Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Presidente interina do SISEMBC emite nota e diz que foi à polícia

Quarta, 5/10/2016 9:10.

A presidente interina do sindicato dos servidores municipais (Sisembc) Mariza de Fátima Crespilho Zerbato emitiu um esclarecimento público nas redes sociais após a repercussão de uma mensagem dela, enviada pelo celular. Na mensagem, ela diz que os servidores municipais não merecem a dedicação dela e do presidente Valdir Lolli, que concorreu a vereador, obteve 656 votos e não se elegeu.

Ela ainda disse que os funcionários da prefeitura continuarão a serem vistos como "titica de galinha". Veja aqui a mensagem na íntegra.

Na nota, Mariza não esclarece quem são as pessoas que a injuriaram e caluniaram. Nas redes sociais, diversos comentários foram críticas explícitas ao uso do sindicato para fins eleitorais o que, salvo melhor juízo, não configura crime de opinião. 

ESCLARECIMENTOS

"Fiz uma ata notarial no cartório e registrei um Boletim de Ocorrência na Delegacia da Mulher por injúria, calúnia e difamação de todas as pessoas que estão distorcendo meus comentários nas redes sociais.

É lamentável que as pessoas que queiram concorrer às eleições sindicais precisem denegrir a minha imagem para conseguirem vencer.
Quando vencemos as eleições no sindicato não denegrimos ninguém, apresentamos propostas. Façam o mesmo.

Eu mandei uma mensagem domingo, às 19h35, logo após o resultado das eleições.

Mandei a mensagem num grupo de WhatsApp privado, chamado Amigas da Educação. Esse grupo fez uma reunião grande de mais de 100 pessoas para apoiarem o Lolli. Tínhamos um relação especial de proximidade, num grupo de anos.

Quando registrei a minha decepção foi em relação a esse grupo, nenhum servidor foi obrigado a votar no Lolli. Fizemos uma campanha limpa, pedimos voto com humildade e conscientizando sobre a importância da representatividade do servidor.

Fui muito humilhada na Câmara de Vereadores por defender os servidores, quem esteve lá sabe como funciona. Precisamos bater de gabinete em gabinete.

No grupo de WhatsApp eu disse que o servidor continuará a ser VISTO como titica de galinha, isso eu me referi a visão dos POLITICOS SOBRE OS SERVIDORES. Quem acredita que a visão deles é diferente, acredite nas mentiras que estão sendo contadas.

Infelizmente sem representantes não somos nada, e nossa situação continuará a ser muito difícil sem representatividade.

Quem não se lembra da votação dos 5,95%. O servidor está perdendo direitos em todas as cidades brasileiras. Aqui avançamos, mas sem representatividade continuaremos a sofrer na Câmara.

Lamento que a proximidade da eleição no sindicato faça as pessoas me denegrirem.

Eu tenho mais de 10 anos de luta e conquistas, não vai ser uma frase retirada do contexto, que vai denegrir minha imagem.

Eu sei muito bem o sentido da frase e as intenções de quem está espalhando esse assunto".

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Presidente interina do SISEMBC emite nota e diz que foi à polícia

Quarta, 5/10/2016 9:10.

A presidente interina do sindicato dos servidores municipais (Sisembc) Mariza de Fátima Crespilho Zerbato emitiu um esclarecimento público nas redes sociais após a repercussão de uma mensagem dela, enviada pelo celular. Na mensagem, ela diz que os servidores municipais não merecem a dedicação dela e do presidente Valdir Lolli, que concorreu a vereador, obteve 656 votos e não se elegeu.

Ela ainda disse que os funcionários da prefeitura continuarão a serem vistos como "titica de galinha". Veja aqui a mensagem na íntegra.

Na nota, Mariza não esclarece quem são as pessoas que a injuriaram e caluniaram. Nas redes sociais, diversos comentários foram críticas explícitas ao uso do sindicato para fins eleitorais o que, salvo melhor juízo, não configura crime de opinião. 

ESCLARECIMENTOS

"Fiz uma ata notarial no cartório e registrei um Boletim de Ocorrência na Delegacia da Mulher por injúria, calúnia e difamação de todas as pessoas que estão distorcendo meus comentários nas redes sociais.

É lamentável que as pessoas que queiram concorrer às eleições sindicais precisem denegrir a minha imagem para conseguirem vencer.
Quando vencemos as eleições no sindicato não denegrimos ninguém, apresentamos propostas. Façam o mesmo.

Eu mandei uma mensagem domingo, às 19h35, logo após o resultado das eleições.

Mandei a mensagem num grupo de WhatsApp privado, chamado Amigas da Educação. Esse grupo fez uma reunião grande de mais de 100 pessoas para apoiarem o Lolli. Tínhamos um relação especial de proximidade, num grupo de anos.

Quando registrei a minha decepção foi em relação a esse grupo, nenhum servidor foi obrigado a votar no Lolli. Fizemos uma campanha limpa, pedimos voto com humildade e conscientizando sobre a importância da representatividade do servidor.

Fui muito humilhada na Câmara de Vereadores por defender os servidores, quem esteve lá sabe como funciona. Precisamos bater de gabinete em gabinete.

No grupo de WhatsApp eu disse que o servidor continuará a ser VISTO como titica de galinha, isso eu me referi a visão dos POLITICOS SOBRE OS SERVIDORES. Quem acredita que a visão deles é diferente, acredite nas mentiras que estão sendo contadas.

Infelizmente sem representantes não somos nada, e nossa situação continuará a ser muito difícil sem representatividade.

Quem não se lembra da votação dos 5,95%. O servidor está perdendo direitos em todas as cidades brasileiras. Aqui avançamos, mas sem representatividade continuaremos a sofrer na Câmara.

Lamento que a proximidade da eleição no sindicato faça as pessoas me denegrirem.

Eu tenho mais de 10 anos de luta e conquistas, não vai ser uma frase retirada do contexto, que vai denegrir minha imagem.

Eu sei muito bem o sentido da frase e as intenções de quem está espalhando esse assunto".

Publicidade

Publicidade