Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Prefeitura de Balneário aplica punições a fornecedores

Quinta, 7/7/2016 8:18.

O setor de compras da prefeitura de Balneário Camboriú puniu nos últimos dias uma série de fornecedores na maioria ligados à área de saúde onde, segundo comentários do mercado, o desrespeito aos contratos com o serviço público é norma, não exceção.

Com as punições, algumas empresas se tornaram inidôneas para contratar com o poder público, evitando que façam o mesmo em outros contratos.

Também foi punida uma empresa de mão de obra (Medserv) por atraso na chegada de uma médica plantonista ao trabalho e o licitante de um quiosque, por desistir do negócio. As distribuidoras punidas foram Nunesfarma (R 1 mil por atraso na entrega de um medicamento); Olimed; Starmed; Dimaci e Prosaude.

R$ 52 mil de multa

Pedro Maia Branco Junior foi multado em 52.199,97 porque desistiu de um quiosque. Ele apresentou proposta de R$ 1.675.998,60 por três quiosques e desistiu de um deles.

Ele terá que pagar porque se não o fizer ficará inadimplente, perderá a regularidade fiscal e a concessão dos outros dois pontos.

O intrigante é que essa pessoa que se dispõe a investir quase R$ 1,7 milhão fez concurso na prefeitura, sem ser aprovado, para receber salário de R$ 2.500,00.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Política

Fabrício Oliveira é acusado de omissão em relação ao loteamento clandestino Vila Fortaleza


Política


Cidade

Devido a declarações falsas, BC Port é alvo de investigação 


Cidade

Vice-prefeito quer estudar o assunto com mais cuidado 


Publicidade


Publicidade


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Esportes


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Prefeitura de Balneário aplica punições a fornecedores

Quinta, 7/7/2016 8:18.

O setor de compras da prefeitura de Balneário Camboriú puniu nos últimos dias uma série de fornecedores na maioria ligados à área de saúde onde, segundo comentários do mercado, o desrespeito aos contratos com o serviço público é norma, não exceção.

Com as punições, algumas empresas se tornaram inidôneas para contratar com o poder público, evitando que façam o mesmo em outros contratos.

Também foi punida uma empresa de mão de obra (Medserv) por atraso na chegada de uma médica plantonista ao trabalho e o licitante de um quiosque, por desistir do negócio. As distribuidoras punidas foram Nunesfarma (R 1 mil por atraso na entrega de um medicamento); Olimed; Starmed; Dimaci e Prosaude.

R$ 52 mil de multa

Pedro Maia Branco Junior foi multado em 52.199,97 porque desistiu de um quiosque. Ele apresentou proposta de R$ 1.675.998,60 por três quiosques e desistiu de um deles.

Ele terá que pagar porque se não o fizer ficará inadimplente, perderá a regularidade fiscal e a concessão dos outros dois pontos.

O intrigante é que essa pessoa que se dispõe a investir quase R$ 1,7 milhão fez concurso na prefeitura, sem ser aprovado, para receber salário de R$ 2.500,00.

 

Publicidade

Publicidade