Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Prolongamento da Quarta Avenida virou questão judicial
Daniele Sisnandes/Página 3
Moradores da Rua 3198 pedem agilidade na obra que ficou abandonada

Quarta, 26/10/2016 15:17.

Apesar de promessas, não há previsão para o início do prolongamento da Quarta Avenida. A prefeitura finalizou a maioria das desapropriações, mas até agora não conseguiu chegar a um acordo com quatro proprietários de imóveis. A briga judicial segue, enquanto o verão se aproxima e o tráfego fica cada dia pior.

Bem diferente de seus antecessores, a atual secretária de Planejamento Jade Martins não garante nenhum prazo para que as obras sejam retomadas, muito menos estima um prazo para liberação para o trânsito.

Ela explicou que o maior impasse acontece justamente com dois imóveis do final da Quarta e início do trecho a ser aberto. Isso travou todo o andamento dos trabalhos e demolições. O procurador do município, Marcelo Freitas adianta que o foco da discussão é basicamente o valor das desapropriações. Ele acredita que o assunto vai ser desobstruído nos próximos dias.

Projeto com problemas

Contudo, esse não é o único imbróglio. A empresa contratada para realizar o prolongamento informou à prefeitura que o projeto terá que sofrer alterações, devido desníveis no solo que não teriam sido previstos. Agora o município e a empresa vão avaliar a possibilidade de um aditivo e uma alteração no projeto ou então todo o projeto vai ter que ser refeito.

Pedem providências

Moradores da Rua 3198, por onde vai passar o novo traçado da Quarta, estão cansados da situação deplorável da via. Com a empolgação de começo das obras, a rua passou por intervenções iniciais, mas como tudo parou, sobraram apenas buracos, barro, areia e esquinas com delimitações improvisadas de madeira e fita amarela.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Prolongamento da Quarta Avenida virou questão judicial

Daniele Sisnandes/Página 3
Moradores da Rua 3198 pedem agilidade na obra que ficou abandonada
Moradores da Rua 3198 pedem agilidade na obra que ficou abandonada
Quarta, 26/10/2016 15:17.

Apesar de promessas, não há previsão para o início do prolongamento da Quarta Avenida. A prefeitura finalizou a maioria das desapropriações, mas até agora não conseguiu chegar a um acordo com quatro proprietários de imóveis. A briga judicial segue, enquanto o verão se aproxima e o tráfego fica cada dia pior.

Bem diferente de seus antecessores, a atual secretária de Planejamento Jade Martins não garante nenhum prazo para que as obras sejam retomadas, muito menos estima um prazo para liberação para o trânsito.

Ela explicou que o maior impasse acontece justamente com dois imóveis do final da Quarta e início do trecho a ser aberto. Isso travou todo o andamento dos trabalhos e demolições. O procurador do município, Marcelo Freitas adianta que o foco da discussão é basicamente o valor das desapropriações. Ele acredita que o assunto vai ser desobstruído nos próximos dias.

Projeto com problemas

Contudo, esse não é o único imbróglio. A empresa contratada para realizar o prolongamento informou à prefeitura que o projeto terá que sofrer alterações, devido desníveis no solo que não teriam sido previstos. Agora o município e a empresa vão avaliar a possibilidade de um aditivo e uma alteração no projeto ou então todo o projeto vai ter que ser refeito.

Pedem providências

Moradores da Rua 3198, por onde vai passar o novo traçado da Quarta, estão cansados da situação deplorável da via. Com a empolgação de começo das obras, a rua passou por intervenções iniciais, mas como tudo parou, sobraram apenas buracos, barro, areia e esquinas com delimitações improvisadas de madeira e fita amarela.

 

Publicidade

Publicidade