Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Temporada de verão: cenário no Mercosul não ajuda, mas brasileiros deverão salvar mais uma temporada

As reservas estão acontecendo e a expectativa de que lida com turismo é boa.

Quinta, 14/11/2019 7:45.
Foto: Celso Peixoto

Publicidade

Renata Rutes

A temporada de verão em Balneário Camboriú não deverá ser muito diferente da anterior. O foco principal será o mercado nacional, já que os países da América do Sul passam por grave crise econômica e política. As reservas estão acontecendo e o trade turístico está com boas expectativas. A abertura oficial da temporada de verão será no dia 7 de dezembro, com o já tradicional desfile.

A reportagem do Página 3 conversou com representantes do turismo na cidade, sobre como deverá ser o movimento nos meses mais esperados do ano em Balneário, na opinião de que está acostumado a lidar com esse assunto.

Eles virão, mas não na quantidade desejada”

O secretário de Turismo de Balneário Camboriú, Valdir Walendowsky acha que os argentinos e chilenos virão, mas que ‘não na quantidade desejada’.

“Não depende de nós, depende do emissivo. Uma certa quantidade virá, mas não o quanto queríamos e esperávamos. Balneário é um destino completo, muito atrativo para o pessoal da América do Sul. Continuamos a nos divulgar, estivemos na Feira Internacional de Turismo (FIT) da Argentina, no fim de outubro e a delegação de Balneário foi a maior do Brasil, com a presença de 65 pessoas no nosso stand. O turismo de cruzeiros na cidade segue com força total, com o primeiro navio chegando na próxima sexta-feira (22). Estive nesta semana no Atracadouro Barra Sul e eles estão nos últimos preparativos. É um nicho que vem crescendo e para Balneário Camboriú é excelente, temos que fortalecer isso, porque muitos turistas vêm a primeira vez para a nossa cidade, se impactam e certamente retornarão em outra ocasião”.


Ainda é tudo um ponto de interrogação”

A presidente do Balneário Camboriú Convention e Visitors Bureau (BC Convention) e proprietária da Vip Mar Turismo e Receptivo, Ana Maria Alves dos Santos, explica que o turismo receptivo é diferente da hotelaria e na sua percepção o público está se mantendo o mesmo do ano passado.

“Ainda é tudo um ponto de interrogação, não sabemos o que vai ocorrer. Temos um cenário internacional bastante complicado, Argentina em uma situação econômica bastante desfavorável. Não sabemos ainda como que o argentino vai tirar suas férias, porque eles têm essa cultura de viajar para qualquer lugar, e vão escolher um destino o mais econômico possível. Temos também a situação do Chile, que é um mercado importante para nós e vive um momento inusitado. Temos eleição no Uruguai, situação difícil na Bolívia – já houve cancelamento de grupos que estavam vindo pra cá. O mercado peruano ainda não tem uma resposta muito boa, viajam para Foz do Iguaçú e para o Caribe. Estamos fazendo um trabalho lá, mas é algo lento. E temos o Brasil, o brasileiro está viajando, o mercado nacional tem se movimentado, ainda que de forma tímida ele tem trabalhado. Está havendo uma movimentação. Nossas praias, graças à Deus, então tranquilas. Então a temporada para o mercado nacional virá bem. Temos que apostar no mercado nacional e esperar uma reação da Argentina para ver o que poderá acontecer.


É preciso que a infraestrutura resista e resista bem”

A vice-presidente do BC Convention e proprietária dos hotéis Rosenbrock e Bella Camboriú, Margot Rosenbrock Libório, afirma que a procura para a alta temporada está aumentando, mas que as pessoas vêm decidindo a viagem com uma antecedência cada vez menor, diminuindo a possibilidade de saber como será com precisão o movimento.

“Estamos mais otimistas hoje do que estávamos há um mês, porém, a temporada não está garantida. Provavelmente teremos um excelente Réveillon, que se prolongará com muito movimento até 5 de janeiro, mas é preciso que a infraestrutura resista e resista bem (abastecimento de água, balneabilidade, limpeza urbana, fornecimento de energia) para não prejudicar a sequência do verão. O público argentino faz muita falta, principalmente porque eles se hospedavam no mínimo sete dias. Ano passado houve uma queda de 70% no fluxo desse público. Mesmo que a quantidade de turistas argentinos dobre em relação à temporada passada ainda será muito menos fluxo do que estávamos acostumados. A ‘grande força de turistas’ deve ser de brasileiros vindos do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O público do Norte do Nordeste e do Rio de Janeiro também devem vir, mas eles já estão nos visitando ao longo de todo o ano, porque se interessam mais pela diversidade cultural de Santa Catarina do que pelas praias. Para eles a praia é legal, mas é um detalhe, porque praias eles têm. Por isso é importante os novos atrativos, que oxigenam a oferta turística, mas o que atrai mesmo é a cidade, a qualidade de vida, a segurança e praias limpas. O aquário e a roda-gigante são um plus, serão muito importantes se bem divulgados, mas é o conjunto que influencia na decisão de viagem”.


Expectativas boas, mas seguimos trabalhando para intensificar”

O presidente do Conselho Municipal de Turismo de Balneário Camboriú e gerente do Hotel Sibara, Osny Maciel Junior, completa a fala de Margot, salientando que seguem na expectativa de uma melhora na temporada.

“Muitos argentinos estavam aguardando a eleição. Por enquanto estamos recebendo poucas reservas, mas elas estão chegando. Infelizmente aconteceu a questão do derramamento de óleo no Nordeste, e isso acaba atraindo turistas para o Sul, que acabam ficando receosos em ir para lá. Toda a rede hoteleira de Balneário está trabalhando para a melhora de temporada. Estamos com boas expectativas, mas seguimos trabalhando para isso se intensificar ainda mais. Os novos equipamentos turísticos de Balneário com certeza devem ajudar a atrair mais turistas, já que aqueles que conheciam a nossa cidade e atrativos terão novidades para conferir. Temos que fazer o marketing de tudo isso, divulgá-los ao longo de todo o ano, e aí será um ponto a mais para a cidade”.


Economia melhorou, movimento vai melhorar também”

O presidente da Associação de Bares e Restaurantes de Balneário Camboriú (ABRES) e proprietário do Bar da Brahma, Maxfabian Mota, explica que os donos de restaurantes e bares da cidade estão com as ‘melhores expectativas possíveis’, principalmente porque estão vendo um incremento na economia, apesar disso ainda não ter refletido nos números de faturamento.

“Mas isso é normal. Tivemos poucos feriados, eles coincidiram com os finais de semana, e isso acaba atrapalhando muito o nosso setor. Mas as nossas expectativas para a temporada são muito boas. Temos visto que a economia do país tem tido uma melhora significativa. Com relação ao movimento, acreditamos que esse ano teremos uma boa melhorada, tanto no número como quanto na qualidade dos nossos turistas. O problema das praias do Nordeste, onde houve o derramamento de óleo, atrapalhou muito e acreditamos que vá ‘respingar’ bastante turistas com um maior poder aquisitivo para a nossa região por conta disso. Temos analisado os números do Aeroporto de Navegantes e percebemos que houve um aumento na demanda. Muitas pessoas já compraram passagens antecipadas e vão desembarcar em Navegantes, o que tem nos deixado bem otimistas. Com relação à prefeitura, temos visto que existe um trabalho por parte do Executivo de melhorias na cidade. Atrapalha um pouco o fluxo durante as obras, mas está existindo um grande investimento de melhorias, a gente reconhece que o resultado será bem positivo. Temos consciência que o alargamento da faixa de areia foi muito prejudicado por conta de ações isoladas do Ministério Público, tão isoladas que o Judiciário definiu pelo prosseguimento das obras. Então o MP estava equivocado, causando danos e prejuízos à sociedade a quem ele deveria defender, mas faz parte. Estamos colhendo um ‘fruto podre’ para essa temporada que foi esse atrapalho. O alargamento da faixa de areia é muito importante para o município, para a natureza, para o comércio em geral, para o turismo. A gente sabe que não tem como fazer investimentos de melhorias na Avenida Atlântica sem que seja feito alargamento primeiro, se não o investimento será em vão, será como jogar dinheiro fora. Quanto aos novos atrativos temos certeza que será um estímulo para os turistas, pra gente melhorar a qualidade do turismo na cidade. Temos que continuar trabalhando e insistindo na melhoria do nosso turista, que é o grande diferencial de Balneário Camboriú. Temos aqui imóveis e investimentos, prédios com apartamentos na casa dos R$ 5, 6, 7 milhões. A gente precisa atrair turistas a altura desse nível, utilizando como case Gramado, que hoje tem um turismo de altíssima qualidade. A gente tem que tentar também ter um turismo com boa qualidade, que é o que Balneário Camboriú realmente merece”.


A crise ao nosso redor acaba nos afetando”

A presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Balneário Camboriú, Eliane Colla, explica que os comerciantes da cidade estão analisando as contratações para o Natal, já que o público está mais cuidadoso e ainda temendo a crise.

“Já começamos a pesquisa para saber se vai haver contratação para o Natal, mas ainda não temos o resultado final. A expectativa é de que seja melhor do que o cenário vem apresentando. Tem gente contratando, mas tem também quem está receoso. É o momento disso, porque não temos muita noção do poder de compra das pessoas. Tem muita gente pagando contas atrasadas e refletindo nas compras de Natal e no dinheiro que irão gastar na temporada. Há expectativa e acreditamos no incremento porque o cenário já deu uma melhorada, mas ainda está tudo muito lento. Todos estão cuidadosos. Falamos também do cenário na Argentina, sabemos que estão com gastos limitados para viagens para fora do país. Quando eles vinham para o Brasil compravam eletrônicos, dentre outros produtos, e talvez vamos perder isso. A tendência é mesmo que quem virá nos visitar serão os brasileiros, vindos de todos os lugares do país, porque o cenário do Mercosul realmente não é bom. Venezuela, Chile, Argentina... a crise está ao nosso redor e acaba nos afetando”.


Cidade evoluiu, tem novos atrativos e isso atrai muito”

A presidente da Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc) e empresária Maria Pissaia conta que as expectativas dos associados à entidade estão positivas, principalmente porque a cidade ‘evoluiu muito’ no sentido de novos atrativos turísticos.

“Vamos ter um Natal muito bem estruturado e elaborado, com decoração na maior parte da cidade, com atrativos turísticos. Temos aí o aquário também, além do Pontal Norte com a praia saneada, que está fantástico com o novo molhe. Melhorou muito a balneabilidade da Barra Norte, sem contar que é um novo atrativo, assim como a roda-gigante, que ficará pronta para a próxima temporada. O molhe surge como mais uma opção para as pessoas fazerem fotos, para verem a cidade de outro ângulo. Vejo que a cidade está estruturada, bem preparada, o nosso trânsito está melhor. Acredito que temos muitas coisas positivas em relação à temporada anterior que podem atrair mais turistas para Balneário. Sem contar com os atrativos naturais da nossa cidade, que é maravilhosa e sempre muito receptiva com todos os turistas. Acho que a previsão é muito positiva, não vejo com outros olhos essa temporada 2019/2020 se não como a de maior sucesso e de maior número e quantidade de público em relação às outras”.



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Foto: Celso Peixoto

Temporada de verão: cenário no Mercosul não ajuda, mas brasileiros deverão salvar mais uma temporada

As reservas estão acontecendo e a expectativa de que lida com turismo é boa.

Publicidade

Quinta, 14/11/2019 7:45.
Renata Rutes

A temporada de verão em Balneário Camboriú não deverá ser muito diferente da anterior. O foco principal será o mercado nacional, já que os países da América do Sul passam por grave crise econômica e política. As reservas estão acontecendo e o trade turístico está com boas expectativas. A abertura oficial da temporada de verão será no dia 7 de dezembro, com o já tradicional desfile.

A reportagem do Página 3 conversou com representantes do turismo na cidade, sobre como deverá ser o movimento nos meses mais esperados do ano em Balneário, na opinião de que está acostumado a lidar com esse assunto.

Eles virão, mas não na quantidade desejada”

O secretário de Turismo de Balneário Camboriú, Valdir Walendowsky acha que os argentinos e chilenos virão, mas que ‘não na quantidade desejada’.

“Não depende de nós, depende do emissivo. Uma certa quantidade virá, mas não o quanto queríamos e esperávamos. Balneário é um destino completo, muito atrativo para o pessoal da América do Sul. Continuamos a nos divulgar, estivemos na Feira Internacional de Turismo (FIT) da Argentina, no fim de outubro e a delegação de Balneário foi a maior do Brasil, com a presença de 65 pessoas no nosso stand. O turismo de cruzeiros na cidade segue com força total, com o primeiro navio chegando na próxima sexta-feira (22). Estive nesta semana no Atracadouro Barra Sul e eles estão nos últimos preparativos. É um nicho que vem crescendo e para Balneário Camboriú é excelente, temos que fortalecer isso, porque muitos turistas vêm a primeira vez para a nossa cidade, se impactam e certamente retornarão em outra ocasião”.


Ainda é tudo um ponto de interrogação”

A presidente do Balneário Camboriú Convention e Visitors Bureau (BC Convention) e proprietária da Vip Mar Turismo e Receptivo, Ana Maria Alves dos Santos, explica que o turismo receptivo é diferente da hotelaria e na sua percepção o público está se mantendo o mesmo do ano passado.

“Ainda é tudo um ponto de interrogação, não sabemos o que vai ocorrer. Temos um cenário internacional bastante complicado, Argentina em uma situação econômica bastante desfavorável. Não sabemos ainda como que o argentino vai tirar suas férias, porque eles têm essa cultura de viajar para qualquer lugar, e vão escolher um destino o mais econômico possível. Temos também a situação do Chile, que é um mercado importante para nós e vive um momento inusitado. Temos eleição no Uruguai, situação difícil na Bolívia – já houve cancelamento de grupos que estavam vindo pra cá. O mercado peruano ainda não tem uma resposta muito boa, viajam para Foz do Iguaçú e para o Caribe. Estamos fazendo um trabalho lá, mas é algo lento. E temos o Brasil, o brasileiro está viajando, o mercado nacional tem se movimentado, ainda que de forma tímida ele tem trabalhado. Está havendo uma movimentação. Nossas praias, graças à Deus, então tranquilas. Então a temporada para o mercado nacional virá bem. Temos que apostar no mercado nacional e esperar uma reação da Argentina para ver o que poderá acontecer.


É preciso que a infraestrutura resista e resista bem”

A vice-presidente do BC Convention e proprietária dos hotéis Rosenbrock e Bella Camboriú, Margot Rosenbrock Libório, afirma que a procura para a alta temporada está aumentando, mas que as pessoas vêm decidindo a viagem com uma antecedência cada vez menor, diminuindo a possibilidade de saber como será com precisão o movimento.

“Estamos mais otimistas hoje do que estávamos há um mês, porém, a temporada não está garantida. Provavelmente teremos um excelente Réveillon, que se prolongará com muito movimento até 5 de janeiro, mas é preciso que a infraestrutura resista e resista bem (abastecimento de água, balneabilidade, limpeza urbana, fornecimento de energia) para não prejudicar a sequência do verão. O público argentino faz muita falta, principalmente porque eles se hospedavam no mínimo sete dias. Ano passado houve uma queda de 70% no fluxo desse público. Mesmo que a quantidade de turistas argentinos dobre em relação à temporada passada ainda será muito menos fluxo do que estávamos acostumados. A ‘grande força de turistas’ deve ser de brasileiros vindos do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O público do Norte do Nordeste e do Rio de Janeiro também devem vir, mas eles já estão nos visitando ao longo de todo o ano, porque se interessam mais pela diversidade cultural de Santa Catarina do que pelas praias. Para eles a praia é legal, mas é um detalhe, porque praias eles têm. Por isso é importante os novos atrativos, que oxigenam a oferta turística, mas o que atrai mesmo é a cidade, a qualidade de vida, a segurança e praias limpas. O aquário e a roda-gigante são um plus, serão muito importantes se bem divulgados, mas é o conjunto que influencia na decisão de viagem”.


Expectativas boas, mas seguimos trabalhando para intensificar”

O presidente do Conselho Municipal de Turismo de Balneário Camboriú e gerente do Hotel Sibara, Osny Maciel Junior, completa a fala de Margot, salientando que seguem na expectativa de uma melhora na temporada.

“Muitos argentinos estavam aguardando a eleição. Por enquanto estamos recebendo poucas reservas, mas elas estão chegando. Infelizmente aconteceu a questão do derramamento de óleo no Nordeste, e isso acaba atraindo turistas para o Sul, que acabam ficando receosos em ir para lá. Toda a rede hoteleira de Balneário está trabalhando para a melhora de temporada. Estamos com boas expectativas, mas seguimos trabalhando para isso se intensificar ainda mais. Os novos equipamentos turísticos de Balneário com certeza devem ajudar a atrair mais turistas, já que aqueles que conheciam a nossa cidade e atrativos terão novidades para conferir. Temos que fazer o marketing de tudo isso, divulgá-los ao longo de todo o ano, e aí será um ponto a mais para a cidade”.


Economia melhorou, movimento vai melhorar também”

O presidente da Associação de Bares e Restaurantes de Balneário Camboriú (ABRES) e proprietário do Bar da Brahma, Maxfabian Mota, explica que os donos de restaurantes e bares da cidade estão com as ‘melhores expectativas possíveis’, principalmente porque estão vendo um incremento na economia, apesar disso ainda não ter refletido nos números de faturamento.

