Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Com um mês de funcionamento, elevadores da Passarela já precisam de conserto
Divulgação PMBC
Prefeito Piriquito e moradores na inauguração

Quinta, 20/10/2016 18:29.

A Passarela da Barra tem pouco mais de um mês de funcionamento e a prefeitura já está tendo que fazer dispensa licitatória para o conserto dos elevadores, no valor de R$ 19.480,00.

Conforme a secretaria de Compras, houve um erro de projeto ou de execução, e os freios dos equipamentos estavam subdimensionados, ou seja, não eram suficientes para a capacidade total. Esse conserto foi necessário agora, para não representar risco à segurança no futuro.

O problema é que esse não é o único gasto extra. São quatro elevadores, mas um continua sem funcionar, porque o quadro de comando simplesmente sumiu da obra. A prefeitura terá que empenhar mais R$ 95 mil para adquirir a peça e colocar o equipamento em funcionamento.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

 São cerca de 150 pontos em apenas 6,5 Km de praia 


Geral

Foi sugerida a possibilidade de uma comissão ou o próprio município realizar a gestão provisoriamente


Cidade

 Edifício Itajaí, na rua Max Doose


Cidade


Publicidade


Geral

Será nesta sexta-feira, dia 22, em Balneário Camboriú


Geral

 O encontro traz à cidade palestrantes renomados no país. 


Cultura

Evento será realizado a partir das 20h, com entrada e distribuição gratuita


Variedades


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Com um mês de funcionamento, elevadores da Passarela já precisam de conserto

Divulgação PMBC
Prefeito Piriquito e moradores na inauguração
Prefeito Piriquito e moradores na inauguração
Quinta, 20/10/2016 18:29.

A Passarela da Barra tem pouco mais de um mês de funcionamento e a prefeitura já está tendo que fazer dispensa licitatória para o conserto dos elevadores, no valor de R$ 19.480,00.

Conforme a secretaria de Compras, houve um erro de projeto ou de execução, e os freios dos equipamentos estavam subdimensionados, ou seja, não eram suficientes para a capacidade total. Esse conserto foi necessário agora, para não representar risco à segurança no futuro.

O problema é que esse não é o único gasto extra. São quatro elevadores, mas um continua sem funcionar, porque o quadro de comando simplesmente sumiu da obra. A prefeitura terá que empenhar mais R$ 95 mil para adquirir a peça e colocar o equipamento em funcionamento.

Publicidade

Publicidade