Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Parada da Diversidade de Balneário Camboriú reuniu grande público
Fael Garbin

Segunda, 14/11/2016 10:25.

A 4ª Parada da Diversidade de Balneário Camboriú, que aconteceu no domingo (13), reuniu grande público pedindo mais tolerância e respeito na Avenida Atlântica de Balneário Camboriú. A próxima já está marcada e deve acontecer no dia 12 de novembro de 2017.

Um dos organizadores e presidente da Associação da Parada da Diversidade, Ney Laurentino, conta que o evento foi maravilhoso e a realização de um sonho. Em cima de dois trios elétricos o grupo conseguiu desfilar por toda a avenida, seguida por um bom número de pessoas. “Não sei dizer quantas tinham, mas pelo menos cinco mil, porque além de ocuparem a rua também tinham pessoas na faixa de areia”, diz.

Apesar de não contar com nenhum apoio do governo municipal ou de empresas da região, a organização conseguiu colocar na avenida dois trios elétricos. Um era da associação de mães que possuem filhos homossexuais e outro da associação.

“Infelizmente nenhum comércio ou caso noturna da cidade nos apoio. Ganhamos não inclusive de todas as casas noturnas do segmento LGBT de Balneário. Porém, mesmo assim fizemos bonito”, afirma. Ney destaca que muitas pessoas estavam esperando a parada passar para seguirem junto, inclusive turistas estrangeiros, como argentinos, uruguaios e peruanos.

O organizador lembra o momento na Praça Almirante Tamandaré, onde colocaram os trios. Lá, aconteceram shows de drag queens e debates. “Todas atuaram de forma voluntária. Vieram pessoas de Jaraguá do Sul, Joinville e Palhoça, todas para participarem ativamente de nossa parada. Foi um sucesso, pois não houve nenhum tumulto ou ato de homofobia. Todos estavam se divertindo e rindo juntos. Foi um momento muito importante, um sucesso”, acrescenta.

Vereadores contra

Um ato de homofobia aconteceu na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú e indignou a comunidade LGBT. Seis vereadores reprovaram na última terça-feira (8) um projeto de lei que declarava de utilidade pública a Associação da Parada da Diversidade de Balneário Camboriú. Na mesma sessão eles aprovaram a utilidade pública para a Associação de Esportes de Raquete e para a Associação Comunidade Cristã Amor para o Mundo.

O motivo da reprovação do projeto em favor da entidade que promove a Parada é religioso, mas os vereadores que tramaram a rejeição na Comissão de Justiça e Redação não tiveram coragem de sair do armário e assumir, por isso alegaram que faltavam documentos, o que não é verdade.

A Comissão é composta pelos vereadores Leonardo Piruka (Presidente), Pedro Francez e Arlindo Cruz. Votaram contra o projeto Leonardo Piruka, Pedro Francez, Marcos Kurtz, Asinil Medeiros, Arlindo Cruz e Elizeu Pereira. Votaram a favor Marisa Fernandes, Fábio Flôr, Orlando Angioletti, Claudir Maciel e Moacir Schimdt. O vereador Roberto Souza Júnior se retirou e o presidente Nilson Probst não vota.

Para lembrar isso, os participantes da Para realizaram um ato contra os vereadores. Agora, Ney e os demais associados pretendem entrar na Justiça contra os vereadores.

“Temos tudo para formar a associação oficialmente, nessa mesma ocasião foram aprovadas duas associações que não tinham um décimo de todos os documentos que nós possuímos”, sublinha. Ney relata ainda que a ideia é pedir que esses vereadores não possam se reeleger na próxima eleição. “Para nós a pior atitude foi a do Roberto Souza Júnior, que não foi homem nem para dizer sim ou não”, afirma.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Parada da Diversidade de Balneário Camboriú reuniu grande público

Fael Garbin
Segunda, 14/11/2016 10:25.

A 4ª Parada da Diversidade de Balneário Camboriú, que aconteceu no domingo (13), reuniu grande público pedindo mais tolerância e respeito na Avenida Atlântica de Balneário Camboriú. A próxima já está marcada e deve acontecer no dia 12 de novembro de 2017.

Um dos organizadores e presidente da Associação da Parada da Diversidade, Ney Laurentino, conta que o evento foi maravilhoso e a realização de um sonho. Em cima de dois trios elétricos o grupo conseguiu desfilar por toda a avenida, seguida por um bom número de pessoas. “Não sei dizer quantas tinham, mas pelo menos cinco mil, porque além de ocuparem a rua também tinham pessoas na faixa de areia”, diz.

Apesar de não contar com nenhum apoio do governo municipal ou de empresas da região, a organização conseguiu colocar na avenida dois trios elétricos. Um era da associação de mães que possuem filhos homossexuais e outro da associação.

“Infelizmente nenhum comércio ou caso noturna da cidade nos apoio. Ganhamos não inclusive de todas as casas noturnas do segmento LGBT de Balneário. Porém, mesmo assim fizemos bonito”, afirma. Ney destaca que muitas pessoas estavam esperando a parada passar para seguirem junto, inclusive turistas estrangeiros, como argentinos, uruguaios e peruanos.

O organizador lembra o momento na Praça Almirante Tamandaré, onde colocaram os trios. Lá, aconteceram shows de drag queens e debates. “Todas atuaram de forma voluntária. Vieram pessoas de Jaraguá do Sul, Joinville e Palhoça, todas para participarem ativamente de nossa parada. Foi um sucesso, pois não houve nenhum tumulto ou ato de homofobia. Todos estavam se divertindo e rindo juntos. Foi um momento muito importante, um sucesso”, acrescenta.

Vereadores contra

Um ato de homofobia aconteceu na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú e indignou a comunidade LGBT. Seis vereadores reprovaram na última terça-feira (8) um projeto de lei que declarava de utilidade pública a Associação da Parada da Diversidade de Balneário Camboriú. Na mesma sessão eles aprovaram a utilidade pública para a Associação de Esportes de Raquete e para a Associação Comunidade Cristã Amor para o Mundo.

O motivo da reprovação do projeto em favor da entidade que promove a Parada é religioso, mas os vereadores que tramaram a rejeição na Comissão de Justiça e Redação não tiveram coragem de sair do armário e assumir, por isso alegaram que faltavam documentos, o que não é verdade.

A Comissão é composta pelos vereadores Leonardo Piruka (Presidente), Pedro Francez e Arlindo Cruz. Votaram contra o projeto Leonardo Piruka, Pedro Francez, Marcos Kurtz, Asinil Medeiros, Arlindo Cruz e Elizeu Pereira. Votaram a favor Marisa Fernandes, Fábio Flôr, Orlando Angioletti, Claudir Maciel e Moacir Schimdt. O vereador Roberto Souza Júnior se retirou e o presidente Nilson Probst não vota.

Para lembrar isso, os participantes da Para realizaram um ato contra os vereadores. Agora, Ney e os demais associados pretendem entrar na Justiça contra os vereadores.

“Temos tudo para formar a associação oficialmente, nessa mesma ocasião foram aprovadas duas associações que não tinham um décimo de todos os documentos que nós possuímos”, sublinha. Ney relata ainda que a ideia é pedir que esses vereadores não possam se reeleger na próxima eleição. “Para nós a pior atitude foi a do Roberto Souza Júnior, que não foi homem nem para dizer sim ou não”, afirma.

 

Publicidade

Publicidade