Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Balneário Camboriú pode ter mais de 900 vagas de estacionamento em prédios particulares

"O projeto tem boa intenção, mas é uma situação complexa. Temos que esperar", diz Carlos Humberto

Segunda, 30/9/2019 17:57.
Reprodução
A lei de 2010 não estípula como deve ser a administração das vagas

Publicidade

Foi publicado no sábado (28) o decreto municipal nº 9.578 que regulamenta a abertura e o funcionamento dos Estacionamentos Privados de Uso Público de Balneário Camboriú. Os empreendimentos interessados tem 120 dias para se adequarem. Segundo a prefeitura, atualmente são 927 vagas em edifícios já concluídos e outras 1,5 mil em projetos aprovados e/ou em execução. O Plano Diretor prevê que prédios com terreno superior a 1500m², precisam fazer um andar destinado à vaga privativa para uso público.

Conforme o decreto, o Estacionamento Privado de Uso Público deverá abrir de segunda-feira a sábado, no mínimo, das 9h às 19h, e disponibilizar pelo menos 50% das vagas para o uso rotativo de veículos. Os imóveis devem conter placa informando que no local há estacionamento aberto ao público, com o número de vagas disponíveis e tabela de preços (cada empreendimento irá definir o valor).

O vice-prefeito e secretário de Planejamento Urbano e Gestão Orçamentária, Carlos Humberto Metzner Silva, explica que a ideia não é inédita e que todas as cidades possuem estacionamentos privados, e que Balneário conta com prédios de estacionamento.

“A lei é de 2010 e acho que ela foi mal redigida, porque no projeto não diz como vai ser a exploração desses espaços, não diz quando eles devem abrir. O Ministério Público demandou que a prefeitura analisasse essa questão e através do decreto o prefeito Fabrício está tentando regulamentar”, diz.

Carlos Humberto lembra que quanto mais garagens e menos carros na rua, melhor. Por isso, acredita que o projeto pode ser positivo, destacando que esse tipo de estacionamento já é oferecido ao público no mundo todo, ‘mas que demorou um pouco para chegar na cidade’.

“Balneário Camboriú tem escassez de locais para estacionar, mas precisamos ver se o público vai utilizar. A prefeitura não tem como interferir no privado, em quanto será o estacionamento. Cada espaço tem um proprietário, e é ele que vai decidir como explorar”, salienta.

Sobre as vagas, o secretário conta que elas não ocupam as residenciais, já que havia a preocupação de no verão elas serem ocupadas por turistas.

“São vagas diferenciadas, não vamos perdê-las na temporada. Mas precisamos esperar os 120 dias do decreto, para ver se os proprietários vão querer abrir, se vão contestar, como vai ser tudo. O projeto tem boa intenção, mas é uma situação complexa. Temos que esperar”, completa. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução
A lei de 2010 não estípula como deve ser a administração das vagas
A lei de 2010 não estípula como deve ser a administração das vagas

Balneário Camboriú pode ter mais de 900 vagas de estacionamento em prédios particulares

"O projeto tem boa intenção, mas é uma situação complexa. Temos que esperar", diz Carlos Humberto

Publicidade

Segunda, 30/9/2019 17:57.

Foi publicado no sábado (28) o decreto municipal nº 9.578 que regulamenta a abertura e o funcionamento dos Estacionamentos Privados de Uso Público de Balneário Camboriú. Os empreendimentos interessados tem 120 dias para se adequarem. Segundo a prefeitura, atualmente são 927 vagas em edifícios já concluídos e outras 1,5 mil em projetos aprovados e/ou em execução. O Plano Diretor prevê que prédios com terreno superior a 1500m², precisam fazer um andar destinado à vaga privativa para uso público.

Conforme o decreto, o Estacionamento Privado de Uso Público deverá abrir de segunda-feira a sábado, no mínimo, das 9h às 19h, e disponibilizar pelo menos 50% das vagas para o uso rotativo de veículos. Os imóveis devem conter placa informando que no local há estacionamento aberto ao público, com o número de vagas disponíveis e tabela de preços (cada empreendimento irá definir o valor).

O vice-prefeito e secretário de Planejamento Urbano e Gestão Orçamentária, Carlos Humberto Metzner Silva, explica que a ideia não é inédita e que todas as cidades possuem estacionamentos privados, e que Balneário conta com prédios de estacionamento.

“A lei é de 2010 e acho que ela foi mal redigida, porque no projeto não diz como vai ser a exploração desses espaços, não diz quando eles devem abrir. O Ministério Público demandou que a prefeitura analisasse essa questão e através do decreto o prefeito Fabrício está tentando regulamentar”, diz.

Carlos Humberto lembra que quanto mais garagens e menos carros na rua, melhor. Por isso, acredita que o projeto pode ser positivo, destacando que esse tipo de estacionamento já é oferecido ao público no mundo todo, ‘mas que demorou um pouco para chegar na cidade’.

“Balneário Camboriú tem escassez de locais para estacionar, mas precisamos ver se o público vai utilizar. A prefeitura não tem como interferir no privado, em quanto será o estacionamento. Cada espaço tem um proprietário, e é ele que vai decidir como explorar”, salienta.

Sobre as vagas, o secretário conta que elas não ocupam as residenciais, já que havia a preocupação de no verão elas serem ocupadas por turistas.

“São vagas diferenciadas, não vamos perdê-las na temporada. Mas precisamos esperar os 120 dias do decreto, para ver se os proprietários vão querer abrir, se vão contestar, como vai ser tudo. O projeto tem boa intenção, mas é uma situação complexa. Temos que esperar”, completa. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade