Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Prefeito decide por emissário para resolver esgoto no Canal do Marambaia

Melhorar depende também dos moradores pois 36% estão com seus esgotos irregulares. 

Segunda, 26/11/2018 17:01.
Celso Peixoto/PMBC

Publicidade

O prefeito Fabrício Oliveira, após escutar o corpo técnico da Emasa, decidiu construir um emissário pressurizado de esgoto como primeiro passo para resolver a poluição no Canal do Marambaia.

É a solução mais econômica e recomendada há anos por técnicos de carreira da Emasa.

A decisão irá desagradar um grupo de moradores e um consultor que fazem campanha para que a Emasa adote solução apenas parcial e mais cara: uma estação de esgoto tratando apenas o trecho final do Canal do Marambaia.

Em resposta a pedido de esclarecimento do Página 3 o prefeio escreveu que "...a última medida será a implantação de uma estação de tratamento das águas do Marambaia, caso seja necessário...".

O atual emissário foi construído nos anos 1980 e sua função de receber esgoto das diversas estações elevatórias para levar em direção à estação de tratamento está prejudicada.

Com isso, o esgoto extravasa e polui o Canal do Marambaia.

Independente de qualquer outra obra ou iniciativa isso não tem solução a não ser construindo outro emissário.

Decidida pelo prefeito a construção do novo interceptor surgiram quatro opções de trajeto e o secretário do Planejamento Rubens Spernau decidiu que os canos pressurizados deverão vir por dentro da galeria da Avenida Atlântica, porque a obra se torna sensivelmente mais rápida e econômica.

Emergencialmente a Emasa busca autorização do Instituto do Meio Ambiente (IMA) para usar biorremediadores no Canal do Marambaia. Não há certeza que venham a funcionar, é apenas uma medida temporária.

Existe outra fonte de poluição que depende dos próprios moradores da Bacia do Marambaia, pois 36% estão com seus esgotos irregulares. São 52% no Ariribá, seguidos por Pioneiros (43%), Centro (38%) e Nações (28%). 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Prefeito decide por emissário para resolver esgoto no Canal do Marambaia

Celso Peixoto/PMBC

Publicidade

Segunda, 26/11/2018 17:01.

O prefeito Fabrício Oliveira, após escutar o corpo técnico da Emasa, decidiu construir um emissário pressurizado de esgoto como primeiro passo para resolver a poluição no Canal do Marambaia.

É a solução mais econômica e recomendada há anos por técnicos de carreira da Emasa.

A decisão irá desagradar um grupo de moradores e um consultor que fazem campanha para que a Emasa adote solução apenas parcial e mais cara: uma estação de esgoto tratando apenas o trecho final do Canal do Marambaia.

Em resposta a pedido de esclarecimento do Página 3 o prefeio escreveu que "...a última medida será a implantação de uma estação de tratamento das águas do Marambaia, caso seja necessário...".

O atual emissário foi construído nos anos 1980 e sua função de receber esgoto das diversas estações elevatórias para levar em direção à estação de tratamento está prejudicada.

Com isso, o esgoto extravasa e polui o Canal do Marambaia.

Independente de qualquer outra obra ou iniciativa isso não tem solução a não ser construindo outro emissário.

Decidida pelo prefeito a construção do novo interceptor surgiram quatro opções de trajeto e o secretário do Planejamento Rubens Spernau decidiu que os canos pressurizados deverão vir por dentro da galeria da Avenida Atlântica, porque a obra se torna sensivelmente mais rápida e econômica.

Emergencialmente a Emasa busca autorização do Instituto do Meio Ambiente (IMA) para usar biorremediadores no Canal do Marambaia. Não há certeza que venham a funcionar, é apenas uma medida temporária.

Existe outra fonte de poluição que depende dos próprios moradores da Bacia do Marambaia, pois 36% estão com seus esgotos irregulares. São 52% no Ariribá, seguidos por Pioneiros (43%), Centro (38%) e Nações (28%). 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade