Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Moradores estão revoltados com a qualidade da água em Balneário Camboriú

Segunda, 20/8/2018 21:18.
Divulgação

Publicidade

Roupas manchadas, necessidade de comprar água mineral para cozinhar e até para o banho. Esses são só alguns dos motivos que têm indignado moradores de Balneário Camboriú por causa da qualidade da água que está chegando em suas torneiras.

Segundo os moradores, o problema não é pontual, está numa constante desde a últuma semana e vem causando muitos prejuízos. Eles questionam o fato de pagarem e receberem um produto de qualidade ruim.

O Página 3 recebeu relatos de moradores de um prédio do Centro da cidade, onde a água tem chegado escura e com mau cheiro.

Uma mãe teve que apelar para o filtro e depois ainda ferver a água para dar banho no bebê de apenas um mês. Sem falar das roupas de diversos moradores que ficaram manchadas após lavagem com máquina.

“Triste, o condomínio paga por mês em média 3 mil reais de água para receber do município isso aí das fotos”, lamentou o morador.

Os moradores já recorreram ao Ministério Público. O promotor Rosan da Rocha informou que abriu um procedimento e pediu informações para a Emasa. Uma reunião com a direção da autarquia foi marcada para tratar do assunto.

Vídeo:

Também circula nas redes sociais um vídeo em que um cidadão protestou na Avenida Brasil pela qualidade da água de Balneário Camboriú, veja:

O que diz a prefeitura:

"O problema é causado pela estiagem. Com a falta de chuva há uma concentração maior de materiais orgânicos no rio, dentre eles o ferro e o manganês. Esses dois metais estão presentes naturalmente na água, mas quando o nível dos rios está normal, eles se diluem e ficam com uma concentração baixa. Como estamos passando por um período de estiagem, o nível e a vazão do rio diminuem e aumenta a concentração de ferro e manganês na água. Mesmo após o tratamento, há concentração de ferro e manganês, dentro do limite da legislação. Essa água, quando é distribuída para as residências, entra em contato com as partículas acumuladas nas paredes internas das tubulações e pode ficar novamente turva, principalmente nas regiões de final de rede ou onde a pressão de água na tubulação não é tão elevada.

A EMASA e a Águas de Camboriú farão testes de pré-oxidação da água – processo onde é adicionado um agente oxidante em água bruta, como o cloro, para eliminar matéria orgânica e ferro e manganês, tornando-os insolúveis, e permitindo sua remoção nas próximas etapas do tratamento. A meta é iniciar este teste nesta semana. Caso apresente resultado positivo, deverá ser adotado no tratamento da água.

Além disso, a EMASA já realizou mais de 500 descargas de rede por toda a cidade. A descarga elimina a água turva da tubulação. Em menos de 30 dias já foi feito uma média de 10 descargas em cada um dos 50 pontos (é quase que uma descarga a cada três dias).

A EMASA também iniciou a construção de novos pontos de descarga de rede. Hoje são 50, até outubro deverão ser 150 pontos, o que irá triplicar o número de descargas em locais estratégicos da cidade. Mais de 500 descargas já foram dadas.

As ocorrências de água turva devem ser registradas pelo WhatsApp da EMASA (47) 3261-0000 ou pelo 0800 643 62 72",afirmou em nota a Emasa, através de sua assessoria.


E você leitor, como tem sido sua experiência com a água na cidade nos últimos dias? Comente ou envie pelo WhatsApp (47) 99188-6002.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Moradores estão revoltados com a qualidade da água em Balneário Camboriú

Publicidade

Segunda, 20/8/2018 21:18.

Roupas manchadas, necessidade de comprar água mineral para cozinhar e até para o banho. Esses são só alguns dos motivos que têm indignado moradores de Balneário Camboriú por causa da qualidade da água que está chegando em suas torneiras.

Segundo os moradores, o problema não é pontual, está numa constante desde a últuma semana e vem causando muitos prejuízos. Eles questionam o fato de pagarem e receberem um produto de qualidade ruim.

O Página 3 recebeu relatos de moradores de um prédio do Centro da cidade, onde a água tem chegado escura e com mau cheiro.

Uma mãe teve que apelar para o filtro e depois ainda ferver a água para dar banho no bebê de apenas um mês. Sem falar das roupas de diversos moradores que ficaram manchadas após lavagem com máquina.

“Triste, o condomínio paga por mês em média 3 mil reais de água para receber do município isso aí das fotos”, lamentou o morador.

Os moradores já recorreram ao Ministério Público. O promotor Rosan da Rocha informou que abriu um procedimento e pediu informações para a Emasa. Uma reunião com a direção da autarquia foi marcada para tratar do assunto.

Vídeo:

Também circula nas redes sociais um vídeo em que um cidadão protestou na Avenida Brasil pela qualidade da água de Balneário Camboriú, veja:

O que diz a prefeitura:

"O problema é causado pela estiagem. Com a falta de chuva há uma concentração maior de materiais orgânicos no rio, dentre eles o ferro e o manganês. Esses dois metais estão presentes naturalmente na água, mas quando o nível dos rios está normal, eles se diluem e ficam com uma concentração baixa. Como estamos passando por um período de estiagem, o nível e a vazão do rio diminuem e aumenta a concentração de ferro e manganês na água. Mesmo após o tratamento, há concentração de ferro e manganês, dentro do limite da legislação. Essa água, quando é distribuída para as residências, entra em contato com as partículas acumuladas nas paredes internas das tubulações e pode ficar novamente turva, principalmente nas regiões de final de rede ou onde a pressão de água na tubulação não é tão elevada.

A EMASA e a Águas de Camboriú farão testes de pré-oxidação da água – processo onde é adicionado um agente oxidante em água bruta, como o cloro, para eliminar matéria orgânica e ferro e manganês, tornando-os insolúveis, e permitindo sua remoção nas próximas etapas do tratamento. A meta é iniciar este teste nesta semana. Caso apresente resultado positivo, deverá ser adotado no tratamento da água.

Além disso, a EMASA já realizou mais de 500 descargas de rede por toda a cidade. A descarga elimina a água turva da tubulação. Em menos de 30 dias já foi feito uma média de 10 descargas em cada um dos 50 pontos (é quase que uma descarga a cada três dias).

A EMASA também iniciou a construção de novos pontos de descarga de rede. Hoje são 50, até outubro deverão ser 150 pontos, o que irá triplicar o número de descargas em locais estratégicos da cidade. Mais de 500 descargas já foram dadas.

As ocorrências de água turva devem ser registradas pelo WhatsApp da EMASA (47) 3261-0000 ou pelo 0800 643 62 72",afirmou em nota a Emasa, através de sua assessoria.


E você leitor, como tem sido sua experiência com a água na cidade nos últimos dias? Comente ou envie pelo WhatsApp (47) 99188-6002.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade