Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Perfil: conheça Mozara Paris, a primeira-dama voluntária
Fotos Reprodução

Sexta, 3/2/2017 13:48.

A esposa do prefeito Fabrício Oliveira, Mozara Paris, já foi chamada de bela, recatada e do lar no indômito território das redes sociais. Mas a primeira dama de Balneário Camboriú passa longe do estereótipo de boneca de luxo. No fim do expediente de uma sexta-feira no alto da Rua Dinamarca, as pessoas se despediam no gabinete do prefeito e se apressavam para deixar o local, quando Mozara começava seu turno recebendo a reportagem do Página 3 para falar sobre seus planos como voluntária na gestão de Fabrício.

Amor e parceria

Com Fabrício, visitando os núcleos da rede

Há cerca de cinco anos, a administradora estava determinada a implantar um programa de educação empreendedora para jovens na cidade. Chegou a tentar o apoio do antigo governo e de vereadores, mas não foi ouvida. Achou então que o jeito seria se candidatar a vereadora. Não venceu, contudo foi a mais votada nas eleições de 2012 entre as mulheres com 1.127 votos, mesmo com um orçamento baixo e antes do início do namoro com Fabrício.

Foi a política e a fé que aproximaram Mozara e Fabrício. Eles se conheceram na igreja, se descobriram bons parceiros na vida e se casaram discretamente pouco antes da última campanha.

Apesar do bom desempenho nas urnas em 2012 e da expectativa que voltasse a concorrer, Mozara deixou o projeto de lado para apoiar a candidatura do marido, com uma condição. Se ele ganhasse, iria abrir espaço para o projeto de educação integral empreendedora.

Ele apoiou e incluiu a ideia no plano de governo. Mozara, experiente na gestão de pessoal, assumiu a linha de frente da campanha nas ruas e ajudou com a conquistar votos dos indecisos. Nos bastidores, comenta-se que teve um papel de destaque em reverter alguns números desfavoráveis do então candidato Fabrício.

“Fiquei gerenciando o pessoal, que eu vejo como o coração da campanha, que é o trabalho de rua. Vejo que campanha você ganha mesmo na rua, trabalhando com as pessoas, convencendo, olhando no olho, eu fiquei com essa parte porque curto, gosto muito e sim, tive um papel importante, mas muita gente teve, foram muitas pessoas, muitos voluntários”, declarou.

Em campanha.

Empreendedorismo em tempo integral

Mozara conheceu o projeto do empreendedorismo em tempo integral em Rio do Sul, onde o estudou. “São crianças de nove meses de idade até o 9º ano em tempo integral na escola, não apenas com uma ocupação, mas com uma formação pra vida, como matemática financeira, educação financeira, educação para o trabalho, educação empreendedora, várias coisas no contraturno”, listou.

O projeto é ousado e de longo prazo. “Esse vai ser um ano de planejamento para gente entender como vai fazer para o futuro. É uma proposta de governo do Fabrício, não será feito de maneira irresponsável nem do dia para a noite, mas é um sonho. Além de estar no plano de governo dele é um sonho pessoal meu até”, sublinhou.

Planos para a mulher e na área social

Longe do assistencialismo, Mozara destaca diversos projetos para os quais pretende dar força como voluntária na prefeitura. “Tem muita coisa para fazer e muita coisa para melhorar”, alega a primeira dama, que já se reuniu com o promotor Rosan da Rocha para falar de suas ideias.

Quer apoiar projetos de reinserção de dependentes químicos na sociedade, iniciativas com a terceira idade e jovem aprendiz. Também está decidida a colaborar com projetos que dizem respeito à mulher, para dar dignidade às mães na gestação e hora do parto.

A participação delas na política é outra de suas bandeiras.

“Li que tem mais mulheres participando da política do Afeganistão do que no Brasil. As mulheres não querem se envolver. Entendo elas, porque a gente vive em um país machista, infelizmente, não são bem acolhidas, não são bem tratadas, não têm espaço, não têm voz, tu tem que ter muita firmeza, ou seja, não é um ambiente favorável. a gente precisa criar esse ambiente e é isso que eu quero junto com pessoas da comunidade para começar a criar esse ambiente para que mulheres venham a participar. As mulheres têm muito a contribuir, a gente investe nas mulheres e elas vão trazer o benefício para a sociedade, essa é a ideia, mas é muito trabalho, um dia de cada vez”, concluiu.

Mozara afirma que o espaço para colaborações vai estar aberto assim que as ações forem definidas.

Voluntariado

A primeira dama reforça que sua atuação no governo será voluntária. Depois da posse, Mozara reduziu o horário na própria empresa, onde trabalha agora das 7h às 16h, para poder se dedicar aos assuntos do governo do fim da tarde até o começo da noite .

“É por ideal, não é por cargo, função ou status. Sempre fui assim, desde pequena, fui líder de classe, querendo ver o que a gente pode fazer melhor. A minha mãe me ensinou que não é uma vontade, é uma obrigação sua, você precisa contribuir, para que isso retorne pra você. Aprendi isso, você precisa fazer algo a mais, precisa fazer a sua parte, é assim que você vai ter sucesso na vida”, finalizou.

Quem é Mozara

Gaúcha de Lagoa Vermelha, no Rio Grande do Sul, Mozara Paris, 34 anos, foi quase um prodígio na juventude. Líder de classe no colégio. Ingressou no curso de Administração da Univali aos 16 e se formou com 21 anos, em 2003. Começou sua história no mercado de trabalho como atendente no Mcdonalds e foi crescendo na empresa (onde ficou por 9 anos) trabalhando com o desenvolvimento de pessoal.

Depois disso quis alçar novos voos e partiu para Londres ter experiência com o inglês. De volta ao Brasil se aprofundou no empreendedorismo e colocou ele na prática como sócia do Grupo Preze, onde administra um grande grupo de colaboradores.

Mais fotos:

O casamento em julho ano ano passado.

Com a sogra Marta e a mãe Abigail.

Com equipe que atuava nas ruas durante a campanha.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

O acordo põe fim a anos de insegurança e desgaste jurídico


Cidade

Sem a colaboração da população não existe medida que dê jeito


Cidade

Isso explica a redução drástica do nível na captação


Geral

É o terceiro município mais transparente de Santa Catarina


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Perfil: conheça Mozara Paris, a primeira-dama voluntária

Fotos Reprodução
Sexta, 3/2/2017 13:48.

A esposa do prefeito Fabrício Oliveira, Mozara Paris, já foi chamada de bela, recatada e do lar no indômito território das redes sociais. Mas a primeira dama de Balneário Camboriú passa longe do estereótipo de boneca de luxo. No fim do expediente de uma sexta-feira no alto da Rua Dinamarca, as pessoas se despediam no gabinete do prefeito e se apressavam para deixar o local, quando Mozara começava seu turno recebendo a reportagem do Página 3 para falar sobre seus planos como voluntária na gestão de Fabrício.

Amor e parceria

Com Fabrício, visitando os núcleos da rede

Há cerca de cinco anos, a administradora estava determinada a implantar um programa de educação empreendedora para jovens na cidade. Chegou a tentar o apoio do antigo governo e de vereadores, mas não foi ouvida. Achou então que o jeito seria se candidatar a vereadora. Não venceu, contudo foi a mais votada nas eleições de 2012 entre as mulheres com 1.127 votos, mesmo com um orçamento baixo e antes do início do namoro com Fabrício.

Foi a política e a fé que aproximaram Mozara e Fabrício. Eles se conheceram na igreja, se descobriram bons parceiros na vida e se casaram discretamente pouco antes da última campanha.

Apesar do bom desempenho nas urnas em 2012 e da expectativa que voltasse a concorrer, Mozara deixou o projeto de lado para apoiar a candidatura do marido, com uma condição. Se ele ganhasse, iria abrir espaço para o projeto de educação integral empreendedora.

Ele apoiou e incluiu a ideia no plano de governo. Mozara, experiente na gestão de pessoal, assumiu a linha de frente da campanha nas ruas e ajudou com a conquistar votos dos indecisos. Nos bastidores, comenta-se que teve um papel de destaque em reverter alguns números desfavoráveis do então candidato Fabrício.

“Fiquei gerenciando o pessoal, que eu vejo como o coração da campanha, que é o trabalho de rua. Vejo que campanha você ganha mesmo na rua, trabalhando com as pessoas, convencendo, olhando no olho, eu fiquei com essa parte porque curto, gosto muito e sim, tive um papel importante, mas muita gente teve, foram muitas pessoas, muitos voluntários”, declarou.

Em campanha.

Empreendedorismo em tempo integral

Mozara conheceu o projeto do empreendedorismo em tempo integral em Rio do Sul, onde o estudou. “São crianças de nove meses de idade até o 9º ano em tempo integral na escola, não apenas com uma ocupação, mas com uma formação pra vida, como matemática financeira, educação financeira, educação para o trabalho, educação empreendedora, várias coisas no contraturno”, listou.

O projeto é ousado e de longo prazo. “Esse vai ser um ano de planejamento para gente entender como vai fazer para o futuro. É uma proposta de governo do Fabrício, não será feito de maneira irresponsável nem do dia para a noite, mas é um sonho. Além de estar no plano de governo dele é um sonho pessoal meu até”, sublinhou.

Planos para a mulher e na área social

Longe do assistencialismo, Mozara destaca diversos projetos para os quais pretende dar força como voluntária na prefeitura. “Tem muita coisa para fazer e muita coisa para melhorar”, alega a primeira dama, que já se reuniu com o promotor Rosan da Rocha para falar de suas ideias.

Quer apoiar projetos de reinserção de dependentes químicos na sociedade, iniciativas com a terceira idade e jovem aprendiz. Também está decidida a colaborar com projetos que dizem respeito à mulher, para dar dignidade às mães na gestação e hora do parto.

A participação delas na política é outra de suas bandeiras.

“Li que tem mais mulheres participando da política do Afeganistão do que no Brasil. As mulheres não querem se envolver. Entendo elas, porque a gente vive em um país machista, infelizmente, não são bem acolhidas, não são bem tratadas, não têm espaço, não têm voz, tu tem que ter muita firmeza, ou seja, não é um ambiente favorável. a gente precisa criar esse ambiente e é isso que eu quero junto com pessoas da comunidade para começar a criar esse ambiente para que mulheres venham a participar. As mulheres têm muito a contribuir, a gente investe nas mulheres e elas vão trazer o benefício para a sociedade, essa é a ideia, mas é muito trabalho, um dia de cada vez”, concluiu.

Mozara afirma que o espaço para colaborações vai estar aberto assim que as ações forem definidas.

Voluntariado

A primeira dama reforça que sua atuação no governo será voluntária. Depois da posse, Mozara reduziu o horário na própria empresa, onde trabalha agora das 7h às 16h, para poder se dedicar aos assuntos do governo do fim da tarde até o começo da noite .

“É por ideal, não é por cargo, função ou status. Sempre fui assim, desde pequena, fui líder de classe, querendo ver o que a gente pode fazer melhor. A minha mãe me ensinou que não é uma vontade, é uma obrigação sua, você precisa contribuir, para que isso retorne pra você. Aprendi isso, você precisa fazer algo a mais, precisa fazer a sua parte, é assim que você vai ter sucesso na vida”, finalizou.

Quem é Mozara

Gaúcha de Lagoa Vermelha, no Rio Grande do Sul, Mozara Paris, 34 anos, foi quase um prodígio na juventude. Líder de classe no colégio. Ingressou no curso de Administração da Univali aos 16 e se formou com 21 anos, em 2003. Começou sua história no mercado de trabalho como atendente no Mcdonalds e foi crescendo na empresa (onde ficou por 9 anos) trabalhando com o desenvolvimento de pessoal.

Depois disso quis alçar novos voos e partiu para Londres ter experiência com o inglês. De volta ao Brasil se aprofundou no empreendedorismo e colocou ele na prática como sócia do Grupo Preze, onde administra um grande grupo de colaboradores.

Mais fotos:

O casamento em julho ano ano passado.

Com a sogra Marta e a mãe Abigail.

Com equipe que atuava nas ruas durante a campanha.

Publicidade

Publicidade