Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Prefeito pede urgência de apoio financeiro para manter o hospital aberto
Ivan Rupp
Prefeito Fabrício pede socorro ao Estado e a Amfri

Quarta, 19/6/2019 15:05.

“Não há mais como continuar com essa situação. Temos compromisso com a vida e com a qualidade do atendimento. É preciso que o Estado compartilhe as responsabilidades financeiras do Ruth”. Foi assim que o prefeito Fabrício Oliveira, na condição de presidente da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (AMFRI) pediu socorro ao governo do Estado e aos municípios que integram a associação. A reunião de caráter extraordinário aconteceu nesta terça-feira (18), quando o prefeito apresentou uma auditoria que mostra a situação de calamidade do hospital, que está com superlotação porque atende pacientes de toda a região. É um hospital municipal, mas na prática virou regional e 75% das despesas são pagas pela prefeitura de Balneário Camboriú.

O governo do Estado conhece a situação. Há duas semanas, o secretário de Saúde do Estado, Helton de Souza Zeferino, recebeu uma equipe de Balneário Camboriú, liderada pela secretária da Saúde Andressa Hadad, pedindo soluções urgentes e aporte financeiro.

Com a participação dos prefeitos e secretários de Saúde da Amfri, ficou decidido que é preciso agendar - com urgência - uma reunião com o governador Carlos Moisés e cobrar uma posição sobre ajuda financeira. Além disso, os prefeitos da Amfri falaram em criar um consórcio que viabilize que os municípios possam repassar, futuramente, recursos ao hospital.

“O atendimento da urgência e emergência está acima da capacidade física do hospital e do número de leitos. O Estado precisa contrareferenciar esse paciente para outros hospitais. Desde o final de semana passado estamos com a urgência e emergência fechada porque esgotamos a capacidade física de atendimento”, explicou Fabrício Oliveira.

No mesmo dia, a secretária de Saúde de Balneário Camboriú, Andressa Hadad, enviou notificação extrajudicial a Gerência da 17a. Regional de Saúde pedindo medidas imediatas para o atendimento dos pacientes que chegam em ambulâncias do Samu e ambulâncias brancas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Prefeito pede urgência de apoio financeiro para manter o hospital aberto

Ivan Rupp
Prefeito Fabrício pede socorro ao Estado e a Amfri
Prefeito Fabrício pede socorro ao Estado e a Amfri

Publicidade

Quarta, 19/6/2019 15:05.

“Não há mais como continuar com essa situação. Temos compromisso com a vida e com a qualidade do atendimento. É preciso que o Estado compartilhe as responsabilidades financeiras do Ruth”. Foi assim que o prefeito Fabrício Oliveira, na condição de presidente da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (AMFRI) pediu socorro ao governo do Estado e aos municípios que integram a associação. A reunião de caráter extraordinário aconteceu nesta terça-feira (18), quando o prefeito apresentou uma auditoria que mostra a situação de calamidade do hospital, que está com superlotação porque atende pacientes de toda a região. É um hospital municipal, mas na prática virou regional e 75% das despesas são pagas pela prefeitura de Balneário Camboriú.

O governo do Estado conhece a situação. Há duas semanas, o secretário de Saúde do Estado, Helton de Souza Zeferino, recebeu uma equipe de Balneário Camboriú, liderada pela secretária da Saúde Andressa Hadad, pedindo soluções urgentes e aporte financeiro.

Com a participação dos prefeitos e secretários de Saúde da Amfri, ficou decidido que é preciso agendar - com urgência - uma reunião com o governador Carlos Moisés e cobrar uma posição sobre ajuda financeira. Além disso, os prefeitos da Amfri falaram em criar um consórcio que viabilize que os municípios possam repassar, futuramente, recursos ao hospital.

“O atendimento da urgência e emergência está acima da capacidade física do hospital e do número de leitos. O Estado precisa contrareferenciar esse paciente para outros hospitais. Desde o final de semana passado estamos com a urgência e emergência fechada porque esgotamos a capacidade física de atendimento”, explicou Fabrício Oliveira.

No mesmo dia, a secretária de Saúde de Balneário Camboriú, Andressa Hadad, enviou notificação extrajudicial a Gerência da 17a. Regional de Saúde pedindo medidas imediatas para o atendimento dos pacientes que chegam em ambulâncias do Samu e ambulâncias brancas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade