Jornal Página 3
Coluna
Cá Pra Nós
Por Fernando Baumann

De Cristo a Cristo - 2ª parte de 2

 Continuação texto publicado 19/06....

Perto do meio dia e com aproximadamente 700,0 km rodados alcançamos a rodovia Regis Bittencourt, na região de Miracatu, dentro do tempo previsto. Dali para frente seguimos até o início da serra do azeite, 10,0 km após Cajati, onde chegamos por volta das 22:00h.

Não comentei, mas cada bicicleta estava equipada com rastreador, e havia na equipe um quinto elemento, o Carlos, que nos acompanhava de sua casa pela internet. Acontece que no ponto em que paramos não havia posto de apoio,  o que nos obrigou ir para o outro lado da rodovia, sentido São Paulo, só que nesse ponto as pistas se afastam bastante uma da outra. Nossa mudança da rota prevista causou estranheza ao Carlos, que acionou o Luiz e o Adão, só que os dois haviam parado alguns quilômetros antes para descansar, e acordaram sobressaltados com o toque do celular. Para completar a sequência dos fatos, onde Zoanir e eu estávamos não tinha sinal de celular. Foram duas horas de espera nossa e busca por parte deles, que imaginaram que havíamos sido sequestrados.

Esclarecidas as coincidências desatinadas, descansamos um pouco e às 3:00h começamos a subir a serra do azeite, com sequências de curvas e aproximadamente 25,0km de aclive. Pela falta de acostamento nos obrigávamos a andar na borda da pista, o que era assustador com a aproximação dos caminhões, principalmente os cegonheiros, com a “batenção” metálica de suas carrocerias. Subimos roda com roda para aumentar nossa segurança, se é que de alguma forma ela existia, com luzes de identificação e coletes refletivos.

Na sequência o dia transcorreu dentro do previsto e no final da tarde passamos por Curitiba. Seguimos pedalando madrugada a dentro e às 4:30h chegamos no posto Santa Rosa em Itajaí. Como nosso horário previsto para chegada em Balneário era 9:00h decidimos descansar um pouco. Às 7:00h saímos rumo ao nosso destino final.

Próximo a Balneário na beira da pista nosso amigo Ricardo e meu filho Henrique nos esperavam com suas bicicletas. Uma emoção muito forte tomou conta de mim e comecei a chorar copiosamente. Olhei para o Zoanir e lágrimas também escorriam do seu rosto. Indescritível àquele momento!

No trevo de acesso a nossa cidade mais amigos nos aguardavam e às 8:30h encerramos nosso desafio aos pés do monumento do Cristo Luz em Balneário Camboriú. Nossos familiares e uma multidão de pessoas nos aguardavam, que também puderam nos acompanhar on line desde a partida até a chegada, no blog escrito durante a viagem pelo Adão.

Foram 1186,0 km  percorridos em 95:30h. Cumprimos nosso objetivo, graças ao trabalho em equipe e o apoio incondicional de pais, esposas e filhos.

Escrito por Fernando Baumann, 22/06/2018 às 08h21 | fernando@bba-reiki.com.br



Fernando Baumann

Assina a coluna Cá Pra Nós

Economista, empresário e militante das causas coletivas, acredita no associativismo e cooperativismo como ferramentas para a construção de uma sociedade mais justa. Busca incessantemente evoluir como ser humano e social.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br