“Mas isso é normal. Tivemos poucos feriados, eles coincidiram com os finais de semana, e isso acaba atrapalhando muito o nosso setor. Mas as nossas expectativas para a temporada são muito boas. Temos visto que a economia do país tem tido uma melhora significativa. Com relação ao movimento, acreditamos que esse ano teremos uma boa melhorada, tanto no número como quanto na qualidade dos nossos turistas. O problema das praias do Nordeste, onde houve o derramamento de óleo, atrapalhou muito e acreditamos que vá ‘respingar’ bastante turistas com um maior poder aquisitivo para a nossa região por conta disso. Temos analisado os números do Aeroporto de Navegantes e percebemos que houve um aumento na demanda. Muitas pessoas já compraram passagens antecipadas e vão desembarcar em Navegantes, o que tem nos deixado bem otimistas. Com relação à prefeitura, temos visto que existe um trabalho por parte do Executivo de melhorias na cidade. Atrapalha um pouco o fluxo durante as obras, mas está existindo um grande investimento de melhorias, a gente reconhece que o resultado será bem positivo. Temos consciência que o alargamento da faixa de areia foi muito prejudicado por conta de ações isoladas do Ministério Público, tão isoladas que o Judiciário definiu pelo prosseguimento das obras. Então o MP estava equivocado, causando danos e prejuízos à sociedade a quem ele deveria defender, mas faz parte. Estamos colhendo um ‘fruto podre’ para essa temporada que foi esse atrapalho. O alargamento da faixa de areia é muito importante para o município, para a natureza, para o comércio em geral, para o turismo. A gente sabe que não tem como fazer investimentos de melhorias na Avenida Atlântica sem que seja feito alargamento primeiro, se não o investimento será em vão, será como jogar dinheiro fora. Quanto aos novos atrativos temos certeza que será um estímulo para os turistas, pra gente melhorar a qualidade do turismo na cidade. Temos que continuar trabalhando e insistindo na melhoria do nosso turista, que é o grande diferencial de Balneário Camboriú. Temos aqui imóveis e investimentos, prédios com apartamentos na casa dos R$ 5, 6, 7 milhões. A gente precisa atrair turistas a altura desse nível, utilizando como case Gramado, que hoje tem um turismo de altíssima qualidade. A gente tem que tentar também ter um turismo com boa qualidade, que é o que Balneário Camboriú realmente merece”.


A crise ao nosso redor acaba nos afetando”

A presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Balneário Camboriú, Eliane Colla, explica que os comerciantes da cidade estão analisando as contratações para o Natal, já que o público está mais cuidadoso e ainda temendo a crise.

“Já começamos a pesquisa para saber se vai haver contratação para o Natal, mas ainda não temos o resultado final. A expectativa é de que seja melhor do que o cenário vem apresentando. Tem gente contratando, mas tem também quem está receoso. É o momento disso, porque não temos muita noção do poder de compra das pessoas. Tem muita gente pagando contas atrasadas e refletindo nas compras de Natal e no dinheiro que irão gastar na temporada. Há expectativa e acreditamos no incremento porque o cenário já deu uma melhorada, mas ainda está tudo muito lento. Todos estão cuidadosos. Falamos também do cenário na Argentina, sabemos que estão com gastos limitados para viagens para fora do país. Quando eles vinham para o Brasil compravam eletrônicos, dentre outros produtos, e talvez vamos perder isso. A tendência é mesmo que quem virá nos visitar serão os brasileiros, vindos de todos os lugares do país, porque o cenário do Mercosul realmente não é bom. Venezuela, Chile, Argentina... a crise está ao nosso redor e acaba nos afetando”.


Cidade evoluiu, tem novos atrativos e isso atrai muito”

A presidente da Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc) e empresária Maria Pissaia conta que as expectativas dos associados à entidade estão positivas, principalmente porque a cidade ‘evoluiu muito’ no sentido de novos atrativos turísticos.

“Vamos ter um Natal muito bem estruturado e elaborado, com decoração na maior parte da cidade, com atrativos turísticos. Temos aí o aquário também, além do Pontal Norte com a praia saneada, que está fantástico com o novo molhe. Melhorou muito a balneabilidade da Barra Norte, sem contar que é um novo atrativo, assim como a roda-gigante, que ficará pronta para a próxima temporada. O molhe surge como mais uma opção para as pessoas fazerem fotos, para verem a cidade de outro ângulo. Vejo que a cidade está estruturada, bem preparada, o nosso trânsito está melhor. Acredito que temos muitas coisas positivas em relação à temporada anterior que podem atrair mais turistas para Balneário. Sem contar com os atrativos naturais da nossa cidade, que é maravilhosa e sempre muito receptiva com todos os turistas. Acho que a previsão é muito positiva, não vejo com outros olhos essa temporada 2019/2020 se não como a de maior sucesso e de maior número e quantidade de público em relação às outras”.



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade