Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
PM de Balneário tem novo cão farejador: filhote ainda não tem nome

Quinta, 24/9/2020 16:17.
Divulgação/PM
O nome do filhote será escolhido pela comunidade nas redes sociais

Publicidade

O canil do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú acaba de receber um novo integrante: um filhote da raça Pastor-holandês de três meses. Ele é um macho e ainda não possui um nome – que será escolhido pela comunidade através das redes sociais. O cãozinho completa o time do K9 da PM de Balneário, que já contava com os cães Yanke, Atena, Bruna e Chase.

O Capitão Iuri Coura Lima, responsável pelo canil do 12 BPM contou ao Página 3 que o filhote chegou há uma semana. Ele foi doado por um canil de Araranguá, que procurou a PM de Balneário porque sabia que o K9 daqui estava procurando por um novo integrante. Os policiais que integram o departamento foram até a cidade para escolher o filhote na ninhada, já que é necessário fazer testes para saber qual deles tem mais ‘aptidão’ para encarar o desafio de ser um cão farejador.

“Dentro da ninhada fizemos testes e identificamos o cão mais independente, que foi esse escolhido por nós. Ele não ficava muito próximo da mãe, se interessava por brincadeiras, possuindo características que buscávamos, provavelmente irá fazer um bom trabalho”, explica.

A PM irá fazer uma enquete na próxima semana através do Instagram (@pmscbalneariocamboriu12bpm).

“Ele é da raça Pastor-holandês. A PM usa mais o Pastor-belga Mallinois, mas vários canis utilizam o Holandês, que é tão bom quanto o Mallinois, ambos possuem a mesma aptidão”, diz o Capitão, salientando que desde o primeiro dia que o filhote chegou ao batalhão já começou a ser treinado.

“Mas ainda não estamos treinando a busca por entorpecentes. O treino de agora é focado em fazê-lo criar uma relação de confiança com o policial que irá conduzi-lo, já que ele acabou de sair de sua matilha, para depois inserirmos ele na atividade policial”, afirma.

A expectativa é de que o novo integrante do K9 comece a sair para atividades nas ruas da cidade após, pelo menos, 10 meses de treinos. Iuri destaca que há cães que com sete meses já estão aptos, mas a ‘maturação’ de cada animal varia.

“Ele precisa ter experiência. É ruim utilizarmos um filhote em uma ocorrência, normalmente esperamos um tempo. Ele tem apenas três meses, mas já demonstrou ser muito esperto”, finaliza.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação/PM
O nome do filhote será escolhido pela comunidade nas redes sociais
O nome do filhote será escolhido pela comunidade nas redes sociais

PM de Balneário tem novo cão farejador: filhote ainda não tem nome

Publicidade

Quinta, 24/9/2020 16:17.

O canil do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú acaba de receber um novo integrante: um filhote da raça Pastor-holandês de três meses. Ele é um macho e ainda não possui um nome – que será escolhido pela comunidade através das redes sociais. O cãozinho completa o time do K9 da PM de Balneário, que já contava com os cães Yanke, Atena, Bruna e Chase.

O Capitão Iuri Coura Lima, responsável pelo canil do 12 BPM contou ao Página 3 que o filhote chegou há uma semana. Ele foi doado por um canil de Araranguá, que procurou a PM de Balneário porque sabia que o K9 daqui estava procurando por um novo integrante. Os policiais que integram o departamento foram até a cidade para escolher o filhote na ninhada, já que é necessário fazer testes para saber qual deles tem mais ‘aptidão’ para encarar o desafio de ser um cão farejador.

“Dentro da ninhada fizemos testes e identificamos o cão mais independente, que foi esse escolhido por nós. Ele não ficava muito próximo da mãe, se interessava por brincadeiras, possuindo características que buscávamos, provavelmente irá fazer um bom trabalho”, explica.

A PM irá fazer uma enquete na próxima semana através do Instagram (@pmscbalneariocamboriu12bpm).

“Ele é da raça Pastor-holandês. A PM usa mais o Pastor-belga Mallinois, mas vários canis utilizam o Holandês, que é tão bom quanto o Mallinois, ambos possuem a mesma aptidão”, diz o Capitão, salientando que desde o primeiro dia que o filhote chegou ao batalhão já começou a ser treinado.

“Mas ainda não estamos treinando a busca por entorpecentes. O treino de agora é focado em fazê-lo criar uma relação de confiança com o policial que irá conduzi-lo, já que ele acabou de sair de sua matilha, para depois inserirmos ele na atividade policial”, afirma.

A expectativa é de que o novo integrante do K9 comece a sair para atividades nas ruas da cidade após, pelo menos, 10 meses de treinos. Iuri destaca que há cães que com sete meses já estão aptos, mas a ‘maturação’ de cada animal varia.

“Ele precisa ter experiência. É ruim utilizarmos um filhote em uma ocorrência, normalmente esperamos um tempo. Ele tem apenas três meses, mas já demonstrou ser muito esperto”, finaliza.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade