Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Orçamento de Balneário Camboriú estimado em R$ 717 milhões no próximo ano
Reprodução.
Prefeitura rica e com baixa capacidade de investimento.

Quarta, 9/11/2016 7:46.

Está na Câmara de Vereadores o orçamento do município para 2017 que foi estimado em R$ 717,4 milhões, 16,8% acima do deste ano, o que indica crescimento real de 7%, se descontada a inflação prevista para o período. Numa época de crise é reconfortante saber que a cidade tende a continuar economicamente equilibrada, embora a capacidade de investimento esteja quase exaurida.

A maior despesa será com salários, orçados em R$ 319 milhões. A Educação, incluindo salários, custará R$ 150 milhões e a Saúde, também com salários inclusos, R$ 138 milhões. O orçamento da Emasa será de R$ 63 milhões.

Apesar da montanha de dinheiro, equivalente a quase três quartos de um bilhão de reais ela é quase totalmente consumida pela máquina, o dinheiro para obras totaliza apenas R$ 30 milhões, equivalentes a apenas 4% do total do orçamento.

As maiores despesas são com Câmara de Vereadores (17,5 milhões); Gabinete do Prefeito (34 milhões); Gestão Administrativa (39 milhões); Fazenda (25 milhões); Educação (150 milhões); Obras (29,8); Inclusão Social (10 milhões); Segurança (15 milhões); Saúde (138 milhões); saúde do servidor (17 milhões) e trânsito (18 milhões).

Receita apertada

Com a construção civil em baixa, o novo prefeito não poderá contar com os expressivos reforços de receita das Operações Urbanas Consorciadas, se quiser realizar um governo marcante terá que buscar dinheiro em outras fontes. A mais evidente é economizar, enxugar a máquina, fechar as torneiras de corrupção eventualmente abertas e diminuir a forte cultura do desperdício vigente na prefeitura.

A outra fonte de receita, possível apenas no próximo ano, é a revisão da Planta de Valores e consequente aumento da arrecadação do IPTU.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

ATUALIZADO às 7h de 15/12/2018.


Cidade

Balneário Camboriú passa a ser a cidade brasileira com mais bandeiras azuis


Justiça

Ele considera ilegal a lei municipal que permitiu o empreendimento 


Rapidinhas


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Orçamento de Balneário Camboriú estimado em R$ 717 milhões no próximo ano

Reprodução.
Prefeitura rica e com baixa capacidade de investimento.
Prefeitura rica e com baixa capacidade de investimento.
Quarta, 9/11/2016 7:46.

Está na Câmara de Vereadores o orçamento do município para 2017 que foi estimado em R$ 717,4 milhões, 16,8% acima do deste ano, o que indica crescimento real de 7%, se descontada a inflação prevista para o período. Numa época de crise é reconfortante saber que a cidade tende a continuar economicamente equilibrada, embora a capacidade de investimento esteja quase exaurida.

A maior despesa será com salários, orçados em R$ 319 milhões. A Educação, incluindo salários, custará R$ 150 milhões e a Saúde, também com salários inclusos, R$ 138 milhões. O orçamento da Emasa será de R$ 63 milhões.

Apesar da montanha de dinheiro, equivalente a quase três quartos de um bilhão de reais ela é quase totalmente consumida pela máquina, o dinheiro para obras totaliza apenas R$ 30 milhões, equivalentes a apenas 4% do total do orçamento.

As maiores despesas são com Câmara de Vereadores (17,5 milhões); Gabinete do Prefeito (34 milhões); Gestão Administrativa (39 milhões); Fazenda (25 milhões); Educação (150 milhões); Obras (29,8); Inclusão Social (10 milhões); Segurança (15 milhões); Saúde (138 milhões); saúde do servidor (17 milhões) e trânsito (18 milhões).

Receita apertada

Com a construção civil em baixa, o novo prefeito não poderá contar com os expressivos reforços de receita das Operações Urbanas Consorciadas, se quiser realizar um governo marcante terá que buscar dinheiro em outras fontes. A mais evidente é economizar, enxugar a máquina, fechar as torneiras de corrupção eventualmente abertas e diminuir a forte cultura do desperdício vigente na prefeitura.

A outra fonte de receita, possível apenas no próximo ano, é a revisão da Planta de Valores e consequente aumento da arrecadação do IPTU.

Publicidade

Publicidade