Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Comerciantes querem organizar ocupação do Calçadão da Central

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Waldemar Cezar Neto

Quarta, 18/5/2016 8:30.

Durante a temporada, a ocupação desordenada do passeio do Calçadão da Central gerou protestos de populares e até de quem trabalha naquele local. Há uma ação do Ministério Público pedindo que o município organize aquela ocupação e uma liminar determinando que isso seja feito. Mas até hoje nada aconteceu. Por isso, um grupo de comerciantes descontentes decidiu agir, já realizou duas reuniões com vereadores e nesta quarta-feira (18), às 16h, acontecerá o terceiro encontro no Legislativo.

A vereadora Marisa Zanoni, explica que chamou todos os vereadores para o encontro e que o secretário de Planejamento Urbano, Fábio Flôr, já confirmou presença. “É com ele que queremos falar. Os comerciantes e seus advogados também irão”, diz. Esses encontros estão sendo preparatórios para a audiência com o Ministério Público, que acontece em junho para tentar resolver a situação.

“Há comerciantes contra, e o que eles não entendem é que não queremos acabar com as mesas e cadeiras e sim organizá-las. O Ministério Público deu prazo para disciplinar a situação e até hoje nada aconteceu. Está chegando a audiência e a prefeitura não se posicionou sobre isso”, explica.

Os comerciantes fizeram um documento planejando como pode ser essa padronização. “Mas dependemos da prefeitura. Todas as conversas que acompanhei os comerciantes se mostraram abertos a negociação. Eles inclusive dizem que a prefeitura autorizou o uso de decks, mas depois voltaram atrás. Todos querem um padrão oficial”, diz.

Marisa conversou com Fábio Flôr, que reconheceu que a situação é complicada. “Na minha opinião se houve intervenção do Ministério Público é porque a prefeitura se omitiu. Todos estão sendo prejudicados com essa demora, precisamos resolver essa situação logo”,a firma.

O que diz o advogado

Um dos advogados que representa os 11 comerciantes envolvidos no pedido de organização é Lucas Zenatti. Ele explica que o principal pedido é que a prefeitura solucione a situação o quanto antes, de preferência para a próxima temporada de verão.

“Apresentamos aos vereadores o projeto que fizemos, que pede a padronização e regulamentação do uso de mesas e cadeiras no Calçadão. Pedimos que a prefeitura mostre para os comerciantes o espaço que eles podem utilizar e quantas mesas e cadeiras podem ser colocadas. Além também de cores e modelos, para que haja uma padronização no espaço”, informa.

Um pedido é que haja delimitação do espaço que os comerciantes podem ocupar, o que pode ser feito por meio de corda ou deck – isso ficaria a critério da prefeitura. “Teoricamente, para utilizar espaço público é preciso pagar uma taxa ao governo municipal, e os comerciantes não estão fazendo isso. Os nossos clientes também pedem que isso seja cobrado”, diz.

A audiência com o MPSC será no dia 29 de junho, às 14h, na Vara da Fazenda Pública de Balneário Camboriú. “Queremos mostrar que não houve um estudo para o Calçadão e que isso é extremamente necessário. Na época em que o secretário de Planejamento era o Auri Pavoni houve aquele projeto de cobrir o Calçadão, mas não deram continuidade e se instalou um caos no local. Por isso, queremos uma resposta do Fábio Flôr. Se ele não aceitar nossa proposta, esperamos que ele indique outra”, explica.

Reativando associação

A Associação dos Comerciantes do Calçadão da Avenida Central (ACCBC) em breve será reativada. Há alguns anos havia uma entidade que representava os comerciantes do local, mas ela foi abandonada, segundo Lucas. O grupo já está elaborando estatuto e em breve devem publicar edital para restabelecê-la oficialmente.

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Educação

A comunidade de toda região está convidada para opinar


Eleições

Defendo congelar salários e vantagens dos deputados por 10 anos


Eleições

Ele é surdo e por isso conhece as dificuldades enfrentadas por pessoas em situação semelhante 


Eleições

Em entrevista ao Página 3 ele conta que quer ser deputado do empreendedorismo


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade