, cujos planos econômicos incluíram tabelamento de preços e levaram o país para o buraco.

Sarney, esse Pai da Pátria, não se contentou com um Plano e fez quatro, todos fracassados: Cruzado (baseado principalmente em tabelamento de preços); Cruzado II; Bresser e Verão.

O objetivo de todos esses esforços foi normalizar a economia, afinal Sarney herdou o governo dos militares com inflação de 235% ao ano.

Entregou o país a seu sucessor com inflação de 4.853,90%.

O plano econômico mais bem sucedido na história brasileira –e um dos mais bem feitos no mundo- foi o Real, do ex-presidente Itamar e tinha como base a receita que toda dona de casa conhece, gastar menos do que ganha.

Agora, faltando quatro meses para ser varrido da história, Temer resolveu ressuscitar medidas que nunca deram certo e isso não irá acabar bem.

Por via das dúvidas encherei o tanque do carro.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 07/06/2018 às 09h51 | waldemar@camboriu.com.br



Waldemar Cezar Neto

Assina a coluna Dedo na Moleira

Lê, pesca, cozinha, escreve e é diretor chefe do Jornal Página 3.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade