Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Destino da areia removida da Avenida Atlântica é contestado
Reprodução.
A areia na estação da Emasa em frente ao fórum. Basta o promotor atravessar a rua.

Segunda, 31/10/2016 13:44.

O Página 3 recebeu diversos telefonemas de pessoas criticando o fato da prefeitura estar retirando a areia do mar depositada pela ressaca sobre a Avenida Atlântica e levando embora com caminhões. No final da manhã foi confirmada a hipótese que esse material está sendo levado para instalações da Emasa e parcialmente usado como aterro.

O oceanógrafo Fernando Diehl explicou que a areia é valiosa, deveria ser guardada ou devolvida fora da costa. “Botar fora é coisa de burro” resumiu.

É coisa de burro porque para repor areia com as mesmas características é necessário buscá-la quilômetros mar a dentro, em jazidas bastantes específicas.

Na parte da manhã a informação passada por Rômulo Fabrício Notari, da secretaria de obras, é que a areia estava sendo levada para o bota-fora no Parque Ecológico.

Em seguida o Página 3 obteve através do vereador Marcelo Achuti uma foto mostrando que o material está sendo levado para a estação de tratamento de água da Emasa na Avenida das Flores e usado como aterro. Se algum promotor quiser investigar basta atravessar a rua, as pilhas estão por trás do muro, em frente ao Fórum.

O gerente de resíduos sólidos da Emasa, Humberto Arnaldo Alves, inicialmente alegou que a areia retirada de cima do asfalto da Atlântica é contaminada por hidrocarbonetos devido aos resíduos deixados por veículos e seria usada como aterro nas estações da empresa.

Contestado pela reportagem sobre este destino para a areia ele mudou a versão, o material ficará empilhado e poderá até ser devolvido à praia.

O curioso é que em Balneário o procedimento é diferente de cidades como Itajaí, Santos e Rio de Janeiro onde em caso de ressaca a areia sobre as pistas de trânsito é devolvida imediatamente ao mar ou empilhada para posteriormente ser devolvida.

Existem ao longo da Avenida Atlântica terrenos baldios que poderiam ser emprestados para o armazenamento do material. Esse passeio de caminhões cheios de areia favorece apenas a empresa que os aluga à prefeitura.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Política


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Destino da areia removida da Avenida Atlântica é contestado

Reprodução.
A areia na estação da Emasa em frente ao fórum. Basta o promotor atravessar a rua.
A areia na estação da Emasa em frente ao fórum. Basta o promotor atravessar a rua.
Segunda, 31/10/2016 13:44.

O Página 3 recebeu diversos telefonemas de pessoas criticando o fato da prefeitura estar retirando a areia do mar depositada pela ressaca sobre a Avenida Atlântica e levando embora com caminhões. No final da manhã foi confirmada a hipótese que esse material está sendo levado para instalações da Emasa e parcialmente usado como aterro.

O oceanógrafo Fernando Diehl explicou que a areia é valiosa, deveria ser guardada ou devolvida fora da costa. “Botar fora é coisa de burro” resumiu.

É coisa de burro porque para repor areia com as mesmas características é necessário buscá-la quilômetros mar a dentro, em jazidas bastantes específicas.

Na parte da manhã a informação passada por Rômulo Fabrício Notari, da secretaria de obras, é que a areia estava sendo levada para o bota-fora no Parque Ecológico.

Em seguida o Página 3 obteve através do vereador Marcelo Achuti uma foto mostrando que o material está sendo levado para a estação de tratamento de água da Emasa na Avenida das Flores e usado como aterro. Se algum promotor quiser investigar basta atravessar a rua, as pilhas estão por trás do muro, em frente ao Fórum.

O gerente de resíduos sólidos da Emasa, Humberto Arnaldo Alves, inicialmente alegou que a areia retirada de cima do asfalto da Atlântica é contaminada por hidrocarbonetos devido aos resíduos deixados por veículos e seria usada como aterro nas estações da empresa.

Contestado pela reportagem sobre este destino para a areia ele mudou a versão, o material ficará empilhado e poderá até ser devolvido à praia.

O curioso é que em Balneário o procedimento é diferente de cidades como Itajaí, Santos e Rio de Janeiro onde em caso de ressaca a areia sobre as pistas de trânsito é devolvida imediatamente ao mar ou empilhada para posteriormente ser devolvida.

Existem ao longo da Avenida Atlântica terrenos baldios que poderiam ser emprestados para o armazenamento do material. Esse passeio de caminhões cheios de areia favorece apenas a empresa que os aluga à prefeitura.


 

Publicidade

Publicidade