Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Vereador Arlindo sugere a criação de um crematório público
Reprodução.
O papel aceita tudo.

Quarta, 6/2/2019 13:20.

Está em pauta para a sessão desta quarta-feira (6) da Câmara indicação do vereador Arlindo Cruz para implantação de um crematório público, mas não há nenhum projeto nesse sentido até o momento.

O Cemitério Municipal de Balneário Camboriú tem problema de espaço e para tentar amenizar a situação tramita na Câmara de Vereadores projeto para criar mais dois ossuários.

A diretora do Patrimônio, Claudineia ‘Zezé’ Costa Wolff, diz que desconhece planos da criação de um crematório público, só dos ossuários. “Dependemos apenas da aprovação da Câmara para realizá-lo”, explica.

Após assumir o atual governo chegou a anunciar planos de construir um novo cemitério, mas optou por ossuários que liberam covas para novos sepultamentos.

De qualquer forma, no futuro a prefeitura será obrigada a investir num novo cemitério público, conjugado ou não com crematório, sob pena da cidade não ter onde enterrar os mortos. 

 

   

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Vereador Arlindo sugere a criação de um crematório público

Reprodução.
O papel aceita tudo.
O papel aceita tudo.

Publicidade

Quarta, 6/2/2019 13:20.

Está em pauta para a sessão desta quarta-feira (6) da Câmara indicação do vereador Arlindo Cruz para implantação de um crematório público, mas não há nenhum projeto nesse sentido até o momento.

O Cemitério Municipal de Balneário Camboriú tem problema de espaço e para tentar amenizar a situação tramita na Câmara de Vereadores projeto para criar mais dois ossuários.

A diretora do Patrimônio, Claudineia ‘Zezé’ Costa Wolff, diz que desconhece planos da criação de um crematório público, só dos ossuários. “Dependemos apenas da aprovação da Câmara para realizá-lo”, explica.

Após assumir o atual governo chegou a anunciar planos de construir um novo cemitério, mas optou por ossuários que liberam covas para novos sepultamentos.

De qualquer forma, no futuro a prefeitura será obrigada a investir num novo cemitério público, conjugado ou não com crematório, sob pena da cidade não ter onde enterrar os mortos. 

 

   

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade