Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Safra da tainha começa oficialmente nesta sexta-feira e pescadores de Balneário Camboriú estão otimistas

Por ser ano bissexto, as expectativas são positivas

Terça, 28/4/2020 17:54.
Divulgação/Colônia dos Pescadores
Arrasto na praia central de Balneário Camboriú (2019)

Publicidade

A safra da tainha começa oficialmente nesta sexta-feira (1º) e as expectativas dos pescadores de Balneário Camboriú estão positivas, principalmente por 2020 ser um ano bissexto. Neste ano, após a confusão que aconteceu em 2019, houve um acordo entre a Colônia de Pescadores e a prefeitura, que cedeu tendas para os trabalhadores.

O pescador Ronan Vignolli Pinheiro explica que a pesca da tainha começa oficialmente nesta sexta, que também é o Dia do Trabalhador, seguindo até 31 de julho. Ele salienta que estarão desde cedo na praia, ‘para ficar de olho nos cardumes’, e que também haverá pescadores durante a madrugada, principalmente nos costões, ‘para impedir o pessoal que joga as redes ilegais’ – bastante comum nesta época. A prefeitura também vai atuar com equipe de fiscalização, utilizando uma lancha, com equipes das secretarias do Meio Ambiente e Seguranças (Guarda Municipal).

Na praia central haverá três pontos com tendas fixas: na altura das ruas 3.100, 3.700 e 4.000. Uma novidade são as tendas que a prefeitura cedeu aos pescadores, após a confusão de 2019, quando os ranchos ‘fixos’ foram desmanchados pela Guarda, por determinação da secretaria da Segurança.

(FotoCristiano Krames)

“Em Laranjeiras há duas tendas também, no Pinho, Taquarinhas, Taquaras (possui um rancho fixo, feito de madeira), Estaleiro e Estaleirinho também”, diz.

No Pontal Norte também há um grupo de pescadores, mas eles não possuem vínculo com a Colônia – que irá tentar ‘estreitar’ esse laço.

Como os pescadores costumam ficar o dia inteiro na praia esperando pelo peixe, eles costumam instalar fogões, mas na praia central isso foi proibido. Uma solução encontrada pelo governo municipal foi, segundo Ronan, a instalação de um ponto de energia elétrica através da Cosip (Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública), para que os pescadores utilizem fogões elétricos.

“As expectativas estão muito boas. Os pescadores mais antigos citam que por ser um ano bissexto ele é bom de pesca. Estamos de olho no mar, porque promete ser bom de peixe. 2019 não foi um estouro, foi mais ou menos, no Estaleiro eles pegaram 12 mil peixes em um dia. Não era o que esperávamos, mas foi bom. Este ano esperamos que seja ainda melhor”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação/Colônia dos Pescadores
Arrasto na praia central de Balneário Camboriú (2019)
Arrasto na praia central de Balneário Camboriú (2019)

Safra da tainha começa oficialmente nesta sexta-feira e pescadores de Balneário Camboriú estão otimistas

Por ser ano bissexto, as expectativas são positivas

Publicidade

Terça, 28/4/2020 17:54.

A safra da tainha começa oficialmente nesta sexta-feira (1º) e as expectativas dos pescadores de Balneário Camboriú estão positivas, principalmente por 2020 ser um ano bissexto. Neste ano, após a confusão que aconteceu em 2019, houve um acordo entre a Colônia de Pescadores e a prefeitura, que cedeu tendas para os trabalhadores.

O pescador Ronan Vignolli Pinheiro explica que a pesca da tainha começa oficialmente nesta sexta, que também é o Dia do Trabalhador, seguindo até 31 de julho. Ele salienta que estarão desde cedo na praia, ‘para ficar de olho nos cardumes’, e que também haverá pescadores durante a madrugada, principalmente nos costões, ‘para impedir o pessoal que joga as redes ilegais’ – bastante comum nesta época. A prefeitura também vai atuar com equipe de fiscalização, utilizando uma lancha, com equipes das secretarias do Meio Ambiente e Seguranças (Guarda Municipal).

Na praia central haverá três pontos com tendas fixas: na altura das ruas 3.100, 3.700 e 4.000. Uma novidade são as tendas que a prefeitura cedeu aos pescadores, após a confusão de 2019, quando os ranchos ‘fixos’ foram desmanchados pela Guarda, por determinação da secretaria da Segurança.

(FotoCristiano Krames)

“Em Laranjeiras há duas tendas também, no Pinho, Taquarinhas, Taquaras (possui um rancho fixo, feito de madeira), Estaleiro e Estaleirinho também”, diz.

No Pontal Norte também há um grupo de pescadores, mas eles não possuem vínculo com a Colônia – que irá tentar ‘estreitar’ esse laço.

Como os pescadores costumam ficar o dia inteiro na praia esperando pelo peixe, eles costumam instalar fogões, mas na praia central isso foi proibido. Uma solução encontrada pelo governo municipal foi, segundo Ronan, a instalação de um ponto de energia elétrica através da Cosip (Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública), para que os pescadores utilizem fogões elétricos.

“As expectativas estão muito boas. Os pescadores mais antigos citam que por ser um ano bissexto ele é bom de pesca. Estamos de olho no mar, porque promete ser bom de peixe. 2019 não foi um estouro, foi mais ou menos, no Estaleiro eles pegaram 12 mil peixes em um dia. Não era o que esperávamos, mas foi bom. Este ano esperamos que seja ainda melhor”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade