Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Após cinco anos de promessas, abrigo para crianças pode sair do papel
Reprodução
Planejamento fez um esboço de como será o projeto

Quarta, 14/9/2016 6:45.

A prefeitura lançou um termo de referência para elaborar os projetos (de arquitetura e engenharia) para construção de uma instituição municipal de acolhimento a crianças. A “iniciativa” na verdade responde um Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o Ministério Público, decorrente de ação civil pública ajuizada em 2011 e que culminou com o fechamento da antiga Casa da Criança. Desde então, Balneário mantém suas crianças abrigadas em uma instituição de Camboriú e promete que vai construir a sua própria.

Na época da intervenção judicial, quem presidia o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA) era Jade Martins, atual candidata à prefeitura. Ela chegou a traçar um projeto de institucionalização do abrigamento, mas a iniciativa nunca foi tirada do papel pelo prefeito Edson Renato Dias, exceto agora, na véspera das eleições.

O novo projeto

O secretário de Compras, Mário Teixeira adiantou que este novo projeto foi desenvolvido diretamente pela Secretaria de Planejamento e que a intenção é começar a construir ainda este ano. Ele explicou que além das vagas para crianças, a estrutura vai receber mulheres vítimas de violência doméstica e não tenham onde ficar provisoriamente.

Conforme o termo de referência, a estrutura tem 565m2 e será edificada em frente à 6ª Avenida. Haverá uma base da Guarda Municipal, pequenas casas contendo cozinha, escritório, dormitório, alojamentos, berçário e espaço de lazer, além da área administrativa com recepção, escritórios e sala de reuniões. Do lado de fora, playground com quadra e horta.

A única estimativa que existe até agora é o investimento inicial de aproximadamente R$ 80 mil, só com o projeto. A presidente do CMDCA, Karina Dias Heil informou apenas que o lar municipal será administrado pela Secretaria de Inclusão Social, mas não divulgou detalhes sobre os custos de manutenção do abrigo. Hoje, o Conselho repassa através de convênio com o Lar Bom Pastor, de Camboriú, R$ 450 mil por ano, para atender em média 10 crianças/mês.

A abertura das propostas está marcada para dia 22. O prazo para execução e entrega do serviço será de 30 dias a partir da emissão da ordem de serviço

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Volume de resíduos não é um indicador seguro da quantidade de turistas


Policia

Praça central de Balneário Camboriú é o ponto preferido também de andarilhos e usuários 


Policia

A suspeita é que funcionários dos gabinetes da Alerj devolviam parte dos salários


Política


Publicidade


Publicidade


Cidade

Balneário Camboriú adotará entrega voluntária em ponto da prefeitura  


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Geral

Até embarcações de pequeno porte levantam areia, depende das condições 


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Após cinco anos de promessas, abrigo para crianças pode sair do papel

Reprodução
Planejamento fez um esboço de como será o projeto
Planejamento fez um esboço de como será o projeto
Quarta, 14/9/2016 6:45.

A prefeitura lançou um termo de referência para elaborar os projetos (de arquitetura e engenharia) para construção de uma instituição municipal de acolhimento a crianças. A “iniciativa” na verdade responde um Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o Ministério Público, decorrente de ação civil pública ajuizada em 2011 e que culminou com o fechamento da antiga Casa da Criança. Desde então, Balneário mantém suas crianças abrigadas em uma instituição de Camboriú e promete que vai construir a sua própria.

Na época da intervenção judicial, quem presidia o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA) era Jade Martins, atual candidata à prefeitura. Ela chegou a traçar um projeto de institucionalização do abrigamento, mas a iniciativa nunca foi tirada do papel pelo prefeito Edson Renato Dias, exceto agora, na véspera das eleições.

O novo projeto

O secretário de Compras, Mário Teixeira adiantou que este novo projeto foi desenvolvido diretamente pela Secretaria de Planejamento e que a intenção é começar a construir ainda este ano. Ele explicou que além das vagas para crianças, a estrutura vai receber mulheres vítimas de violência doméstica e não tenham onde ficar provisoriamente.

Conforme o termo de referência, a estrutura tem 565m2 e será edificada em frente à 6ª Avenida. Haverá uma base da Guarda Municipal, pequenas casas contendo cozinha, escritório, dormitório, alojamentos, berçário e espaço de lazer, além da área administrativa com recepção, escritórios e sala de reuniões. Do lado de fora, playground com quadra e horta.

A única estimativa que existe até agora é o investimento inicial de aproximadamente R$ 80 mil, só com o projeto. A presidente do CMDCA, Karina Dias Heil informou apenas que o lar municipal será administrado pela Secretaria de Inclusão Social, mas não divulgou detalhes sobre os custos de manutenção do abrigo. Hoje, o Conselho repassa através de convênio com o Lar Bom Pastor, de Camboriú, R$ 450 mil por ano, para atender em média 10 crianças/mês.

A abertura das propostas está marcada para dia 22. O prazo para execução e entrega do serviço será de 30 dias a partir da emissão da ordem de serviço

Publicidade

Publicidade